Prancha elaborado pelo arquiteto Hamilton Foz para o Assentamento Reunidas – Promissão – SP – Brasil (Fonte: Juliana Foz: http://malemolencia-juh.blogspot.com.br/)

Boa noite amig@s do Mutirão! Tudo bem?

Gostaria de convidar a tod@s para o curso de extensão temático: “Educação do Campo, Novas Tecnologias e Cultura Ambiental em Assentamentos de Reforma Agrária”. O curso tem carga horária: 16 (dezesseis) horas/aula, sendo 04 (quatro) horas de aulas teóricas e 12 (doze) horas de aula-prática (haverá excursão didática ao Assentamento Reunidas em Promissão – SP). O número de vagas é mínimo de 05 (cinco) e máximo de 40 (quarenta),  público-alvo: alunos do IBILCE/UNESP e comunidade em geral. Até lá! Prof. Fábio Fernandes Villela.

Objetivo do curso: O estudo dos assentamentos de reforma agrária adquire cada dia maior importância nos dias de hoje, especialmente no estado de São Paulo, pois trata-se de um espaço para onde convergem diversos fatores, tais como: conhecimentos populares, hábitos, usos e costumes que distinguem determinada comunidade. Trata-se de um patrimônio material e imaterial acumulado e que com o passar do tempo, poderá auxiliar no desenvolvimento de novas experiências de assentamentos de reforma agrária. A preservação dessas tradições poderá manter-se ou desaparecer em função das políticas aplicadas. O objetivo deste curso é elaborar estratégias de preservação dessas tradições através da capacitação de promotores da cultura ambiental de assentamentos de reforma agrária. Os objetivos específicos são: 1 – realizar uma análise da situação da cultura ambiental de uma comunidade, o Assentamento Reunidas, em Promissão – SP, 2 – formar promotores culturais, 3 – elaborar estratégias de preservação a cultura ambiental ao nível da comunidade, 4 – gerenciar estratégias de preservação da cultura ambiental através do uso das novas tecnologias aplicadas à educação do campo, especificamente o blog Centro de Estudos e Culturas do Mundo Rural (www.cecmundorural.com.br), do proponente deste curso.

Conteúdo Programático:

1 – Conceitos Fundamentais sobre educação do campo, novas tecnologias e cultura ambiental.

2 – Aspectos Teórico-Metodológicos da cultura ambiental do promotor cultural ao nível comunitário.

3 – Capacitação ambiental para o promotor cultural de assentamentos de reforma agrária.

4 – Estratégias de preservação da cultura ambiental através do uso das novas tecnologias aplicadas à educação do campo.

Câmpus de São José do Rio Preto

INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS – STA

Rua Cristóvão Colombo, 2265, Jardim Nazareth, CEP. 15054-000, São José do Rio Preto/SP

Tel. (0xx17) 3221-2428 / (0xx17) 3221-2318 e-mail: sta@ibilce.unesp.br / www.ibilce.unesp.br

Executores: Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela – coordenador e ministrante (16 horas) – IBILCE/UNESP.

Período e local de realização: Aulas teóricas: 03 e 10 de dezembro de 2012 (segundas-feiras) das 17h às 19h no Laboratório de Ensino da Pedagogia. Aula prática: 16 de dezembro de 2012 (domingo) excursão didática ao Assentamento Reunidas em Promissão – SP. Local de inscrição: Seção Técnica de Comunicações do IBILCE/UNESP.

ATENÇÃO PARA O PERÍODO DE INSCRIÇÕES

Período de Inscrição:

De 19 a 23 de novembro de 2012 – inscrições exclusivas para graduandos do Curso de Pedagogia do IBILCE/UNESP.

De 26 a 27 de novembro de 2012 – inscrições abertas para demais alunos do IBILCE/UNESP.

De 28 a 30 de novembro de 2012 – inscrições abertas para a comunidade em geral.

Condições para inscrição: Para os alunos de graduação do IBILCE/UNESP será necessária a apresentação de xerox do histórico escolar no ato da inscrição. Documentos necessários para inscrição: Cópia do RG, ficha de inscrição a ser preenchida na Seção Técnica de Comunicações da UNESP/IBILCE, recolhimento da taxa regulamentar da UNESP e documento que comprove atendimento ao item “Condições para inscrição”.

Custo: Será cobrada apenas a taxa regulamentar da UNESP, vigente à época das inscrições, a ser paga na Seção Técnica de Finanças do IBILCE/UNESP. Bolsas: Não há necessidade de bolsas, uma vez que o curso não prevê pagamento de mensalidades. Frequência mínima obrigatória: mínimo 70%. Maiores informações: Telefones (17) 3221-2320 ou 3221-2318.

Seção Técnica Acadêmica do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas do Câmpus de São José do Rio Preto, 18 de outubro de 2012.

Imagem do projeto Biota Cerrado – USP – Assentamento Reunidas – Promissão – SP

APOIO: Instituto Cultural Lyndolpho Silva

http://www.iclyndolphosilva.net

Curso de Extensão: Arte, Cinema e Educação do Campo na Unesp de Rio Preto

On outubro 16, 2012, in Gepedoc, by Fábio Fernandes Villela

(Foto: W. Guimarães)

Bom Dia Car@s Amig@s do Mutirão! Tudo bem?

Gostaria de convidar a tod@s para o curso de extensão temático: “Arte, Cinema e Educação do Campo”, com carga horária de 08 (oito) horas/aula e número de vagas: mínimo de 05 (cinco) e máximo de 40 (quarenta). O curso tem como público-alvo os alunos do IBILCE/UNESP e a comunidade em geral. Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Objetivos do curso: A vivência da linguagem visual é uma questão central para a formação de pessoas capacitadas a lidar com a interface arte, cinema e educação do campo. Os educadores são porta-vozes de visões de mundo, transmissores de comportamentos, interferindo direta e ativamente nos modos de socialização dos indivíduos e a vivência prática da linguagem visual é um pressuposto básico no cotidiano destes educadores. O objetivo principal deste curso é oferecer aos alunos do IBILCE/UNESP, especialmente os de Pedagogia, e a comunidade em geral, a possibilidade de adquirir uma vivência de linguagem visual na área de cinema e educação do campo. Os objetivos específicos do curso são:

1.Desenvolver um conjunto de conhecimentos que possibilitam a criação de propostas pedagógicas que tenham a arte, o cinema e a educação do campo como eixo que permeia e integra as diversas áreas do currículo escolar,

2. Propor maneiras de aperfeiçoar a qualidade educativa do ensino e aprendizagem das Artes Visuais na escola,

3. Compreender a educação do campo, sua pedagogia, seu “método” de ensino-aprendizagem, especialmente aplicado ao campo das Artes Visuais (Cinema),

4. Capacitar os alunos para trabalhar com as Artes Visuais tendo a filmografia sobre Educação do Campo como suporte teórico-prático.

Conteúdo:

1 – Conceitos Fundamentais de Arte e Educação.

2 – Aspectos Teórico-Metodológicos da Interface Cinema e Educação do Campo.

3 – Análise da Filmografia sobre Educação do Campo.

Executores: Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela – coordenador e ministrante (08 horas) – IBILCE/UNESP.

Período e local de realização: de 05 a 26 de novembro de 2012, às segundas-feiras das 17h às 19h, no Laboratório de Ensino da Pedagogia do IBILCE/UNESP.

Local de inscrição: Seção Técnica de Comunicações do IBILCE/UNESP. Câmpus de São José do Rio Preto

INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS – STA

Rua Cristóvão Colombo, 2265, Jardim Nazareth, CEP. 15054-000, São José do Rio Preto/SP

Tel. (0xx17) 3221-2318 / e-mail: sta@ibilce.unesp.br / www.ibilce.unesp.br

ATENÇÃO PARA O PERÍODO DE INSCRIÇÕES:

De 15 a 22 de outubro de 2012 – inscrições exclusivas para graduandos do Curso de Pedagogia do IBILCE/UNESP.

De 23 a 26 de outubro de 2012 – inscrições abertas para demais alunos do IBILCE/UNESP.

De 29 a 31 de outubro de 2012 – inscrições abertas para a comunidade em geral.

Condições para inscrição: para os alunos de graduação do IBILCE/UNESP será necessária a apresentação de xerox do histórico escolar no ato da inscrição. Documentos necessários para inscrição: Cópia do RG, ficha de inscrição a ser preenchida na Seção Técnica de Comunicações da UNESP/IBILCE, recolhimento da taxa regulamentar da UNESP e documento que comprove atendimento ao item “Condições para inscrição”.

Custo: será cobrada apenas a taxa regulamentar da UNESP, vigente à época das inscrições, a ser paga na Seção Técnica de Finanças do IBILCE/UNESP.

Bolsas: não há necessidade de bolsas, uma vez que o curso não prevê pagamento de mensalidades.

Frequência mínima obrigatória: mínimo 70%.

Maiores informações: Telefones (17) 3221-2318.

Seção Técnica Acadêmica do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas do Câmpus de São José do Rio Preto, 15 de outubro de 2012.

APOIO: Instituto Cultural Lyndolpho Silva

http://www.iclyndolphosilva.net

Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Gostaria de convidar a todos para a palestra: “Poética da Oralidade: Moda Caipira” com o Prof. Dr. Romildo Sant’Anna.  Será dia 22/03/2012 – 19h30min. no Auditório A do Ibilce – Unesp de Rio Preto, Rua Cristovão Colombo, 2265, Jd. Nazareth., S. J. Rio Preto – SP, tel. (17) 3221 -2318. Trata-se de um atividade organizada pela Coordenação de Curso da Pedagogia em parceria com o Caped – Centro Acadêmico “Wilson Cantoni” da Pedagogia do Ibilce – Unesp – Rio Preto, Gestão Demerval Saviani 2011-2012. As inscrições serão feitas no dia da palestra. Haverá um coffee-break no final. Quem quiser um certificado deverá colaborar com R$5,00 para impressão do certificado. Esta é  uma atividade em comemoração ao aniversário de 160 anos da cidade de São José do Rio Preto – SP , que acontece dia 19 de março e de fundação do Caped – Centro Acadêmico “Wilson Cantoni” da Pedagogia do Ibilce – Unesp – Rio Preto.

Poética da Oralidade: Moda Caipira

O Prof. Dr. Romildo Sant’Anna irá apresentar seu extenso trabalho de pesquisa “A Moda é Viola”. A pesquisa originou o livro que teve uma primeira edição em 2000, quando comemoravam-se os 500 anos de descobrimento do Brasil. Desde então, de acordo com o professor, não deixou de mexer e remexer nos escritos. O resultado está na ampliação de mais de cem páginas para a segunda edição. “Lancei a primeira edição em um programa da Inezita Barroso, ‘Viola, minha viola’, na TV Cultura. Durante esse período de mais de oito anos não teve um dia que não mudei algo do que estava escrito. Foram acrescentados dez novos capítulos e atualizadas informações nos que já existiam”, explica o autor.

Para o primeiro lançamento, Sant’Anna buscou cerca de 700 músicas e as transcreveu. Trabalho que custou ao professor dois anos de empenho, uma vez que as letras de músicas caipiras trazem um dialeto muitas vezes regionalizado e expressões típicas desse estilo. Tal mergulho no universo a que se propôs estudar criou uma familiaridade com o universo pesquisado e possibilitou o traçado de uma configuração poética própria do cantar caipira. “Pesquisei bibliotecas nacionais e espanholas atrás das origens do que é a base da música brasileira.”

A origem comum da música nacional está no cancioneiro ibérico. Portanto, a pesquisa do professor tem início em documentos do século 12. O instrumento e a configuração das letras contam em sua evolução como a música caipira se construiu ao longo dos séculos. Um dos aspectos acrescentados à nova edição que tem impacto sensível até hoje nas letras de músicas caipiras é o uso do ‘nheengatu’, dialeto próprio do Brasil poucos anos após o descobrimento e a colonização portuguesa.

“Não se falava a língua portuguesa. Ela era usada apenas em documentos oficiais. A língua utilizada pelo povo, pelos índios e padres da Companhia de Jesus era uma mistura do tupinambá com o português. Desse dialeto vêm as frases tão utilizadas nas modas de viola como ‘muié linda de oiá’, ‘cantá e sofrê’, ‘mé de abeia’”, conta o professor. Uma das descobertas incluídas na edição lançada hoje é o primeiro tratado de língua mais utilizada no Brasil, no caso o nheengatu, escrito pelo padre José de Anchieta. “Como se tornou a Língua Geral, instaurando a prevalência do vencido sobre o vencedor, o nheengatu foi proibido em 1734, sob penas de prisões e açoites”, conta o autor no livro.

Dessa forma, percorrendo o desenvolvimento do instrumento e da língua, o professor conta também um pouco da história do próprio povo brasileiro. E enfoca um personagem que, de acordo com ele, já foi muito negligenciado, inclusive, pela literatura: o caipira.

Com a migração da população rural para o ambiente urbano, Sant’Anna afirma que houve uma perda dos valores do caboclo, cuja imagem foi cercada de preconceitos. Assim, as pessoas que carregam em si uma memória afetiva do campo, sentem-se perdidas em meio ao ambiente urbano. É o sentimento de perda das raízes, que se reflete nas composições sertanejas que, erroneamente e preconceituosamente, na opinião do pesquisador, são rotuladas de canções de “dor de cotovelo”.

“A História do Brasil pode ser contada por meio da história da viola e o caipira tem papel importante nesse cenário. A cultura não tem delimitação geopolítica e a viola está profundamente arraigada nas nossas origens. É preciso considerá-la, e à música caipira sob o ponto de vista estético, como arte e não apenas mero elemento folclórico e de segunda linha”, enfatiza o escritor. (Texto retirado e reelaborado a partir da reportagem de Ariana Pereira do Diário da Região de 28-10-2009).

Abraço a tod@s, Prof. Fábio Fernandes Villela.

PS. Recomendamos a todos visitar o blog do Prof. Romildo Sant’Anna: http://romildo-sant.blogspot.com/

Mutirão no Teleduc: Arte e Educação à Distância

On janeiro 19, 2012, in ArteEdu1, EduCoop, by Fábio Fernandes Villela
Hamã, 1975, Sérgio Ferro
Bom Dia Amigos do Mutirão!
Vamos abrir a possibilidade de pessoas interessadas em “Arte e Educação” acompanharem uma disciplina oferecida na Pedagogia – Ibilce – Unesp à distância. Serão nossos “companheiros de viagem”.  Não será fornecido certificado de participação. Trata-se da disciplina Conteúdo e Metodologia do Ensino de Expressão Artística e Corporal. Alguns dos conteúdos desta disciplina estão disponíveis na categoria “ArtEdu1″ do Mutirão: (http://www.mutiraodesociologia.com.br/?cat=10/). Vamos utilizar a plataforma TELEDUC da Unesp como Apoio às Aulas Presencias.
O que é o TELEDUC?
O TelEduc é um ambiente para a criação, participação e administração de cursos na Web. Ele foi concebido tendo como alvo o processo de formação de professores para informática educativa, baseado na metodologia de formação contextualizada desenvolvida por pesquisadores do Nied (Núcleo de Informática Aplicada à Educação) da Unicamp. O TelEduc foi desenvolvido de forma participativa, ou seja, todas as suas ferramentas foram idealizadas, projetadas e depuradas segundo necessidades relatadas por seus usuários. Com isso, ele apresenta características que o diferenciam dos demais ambientes para educação a distância disponíveis no mercado, como a facilidade de uso por pessoas não especialistas em computação, a flexibilidade quanto a como usá-lo, e um conjunto enxuto de funcionalidades.

O TelEduc foi concebido tendo como elemento central a ferramenta que disponibiliza Atividades. Isso possibilita a ação onde o aprendizado de conceitos em qualquer domínio do conhecimento é feito a partir da resolução de problemas, com o subsídio de diferentes materiais didáticos como textos, softwares, referências na Internet, dentre outros, que podem ser colocadas para o aluno usando ferramentas como: Material de Apoio, Leituras, Perguntas Frequentes, etc.

A intensa comunicação entre os participantes do curso e ampla visibilidade dos trabalhos desenvolvidos também são pontos importantes, por isso foi desenvolvido um amplo conjunto de ferramentas de comunicação como o Correio Eletrônico, Grupos de Discussão, Mural, Portfólio, Diário de Bordo, Bate-Papo etc., além de ferramentas de consulta às informações geradas em um curso como a ferramenta Intermap, Acessos, etc

Visite a página do NEaD – Núcleo de Educação a Distância da UNESP:
Teleduc – Cursos com inscrições abertas no Ibilce – Unesp – Rio Preto:

http://prograd.ead.unesp.br/~teleduc/pagina_inicial/cursos_all.php?&tipo_curso=I&cod_pasta=7

Vamos fazer um Mutirão no Teleduc? A gente se vê virtualmente! Prof. Fábio Fernandes Villela.

Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

On dezembro 17, 2011, in Miscelan, by Fábio Fernandes Villela

Vasco Fernandes (Grão Vasco) – “Adoração dos Reis Magos” – 1501-6  – Museu de Grão Vasco - Viseu, Portugal.

Bom Dia Caros Alunos!

Gostaria de desejar a todos os alunos e amigos um Feliz Natal e Próspero Ano Novo!  São os sinceros votos do Prof. Fábio Fernandes Villela. PS. Como professor não deixa de professorar, nem nestas horas,  aí vai mais uma de “Arte e Educação”. A pintura acima é o quadro “Adoração dos Reis Magos”, do pintor Vasco Fernandes, foi feito entre 1501 e 1506. Cabral seria o personagem ajoelhado. Talvez seja o seu único retrato verdadeiro. Esta imagem apareceu pela primeira vez no livro “Retratos e Elogios de Varões e Donas”, editado em Lisboa em 1807. Impressa na antiga cédula brasileira de 1000 cruzeiros, tornou-se a face oficial de Pedro Álvares Cabral. Abraços a todos, Prof. FV.

Ficheiro:Joaquín Torres García - América Invertida.jpg

Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Esta é a postagem final da disciplina Trabalho e Educação referente ao Módulo 5.  O desenho acima do artista uruguaio Joaquín Torres-García trabalha com uma representação diferente da usual da Nossa América Latina. Em artigo publicado em 1941, em que apresenta a imagem e trata do assunto, Joaquín afirma: “Quem e com que interesse dita o que é o norte e o sul? Defendo a chamada Escola do Sul por que na realidade, nosso norte é o Sul. Não deve haver norte, senão em oposição ao nosso sul. Por isso colocamos o mapa ao revés, desde já, e então teremos a justa ideia de nossa posição, e não como querem no resto do mundo. A ponta da América assinala insistentemente o sul, nosso norte”. (TORRES-GARCÍA, J. Universalismo constructivo. Buenos Aires: Poseidón, 1941, com adaptações). A partir dos textos da bibliografia básica citados abaixo (todos os textos estão disponíveis para download na internet e na nossa lista de discussão no Yahoo Grupos), aponte quais as perspectivas da educação e trabalho no início do milênio para Nossa América Latina. Bom trabalho a todos e parabéns aos formandos! Prof. Fábio Fernandes Villela.

[24] FRANCO, Maria A. Ciavatta e TREIN, Eunice. O percurso teórico e empírico do GT Trabalho e Educação: uma análise para debate. In: Revista Brasileira de Educação. n. 24. Set /Out /Nov /Dez, 2003.

[25] RODRIGUES, José; REIS, Ronaldo R. Nós, os educadores que amávamos a Revolução: Origens, desenvolvimento e crise do campo trabalho-educação no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 170-191, abr. 2011.

[26] SAVIANI, Dermeval. Marxismo e pedagogia. Intervenção na Mesa IV – Teoria Marxista e Pedagogia Socialista, integrante da programação do III EBEM (Encontro Brasileiro de Educação e Marxismo). Salvador, 14 de novembro de 2007.

[27] TAFFAREL, C. N. Z.. Marxismo e educação: contribuição ao debate sobre a teoria educacional e a transição. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 257-270, 2011.

Car@s Alun@s, bom dia!

Gostaria de convidar a tod@s para o “I Ciclo de Debates – Processos Formativos, Tecnologias e Culturas” a realizar-se nos dias 24 e 25/11/2011, quinta e sexta-feiras, no Auditório “C”, do Ibilce / Unesp – Rio Preto.

O evento contará com a presença do Prof. Dr. Sérgio Vicente Motta que versará sobre o tema “Pensamento infantil: arte e educação” (dia 24/11) e do Prof. Dr. Humberto Perinelli Neto que fará a apresentação de curtas relacionados ao ensino de História e de Geografia  (25/11).

No dia 24/11, às 21h20 será feito o lançamento do Livro “Currículos, Sistemas de Avaliação  e Prática Educativas” seguido de coquetel.

O website do evento com cartaz, programação, incrições, etc., pode ser acessado em:

http://www.eventos.ibilce.unesp.br/ciclodedebates/

Saudações, até lá, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Dia da Consciência Negra no Ibilce – Unesp – Rio Preto

On outubro 23, 2011, in Miscelan, by Fábio Fernandes Villela

“Irmão do Divino” – Fotógrafo: Toninho Cury

Caros alunos, bom dia!

No dia 20 de novembro de 1695 morria o líder do quilombo dos palmares, Zumbi. Atualmente, nesta data é celebrados o dia da Consciência Negra, para marcar a resistência do negro à escravidão, refletir sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e destacar a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. Por isso o no dia 17 de novembro, será realizado no Ibilce – Unesp – Rio Preto o Dia da Consciência Negra, com apresentações culturais e discussão sobre aspectos da saúde do negro. A proposta é valorizar a cultura que é a base da identidade brasileira. A programação segue abaixo. Até lá! Prof. Fábio Fernandes Villela.

Evento Destaca a História e a Cultura Afro (Ligya Aliberti).

Esta quinta-feira (17/11) será marcada, no Ibilce, pelo Dia da Consciência Negra. De manhã até a noite, serão realizadas diversas atividades que visam destacar a importância da cultura negra para a formação de nossa identidade.

O evento tem início às 10h, no saguão de entrada do prédio principal, com a mostra de painéis “Relação Brasil-França e o negro nas artes”. Às 14h, no Auditório A, será exibido o filme “Kiriku e a feiticeira”.

No início da noite, às 18h, haverá o lançamento do livro “Janela do universo” (HN Editora & Publieditorial), de autoria do servidor Ginaldo Vieira dos Santos, do Departamento de Engenharia de Alimentos. Em seguida, a professora do Departamento de Biologia Claudia Bonini, acompanhada por alunos de seu grupo de pesquisa, irão oferecer orientação sobre anemias na população negra.

Após essas atividades, as artes vão dominar o evento. Às 19h, há apresentação do Grupo de Maracatu “Pedra de Raio”, seguida de apresentação do coral do câmpus, com músicas afro, e do grupo de capoeira da Unati (Universidade Aberta à Terceira Idade). A professora de literatura Susanna Busato, acompanhada por instrumentos de percussão, recitará a poesia “Navio negreiro”, de Castro Alves. Os grupos de balé clássico e de dança de salão do Ibilce também farão apresentações, fechando a noite.

 De acordo com a vice-diretora do câmpus, Maria Tercília Vilela de Azeredo Oliveira, a proposta do evento é demonstrar a importância da cultura negra e resgatar e valorizar a sua história. A entrada é franca.

Celebração nacional

Nacionalmente, o Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro (domingo), mas a Unesp fará a celebração no dia 17 (quinta-feira). A data nacional foi escolhida em referência à morte de Zumbi dos Palmares em 20 de novembro de 1695.

Módulo 3 – Expressão Artística e Corporal

On março 29, 2011, in ArteEdu1, by Fábio Fernandes Villela

Bom Dia Car@s Alun@s!

Vcs pode deixar as postagens do Módulo 3 nesta área. Saudações, Prof. FFV.

Uma dica importante para quem quiser aprofundar as questões de metodologia do ensino de arte são os Textos Complementares (TC) da lista de discussão. Os textos são:

TC 001 – Biografia György Lukács (Budapeste, 13 de abril de 1885 – Budapeste, 4 de julho de 1971)

TC 002 – Lukács e a ontologia: uma introdução – Sérgio Lessa

TC 003 – Ética e ontologia em Lukács e o complexo social da educação – Mônica Mota Tassigny

TC 004 – A recepção de Lukács no Brasil – Celso Frederico

TC 005 – Cotidiano e arte em Lukács – Celso Frederico

TC 006 – Arte e formação humana em Lukács e Vigotski – Newton Duarte

TC 007 – Lukács e a estética marxista: síntese, esboço ou tentativa – Juarez Torres Duayer

TC 008 – Realidade e criação cultural: A estética em Lukács – Dagmar Manieri

Plano de Aula – Arte e Educação – Surrealismo

On novembro 22, 2010, in ArteEdu1, by Fábio Fernandes Villela

destino disney dali

Boa Tarde Car@s Alun@s!

Vcs podem postar os planos de aula de arte e educação sobre o surrealismo nesta área.

Abraços, Prof. Fábio Fernandes Villela.