Excursão Didática Memorial da América Latina

On novembro 23, 2016, in TrabEdu, by Fábio Fernandes Villela

Resultado de imagem para memorial da américa latina

Car@s Alun@s da Pedagogia Ibilce/Unesp-Rio Preto, bom dia!

Estamos organizando uma excursão didática dos alunos da Pedagogia do Ibilce/Unesp – São José do Rio Preto ao Memorial da América Latina.

O Memorial da América Latina é uma Fundação de Direito Público, sem fins lucrativos, mantida pelo Governo do Estado de São Paulo. Inaugurado em 18 de março de 1989, na cidade de São Paulo, o Memorial foi concebido para promover a integração cultural e política dos povos de língua portuguesa e hispano-americana como sonhava o ex-governador André Franco Montoro. Hoje, é referência na realização de eventos que reúnem os grandes nomes do cenário artístico, político, cultural e acadêmico do país.

Localizado na Zona Oeste da capital, ao lado do Terminal Modal de Transportes da Barra Funda, tem uma área de 84.480m2, dos quais, 12 mil de área verde em que são cultivadas várias espécies de árvores nativas e silvestres. O espaço abriga sete edifícios distribuídos em duas praças que se interligam pela passarela sobre a avenida Auro Soares de Moura Andrade.

De um lado, na Praça da Sombra, ficam os prédios da Administração, Pavilhão da Criatividade e Auditório Simón Bolívar. No mesmo espaço está o prédio que originalmente abrigava o Parlamento Latino-Americano (Parlatino), hoje ocupado pela Secretaria da Pessoa com Deficiência. Do outro lado, na Praça Cívica, estão a Galeria Marta Traba, o Salão de Atos Tiradentes e a Biblioteca Latino-Americana. Ali também está a escultura Mão, obra de Niemeyer, que é o símbolo do Memorial e um dos marcos turísticos de São Paulo.

O traço de Oscar Niemeyer, autor do projeto arquitetônico, garante a funcionalidade da estrutura e a adequação de suas instalações para abrigar eventos de todos os tipos e tamanhos. A concepção do projeto cultural idealizado por Darcy Ribeiro dá unidade às ações e atividades desenvolvidas pelo Memorial.

Maiores informações sobre o Memorial da América Latina você poderá acessar o link:

http://www.memorial.org.br/

Haverá um ônibus institucional para a viagem da Unesp-Rio Preto / Memorial-SP /Unesp-Rio Preto, no dia 12-12-2016, segunda-feira, em frente ao saguão principal do Ibilce/Unesp-Rio Preto, a partir das 5:00 horas. (Não há custos).

A excursão didática será monitorada por companheir@s do Centro de Estudos e Culturas do Mundo Rural. Assim, solicitamos que você confirme sua presença, enviando nome completo, RG e RA para o endereço eletrônico: fabio@fabiofernandesvillela.pro.br, até no máximo 08-12-2016.

Programação no Memorial da América Latina:

5:30 horas: Saída da Unesp – Rio Preto.

11:30 horas: Chegada e recepção.

12:00 horas: Almoço.

13:00 horas: Visita monitorada às instalações dão Memorial da América Latina.

17:00 horas: Lanche coletivo (o participante deverá levar uma pequena porção de alimentos: bolos, sanduíches, etc., chás, café e/ou suco) para partilhar coletivamente com os participantes.

18:00 horas: Retorno para São José do Rio Preto – SP.

Saudações, Prof. Fábio Villela.

Alfabetização e Letramento na EJA – 1

On novembro 19, 2016, in EduCoop, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia amig@s da EJA! Tudo bem?

Esta é a área para a postagem do módulo 1 do curso: “Alfabetização e Letramento na EJA”. Vocês devem fazer uma reflexão, no máximo 2 parágrafos, sobre a temática abordada nesse módulo, a partir da leitura dos textos da bibliografia do curso:

* VILLELA, Fábio F. A formação de professores de educação de jovens e adultos no PEJA-Rio Preto: um caleidoscópio de possibilidades. Cadernos da Pedagogia (Ufscar. Online). v.9, p.2 – 15, 2016.

* VILLELA, Fábio F. Cultura ambiental no território caipira: história e saberes tradicionais das mulheres do noroeste paulista. Retratos de Assentamentos. v.19, p.323 – 350, 2016.

Como atividade complementar, os participantes podem rever os 2 documentários:

(1) PEJA – O Programa de Educação de Jovens e Adultos da Unesp. (Brasil, 2007, 56 min., colorido), direção: Eduardo Pereira Mussi.

Documentário sobre o Projeto de Educação de Jovens e Adultos (PEJA) criado na UNESP no ano de 2000, na época vinculado ao Programa UNESP de Integração Social Comunitária, da Pró-Reitoria de Extensão Universitária – PROEX, com o objetivo de estabelecer uma política pública para a educação de jovens e adultos, buscando parcerias comunitárias locais e visando à contribuição de recursos para a formação de cidadãos – leitores críticos e participativos, bem como a de professores com a visão de “Educadores Populares”. Atualmente o PEJA é desenvolvido em oito Campus Universitários da UNESP, Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Marília, Presidente Prudente, Rio Claro e São José do Rio Preto contanto com recursos humanos e materiais para envolvimento com os trabalhos que viabilizem atingir os objetivos do mesmo. As filmagens para a produção deste vídeo ocorreram em junho e novembro de 2007 no VIII e IX cursos de capacitação de educadores do Peja em Bauru – SP. Filmagem, edição e produção: Eduardo Pereira Mussi.

- Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=FiHsDxnsO7Y

(2) Educação de Jovens e Adultos: História e Memória. (Brasil, 2005, 57 min., colorido; preto e branco), direção: Eduardo Nunes.

Documentário sobre a educação de jovens e adultos no Brasil, abordando a história e a realidade da sociedade brasileira. Direção: Eduardo Nunes. Produção: TVE Brasil, 2005. Programa Salto para o Futuro – Educação de Jovens e Adultos.

- Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=E2rxFCWnaUw

Bom trabalho! Prof. Fábio Villela.

Congresso Brasileiro de Educação – CBE 2015

On julho 26, 2015, in Miscelan, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia querid@s aluns@s! Tudo bem?

Gostaria de convidar a tod@s para o Congresso Brasileiro de Educação 2015. O congresso está na sua 5a (quinta) edição e tem como objetivo debater, apresentar e divulgar o conhecimento produzido pelas pesquisas sobre  políticas,  programas e projetos de formação de professores, tanto na formação inicial, quanto continuada. O congresso será realizado nas dependências da UNESP, Câmpus de Bauru, entre os dias 27 a 30 de Julho de 2015, e tem como público alvo: professores e estudantes de pós-graduação e graduação, professores da Educação Básica e demais profissionais e pesquisadores na área da Educação. Até lá, Prof. Fábio Fernandes Villela

***

CBE – Programação

Dia 27 de julho de 2015 – segunda-feira

17h

Credenciamento

19h

Cerimônia de abertura

Lazer e cultura

20h

Conferência de Abertura: PESQUISA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: POLÍTICAS E PROGRAMAS

Mediação: Profª Drª Maria José da Silva Fernandes

Profª Drª Nancy Nonato de Lima Alves – Universidade Federal de Goiás (Goiânia/GO) – Subcoordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Infância e sua Educação em Diferentes Contextos (NEPIEC)

Dia 28 de julho de 2015 –terça-feira

08h – 12h30

Minicursos

12h30 – 14h

Almoço

14h

Apresentação de trabalhos (Comunicação Oral)

17h

Lançamento de livros

19h

Lazer e cultura

19h30min

Mesa redonda: PERSPECTIVAS ATUAIS DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO BRASIL

Mediação: Profª Drª Flávia da Silva Ferreira Asbahr

Profª Drª Bernadete Angelina Gatti – Fundação Carlos Chagas (São Paulo/SP)- Departamento de Pesquisas Educacionais)

Profª Drª Neiza de Lourdes Frederico Fumes – Universidade Federal de Alagoas (Maceió/AL) – Centro de Educação

Profº Dr. Guilherme do Val Toledo Prado – Universidade de Campinas – UNICAMP (Campinas/SP) –Coordenadoria do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Continuada

Dia 29 de julho de 2015 – quarta-feira

08h – 12h30

Minicursos

12h30 – 14 h

Almoço

14h

Apresentação de trabalho (Comunicação Oral)

16h30min

Mesa redonda 1: PROTAGONIZAÇÃO DA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES NO BRASIL.

Mediação: Profª Drª Andressa de Souza Ugaya

Profª Joana Paulin Romanowski – Pontifica Universidade Católica do Paraná (Curitiba/PR) – Membro do Comitê do PIBIC

Profª Drª Maria de Nazaré Tavares Zenaide – Universidade Federal da Paraíba (João Pessoa/PA)– Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania

Profª Drª Margarita Victoria Rodriguez – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – UFMS (Campo Grande/MS)

19h

Lazer e cultura

19h30min

Mesa redonda 2: PROGRAMAS E POLÍTICAS PÚBLICAS NO CONTEXTO EDUCACIONAL.

Mediação: Profª Drª Rosa Maria Manzoni

Profª Drª Telma Weisz – Instituto Superior de Educação Vera Cruz (São Paulo/SP)- Consultoria da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo

Profº Drº Erisevelton Silva Lima – Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal (Brasília/DF) – Subsecretaria de Educação Básica – SUBEB

Profº Drº Emerson Rolkouski – Universidade do Paraná (Curitiba/PR) – Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa – PNAIC – Matemática

Dia 30 de julho de 2015 – quinta-feira

08h – 12h

Roda de conversa: Quando brincar é aprender: fundamentos e proposições

Profª Drª Márcia Cristina Argenti Perez – Universidade Estadual Paulista (Unesp/Araraquara) – Coordenadora do GEPIFE – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Infância, Família e Escolarização

08h – 12h

Roda de conversa: Papéis interativos

Profº Arte-educador e artista plástico Ives Quaglia – Secretaria de Cultura de Salvador (Salvador/BA) – coordenador do Núcleo de Arte, Cultura e Práticas Corporais

08h –12h30

Oficinas Culturais e Grupos de Trabalho

12h30 – 14h

Almoço

14h – 15h

Apresentação de trabalhos (Pôster) Primeiro horário

16h – 17h

Apresentação de trabalhos (Pôster) Segundo horário

17h

Plenária do Grupo de Estudos

18h

19h

Conferência de Encerramento: A EDUCAÇÃO COMO FOCO DOS PROGRAMAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS NO BRASIL.

Profº Drº Vitor Machado

Profº Drº Timothy Denis Ireland – Universidade Federal da Paraíba (João Pessoa/PA)– Coordenação da Cátedra da UNESCO de Educação em Jovens e Adultos

Encerramento: Lazer e cultura.

Língua Russa na Unesp de Rio Preto: Por que Aprender a Língua Russa?

On maio 16, 2015, in EduCoop, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia querid@s alun@s! Tudo bem?

Por que aprender a língua russa?

No passado um dos requisitos básicos para se destacar no mercado de trabalho era o conhecimento de línguas estrangeiras como o inglês e o espanhol. Porém no atual cenário mundial percebemos que o conhecimento em língua russa é um grande diferencial.

A Rússia é o maior país do mundo com extensão de 17.075.400 Km² (duas vezes o tamanho do Brasil) e o russo é falado por 300 milhões de pessoas, além de ser uma das línguas oficiais da ONU. O conhecimento da língua russa permite apreciar com mais detalhes a rica história deste país e os amantes da literatura poderão ler os romances de Tolstoi e Dostoievski no original.

A língua russa é uma língua universal como disse Mikhail V. Lomonosov (1711-1765):

“Carlos V, imperador da França, aconselhava a falar: com Deus em espanhol, com os amigos em francês, com os inimigos em alemão e com as damas em italiano. Mas se Carlos V conhecesse a língua russa, diria, certamente que em russo se pode falar com todos: com Deus, com os amigos, com os inimigos e com as damas, porque a língua russa tem a majestade do espanhol, a vivacidade do francês, a força do alemão, a leveza do italiano e, além disso, a riqueza, a expressividade e a concisão do latim e do grego”.

Possui uma estrutura gramatical diferente, ou seja, é composta de 6 casos gramaticais e as palavras sofrem declinações dependendo do verbo usado e do sentido a ser dado pela palavra, dando assim uma característica única de beleza e graça à língua.

Resumindo, os motivos para se estudar russo são:

Viagens: 300 milhões de pessoas falam russo e a maioria vive nos 15 países que antes pertenciam a URSS.

Pesquisa: O russo é a segunda língua com maior número de publicações cientificas de química, física, matemática, biologia e geologia.

Internet (RUNET): A língua russa é a segunda com mais páginas na internet.

Comunicação profissional: Astronautas e jogadores de xadrez estudam russo para se comunicar com seus colegas e ler literatura profissional.

Língua universal: O russo é uma das línguas oficiais da ONU.

Cultura: Balé, teatro, cinema, literatura, música e artes plásticas são algumas das joias da imensa herança cultural russa.

Negócios:  A Rússia é um doa maiores produtores de hidrocarbonetos, diamantes, ouro, cobre, manganês, urânio, prata, grafite e platina.

Estudos em outros países: No Ocidente, poucas pessoas falam russo. Por isso, o conhecimento desta língua pode facilitar o ingresso em faculdade de direito, medicina e administração.

***

Língua Russa na Unesp de São José do Rio Preto

Nosso contato para aprender a Língua Russa no Ibilce / Unesp / S. J. Rio Preto é o Prof. Gabriel Calister Portari: https://www.facebook.com/caaalister

***

Informações retiradas do blog Conexão Brasil Rússia: http://www.cbr.emp.br

Prezados alunos, bom dia!

Gostaria de convidar a tod@s para o congresso Bett Brasil e Educar/Educador que acontece de 21 a 24 de maio de 2014. Destaco na programação a palestra “O papel da tecnologia no desenvolvimento de competências não cognitivas”, data: quinta-feira, 22 de maio de 2014, tempo: 1h30 horas (17.00 às 18.30 horas). A palestra abordará quais são as ferramentas que permitem um aprendizado de competências como criatividade, autonomia e colaboração. Local: Centro de Exposições Imigrantes, Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo-SP, Auditório: 10, Formato: Painel – Dois a três palestrantes por sessão. Cada palestrante terá 15 minutos para apresentação e após as apresentações será aberto o debate com o público. Os palestrantes são: Rafael Martins, CLWB; Fábio Villela, Professor, UNESP e Caio Dib, Jornalista, Caido no Brasil. Até lá!

Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela

Departamento de Educação

Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas – IBILCE – UNESP – S. J. Rio Preto

Website Acadêmico: http://www.fabiofernandesvillela.pro.br

Blog de Aula – Mutirão de Sociologia: http://www.mutiraodesociologia.com.br/

Centro de Estudos e Culturas do Mundo Rural: http://www.cecmundorural.com.br/

Bom dia car@s amig@s do mundo rural! Tudo bem?

Gostaria de convidar a tod@s para o 3º Seminário O Trabalho no Século XXI: Educação, Trabalho e Saúde no Campo e 1º Seminário de Educação do Campo da Unesp de São José do Rio Preto – SP. Website do evento: http://www.fabiofernandesvillela.pro.br/eventos/seminario-trabalhador-2014/home

Os seminários tem por objetivos: promover o debate de trabalhos e pesquisas que tenham como temática: a Educação, o Trabalho e a Saúde no Campo. Fomentar o debate entre a comunidade acadêmica, organismos governamentais e representantes da sociedade civil a respeito das condições de educação, trabalho e saúde no campo. Público alvo: professores, pesquisadores e estudantes que trabalham e/ou estudam problemas relacionados à temática geral do seminário, representantes sindicais, profissionais da área e demais interessados.

Até lá! Prof. Fábio Fernandes Villela.

Atividade do CCI – PEJA – UNESP – SJRP

On outubro 31, 2013, in EduCoop, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia querid@s alun@s do PEJA! Tudo bem?

“Lembro-me de muitas brincadeiras da minha infância. Tinham as brincadeiras de meninas e as dos meninos e, algumas, em que todos brincavam juntos. O melhor mesmo era brincar, rir e nem ver o tempo passar.”

Nesta atividade, escreva um pequeno texto sobre como eram as brincadeiras e os brinquedos na sua infância. Não se esqueça de contar os detalhes para que as crianças de hoje possam entender as brincadeiras e perceber como eram divertidos os brinquedos antigos. Você pode, também, explicar como era sua brincadeira favorita ou contar a história de um brinquedo de que gostava muito. Use links de imagens ou de vídeos, disponíveis na internet, para ilustrar o texto. Um grande abraço a tod@s da Equipe do PEJA – CCI – IBILCE – UNESP – SJRP.

Bom dia car@s alun@s! Tudo bem?

Gostaria de convidar a tod@s para a XII Semana de Pós-Graduação em Ciências Sociais, de 22 a 24 Outubro de 2013 – Unesp – Araraquara – SP.  Destaco na programação que segue abaixo os seguintes mini-cursos:

- Métodos e técnicas de Pesquisa Social – 14:00hs às 17:30hs
23/10 – Bruno Souza – Sala 34
24/10 – Adriana Marcela Bogado – sala 33

-  Pesquisa em Educação nas Ciências Sociais 14:00hs às 17:30hs
23/10 – Prof. Dr Fábio Fernandes Villela – Sala 38
24/10 – Claudete Pereira Basaglia e Fernanda Feijó – Sala 37

Até lá! Prof. Fábio Fernandes Villela.

Bom Dia Car@s Alun@s! Tudo bem?

Esta é a área da postagem do módulo 1 da disciplina Trabalho e Educação – A Centralidade do Trabalho na Teoria Sociológica. O aluno deve comentar as principais relações entre o trabalho e a educação nos dias de hoje, a partir dos textos e documentários abaixo. Bom trabalho, Prof. Fábio  Fernandes Villela.

1 – Documentário: Diálogos (Direção: Beto Novaes / UFRJ e Eliane Ribeiro / UNIRIO e UERJ)

O documentário apresenta um painel diversificado de rostos, trajetórias, demandas e reflexões de jovens de seis países da América do Sul. São jovens que narram suas experiências de vida, marcadas pelas rápidas mudanças no mercado de trabalho e pela defasagem dos currículos escolares. Descrevem as distintas formas de violência física e simbólica que os(as) atingem como jovens, mulheres, negros(as), indígenas, moradores(as) de áreas rurais e de periferias urbanas. Questões sobre diferentes orientações sexuais e sobre drogas também fazem parte de um rico debate entre jovens que buscam caminhos para fazer valer seus direitos perante a sociedade e o Estado. Apoio: IDRC – International Development Research Centre – Canadá. IBASE/POLIS.

Link no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=IcZxjR4Y6vM

2- Roda Viva com Ricardo Antunes

O professor Ricardo Antunes, titular de Sociologia no IFCH da Unicamp, autor de livros que abordam a temática tais como Adeus ao trabalho? (São Paulo, Cortez, 1995), Os sentidos do trabalho (São Paulo, Boitempo, 1999) e O caracol e sua concha (São Paulo, Boitempo, 2005) e ), entre outros,  afirma que:

[...] Sabemos que o trabalho, concebido como atividade vital, nasceu sob o signo da contradição. Desde o primeiro momento, foi capaz de plasmar a própria sociabilidade humana, por meio da criação de bens materiais e simbólicos socialmente vitais e necessários. Mas também trouxe dentro dele, desde seus primeiros passos, a marca do sofrimento, da servidão e da sujeição. Ao mesmo tempo em que expressa o momento da potência e da criação, o trabalho também se originou nos meandros do “tripalium”, instrumento de punição e tortura. Se era, para muitos, dotado de uma ética positiva (ver as análises de Weber), própria do mundo dos negócios (cujo significado etimológico é negar o ócio), para outros, ao contrário, tornou-se um não valor, estampado na magistral síntese de Marx: “Se pudessem, os trabalhadores fugiriam do trabalho como se foge de uma peste! [...].

[...] Mas o século 20 moldou-se pela estruturação da chamada sociedade do trabalho, em que desde muito cedo fomos educados para o princípio fundante do trabalho. Esse cenário começou a ruir, no entanto, a partir dos últimos 20 anos. Tragicamente, quanto mais a população vem aumentando, menor é a capacidade de incorporar os jovens ao mercado de trabalho. Esta é a situação que vivenciamos hoje: não encontramos empregos para aqueles que dele necessitam para sobreviver e os que ainda estão empregados em geral trabalham muito e não ficam um dia sem pensar no risco do desemprego. Esse medo ocorre não só na base dos assalariados, pois essa tendência cada vez mais avança na ponta da pirâmide social, chegando até os gestores.  [...] (Revista Cult, 139, 2010).

No Roda Viva de 03/09/2012,  o Prof. Ricardo Antunes discutiu com os convidados o mundo do trabalho. O professor, um dos mais destacados sociólogos da atualidade, apresentou  o tema do “trabalho” e suas novas formas de relação dentro do mundo capitalista contemporâneo. O programa pode ser acessado nos seguintes links:

Roda Viva | Ricardo Antunes | 03/09/2012 | Bloco 1:

https://www.youtube.com/watch?v=sxAp_NTtWn8

Roda Viva | Ricardo Antunes | 03/09/2012 | Bloco 2:

https://www.youtube.com/watch?v=0xazrO6qaWk

Roda Viva | Ricardo Antunes | 03/09/2012 | Bloco 3:

https://www.youtube.com/watch?v=eNib0jsEwM0

Roda Viva | Ricardo Antunes | 03/09/2012 | Bloco 4:

https://www.youtube.com/watch?v=tQ4Va_UrmgU

3 – Documentário: Pequeno Grão de Areia

No documentário “Granito de Arena” (México, 2005) de Jill Freidberg retrata a história da organização e luta dos professores em defesa da escola pública, assim como por melhores condições de vida e preservação da identidade cultural das comunidades indígenas mexicanas, a partir da mobilização dos trabalhadores do ensino, dos estudantes e seus pais contra a destruição da Escola Normal Rural MACTUMACTZA – localizada em Tuxtla Gutierrez, Chiapas – México.

Jill Freidberg, diretor estadunidense independente (de Seattle), passou dois anos no sul do México para documentar os esforços dos mais de 100.000 professores, pais, estudantes que lutam para defender o sistema de educação pública do país dos devastadores impactos da política imperialista (da chamada “globalização econômica”). No filme, Freidberg combina imagens de greves e ações diretas com imagens inéditas de 25 anos de arquivo para oferecer um registro desta altiva e inquietante história de resistência, repressão, dedicação e solidariedade.

Os depoimentos de lideranças sindicais, professores, estudantes, pais de estudantes e pesquisadores da área da educação, revelam o processo de precarização e tentativa de privatização da educação pública no México, assim como, de precarização das condições de trabalho dos professores.

São denunciados também os diversos acordos estabelecidos entre o governo mexicano, o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI), nas últimas décadas, que acarretaram a degradação e destruição de inúmeras escolas públicas e que significaram concretamente a transformação da educação pública em serviço mercantil, limitando o acesso do povo mexicano à educação pública garantida como direito. Direito conquistado desde a revolução mexicana em 1910. Acordos que implicaram também no avanço das políticas de privatização, de baixos salários dos professores, de saturação de alunos por sala, de pouco investimento na educação, de estímulo à competição entre os professores, de redução do número de vagas e, através de “Programas de Qualidade”, da adequação dos currículos escolares aos interesses de empresas privadas como a Ford, Coca-cola, entre outras.

O filme resgata a história de resistência do povo e dos trabalhadores da educação do México a este processo e mostra as raízes das lutas populares recentes na área de ensino e da criação da Coordenadoria Nacional de Trabalhadores da Educação (CNTE). Reveja o documentário no youtube:

Granito de Arena (Pequeno grão de areia)

México, 2005 Diretor: Jill Freidberg

Premiado documentário sobre a luta dos professores, alunos e comunidade, com depoimentos de Eduardo Galeano, Maude Barlow.

Duração: 59 minutos

http://www.youtube.com/watch?v=CbnTYsTlbDc

Bom Dia Queridas Alunas! Tudo bem?

A última postagem de Sociologia da Educação 3 diz respeito ao ranking do Brasil no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos). Segundo reportagem da Uol de 2010, a cidade de Xangai, na China, que participou pela primeira vez, obteve a melhor pontuação em leitura do exame. O Brasil ficou na 53ª posição. O exame, feito pela OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), avaliou em 2009 o conhecimento de cerca de 470 mil estudantes em leitura, ciências e matemática de 65 países. Neste ano, a área que teve ênfase na avaliação foi a de leitura. A pergunta para o comentário é a seguinte: por que, apesar de todo o esforço das políticas públicas, PCNs, RCMEIs, ENEM, SAEB, investimentos, etc., o Brasil está na 53ª posição no ranking do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos)?

Saudações, Prof. FFV.

OBS. Para ajudar na reflexão vcs podem acessar os seguintes links:

Campanha “Fechar Escola é Crime”: http://www.cecmundorural.com.br/?p=235

Documentários: “Destino: Educação”

Sinopse do documentário: “Destino: Educação”

Vamos começar com uma pergunta: como fazer para a educação de qualidade chegar a todas as crianças? Para responder, nada melhor do que quem vive o dia-a-dia da educação nos países que são exemplo em educação. Vamos entrar na sala de aula, nos aproximar dos alunos, falar com os professores, ir até a casa dos estudantes para mostrar sua rotina de estudos e conversar com seus pais. Tudo para entender como em cenários tão distintos quanto a Finlândia, a Coréia, o Chile, Xangai, o Canadá e o Brasil a educação chega até quem mais interessa. O aluno. Todo aluno.
Qual a preocupação dos governos com o ensino? O que eles têm feito? E como isso se percebe na realidade e no aprendizado destes alunos? Como valorizar e capacitar o elemento-chave nesse processo, o professor? Como lidar com os sindicatos e a qualidade da educação? Quem são as pessoas que estão por trás dos bons resultados do PISA? A família tem realmente papel decisivo na educação? Por quê? Vale tudo para melhorar a aprendizagem? Qual o limite?

A série “Destino: Educação”:

http://www.futura.org.br/blog/2011/09/28/nova-serie-investiga-desempenho-dos-paises-lideres-em-educacao/

Vídeos:

Geral:
http://www.youtube.com/watch?v=AZu9QFufWaw&feature=related

Brasil:
http://www.youtube.com/watch?v=qhD1V1gqwP8