Língua Russa na Unesp de Rio Preto: Por que Aprender a Língua Russa?

On maio 16, 2015, in EduCoop, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia querid@s alun@s! Tudo bem?

Por que aprender a língua russa?

No passado um dos requisitos básicos para se destacar no mercado de trabalho era o conhecimento de línguas estrangeiras como o inglês e o espanhol. Porém no atual cenário mundial percebemos que o conhecimento em língua russa é um grande diferencial.

A Rússia é o maior país do mundo com extensão de 17.075.400 Km² (duas vezes o tamanho do Brasil) e o russo é falado por 300 milhões de pessoas, além de ser uma das línguas oficiais da ONU. O conhecimento da língua russa permite apreciar com mais detalhes a rica história deste país e os amantes da literatura poderão ler os romances de Tolstoi e Dostoievski no original.

A língua russa é uma língua universal como disse Mikhail V. Lomonosov (1711-1765):

“Carlos V, imperador da França, aconselhava a falar: com Deus em espanhol, com os amigos em francês, com os inimigos em alemão e com as damas em italiano. Mas se Carlos V conhecesse a língua russa, diria, certamente que em russo se pode falar com todos: com Deus, com os amigos, com os inimigos e com as damas, porque a língua russa tem a majestade do espanhol, a vivacidade do francês, a força do alemão, a leveza do italiano e, além disso, a riqueza, a expressividade e a concisão do latim e do grego”.

Possui uma estrutura gramatical diferente, ou seja, é composta de 6 casos gramaticais e as palavras sofrem declinações dependendo do verbo usado e do sentido a ser dado pela palavra, dando assim uma característica única de beleza e graça à língua.

Resumindo, os motivos para se estudar russo são:

Viagens: 300 milhões de pessoas falam russo e a maioria vive nos 15 países que antes pertenciam a URSS.

Pesquisa: O russo é a segunda língua com maior número de publicações cientificas de química, física, matemática, biologia e geologia.

Internet (RUNET): A língua russa é a segunda com mais páginas na internet.

Comunicação profissional: Astronautas e jogadores de xadrez estudam russo para se comunicar com seus colegas e ler literatura profissional.

Língua universal: O russo é uma das línguas oficiais da ONU.

Cultura: Balé, teatro, cinema, literatura, música e artes plásticas são algumas das joias da imensa herança cultural russa.

Negócios:  A Rússia é um doa maiores produtores de hidrocarbonetos, diamantes, ouro, cobre, manganês, urânio, prata, grafite e platina.

Estudos em outros países: No Ocidente, poucas pessoas falam russo. Por isso, o conhecimento desta língua pode facilitar o ingresso em faculdade de direito, medicina e administração.

***

Língua Russa na Unesp de São José do Rio Preto

Nosso contato para aprender a Língua Russa no Ibilce / Unesp / S. J. Rio Preto é o Prof. Gabriel Calister Portari: https://www.facebook.com/caaalister

***

Informações retiradas do blog Conexão Brasil Rússia: http://www.cbr.emp.br

IV Seminário Científico Internacional de Teoria Política do Socialismo:

Antonio Gramsci: As Periferias e os Subalternos

Data: de 15 a 18 de agosto de 2011.

Local: Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Filosofia e Ciências/. Marília.

Ementa

Gramsci é um autor que pensa a partir do ponto de vista das periferias e dos subalternos. Sardo de origem, Gramsci pensa a questão meridional como problema da periferia do capitalismo italiano e da massa camponesa subalterna. Desde logo pensa a revolução russa com revolução da periferia e o próprio movimento de fábrica de Turim como movimento periférico do americanismo fordismo. O Risorgimento é uma manifestação reflexa e periférica da revolução francesa. O fascismo é duplamente periférico: da revolução russa contra a qual reage e do fordismo, o qual procura assimilar. A própria revolução russa tende a se desenvolver como periferia, depois de ter sido centro momentaneamente. Norte e Ocidente é o centro (conforme longa tradição), enquanto Sul e Oriente é periferia subalterna. As classes subalternas é uma periferia da classe dirigente. Em suma, na reflexão de Gramsci há uma dialética entre centro e periferia, uma análise do desenvolvimento desigual e combinado do capitalismo, na qual a periferia se faz centro sempre que expressa uma inovação revolucionária.

Justificativa

O ano de 2011 registra o 120º ano do nascimento de Antonio Gramsci é uma tradição já consolidada internacionalmente de serem realizados encontros científicos de variada ordem para colocar em pauta a obra desse importante intelectual italiano. A própria Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista tem consolidada uma trajetória de discussões por meio de seminários internacionais de alto gabarito sobre a obra de Gramsci. Nos últimos dez anos, realizamos — sempre por iniciativa do Instituto Astrojildo Pereira, do Grupo de Pesquisa Cultura e Política do Mundo do Trabalho e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UNESP – nada menos do que cinco eventos internacionais de porte, com a presença de estudiosos e especialistas reconhecidos amplamente. O último desses eventos foi realizado em 2007, por ocasião dos 70 anos da morte de Gramsci.

No entanto, o mesmo Grupo de Pesquisa — que agrega professores universitários e acadêmicos de Pós-Graduação – organiza eventos com o título de Teoria Política do Socialismo, de óbvio caráter mais amplo e flexível. Nessa série, decidimos — neste ano de 2011 — incluir a obra de Gramsci pelos motivos já aludidos, mas lembrando o estupendo sucesso acadêmico, intelectual e de participação que foi o III Seminário Internacional de Teoria Política do Socialismo, realizado em 2009, e que abordou a obra de Georg. Lukacs. O livro com os resultados daquele encontro deverá ser lançado por aocasião do IV Seminário dessa série.

Neste IV Seminário Internacional, que estará debruçado sobre determinado aspecto da obra de Gramsci estarão presentes acadêmicos da Itália, da Inglaterra, dos EUA, da Argentina, México, Cuba, além dos brasileiros.

Objetivos Gerais

1 – O IV Seminário Internacional de Teoria Política do Socialismo: Antonio Gramsci: periferias e subalternos visa aprofundar a discussão que vem sendo travada no seio do GP Cultura e Política do Mundo do Trabalho e agregar o conhecimento oferecido por intelectuais convidados de notório renome e produção dentro do tema em debate, oferecendo um retorno importante para outras instituições acadêmicas e culturais do país.

2 – O Seminário visa também oferecer elementos de discussão e subsídios teóricos e metodológicos aos estudantes do GP e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, na elaboração de suas pesquisas científicas.

3 – O Seminário busca despertar interesse e oferecer novas possibilidades de pesquisa aos estudantes de Graduação, principalmente dos cursos de Ciências Sociais, Relações Internacionais, Filosofia e Pedagogia da FFC, mas também de outras unidades da UNESP.

4 – O Seminário deverá culminar com a publicação de um livro com os resultados atingidos nas discussões propostas.

Objetivo específico

Discutir e difundir a obra teórico-política de Antonio Gramsci, em particular no que concerne a sua capacidade crítica de pensar desde o ponto de vista das periferias, o que realça a sua radicalidade crítica. Assim poderemos analisar as condições existentes de pensar com Gramsci e interagir com os fenômenos do mundo contemporâneo, presentes no cenário mundial, latino-americano e em particular no Brasil.

Programa

Dia 15 de agosto

Das 14 às 18 h: inscrição e registro dos inscritos

Das 18 ás 19 h: apresentação de livros e revistas

Das 19h30min às 23 h: Mesa redonda I: Ideologias subalternas

Marcos Del Roio (Brasil) / Edmundo Fernandes Dias (Brasil) / Massimo Modonesi (México)

Dia 16 de agosto

Das 09 h às 12 h.: Mesa redonda II: Espaços subalternos

Dermerval Saviani (Brasil) / Giovanni Semeraro (Brasil) / Derek Boothman (Itália)

Fábio Frosini (Itália)

Das 14 às 18 h.: Sessão de Comunicações

Das 19h30min às 23 h: Mesa redonda III: Cesarismo periférico

Lincoln Secco (Brasil) / Carlos Nelson Coutinho (Brasil) / Fortunato Cacciatore (Itália)

Dia 17 de agosto

Das 09 às 12 h.: Mesa redonda IV: Cultura e lingüística

Anita Helena Schlesener (Brasil) / Lea Durante (Italia)

Das 14 às 18 h.: Sessão de Comunicações

Das 19h30min às 23 h.: Mesa redonda V: Imperialismo e hegemonia

Virginia Fontes (Brasil) / Jorge Luis Acanda (Cuba) / Andréa Catone (Itália)

Dia 18 de agosto

Das 09 às 12 h.: Mesa redonda VI: Revolução passiva e periferia

Álvaro Bianchi (Brasil) / Rita Médici (Itália) / Adam Morton (Inglaterra)

Das 14 às 18 h.: Sessão de comunicações

Das 19h30min às 23 h.: Mesa redonda; VII: Grupos sociais subalternos

Rosemary Dore (Brasil) / Isabel Monal (Cuba) / Guido Liguori (Itália)

SESSÕES DE COMUNICAÇÃO

Temas:

1 – O pensamento político de Gramsci

2 – Gramsci e a educação

3 – Gramsci e as periferias, Gramsci nas periferias.

4 – Teoria política marxista de Marx a hoje

5 – Movimentos sociais nas periferias

6 – Organização, cultura e política do mundo trabalho

7 – Crítica cultural

Promoção

Departamento de Ciências Políticas e Econômicas

Grupo de Pesquisa Cultura e Política do Mundo do Trabalho

Instituto Astrojildo Pereira

International Gramsci Society

Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Comissão Organizadora

Anderson Deo / Angélica Lovatto / Antonio Carlos Mazzeo / Jair Pinheiro / Jordana Souza Santos / Marcelo Lira Silva / Marcos Tadeu Del Roio / Maria Orlanda Pinassi / Paulo Ribeiro da Cunha / Sara Curcio

Comissão Cientifica

Antonio Carlos Mazzeo (Unesp-Marília) / Carlos Nelson Coutinho (UFRJ) / Célia Tolentino (Unesp-Marilia) / Domenico Losurdo (Uniurbino) / Giovanni Semeraro (UFF) / Guido Liguori (IGS- Itália) / Jair Pinheiro (Unesp-Marília) / Lincoln Secco (USP) / Lucio Flavio de Almeida (PUC-SP) / Marcos Del Roio (Unesp-Marília) / Maria Orlanda Pinassi (Unesp-Araraquara) / Paulo Ribeiro da Cunha (Unesp-Marília)

Maiores informações: http://www.marilia.unesp.br/index.php?CodigoMenu=7442&CodigoOpcao=7442

Corretor Ortográfico da Nova Ortografia

On agosto 13, 2010, in Miscelan, by Fábio Fernandes Villela

Bom Dia Caríssimos!

Uma dica para a atualização do corretor ortográfico do Office (Power-Point, Word e Outlook), gratuita de acordo com as novas regras:

 http://baixatudo.globo.com/download/atualizacao-para-o-verificador-ortografico-do-ms-office-07.html

 Depois de instalar ele corrige automaticamente as tremas, sugere a correção, etc.

Saudações,

Prof. FFV.