Instrumentalização: Pedagogia, Letras e Biologia

On março 22, 2020, in SocioEdu1, by Fábio Fernandes Villela

""

Bucky Fuller Dome Restaurant (MIT)

Caros alun@s de Pedagogia, Letras e Biologia, bom dia! Tudo bem com vcs?

A tarefa dos educadores e d@s educand@s desenvolve-se através de ações didático-pedagógicas necessárias à efetiva construção conjunta do conhecimento nas dimensões científica, social e histórica. Consiste em realizar as operações mentais de analisar, comparar, criticar, levantar hipóteses, julgar, classificar, conceituar, deduzir, generalizar, discutir explicar, etc. Trata-se da “Instrumentalização”, conforme apresenta Saviani (2013). Na Instrumentalização, o educando e os educadores efetivam o processo dialético de construção do conhecimento que vai do empírico ao abstrato chegando, assim, ao concreto, ao realizável. Esta fase, segundo Saviani (2013), consiste na apreensão dos instrumentos teóricos e práticos necessários ao equacionamento dos problemas detectados na prática social. Trata-se da apropriação das ferramentas culturais necessárias à luta que travam diuturnamente para se libertar das condições de exploração em que vivem. É o momento do método que passa da síncrese à síntese a visão do educando sobre o conteúdo presente em sua vida social.

Trata-se de se apropriar dos instrumentos teóricos e práticos necessários ao equacionamento dos problemas detectados na prática social. Como tais instrumentos são produzidos socialmente e preservados historicamente, a sua apropriação pelos alunos está na dependência de sua transmissão direta ou indireta por parte do professor. Digo transmissão direta ou indireta porque o professor tanto pode transmiti-los diretamente como pode indicar os meios através dos quais a transmissão venha a se efetivar. Chamemos, pois, este terceiro passo de instrumentalização. Obviamente, não cabe entender a referida instrumentalização em sentido tecnicista. Trata-se da apropriação pelas camadas populares das ferramentas culturais necessárias à luta social que travam diuturnamente para se libertar das condições de exploração em que vivem.

Continuando as atividades a serem desenvolvidas pelos alunos em suas casas, vamos fazer + uma produção de textos de leitura obrigatória da disciplina. O texto é aquele que o alun@ ficou responsável através do número da chamada. A lista de chamada de cada curso está no drive da disciplina. Relembrando…. “o aluno deverá apresentar um seminário ao longo do semestre, durante o Fórum de Debate, onde será avaliada a capacidade de leitura, interpretação, articulação e exposição oral de textos de leitura obrigatória. Será levado em conta o empenho do aluno durante”. Quesito “SST” da avaliação. Como estamos impossibilitados de nos reunirmos, utilizaremos o blog de aula para postar os 3 pontos que o aluno considerar importante. Quando voltarem as aulas, faremos a discussão dos pontos levantados e postados no blog, em sala de aula, no Fórum de Debates. O aluno deverá ler o texto correspondente ao seu número na chamada e postar no blog de aula até o dia 17 abril. Após esta data avaliaremos o que fazer, a partir das orientações da Reitoria da Unesp. Bom trabalho a tod@s!

Materiais complementares:

Vídeo: DERMEVAL SAVIANI | A pedagogia histórico-crítica: https://www.youtube.com/watch?v=13ojrNgMChk

PHC no Ensino de Ciências (PDF): http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1896-8.pdf

Dermeval Saviani: Texto – Escola e Democracia: Para Além da Curvatura da Vara:

https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/download/9713/7100

Prática Social Inicial do Conteúdo: Pedagogia, Letras e Biologia

On março 17, 2020, in SocioEdu1, by Fábio Fernandes Villela

Image result for tartaruga indo em direção ao mar tamar

Caros discentes, boa tarde!

Um dos critérios de avaliação da disciplina é a produção de textos. Relembrando o Programa de Curso: o aluno deverá produzir, ao longo do ano, dois trabalhos escritos sobre o conteúdo da disciplina. No início da Unidade 1 e no final da Unidade 3, o aluno deverá produzir os textos sobre a Prática Social Inicial do Conteúdo e a Catarse (Cf. Gasparin, 2013). Conforme apresenta Oliveira e Franco (2014), a Pedagogia Histórico‐Crítica formulada por Saviani, foi didatizada por Gasparin (2013) e divide em cinco momentos o trabalho docente em sala de aula: prática social inicial, problematização, instrumentalização, catarse e prática social final. Dentre as cinco fases descritas a que merecerá nosso enfoque será a prática social inicial, pois se entende que nesta fase a percepção do professor e do aluno sobre o assunto e contribuem de forma significativa para o processo ensino‐aprendizagem. A prática social inicial indica o momento em que o professor apresenta o conteúdo que será trabalhado e seus objetivos aos alunos por meio do diálogo, e neste momento dialógico com os alunos investigará quais os conhecimentos que possuem sobre o assunto, assim como, quais as curiosidades deles sobre o mesmo. Este momento indicará ao professor tanto os saberes dos alunos como também desvelará as expectativas dos discentes. (Para uma leitura completa do artigo consultar: http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/1074-0.pdf). A proposta é que o alun@ produza e poste no blog um texto de 3 parágrafos, em primeira pessoa, nos próximos 7 dias, dissertando sobre os conhecimentos que possuem sobre o História, Sociologia e Filosofia bem como, quais as curiosidades deles sobre a disciplina, possibilitando ao professor inferir os saberes dos alunos sobre esses conteúdos como também suas expectativas quanto a disciplina. Bom trabalho! Prof. Fábio Villela.

Sociologia da Educação 2: Produção Final de Texto (PT)

On dezembro 5, 2019, in SocioEdu2, by Fábio Fernandes Villela

Resultado de imagem para saviani"

Boa noite querid@s alun@s! Tudo bem?

Esta é á área para a postagem da produção de texto final (PT) da disciplina Sociologia da Educação 2. A Pedagogia Histórico-Crítica segundo Saviani (2006), é tributária da concepção dialética, especificamente na versão do materialismo histórico, tendo fortes afinidades, no que ser refere às suas bases psicológicas, com a psicologia histórico-cultural desenvolvida pela “Escola de Vigotski”. A educação é entendida como o ato de produzir, direta e intencionalmente, em cada indivíduo singular, a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens. Em outros termos, isso significa que a educação é entendida como mediação no seio da prática social global.

A prática social se põe, portanto, como o ponto de partida e o ponto de chegada da prática educativa. Daí decorre um método pedagógico que parte da prática social onde professor e aluno se encontram igualmente inseridos, ocupando, porém, posições distintas, condição para que travem uma relação fecunda na compreensão e encaminhamento da solução dos problemas postos pela prática social, cabendo aos momentos intermediários do método identificar as questões suscitadas pela prática social (problematização), dispor os instrumentos teóricos e práticos para a sua compreensão e solução (instrumentação) e viabilizar sua incorporação como elementos integrantes da própria vida dos alunos (catarse).

A catarse é o momento em que, uma vez incorporados os conteúdos e os processos de sua construção, ainda que de forma provisória, é chegado o momento em que o aluno é solicitado a mostrar o quanto se aproximou da solução dos problemas anteriormente levantados sobre o tema em questão em função das questões anteriormente enunciadas.

O aluno traduz oralmente ou pôr escrito a compreensão que teve de todo o processo de trabalho. Expressa sua nova maneira de ver a prática social. É capaz de entendê-la em um novo patamar, mais elevado, mais consistente e estruturado. É a síntese que o aluno efetua, marcando sua nova posição em relação ao conteúdo e à forma de sua construção no todo social. O aluno mostra que de uma síncrese inicial sobre a realidade social do conteúdo que foi trabalhado, chega agora a uma síntese, que é o momento em que ele estrutura, em nova forma, seu pensamento sobre as questões que conduziram à construção do conhecimento. Esta é a nova maneira de entender a prática social. É o momento em que o aluno evidencia se de fato incorporou ou não os conteúdos trabalhados.

Na catarse o aluno mostrará que a realidade que ele conhecia antes como “natural”, não é exatamente desta forma, mas é “histórica”, porque produzida pelos homens em determinado tempo e lugar, com intenções políticas implícitas ou explícitas. Este é o momento da avaliação que traduz o crescimento do aluno, que expressa como se apropriou do conteúdo, como resolveu as questões propostas, como reconstituiu seu processo de concepção da realidade social e, como, enfim, passou da síncrese à síntese. (Trechos retirados de diversas fontes).

Relembrando os conteúdos da disciplina Sociologia da Educação 2: A Educação em uma Perspectiva Sociológica; O Nascimento da Sociologia da Educação; A Educação como Elemento de Transformação da Realidade Social; A Educação como um Processo de Reprodução e/ou Transformação da Sociedade; Sociedade e Sociologia da Educação no Brasil e Escola e Sociologia da Educação, o aluno deverá nesta produção de texto final (PT), em no máximo dois parágrafos, traduzir por escrito a compreensão (catarse) que teve da disciplina Sociologia da Educação 2. Bom trabalho! Prof. Fábio Villela.

Produção de Texto Final – Sociologia da Educação 1

On agosto 14, 2018, in SocioEdu1, by Fábio Fernandes Villela

O Homem Vitruviano (c. 1485) Accademia, Venice.

Bom Dia Querid@s Alun@s! Tudo bem?

Esta é a área da produção de texto final da disciplina Sociologia da Educação 1. O texto deve abordar as questões do livro “A escola de Leonardo – política e educação nos escritos de Gramsci”. O livro tem como tema a metáfora gramsciana do homem moderno na figura de Leonardo da Vinci. As indagações e  sobre a realidade social e cultural do Renascimento, motivadas por uma carta que, na sua aparente divagação, reflete sobre as raízes da sociedade moderna e as condições sociais e culturais para a formação humana,  abre a senda para a refletir sobre a dimensão política da educação. Gramsci não foi um pedagogo, mas um político que, ao acentuar a dimensão cultural da política, explicitou uma pedagogia da emancipação humana para a construção de uma nova ordem social e política. A noção gramsciana de política amplia a noção implícita nos escritos de Marx e enraíza-se na tradição política moderna, na qual o poder se consolida como relação de domínio do homem sobre o homem e do homem sobre a natureza, cujo mecanismo principal é a força como condicionadora e formadora de comportamentos. Sem esquecer que se trata de uma metáfora que visa a discutir as condições de luta política e cultural em um momento revolucionário, o tema serve de motivo para indagar sobre a necessidade de renovação estrutural da escola pública brasileira e a importância de enfrentar o problema da escola no contexto amplo da educação e da compreensão das contradições da sociedade capitalista, para elaborar novas estratégias de construção de uma nova ordem social e política. A questão central para a produção do texto é a seguinte: qual o principal processo de socialização abordado na Unidade 4 da disciplina Sociologia da Educação 1? Bom trabalho e boas férias! Prof. Fábio Fernandes Villela.

PS1. Alguns Processos de Socialização estão nos seguintes textos:

MANACORDA, Mario Alighiero. O homem omnilateral. In:_____. Marx e a pedagogia moderna. Campinas: Alínea, 2007. p. 77-94.

SCHLESENER, Anita Helena. A escola de Leonardo: política e educação nos escritos de Gramsci. Liber Livro: Brasília, 2009.

MACHADO, Ilma Ferreira. Educação solidária e formação omnilateral. In: ZART, Laudemir Luiz. (Org.). Educação e sócio-economia solidária: paradigmas de conhecimento e de sociedade. Cáceres: Unemat Editora, 2004. p. 96-104.

MACHADO, Ilma Ferreira. A criança como sujeito social na educação do campo. Educação Pública, Cuiabá, v. 15, n. 27, p. 109-118, jan./abr. 2006.

PS2. Abaixo alguns vídeos e websites mencionados em sala de aula:

A Vida de Leonardo da Vinci – Parte 1/2 – Filme Completo

https://www.youtube.com/watch?v=gk1XeiyhXXI

Página do Leonardo Da Vinci no Facebook

http://www.facebook.com/leonardo.page

Da Vinci’s Demons – Trailer (Série de TV)

https://www.youtube.com/watch?v=vgg9nnALFGA

Paideia Escuela Libre

https://www.youtube.com/watch?v=yVkCfclROaI

Sem Terrinha em Movimento – parte 1

http://www.youtube.com/watch?v=DbR48kN5BYk

Escola Nacional Florestan Fernandes – Um Sonho em Construção (MST)

http://www.youtube.com/watch?v=5HfY1jbaifc

Cuba: Uma escola de solidariedade

https://www.youtube.com/watch?v=b-Gfqls-EUE

Pedagogia Histórico-Crítica: Dermeval Saviani:

https://www.youtube.com/watch?v=Y_1XO11Il94

PS3. Como atividade complementar os alun@s podem assistir ao filme:

Antonio Gramsci: Os dias do cárcere. (Antonio Gramsci: I giorni del carcere, Itália, 1977, 127 min., branco e preto), direção Lino del Fra. (Legenda em espanhol).

O filme apresenta os anos vividos por Gramsci na prisão de Turi, em Bari, Itália (julho de 1928 a outubro de 1933), período fundamental para a redação dos “Cadernos do Cárcere” e explorando as discordâncias que o prisioneiro do fascismo manifestou em relação à teoria stalinista, aceita pelo próprio partido de Gramsci, o PCI. O filme foi produzido em preto e branco para a televisão italiana e recebeu o Grande Prêmio do Festival Internacional do Filme de Locarno em 1977. Procura reconstruir em detalhe a época e os personagens, valendo-se de bastante maquiagem, leitura de documentos e flash-backs. O ator italiano Riccardo Cucciolla interpreta Gramsci numa tentativa de verossimilhança. O filme flerta com o documentário mas sem conseguir sê-lo por completo. O filme-documentário é falado em italiano e com legendas em espanhol e está disponível no YouTube.

Assista o filme no seguinte link:

https://www.youtube.com/watch?v=yRLqQ6NQbyg

Sociologia da Educação 1 – Prática Final do Conteúdo

On julho 18, 2017, in SocioEdu1, by Fábio Fernandes Villela

Resultado de imagem para bonecos max weber e durkheim feltro

Querid@s Alun@s, bom dia! Tudo bem?

Esta é a área para a produção do texto final da disciplina Sociologia da Educação I. Faça uma reflexão, a partir dos textos, debates e seminários realizados em sala de aula, sobre a superação do senso comum proporcionado pela disciplina, reconhecendo a especificidade do pensamento sociológico e identificando suas matrizes.

Bom trabalho! Prof. Fábio Fernandes Villela.

Alfabetização e Letramento na EJA – 2

On novembro 26, 2016, in EduCoop, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia amig@s da EJA! Tudo bem?

Esta é a área para a postagem do módulo 2 do curso: “Alfabetização e Letramento na EJA”. Vocês devem fazer uma reflexão, no máximo 2 parágrafos, sobre a temática abordada nesse módulo, a partir da leitura do livro da bibliografia do curso:

* TFOUNI, Leda Verdiani. Letramento e alfabetização. São Paulo: Cortez, 2002.

Como atividade complementar os participantes podem ver o documentário sobre histórias de vida, formação de professores e os desafios do trabalho docente abaixo:

(1) Escola Quilombo: Educação Cultivada. (Brasil, 2015, 40 min., colorido), direção: Alexandra Duarte.

Documentário com narrativas de educadores sobre a realidade de estudo e trabalho em escolas públicas instaladas em Comunidades Quilombolas “Kalunga do Mimoso” e “Lagoa da Pedra”, na região de Arraias, estado do Tocantins. Foca histórias de vida e formação de professores e os desafios do trabalho docente em meio ao cotidiano pedagógico em escolas rurais. Produção do Observatório da Educação do Campo / Universidade Federal do Tocantins – UFT. Duração: 40 minutos. Realização: Observatório da Educação do Campo / Universidade Federal do Tocantins – UFT. Produção Co.Inspiração Amazônica Filmes. Coordenação e Produção: Raquel Alves de Carvalho e Idemar Vizolli. Direção Geral, Imagens e Edição: Evandro Medeiros. Direção de Fotografia e Imagens: Alexandra Duarte.

- Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ZUqbAPy5bzw

Bom trabalho! Prof. Fábio Villela.

4º Congresso de Educação de Jovens e Adultos UNESP

On junho 27, 2016, in EduCoop, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia amig@s da Educação de Jovens e Adultos – EJA!

Convidamos a tod@s para o  4º Congresso de Educação de Jovens e Adultos UNESP: Educação de Jovens e Adultos no Século XXI: Demandas, Políticas e Práticas, Unesp – São José do Rio Preto – 26 a 28 de setembro de 2016. Local: Auditório C, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas – IBILCE, Universidade Estadual Paulista – Júlio de Mesquita Filho – UNESP, Rua Cristóvão Colombo, 2265 – Jd.Nazareth – Fone (17) 3221-2318 – CEP. 15054-000 – São José do Rio Preto – SP.

Segue abaixo as informações. Até lá, Prof. Fábio Villela.

1 – O Congresso

O Projeto de Educação de Jovens e Adultos (PEJA) foi criado na UNESP no ano de 2000, na época vinculado ao Programa UNESP de Integração Social Comunitária, da Pró-Reitoria de Extensão Universitária – PROEX, com o objetivo de estabelecer uma política pública para a educação de jovens e adultos, buscando parcerias comunitárias locais e visando à contribuição de recursos para a formação de cidadãos – leitores críticos e participativos, bem como a de professores com a visão de “Educadores Populares”.

Atualmente o PEJA é desenvolvido em oito Campus Universitários da UNESP, Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Marília, Presidente Prudente, Rio Claro e São José do Rio Preto contanto com  recursos humanos e materiais para envolvimento com os trabalhos que viabilizem atingir os objetivos do mesmo.

No ano de 2010, o PEJA completa 10 anos e na época foi realizado o 1º Congresso de Educação de Jovens e Adultos, sediado no Campus de Marília com o objetivo de oportunizar um espaço para discussão dos avanços que o PEJA e demais pesquisadores e extensionistas da área da EJA alcançaram nas últimas décadas.

Os resultados deste primeiro congresso conduziram a realização de uma nova edição no ano de 2012, agora acolhido no Campus de Rio Claro. Nesta edição os objetivos propostos no congresso anterior tiveram continuidade culminando com a proposição da realização desta terceira versão no ano de 2014, agora no Campus de Bauru.

O 3º Congresso aconteceu nos dias 12, 13 e 14 de setembro de 2014, promovido pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP), campus de Bauru. Neste ano de 2016 ocorrerá o 4º Congresso de Educação de Jovens e Adultos na Unesp de São José do Rio Preto. Este evento busca promover o debate teórico, critico e cultural da Educação de Jovens e Adultos entre docentes, discentes, funcionários, administradores e pesquisadores educacionais, propiciando sua troca de experiências e contato interpessoal.

As reflexões propostas durante o evento em formato de mesas redondas, conferências, minicursos, apresentação de trabalhos e atividades culturais colocam em questão a educação de jovens e adultos no século XXI, com suas demandas, políticas e práticas.

Desejamos a todos um ótimo Congresso! Comissão Organizadora.

2 – Programação

26/09/2016 – Segunda-Feira

8h30 – Credenciamento / Entrega de Material (Local: Auditório C)

12h – Almoço (Local: Adunesp)

14h – MESA DE ABERTURA (Local: Auditório C)

Profª. Drª. Maria Tercília Vilela de Azeredo Oliveira (Diretora do IBILCE / UNESP / Rio Preto) e Prof. Dr. Julio César Torres (Coordenador do Curso de Pedagogia do IBILCE / UNESP / Rio Preto)

Coordenação: Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela (UNESP / Rio Preto)

14h30 – CONFERÊNCIA DE ABERTURA (Auditório C)

Tema: Educação de Jovens e Adultos no Século XXI: Demandas, Políticas e Práticas

Palestrantes: Profa. Dra. Telma Antonia Marques Vieira (Secretária de Educação / SME / São José do Rio Preto)

Coordenação: Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela

16h – Café e Apresentação Cultural (Local: Adunesp)

16h30 – MESA REDONDA 1 (Local: Auditório C)

Tema: A Extensão Universitária e a Educação de Jovens e Adultos

Palestrantes: Profa. Dra. Mariângela Spotti Lopes Fujita (Pró-Reitora Extensão Universitária – PROEX / UNESP) e Coordenadores do PEJA – UNESP (Presidente Prudente, Marília, Assis, São José do Rio Preto, Rio Claro, Araraquara e Bauru)

19h – Jantar (Local: Adunesp)

20h – COLÓQUIO PIBID (Auditório C)

Tema: Avanços na Relação Escola Pública Universidade

Mediação: Prof. Dr. Francisco José Carvalho Mazzeu (FCL/ UNESP / Araraquara)

27/09/2016 – Terça-Feira

8h – Oficinas / Mini-Cursos (Local: a definir)

10h – Café (Local: Adunesp)

10h30 – MESA REDONDA 2 (Local: Auditório C)

Tema: A Centralidade do Trabalho na Educação de Jovens e Adultos

Palestrantes: Profa. Dra. Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti (UNESP / Presidente Prudente) e Profª. Drª. Jarina Rodrigues Fernandes (UFSCar)

Mediação: Prof. Dr. Francisco José Carvalho Mazzeu (FCL/ UNESP / Araraquara)

13h – Apresentação de Trabalhos – Comunicação Oral

15h:30 – Café (Local: Adunesp)

16h – Apresentação de Trabalho – Comunicação Oral

19h – Jantar (Local: Adunesp)

20h – Apresentação de Pôster (Local: Adunesp)

21h- Atividade Cultural / Lançamento de Livros (Auditório C)

28/09/2016 – Quarta-Feira

7h30 – Café da Manhã (Local: Adunesp)

8h30 – MESA REDONDA 3 (Local: Auditório C)

Tema: Caminhos e Desafios da Formação de Educadores de Jovens e Adultos

Palestrantes: Profª. Drª. Roseli Rodrigues de Mello e Prof. Dr. Leôncio José Gomes Soares (UFMG)

Mediação: Profª. Drª. Maria Rosa Rodrigues Martins de Camargo

10h – Café (Local: Adunesp)

10h30 – Apresentação de Vídeos e Produções sobre a EJA (Local: Auditório C)

12h – Almoço (Local: Adunesp)

13h30 – Apresentação Cultural / Lançamento de Livros (Local: Auditório C)

14h – CONFERÊNCIA DE ENCERRAMENTO (Local: Auditório C)

Tema: As Noites da Ditadura e os Dias de Utopia… o Exílio, a Educação e os Percursos de Elza Freire

Palestrante: Profª. Drª. Nima Imaculada Spigolon (FE / UNICAMP)

Mediação: Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela (IBILCE / UNESP / S. J. Rio Preto)

16h – Avaliação e definição do local do 5º Congresso de Educação de Jovens e Adultos

16h30 – Café (Local: Adunesp)

OBS. Programação sujeita a alterações.

3 – Normas para envio de trabalho

Prazo para inscrição com submissão de trabalhos: até 15 de agosto 2016.

Durante o 4º Congresso de Educação de Jovens e Adultos da UNESP podem ser apresentados resultados de pesquisas em andamento ou concluídas e/ou relatos de experiências pedagógicas que tenham como temática central a educação de jovens e adultos.

Poderão inscrever trabalhos: docentes, profissionais, alunos de graduação e de pós-graduação.

Cada participante inscrito no Congresso poderá submeter um trabalho como autor principal e até dois trabalhos como co-autor para avaliação da Comissão Científica. A submissão de trabalhos está condicionada à prévia inscrição no evento.

Os trabalhos podem ser inscritos para a apresentação em sessões de comunicação oral, pôster ou vídeo de até 10 minutos. O mesmo autor pode inscrever trabalho em mais de uma modalidade.

Será fornecido certificado online de participação somente aos autores que estiverem inscritos no evento e seus trabalhos apresentados.

Os trabalhos, devidamente identificados, deverão ser enviados para o e-mail congressoeja2016@gmail.com junto com a ficha de inscrição devidamente preenchida.

O Assunto da mensagem deve estar assim nomeado “Inscrição_Nome_do_Congressista” e no corpo da mensagem deve constar o(s) Título do(s) trabalho(s) em anexo e os respectivos co-autores (quando houver).

Para a apresentação em comunicação oral, salvar o arquivo em formato (.doc) assim nomeado: “Comunicação_Título_do_trabalho_Nome do 1º autor”

Para a apresentação em pôster, salvar o arquivo em formato (.doc) assim nomeado: “Poster_Título_do_Pôster_Nome do 1º autor”

Para a apresentação de vídeo, salvar o arquivo em um dos formatos que contam nestas orientações, assim nomeado: “Video_Título_do_Vídeo_Nome do 1º autor”. Enviar pelo GoogleDrive e compartilhar.

Para envio do resumo do vídeo, salvar o arquivo em formato (.doc) assim nomeado: “Resumo_video_Título_do_vídeo”

A relação dos trabalhos aprovados estará disponível no site do evento a partir do dia 15 de agosto de 2016.

Normas para apresentação de comunicação oral e/ou pôster

Os textos completos encaminhados deverão ser formatados nas normas da ABNT e serão submetidos à avaliação da Comissão Científica que decidirá sobre sua aceitação segundo os critérios de pertinência e qualidade.

A Comissão Científica encarregar-se-á de organizar as mesas para apresentação sob a forma de comunicação oral ou exposição sob a forma de pôsteres, reunindo trabalhos de temas correlatos. Cada mesa contará com um Coordenador.

O texto deverá conter entre 8 e 15 páginas, com as seguintes especificações:

a. Papel tamanho A4;

b. Margem superior e inferior com 2,5 cm;

c. Margem esquerda e direita com 3,0 cm;

d Fonte: Times New Roman;

e. Tamanho 12 cm;

f. Espaçamento entre linhas: 1,5 cm;

g. As páginas deverão ser numeradas na parte superior da folha, à direita;

h. O título do trabalho deverá ser escrito com fonte maiúscula, em negrito, e alinhamento centralizado;

i. Após o título do trabalho, contando dois espaços, deve-se inserir, em alinhamento à direita, o(s) nome(s) do autor(es) e co- autor(es), sublinhando o nome do apresentador do trabalho. Indicar a instituição de origem do autor e o correio eletrônico.

j. Após o(s) nome(s) do autor(es), contando dois espaços, deve-se inserir o resumo do trabalho contendo: introdução, desenvolvimento, principais resultados ou conclusões e palavras-chave (entre três a cinco palavras). Os resumos deverão ser digitados em espaço simples, tamanho de letra 10, com até 1.300 caracteres (com espaço), sem citações e referências, alinhamento justificado, em bloco único de texto, sem parágrafo e linhas em branco.

k. Após o resumo, contando dois espaços, deve-se inserir o texto na integra, sem a utilização de notas de rodapé, com alinhamento justificado. As citações contidas no interior do texto, bem como as referências deverão estar em consonância com a NBR - 6023/2002. Quadros, tabelas, gráficos, figuras (fotografia ou desenho) indicadas no texto deverão estar dispostas no final do texto antes das referências com indicação da fonte, quando houver.

Os textos e resumos aprovados pelo comitê científico serão publicados nos ANAIS do Congresso.

Atenção: Os trabalhos deverão passar por uma rigorosa revisão de português e atender às normas da NBR - 6023/2002. Não serão aceitos trabalhos incompletos ou fora das especificações.

Condições para apresentação da Comunicação Oral e/ou Pôsteres

a) Retratar a Educação de Jovens e Adultos;

b) Apresentar resultados parciais ou finais de pesquisas ou ainda relatos de experiências;

c) Ter no máximo três autores;

d) Estar formatado nas normas da ABNT.

Estrutura gráfica dos pôsteres:

Os pôsteres deverão conter os seguintes itens: título, nome(s) do(s) expositor(es) e da(s) instituição(ões), introdução, problema/questões, objetivos, metodologia, resultados e/ou conclusões.

A medida do pôster não deve ultrapassar 1,20m de altura e 0,90m de largura.

É de responsabilidade do autor participante trazer o pôster impresso para ser afixado quando aprovado.

Ficará a cargo do Comitê Científico decidir sobre aceitação ou não dos pôsteres bem como a organização das sessões de apresentação, sendo que não serão aceitos pôsteres que estiverem fora da especificação indicada.

Avaliação dos trabalhos de comunicação oral e pôsteres:

Os trabalhos enviados serão avaliados pela Comissão Científica do evento, que considerará a relevância e a pertinência do trabalho proposto com a temática do evento.

A avaliação das propostas de comunicação oral e pôster irão considerar os seguintes critérios:

1- Interlocução e contribuições para a Educação de Jovens e Adultos;
2- Coerência com os objetivos propostos;
3- Considerações ou conclusões coerentes com o desenvolvimento do trabalho;

ATENÇÃO: Não serão avaliados trabalhos que não atenderem aos critérios de formatação, principalmente limite de páginas.

4 – Inscrições

Orientações Importantes

a) A opção de inscrição com hospedagem e alimentação é exclusiva do participante.

b) Os valores referem-se a inscrição de um único congressista, para os 3 dias do Congresso.

c) Caso o congressista tenha inscrito trabalho (comunicação oral, pôster ou vídeo) deverá obrigatoriamente preencher a segunda folha desta ficha de inscrição.

d) O pagamento da inscrição deve ser feito por meio de deposito bancário no Banco do Brasil, Agencia: 5801 – 7, Conta Corrente: 14 687 – 0, Titular: Fábio Fernandes Villela

e) O comprovante de depósito deverá ser escaneado/digitalizado ou fotografado.

f) Após preencher, esta ficha deverá ser enviada para o e-mail: congressoeja2016@gmail.com juntamente com o comprovante de deposito de pagamento de inscrição digitalizado.

DADOS CADASTRAIS

Nome:

Instituição/Escola:

e-mail :

Tel: Celular  /  Residencial  /  Comercial:

Endereço:

Cidade: Estado: CEP:

OPÇÃO DE INSCRIÇÃO

Estudantes (Grad e Pós): R$ 30,00

Professores da Educação Básica: R$ 60,00

Professores Universitários e demais interessados: R$ 90,00

Trabalhos Inscritos

Preencher os dados abaixo com o título do trabalho e nome completo dos autores sem abreviações. Conferir, pois o certificado será gerado a partir dos dados informados.

O mesmo congressista pode apresentar mais de um trabalho em quaisquer modalidades.

Para aceite do trabalho é preciso que pelo menos um autor esteja inscrito no congresso.

Se necessário, incluir mais linhas.

COMUNICAÇÃO ORAL

Trabalho 1:

Autor(es):

Trabalho 2:

Autor(es):

PÔSTER

Pôster  1:

Autor(es):

Pôster  2:

Autor(es):

Os trabalhos aprovados estarão disponíveis para consulta a partir de 15 de agosto de 2016

5 – Comissões

Comissão Organizadora

Antonio Francisco Marques (Unesp – Bauru)
Eliana Marques Zanata (Unesp – Bauru)
José Carlos Miguel (Unesp – Marília)
Fábio Fernandes Villela (Unesp – S. J. Rio Preto)
Francisco José Carvalho Mazzeu (Unesp – Araraquara)
Onaide Schwartz Correa de Mendonça (Unesp – Presidente Prudente)

Maria Rosa Rodrigues Martins de Camargo (Unesp – Rio Claro)
Ronaldo Cardoso Alves  (Unesp – Assis)

Comissão Científica

Ana Maria L. Daiben (Unesp – Bauru)
Antonio Francisco Marques (Unesp – Bauru)
Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto (Unesp-Marília)

Fábio Fernandes Villela (Unesp – S. J. Rio Preto)
Eliana Marques Zanata (Unesp – Bauru)

Francisco José Carvalho Mazzeu (Unesp – Araraquara)
Jarina Fernandes (UFSCar)

José Carlos Miguel (Unesp-Marília)
José Misael Ferreira do Vale (Unesp – Bauru)
Loriza Lacerda de Almeida (Unesp – Bauru )
Luciana Ponce Belido (UNESP – Araraquara)

Luiz Gonzaga Gonçalves (UFPB)

Maria Júlia Canazza Dal-Acqua (Unesp – Araraquara)
Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti (Unesp – Presidente Prudente)
Maria Rosa Rodrigues Martins de Camargo (Unesp – Rio Claro)

Onaide Schwartz Correa de Mendonça (Unesp – Presidente Prudente)
Poliana Santos Camargo (UNICAMP)

Poliana S. A. Santos Camargo (USC – Universidade do Sagrado Coração e UNICAMP)

Ronaldo Cardoso Alves  (Unesp – Assis)
Tânia Sueli Antonelli Marcelino Brabo (Unesp-Marília)
Vandeí Pinto da Silva (Unesp-Marília)

6 – Apoio

BLOG A PÁGINA DA VIDA Sidinei Ribeiro – www.apaginadavida.blogspot.com CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Cantina do Gil – Ibilce – Unesp – São José do Rio Preto – SP FAPERP – Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de São José do Rio Preto – SP GEPEC – UFSCar – Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo da Universidade Federal de São Carlos – SP GEPEDOC – UNESP- Rio Preto – Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo da Unesp de S. José do Rio Preto – SP HISTEDBR – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre História, Sociedade e Educação no Brasil – Faculdade de Educação, UNICAMP ICLS – Instituto Cultural Lyndolpho Silva PEJA – Projeto Unesp de Educação de Jovens e Adultos, UNESP – Campus São José do Rio Preto – SP PROEX – Pró-Reitoria de Cultura e Extensão, UNESP PROPE – Pró-Reitoria de Pesquisa, UNESP PROGRAD – Pró-Reitoria de Graduação, UNESP RET – Rede de Estudos do Trabalho UFSCar – Universidade Federal de São Carlos – SP UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas – SP USP – Universidade de São Paulo, Campus de Ribeirão Preto – SP.

Bom dia car@s alun@s! Tudo bem?

Gostaria de convidar a tod@s para os eventos: III Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas sobre Educação no Campo e V Jornada de Educação Especial no Campo e XIII Jornada do HISTDBR, a ser realizado de 27 a 30 de outubro de 2015 na UFSCar.  Segue abaixo a programação. Grande abraço a tod@s, até lá, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Programação

Dia 27 de outubro de 2015 (terça-feira)

Local: Teatro Florestan Fernandes (área norte)

17h: credenciamento

19h: abertura

Abertura: GEPEC – Histórico, pressupostos e objetivos do grupo

Prof. Dr. Luiz Bezerra Neto (UFSCar)

Profª Drª. Maria Cristina dos Santos Bezerra (UFSCar)

Profª Drª. Katia Regina Moreno Caiado (UFSCar – Sorocaba)

Prof. Dr. Marcos Cassin (USP – Ribeirão Preto)

Prof. Dr. Dermeval Saviani (UNICAMP)

Dia 28 de outubro de 2015 (quarta- feira):

Local: Teatro Florestan Fernandes (área norte)

9h: Educação no Campo: História, desafios e perspectivas atuais

Prof. Dr. José Luis Sanfelice (UNICAMP)

14-16h: Sessões de Comunicação

16:30h – 18:30h: Relatos de Experiências em Educação no Campo.

Dia 29 de outubro de 2015 (quinta- feira):

Local: Teatro Florestan Fernandes (área norte)

9h: Pedagogia Histórico-Crítica no Campo

Prof. Dr. Paulino José Orso (UNIOESTE)

Prof. Dr. Claudio Eduardo Felix dos Santos (UESB)

14-16h: Sessões de Comunicação

16:30h: Painel “V Jornada de Educação Especial no Campo”

Dia 30 de outubro de 2015 (sexta-feira):

Local: Teatro Florestan Fernandes (área norte)

9h: O Trabalho e Escola no Campo

Profª. Drª. Acácia Zeneida Kuenzer (UFPR)

12h: Encerramento

***

Local: UFSCar – Rod. Washington Luis, km 235 – São Carlos – SP – BR – CEP:13565-905 – Email: gepec@ufscar.br

Página do Evento: http://www.semgepec.ufscar.br/

Página Facebook do Evento: https://www.facebook.com/groups/718184044903675/

***

Entidade Promotora: Universidade Federal de São Carlos / Departamento de Educação -DED

Entidades Co-Participantes: Universidade de São Paulo (Ribeirão Preto) e Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” (Campus São José do Rio Preto)

Congresso Brasileiro de Educação – CBE 2015

On julho 26, 2015, in Miscelan, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia querid@s aluns@s! Tudo bem?

Gostaria de convidar a tod@s para o Congresso Brasileiro de Educação 2015. O congresso está na sua 5a (quinta) edição e tem como objetivo debater, apresentar e divulgar o conhecimento produzido pelas pesquisas sobre  políticas,  programas e projetos de formação de professores, tanto na formação inicial, quanto continuada. O congresso será realizado nas dependências da UNESP, Câmpus de Bauru, entre os dias 27 a 30 de Julho de 2015, e tem como público alvo: professores e estudantes de pós-graduação e graduação, professores da Educação Básica e demais profissionais e pesquisadores na área da Educação. Até lá, Prof. Fábio Fernandes Villela

***

CBE – Programação

Dia 27 de julho de 2015 – segunda-feira

17h

Credenciamento

19h

Cerimônia de abertura

Lazer e cultura

20h

Conferência de Abertura: PESQUISA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: POLÍTICAS E PROGRAMAS

Mediação: Profª Drª Maria José da Silva Fernandes

Profª Drª Nancy Nonato de Lima Alves – Universidade Federal de Goiás (Goiânia/GO) – Subcoordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Infância e sua Educação em Diferentes Contextos (NEPIEC)

Dia 28 de julho de 2015 –terça-feira

08h – 12h30

Minicursos

12h30 – 14h

Almoço

14h

Apresentação de trabalhos (Comunicação Oral)

17h

Lançamento de livros

19h

Lazer e cultura

19h30min

Mesa redonda: PERSPECTIVAS ATUAIS DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO BRASIL

Mediação: Profª Drª Flávia da Silva Ferreira Asbahr

Profª Drª Bernadete Angelina Gatti – Fundação Carlos Chagas (São Paulo/SP)- Departamento de Pesquisas Educacionais)

Profª Drª Neiza de Lourdes Frederico Fumes – Universidade Federal de Alagoas (Maceió/AL) – Centro de Educação

Profº Dr. Guilherme do Val Toledo Prado – Universidade de Campinas – UNICAMP (Campinas/SP) –Coordenadoria do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Continuada

Dia 29 de julho de 2015 – quarta-feira

08h – 12h30

Minicursos

12h30 – 14 h

Almoço

14h

Apresentação de trabalho (Comunicação Oral)

16h30min

Mesa redonda 1: PROTAGONIZAÇÃO DA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES NO BRASIL.

Mediação: Profª Drª Andressa de Souza Ugaya

Profª Joana Paulin Romanowski – Pontifica Universidade Católica do Paraná (Curitiba/PR) – Membro do Comitê do PIBIC

Profª Drª Maria de Nazaré Tavares Zenaide – Universidade Federal da Paraíba (João Pessoa/PA)– Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania

Profª Drª Margarita Victoria Rodriguez – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – UFMS (Campo Grande/MS)

19h

Lazer e cultura

19h30min

Mesa redonda 2: PROGRAMAS E POLÍTICAS PÚBLICAS NO CONTEXTO EDUCACIONAL.

Mediação: Profª Drª Rosa Maria Manzoni

Profª Drª Telma Weisz – Instituto Superior de Educação Vera Cruz (São Paulo/SP)- Consultoria da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo

Profº Drº Erisevelton Silva Lima – Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal (Brasília/DF) – Subsecretaria de Educação Básica – SUBEB

Profº Drº Emerson Rolkouski – Universidade do Paraná (Curitiba/PR) – Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa – PNAIC – Matemática

Dia 30 de julho de 2015 – quinta-feira

08h – 12h

Roda de conversa: Quando brincar é aprender: fundamentos e proposições

Profª Drª Márcia Cristina Argenti Perez – Universidade Estadual Paulista (Unesp/Araraquara) – Coordenadora do GEPIFE – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Infância, Família e Escolarização

08h – 12h

Roda de conversa: Papéis interativos

Profº Arte-educador e artista plástico Ives Quaglia – Secretaria de Cultura de Salvador (Salvador/BA) – coordenador do Núcleo de Arte, Cultura e Práticas Corporais

08h –12h30

Oficinas Culturais e Grupos de Trabalho

12h30 – 14h

Almoço

14h – 15h

Apresentação de trabalhos (Pôster) Primeiro horário

16h – 17h

Apresentação de trabalhos (Pôster) Segundo horário

17h

Plenária do Grupo de Estudos

18h

19h

Conferência de Encerramento: A EDUCAÇÃO COMO FOCO DOS PROGRAMAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS NO BRASIL.

Profº Drº Vitor Machado

Profº Drº Timothy Denis Ireland – Universidade Federal da Paraíba (João Pessoa/PA)– Coordenação da Cátedra da UNESCO de Educação em Jovens e Adultos

Encerramento: Lazer e cultura.

Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

O módulo 3 da disciplina Sociologia da Educação 1 procurou expor as interações fundamentais da Sociologia da Educação.  A partir da leitura dos textos 10 a 17, procure trazer para o debate as interações fundamentais da Sociologia da Educação, tendo como referência o trecho do documentário visto em sala de aula: “Pro dia nascer feliz”, de João Jardim (2005)*. Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Obs. O aluno poderá assistir o documentário completo “Pro dia nascer feliz”, como uma atividade complementar desse módulo no seguinte link do Youtube:

https://www.youtube.com/watch?v=aHLCX8SYaeM

*Pro Dia Nascer Feliz (Br, 88 min), dir. João Jardim.

Documentário de longa-metragem. As situações que o adolescente brasileiro enfrenta na escola, envolvendo preconceito, precariedade, violência e esperança. Adolescentes de 3 estados, de classes sociais distintas, falam de suas vidas na escola, seus projetos e inquietações.