Plano de Aula – Arte e Educação – Surrealismo

On novembro 22, 2010, in ArteEdu1, by Fábio Fernandes Villela

destino disney dali

Boa Tarde Car@s Alun@s!

Vcs podem postar os planos de aula de arte e educação sobre o surrealismo nesta área.

Abraços, Prof. Fábio Fernandes Villela.

19 Comentários “Plano de Aula – Arte e Educação – Surrealismo”

  1. Mayara disse:

    PLANO DE AULA: RENÉ MAGRITTE

    Mayara Gomes Lapa
    UNESP/IBILCE

    Introdução

    O presente plano de aula foi preparado para o quinto ano do ensino fundamental, e se trata do pintor surrealista René Magritte. O objetivo central da aula a ser ministrada é apresentar aos alunos um grande movimento de artes que aconteceu na história da humanidade. O movimento artístico em estudo é o Surrealismo, e para isso, abordaremos o pintor René Magritte. Tendo em vista que a aula é dedicada a uma sala de aluna de quinto ano, a proposta do estudo tem o intuito de inserir as crianças neste universo artístico, pois a partir do segundo ciclo do Ensino Fundamental, as tendências e movimentos artísticos serão estudados mais especificamente.

    Roteiro da Aula

    Para que se atinjam os objetivos previamente estabelecidos, a aula seguirá um roteiro onde a professora e os alunos estarão, a todo o momento, dialogando e trocando ideias. O primeiro momento da aula acontecerá da seguinte maneira:
    • Chamada de Atenção:
    Algumas obras do pintor em foco (René Magritte) estarão dispostas nas paredes da sala de aula, para que, no momento em que os alunos chegarem à sala, sejam atraídos por um material diferente que aguce sua curiosidade. As carteiras estarão dispostas em semicírculo, com a pretensão de que se estabeleça um ambiente de diálogo e troca de ideias, como pensado no planejamento.
    Neste momento a professora indagará os alunos sobre o que eles vêem, com perguntas deste nível:
    - O que vocês acreditam que são esses papéis expostos na sala?
    - O que vocês enxergam e sentem ao verem estas imagens?
    - O que vocês acham que o artista destas obras pretendeu transmitir?
    - Vocês já tiveram contato com obras de arte?
    -Vocês sabiam que existem diversas tendências e movimentos artísticos que aconteceram ao longo da história de nossa sociedade?

    • Contextualização do tema:
    A partir das ideias expostas pelos alunos, a professora então expõe a vida do pintor e explica o que é de fato o Surrealismo.

    Fotos dos Quadros de René Magritte

    Vida e obra do Pintor:
    Magritte nasceu em Lessines, Bélgica no dia 21 de Novembro de 1898, filho caçula de Léopold Magritte. Em 1912, sua mãe cometeu suicídio por afogamento no rio Sambre. Magritte estava presente quando o corpo de sua mãe foi retirado das àguas do rio.
    Em 1916, ingressou na Académie Royale des Beaux-Arts, em Bruxelas, onde estudou por dois anos. Foi durante esse período que ele conheceu Georgette Berger, com quem se casou em 1922.
    Trabalhou em uma fábrica de papel de Parede, e foi designer de cartazes e anúncios até 1926, quando um contrato com a Galerie la Centaure, na capital belga, fez da pintura sua principal atividade. Nesse mesmo ano, Magritte produziu sua primeira pintura surrealista, Le jockey perdu, tendo sua primeira exposição apresentada no ano seguinte.
    René Magritte praticava o surrealismo realista, ou “realismo mágico”. Começou imitando a vanguarda, mas precisava realmente de uma linguagem mais poética e viu-se influenciado pela pintura metafísica de Chirico.
    Magritte tinha espírito travesso, e, em A queda, seus bizarros homens de chapéu-coco despencam do céu absolutamente serenos, expressando algo da vida como conhecemos. Sua arte, pintada com tal nitidez que parece muitíssimo realista, caracteriza o amor surrealista aos paradoxos visuais: embora as coisas possam dar a impressão de serem normais, existem anomalias por toda a parte: A Queda tem uma estranha exatidão, e o surrealismo atrai justamente porque explora nossa compreensão oculta da esquisitice terrena.
    Mudou-se para Paris em 1927, onde começou a se envolver nas atividades do grupo surrealista, tornando-se grande amigo dos poetas André Breton e Paul Éluard e do pintor Marcel Duchamp.
    Quando a Galerie la Centaure fechou e seu contrato encerrou, Magritte retornou a Bruxelas. Permaneceu na cidade mesmo durante a ocupação alemã, na Segunda Guerra Mundial.
    Seu trabalho foi exposto em 1936 na cidade de Nova York, Estados Unidos, e em mais duas exposições retrospectivas nessa mesma cidade, uma no Museu de Arte Moderna, em 1965, e outra no Metropolitan Museum of Art, em 1992.
    Magritte morreu de câncer e foi enterrado no Cemitério Schaarbeek, em Bruxelas.

    O que é o Surrealismo?

    Nas duas primeiras décadas do século XX, os estudos psicanalíticos de Freud e as incertezas políticas criaram um clima favorável para o desenvolvimento de uma arte que criticava a cultura européia e a frágil condição humana diante de um mundo cada vez mais complexo. Surgem movimentos estéticos que interferem de maneira fantasiosa na realidade.
    O surrealismo foi por excelência a corrente artística moderna da representação do irracional e do subconsciente. Suas origens devem ser buscadas no dadaísmo e na pintura metafísica de Giorgio De Chirico.
    Este movimento artístico surge todas às vezes que a imaginação se manifesta livremente, sem o freio do espírito crítico, o que vale é o impulso psíquico. Os surrealistas deixam o mundo real para penetrarem no irreal, pois a emoção mais profunda do ser tem todas as possibilidades de se expressar apenas com a aproximação do fantástico, no ponto onde a razão humana perde o controle.
    A publicação do Manifesto do Surrealismo, assinado por André Breton em outubro de 1924, marcou historicamente o nascimento do movimento. Nele se propunha a restauração dos sentimentos humanos e do
    instinto como ponto de partida para uma nova linguagem artística. Para isso era preciso que o homem tivesse uma visão totalmente introspectiva de si mesmo e encontrasse esse ponto do espírito no qual a realidade interna e externa são percebidas totalmente isentas de contradições.
    A livre associação e a análise dos sonhos, ambos métodos da psicanálise freudiana, transformaram-se nos procedimentos básicos do surrealismo, embora aplicados a seu modo. Por meio do automatismo, ou seja,
    qualquer forma de expressão em que a mente não exercesse nenhum tipo de controle, os surrealistas tentavam
    plasmar, seja por meio de formas abstratas ou figurativas simbólicas, as imagens da realidade mais profunda do
    ser humano: o subconsciente.
    O Surrealismo apresenta relações com o Futurismo e o Dadaísmo. No entanto, se os dadaístas propunham apenas a destruição, os surrealistas pregavam a destruição da sociedade em que viviam e a criação de uma nova, a ser organizada em outras bases. Os surrealistas pretendiam, dessa forma, atingir uma outra realidade, situada no plano do subconsciente e do inconsciente. A fantasia, os estados de tristeza e melancolia exerceram grande atração sobre os surrealistas, e nesse aspecto eles se aproximam dos românticos, embora sejam muito mais radicais.

    • Atividades sugeridas:
    Após a apresentação do Surrealismo, da vida e das obra do pintor René Magritte, a professora estará propondo uma atividade onde os alunos possam realizar uma obra surrealista, exteriorizando emoções e pensamentos, saindo do plano real e indo ao plano subjetivo. A professora disponibilizará folhas de papel “canson” e tinta guache, deixando que cada aluno realize sua atividade para que, posteriormente seja montada uma exposição na escola.

    Referências
    http://obviousmag.org/archives/2006/03/rene_magritte_1.html
    http://www.portaldarte.com.br/21-surrealismo/05-a-promessa-magritte.htm
    http://www.historiadaarte.com.br/surrealismo.html

  2. Simone Cristina Gomes Pissolato disse:

    PLANO DE AULA: JOAN MIRÓ

    Simone Cristina Gomes Pissolato
    UNESP/IBILCE

    Introdução

    O surrealismo surgiu na França em 1924, liderado pelo poeta e crítico André Breton, sob influência das teorias de Freud sobre o inconsciente e a sexualidade. Os pintores rompem o eixo tradicional do figurativismo, perdem a proporcionalidade e mostram alterações irreais (relógios derretendo-se, por exemplo). Retratam os sonhos.
    Pintores que mais se destacaram: Marc Chagall, Magritte, Paul Delvaux, Joan Miró e Salvador Dali.

    Joan Miró i Ferrà foi um importante escultor e pintor espanhol. Nasceu na cidade de Barcelona (Espanha) em 20 de abril de 1893 e faleceu em Palma de Maiorca (Espanha) em 25 de dezembro de 1983. É considerado um dos maiores representantes do surrealismo.

    Objetivos

    Mostrar o surrealismo de Joan Miró aos alunos da Primeira Etapa da Educação Infantil.

    Material

    Apresentação de videoclipes através de Datashow, algumas obras do artista e materiais diversos para a produção artística dos alunos como tinta guache, lápis de cor, giz de cera, bandeja de isopor (para a confecção do carimbo) rolinho e pincel.

    Desenvolvimento

    Falar um pouco sobre a vida de Joan Miró.
    Mostrar os videoclipes aos alunos, onde aparecem várias obras do artista, procurando destacar as cores utilizadas, os traços, o sentimento que elas nos transmitem. Propor aos alunos a releitura da obra “El Gallo” em papel sulfite e lápis de cor. Após a realização dessa releitura, cada criança confeccionará seu carimbo, passando o seu desenho para a bandeja de isopor. Para finalizar, utilizando o rolinho para pintura e tinta guache, produziremos a técnica de isogravura e faremos uma exposição dos trabalhos pela escola.

    Avaliação

    Os alunos serão avaliados a todo momento, em relação a criatividade e envolvimento com o trabalho.

  3. Mayara disse:

    Obrigada professor, que bom que você gostou.

  4. Andrea disse:

    POR QUE TRABALHAR COM FRIDA KAHLO?

    Ao trabalhar a partir das obras da consagrada pintora mexicana Frida Kahlo, abriremos caminhos para discussões sobre as nossas angustias e medos através da arte.
    Frida sofreu um terrível acidente em sua adolescência, um bonde no qual viajava chocou-se com um trem, após esse acidente Frida submeteu-se a várias cirurgias e usou por muito tempo coletes ortopédicos “(por exemplo o colete de gesso na tela: A Coluna Partida).”
    Impossível não reconhecer em sua obra a legitimação de sua dor traduzida em ato. Pintura que transbordava de seu corpo, de sua solidão. Frida justificou a quantidade de auto-retratos dizendo: “pinto a mim mesmo porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor”.

    ________________________________________________________
    Projeto pedagógico para turmas de 1º ano do Ensino Médio:

    Trabalho interdisciplinar: Língua Portuguesa e Arte.

    Objetivo:

    Geral: Conhecer um pouco da vida e obra de Frida Kahlo, do manifesto surrealista e explorar esses recursos visuais para complementar a produção textual.

    Lingüístico: Ao final desta aula os alunos estarão mais bem preparados para falar a respeito do Manifesto Surrealista e terão conhecimento da artista Frida Kahlo.

    Educacional: Sensibilizar os alunos por meio da arte.

    Tecnológico: Proporcionar, por meio da arte, a inclusão digital dos alunos.

    Conteúdos do projeto:

    • O surrealismo;
    • A vida e obra de Frida Kahlo;
    • Produção de texto surrealista.

    ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

    Sensibilizando os alunos:

    Faça um breve debate com a sala a respeito do surrealismo em suas várias manifestações, na pintura, no texto, na escultura, etc. Após isso, explique que o movimento começou na França, em 1924, com o Manifesto do Surrealismo assinado por André Breton e que o surrealismo é a tentativa de expressar o “eu” interior do artista em plena liberdade sem intervenção da razão que nos condiciona e nos obriga a reprimir instintos e sentimentos. Para adquirir esta liberdade é necessário que nos deixemos guiar pelo inconsciente como se estivéssemos sonhando.

    ATIVIDADE PARA DURANTE A LEITURA

    Orientações para ler o livro em sala de aula:

    Não utilizar um livro específico nesta aula. Peça aos alunos para sentarem-se em duplas e em seguida para que façam uma pesquisa na internet a respeito da vida e obra de Frida Kahlo, para que escolham uma tela e anotem o que mais lhes chamaram a atenção. Após isso, sugira que cada dupla exponha sua pesquisa para a sala abordando um pouco sobre a personalidade de Frida, seu jeito de ser, suas características e que relacione isso com a tela escolhida.

    Roteiro de apreciação das obras escolhida por cada dupla

    Você poderá conduzir o debate partindo das seguintes sugestões:

    • Descreva os objetos da tela. O que parecem significar?
    • Os objetos se relacionam?
    • Que sentimentos Frida Kahlo tentou expressar?
    • Existe uma mensagem na tela? Qual?
    • Que título você daria para a obra?
    • Que sentimento essa obra desperta em você?

    Problemas antecipados

    • Os alunos podem apresentar problemas em trabalhar com o computador e/ou a internet;
    • Os alunos podem já conhecer a respeito da pintora mexicana Frida Kahlo;
    • Os alunos podem apresentar dúvidas na compreensão do texto extraído da internet;
    • A internet pode não funcionar;
    • Os sites podem estar fora do ar;

    ATIVIDADE PARA DEPOIS DA LEITURA

    Produção:

    Após ter estudado um pouco a respeito do Manifesto do Surrealismo e da vida e obra de Frida Kahlo, peça aos alunos para que, a partir dos seus medos, sonhos e angústias, elaborem um texto surrealista, em forma de poema.
    Deixe os alunos livres para que escolham o tema, a estrutura, as rimas e o número de linhas. Logo depois, peça para que cada um troque o texto com um amigo e que ilustrem o que está escrito.

    Avaliação:

    Sugiro que cada um comente o trabalho que ilustrou e que exponham suas criações, textos e ilustrações, em algum evento da escola.

    Referências:

    BRETON, A. Manifesto do Surrealismo. Rio de Janeiro: Nau, 2001.
    TAYMOR, J. Frida Kahlo, 2002.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Frida_Kahlo

  5. Camila Tanure Duarte disse:

    Plano de Aula: Frida

    Introdução:

    O plano de aula foi elaborado para ser desenvolvido com o 3º ano/ 2ª série do Ensino Fundamental. A pintora surrealista trabalhada será Frida Kahlo.

    Objetivos:
    • Trazer a vida e obra de Frida ao conhecimento do aluno;
    • Permitir o contato e apropriação da arte surrealista;
    • Despertar a valorização da arte no alunado;
    • Interpretação pessoal do discente com sua própria obra de arte.

    Contextualização Histórica:

    Antes de iniciar o estudo sobre Frida deve-se apresentar aos alunos o surrealismo, já que esse é o movimento artístico da pintora em questão.
    O trabalho pode ser realizado com o questionamento aos alunos se já conhecem esse movimento e o que sabem a respeito dele. Após ouvir as respostas, o professor os transmite novas informações e pode provocar na sala uma discussão desse tema.
    Um fato que pode estar presente nessa situação é de os alunos não gostarem da arte surreal, achando-a “feia”. O professor deve explicar que esse estilo de arte plástica não valoriza a estética, como era a arte clássica, mas, o conteúdo, normalmente crítico.
    Esse é um momento de familiarização, conhecimento e apreciação.

    Biografia:

    MOSTRAR A FOTO: Frida Kahlo (México)

    • Nome completo: Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón;
    • Nasceu em 1907;
    • Família: o casamento de seus pais foi infeliz, tiveram quatro filhas, sendo Frida a terceira. Sua mãe era uma católica devota e seu pai pintava por hoob;
    • Ao longo de sua vida a pintora sofreu várias lesões, doenças, acidentes e operações, sendo a primeira delas poliomelite com seis anos;
    • Frida demorou para se interessar pelas artes, isso só ocorreu depois de estudar desenho e modelagem (1922-1925);
    • Sofreu um acidente de bonde e uma barra de ferro perfurou sua vagina. Devido a isso ficou muito tempo de cama e usou coletes ortopédicos. Nesse período pintou várias obras que revelavam seu estado físico e psicológico;

    MOSTRAR A OBRA: “A coluna partida”

    Ao mostrar essa e as próximas obras às crianças perguntar o que acham que a pintora quis mostrar ao pintar o quadro, qual era o seu sentimento e o que a obra transmite.
    • Entrou no Partido Comunista Mexicano (1928) e conheceu seu futuro marido Diego Rivera;
    • Seu casamento foi conturbado devido à forte personalidade de ambos e traições;
    • Em 1954 faleceu. A causa de sua morte até hoje é um mistério, não se sabe se foi suicídio ou pneumonia.

    Obra:

    • Diego Rivera usava cores simples em suas obras para propositalmente causar o estilo ingênuo, influenciando Frida;
    • Procurou retratar a identidade nacional mexicana, pintando o folclore e arte popular do México;

    MOSTRAR A OBRA: “O abraço de amor do Universo, a Terra (México), Eu e o Senhor Xolotl”

    MOSTRAR A OBRA: “Viva La Vida”

    • Pintava vários auto-retratos;

    MOSTRAR A OBRA: “Auto retrato com papagaios”

    • “Pensavam que eu era uma surrealista, mas eu não era. Nunca pintei sonhos. Pintava a minha própria realidade.” (Frida Kahlo, 1938)

    MOSTRAR A OBRA: “Sem Esperança”

    • Após sua morte a “Casa Azul” onde vivia com seus pais tornou-se o Museu Frida Kahlo.

    Atividades:

    • Material: tela, pincéis e tinta guache;
    • Viu-se que Frida pintava o folclore de seu país, o México. Assim como Frida, sugiro a pintura do folclore brasileiro, já que as crianças tem maior contato e familiarização;
    • Após a elaboração da pintura as crianças explicarão o que elaboraram;
    • As pinturas ficarão expostas na sala de aula.

    REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

    http://uminha.tripod.com/frida.html

  6. Lilian Maria da Silva disse:

    PLANO DE AULA: PINTANDO AUTO-RETRATOS COM FRIDA KAHLO

    ROTEIRO DA AULA:

    Plano de aula elaborado para o 5° ano do Ensino Fundamental.

    Objetivos:
    1. Apresentar aos alunos por meio das obras de Frida Kahlo, algumas características do movimento Surrealista;
    2. A partir da leitura das obras de Frida Kahlo, discutir os medos, angustias e sentimentos vividos por todos os seres humanos;
    3. Realizar a pintura de um auto retrato que simbolize algum sentimento.

    CHAMADA DE ATENÇÃO PARA AS OBRAS:

    Expor duas obras de Frida Kahlo:

    1. A Coluna Partida (1944);
    2. Auto Retrato com Cabelo Cortado (1940).

    PERGUNTAR AOS ALUNOS:

    Vocês conhecem algum pintor(a) famoso(a)?
    Já tiveram contato com alguma obra de arte?
    O que acham dessas imagens?
    Qual o sentimento de vocês ao vê-las?
    O que será que o artista estava tentando retratar?
    A mulher retratada nas imagens parece expressar que sentimento?
    O que mais chama a atenção nessas duas imagens?

    CONTEXTUALIZAÇÃO DAS OBRAS E MOVIMENTO ARTÍSTICO:

    Apresentar Frida Kahlo:

    Pintora mexicana que participou do movimento Surrealista;

    Nasceu em 1907 e morreu 1954, vítima de problemas pulmonares;

    Após sua morte, a casa em que vivia transformou-se em um museu;

    Retratava em suas obras, as dores e angustias de sua vida, sempre marcada por muitas tragédias;

    Ambas as obras apresentadas, anteriormente, retrataram períodos de muito sofrimento em sua vida; (durante a explicação pretende-se explicar esses momentos de sua vida)

    Apresentar o movimento surrealista:

    Movimento artístico originado na França no ano de 1924, liderado pelo poeta André Breton;

    Tinha o objetivo de retratar o que era irracional e inconsciente, baseando-se na fantasia, nos estados de tristeza e melancolia;

    Outros pintores importantes desse movimento: Salvador Dalí, Pablo Picasso, Juan Miró, René Magritte, entre outros.

    ATIVIDADE PROPOSTA:

    Após a exposição histórica do movimento Surrealista e da vida de Frida Kahlo, pedir aos alunos que realizem um auto retrato expondo algum momento de suas vidas tenha sido muito importante, retratando o sentimento sentido naquele momento.

    REFERÊNCIAS:

    Vida de Frida Kahlo:
    Disponível em:
    http://acertodecontas.blog.br/artigos/frida-kahlo
    palavra-e-imagem-em-uma-obra-fascinante/ acesso em
    26/11/2010.

    Surrealismo:
    Disponível em:
    http://www.historiadaarte.com.br/surrealismohtml acesso em 26/11/2010.

  7. Taciana disse:

    PLANO DE AULA: O Surrealismo de Magritte

    Taciana Carolina Guerra
    UNESP/IBILCE

    Introdução
    O Surrealismo foi um movimento fundado na França, mais especificamente em Paris, em 1924 pelo escritor André Breton, com ideais embasados nas teorias freudianas de percepção, da psicanálise e no conceito de resolver as contradições entre sonho e realidade. O intuito do movimento era fazer com que as pessoas enxergassem a falsa racionalidade existente nos costumes sociais.
    Este plano de aula é embasado nas obras do pintor surrealista René Magritte, que iniciou suas atividades artísticas em 1916, quando ingressou na Académie Royale des Beaux-Arts (Academia Real das Belas Artes), em Bruxelas.
    Trabalhou em uma fábrica de papel de Parede, e foi designer de cartazes e anúncios até 1926, quando um contrato com a Galerie la Centaure, na capital belga, fez da pintura sua principal atividade. Nesse mesmo ano, Magritte produziu sua primeira pintura surrealista, Le jockey perdu, tendo sua primeira exposição apresentada no ano seguinte.
    René Magritte praticava o surrealismo realista, ou “realismo mágico”. Começou imitando a vanguarda, mas precisava realmente de uma linguagem mais poética e viu-se influenciado pela pintura metafísica de Chirico.
    Mudou-se para Paris em 1927, onde começou a se envolver nas atividades do grupo surrealista, tornando-se grande amigo dos poetas André Breton e Paul Éluard e do pintor Marcel Duchamp. Quando a Galerie la Centaure fechou e seu contrato encerrou, Magritte retornou a Bruxelas. Permaneceu na cidade mesmo durante a ocupação alemã, na Segunda Guerra Mundial.
    Seu trabalho foi exposto em 1936 na cidade de Nova York, Estados Unidos, e em mais duas exposições retrospectivas nessa mesma cidade, uma no Museu de Arte Moderna, em 1965, e outra no Metropolitan Museum of Art, em 1992.
    Magritte morreu de câncer e foi enterrado no Cemitério Schaarbeek, em Bruxelas.
    Em seus trabalhos deste período inicial inseria objetos comuns num contexto de palavras e frases contraditórias para provocar inquietação. Como, por exemplo na obra “Ceci nést pas une pipe” (Isto não é um cachimbo)

    Magritte dizia “Minha pintura são imagens visíveis, sem nada a esconder. Quando se vê uma de minhas pinturas, perguntam-se “O que significa isto?” Isso não quer dizer nada, porque o mistério não significa nada. É incognoscível.”

    Objetivos

    Este plano de aula é direcionado à alunos do 4º ano do Ensino Fundamental e tem o intuito de fazer com que os alunos, a partir do contato com as obras de Magritte possam discuti-las e conhecer parte do movimento surrealista referente às artes plásticas.
    Especificamente, pretende-se que:
    a) Os alunos conheçam e identifiquem obras de Magritte;
    b) Conhecer a biografia do artista;
    c) Promover a apreciação e a reflexão sobre a obra;
    d) Os alunos produzam uma obra embasados no surrealismo.

    Roteiro das atividades
    Para que a abordagem do surrealismo em sala de aula seja efetivada e para que os objetivos sejam alcançados sugiro o um roteiro a ser seguido no desenvolvimento das atividades no decorrer do projeto.
    Inicialmente, é necessário que chamemos a atenção dos alunos para a temática abordada (surrealismo) de forma contextualizada, para que sensibilizem-se e passem a ter interesse pelo tema. Para que isso ocorra o professor levará para a sala de aula imagens das obras de Magritte, para que os alunos conheçam-nas, e para que surjam questionamentos que instiguem a curiosidade dos alunos pelo tema.
    Neste momento a professora deve fazer alguns questionamentos aos alunos:
    1) Vocês gostaram das obras?
    2) O que vocês sentem ao observarem essas imagens?
    3) O que vocês acham que o pintor sentia ao produzir a obra?
    4) O que será que o pintor estava querendo transmitir? Por quê?
    5) As imagens representam a realidade? Por quê?
    Sugestão de algumas obras que poderão ser utilizadas:

    “A condição humana” (1935) “O espelho falso” (1928)

    “The Son of Man” (1926) “La corde sensible” (1960)

    A partir desse momento o professor estará instigando a dúvida sobre seus alunos. Se o professor achar conveniente, poderá apresentar obras de artistas realistas para que os alunos façam uma comparação e, a partir desse momento introduzir o que foi o movimento surrealista.
    Após conhecerem e discutirem as obras do artista e também o movimento surrealista, é interessante apresentar a biografia de Magritte, seja através de livros ou solicitando que os alunos façam um levantamento biográfico do autor através da internet.

    Atividade sugerida
    Após a contextualização, a apreciação e a reflexão acerca das obras de Magritte, os alunos deverão elaborar uma obra de arte referente ao surrealismo em uma tela. Poderão utilizar diversos materiais e métodos, como pintura, colagem, e até mesmo misturar as técnicas. A elaboração deve ser embasada na temática “o real e o imaginário”, expressando o que o aluno sente em relação à sociedade contemporânea. Por fim haverá uma exposição das obras na qual os alunos também explicarão o que pretenderam expressar.

    Avaliação
    Os alunos serão avaliados a partir da participação nas discussões e a interação dos mesmos com o grupo. A produção final também será avaliada, porém o que será considerado é a idéia do autor e se ele expressou-a através da obra.

    Referências

    acesso em 20 de novembro de 2010

    acesso em 20 de novembro de 2010

    acesso em 25 de novembro de 2010

  8. Priscila Vedelago disse:

    Artes e o surrealismo de Dali para crianças de 5 anos

    UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
    INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIENCIAS EXATAS

    ARTES E O SURREALISMO DE DALI PARA CRIANÇAS DE 5 ANOS

    Discente:
    Priscila Vedelago

    MIRASSOL
    2010
    UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
    INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIENCIAS EXATAS

    ARTES E O SURREALISMO DE DALI PARA CRIANÇAS DE 5 ANOS

    Projeto entregue como requisito de avaliação do curso “Arte e Educação: Vivência Prática de Linguagem Visual para Formação de Educadores” ministrado pelo Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela.

    MIRASSOL
    2010

    Apresentação e Justificativa:
    Arte não é o resultado de manifestações racionais e lógicas do consciente, e sim manifestações do subconsciente, absurdas e ilógicas, como imagens dos sonhos e alucinações, que produzem as criações artísticas mais interessantes. PROENÇA (2001,p.166).

    As artes visuais estão presentes em nossa vida, desde a infância.
    Quando se rabisca, desenha no chão, na areia e nos muros, com materiais encontrados como gravetos, pedras , carvão; ou quando se pinta objetos, segundo RCNEI (2001, p.85) “a criança pode utilizar-se das artes visuais para expressar experiências sensíveis.”
    Para evidenciar essa sensibilidade, sem dúvida, o Surrealismo vem de encontro , pois o pensamento surrealista permite não ficar preso às formas, ao cotidiano e a mesmice de todo o mundo, misturando o mundo real com o irreal, sem limites.
    Partindo deste ponto, o artista escolhido para o projeto aqui proposto é Salvador Dali, o mais conhecido pintor surrealista que produziu ,ao longo de sua vida, cerca de 1.500 pinturas, segundo pesquisa on-line (SMARTKIDS).

    1.Tema:

    Artes e o surrealismo de Dali para crianças de 5 anos

    2. Público alvo:

    Sala de Educação Infantil ,composta por 21 alunos entre 5 e 6 anos.

    3. Objetivos:

    3.1 Geral

    Interessar-se pelas produções próprias, de outras crianças e pelas diversas obras artísticas, ampliando seu conhecimento de mundo e cultura.

    3.2 Específicos

    § Leitura de obras de arte , a partir de observação, narração, descrição e interpretação de imagens e objetos;
    § Apreciação das artes visuais e estabelecimento de correlação com as experiências pessoais;
    § Conhecimento parcial da vida e de algumas obras de Salvador Dali;
    § Exploração e utilização de alguns procedimentos necessários para desenhar, pintar, etc;
    § Exploração e aprofundamento das possibilidades oferecidas pelos diversos materiais, instrumentos e suportes necessários para o fazer artístico.

    4. Materiais e Métodos:

    4.1. Materiais:

    § Cola, tesoura, revistas, gibis;
    § Folha de sulfite;
    § Giz de cera, lápis de cor, giz pastel;
    § Moldes diversos;
    § Data show, máquina fotográfica.

    4.2. Métodos:

    § Utilizar o data show para a visualização das obras de Dali;
    § Fazer o uso das folhas de sulfite, lápis de cor e giz para a reprodução da obra sem intervenção da professora;
    § Utilizar moldes, cola, revista, gibi, tesoura, para a reprodução da obra com intervenção da professora;
    § Registrar o trabalho com máquina fotográfica.

    5. Cronograma de Execução:

    Atividades Outubro-2010
    1º semana 2º semana 3ª semana 4ª semana
    1. Conhecendo o Surrealismo X
    2. Estudando obras de Salvador Dali x
    3. Reprodução da obra sem intervenção x
    4. Reprodução da obra com intervenção X
    5-Exposição das obras de arte x
    6. Avaliação X X X X

    6. Avaliação:

    Buscar entender o processo de cada criança e a significação que cada trabalho comporta, através de observação contínua. Para tanto, é necessário que as crianças tenham vivenciado diversas atividades, envolvendo desenho, pintura, modelagem, e explorado as mais diversas técnicas e materiais.

    7. Descrição das Atividades Realizadas:

    ü Através de roda de conversa, discutir o que é arte, e deixar os alunos se expressarem sempre tentando verificar o que já sabem sobre o tema;
    ü Afunilar os estudos sobre artes, apresentando o que é o Surrealismo;
    ü Apresentar as obras do pintor Salvador Dali, através do data show, e falar sobre sua biografia;
    ü Escolher uma obra e discutir o que os alunos sentem ao ver a mesma;
    ü Oferecer materiais como: folha, revista, giz de cera, lápis de cor, cola para reprodução da obra;
    ü Outros materiais serão oferecidos, em outro momento, para reprodução da obra com a intervenção da professora, quanto à noção espacial, referencial de cores, formas;
    ü Realização de outras obras criadas pelos alunos;
    ü Portifólio individual contendo todas as obras realizadas;
    ü Exposição para mostra das obras de arte, envolvendo comunidade escolar e família.

    8. Disciplinas Envolvidas

    Matemática (noção espacial e temporal), além de linguagem oral e escrita (expressão de idéias e registro das mesmas), natureza e sociedade (conhecimento e compreensão do mundo, participação e interação social).

    9. Registro

    O trabalho será registrado por meio de fotos e montagem do portifólio individual, juntamente com a exposição para a família e comunidade escolar

    12. Referências

    Artes-Surrealismo.Disponível em :.Acesso em: 13 set. 2010

    PROENÇA, Graça. História da arte. São Paulo: Ática, 2001

    RCNEI.Referencial Curricular para a Educação Infantil/Fundamental.Brasília: MEC/SEF, v.3.2001

  9. Priscila Vedelago disse:

    Ao enviar a configuração ficou toda errada. Postei no e-mail também.Será q fiz algo de errado?

  10. josimara talhiaro disse:

    Plano de aula: Salvador Dalí

    Josimara Talhiaro
    UNESP/IBILCE

    Introdução:
    O Surrealismo foi um movimento artístico, literário e cinematográfico fundado em Paris, em 1924, pelo poeta francês André Breton, que apresentou o Manifesto Surrealista (1924). Os surrealistas procuraram formas de expressão imediatistas, determinadas por visões subconscientes. Explorando diversos estilos e técnicas, o surrealismo tornou-se a força dominante na arte ocidental entre as duas grandes guerras mundiais. Salvador Dalí é sem dúvida o mais conhecido dos artistas surrealistas, cujas obras de artes são originais, bizarras e extremamente criativas. Excêntrico, ostentava como marca pessoal um esquisito bigode. Além de pintar Dalí realizou trabalhos para o cinema, esculturas, fotografias, desenhou jóias e ilustrou livros. Salvador Dalí nasceu na Espanha, dia 11 de maio em 1904.

    A imagem acima é uma pintura de Salvador Dalí nomeada “Ovo cósmico” uma referência a formação do Universo.

    Objetivos:
    - Colocar os alunos em contato com a arte e as características do movimento surrealista;
    - Apreciação das obras de Salvador Dalí.

    Material:
    - Data show
    - Not book
    -Imagens das obras (retiradas da internet)
    -Papeis diversos
    -Lápis de cor
    -Recorte de borboletas

    Desenvolvimento:
    Turma: 1° ANO (27 alunos)
    Apresentação sobre Surrealismo e sobre a vida de Salvador Dalí, apresentação das obras através de videoclipe e obras, utilizando o data show. Apreciação e observação das obras pelos alunos, destacando cores, formas, sentimentos, criatividade, entre outros Após a apresentação propor a releitura da obra “Ovo cósmico”, através de desenho utilizando papel e lápis de cor.

    Avaliação:
    Avaliação contínua durante o desenvolvimento da aula, pedir que os alunos comentem sobre o que acharam do processo e resultado do trabalho. Expor suas “obras” pela escola.

    Bibliografia:
    _http://bacaninha.uol.com.br/home/mensagens/fotos/2004/03/salvador_dali/index.html
    _ http://pt.wikipedia.org/wiki/Salvador_Dal%C3%AD
    _http://www.salvadordali.com.br/
    _http://www.ocaiw.com/galleria_maestri/gallery.php?id=323&catalog=pitt&lang=pt

  11. Lenice disse:

    Plano de aula

    Duração: Uma semana

    Objetivos

    - Proporcionar aos alunos da Educação Infantil contato com obras surrealistas
    - Desenvolver técnicas de pintura, recorte e colagens em releituras de obras do pintor Salvador Dali.
    - Incentivar as crianças a desenvolverem maior criatividade em seus desenhos

    Introdução
    O Surrealismo foi um movimento da literatura e das artes plásticas que começou em Paris nos anos 20, sob a liderança do escritor André Breton (1896-1966), que escreveu o “Manifesto Surrealista”. Reunindo artistas anteriormente ligados ao Dadaísmo e fortemente influenciado pelas teorias psicanalíticas de Sigmund Freud (1856-1939), o surrealismo enfatiza o papel do inconsciente na atividade criativa. Foi por excelência a corrente artística moderna da representação do irracional e do subconsciente. Este movimento artístico surge todas às vezes que a imaginação se manifesta livremente, sem o freio do espírito crítico, o que vale é o impulso psíquico. Os surrealistas deixam o mundo real para penetrarem no irreal, pois a emoção mais profunda do ser tem todas as possibilidades de se expressar apenas com a aproximação do fantástico, no ponto onde a razão humana perde o controle. Para os surrealistas, a obra de arte não resulta de pensamentos racionais e lógicos do artista; ela é, isto sim, resultado de pensamentos absurdos e ilógicos, como a imagem dos sonhos. Mesmo quando a obra surrealista representa aspectos da realidade, eles estão associados a elementos inexistentes na natureza, criando conjuntos irreais.

    Breve bibliografia de Salvador Dali

    Desde a infância, Dalí demonstrou interesse pelas artes plásticas. No ano de 1921, entrou para a Escola de Belas Artes de São Fernando, localizada na cidade de Madri. Porém, em 1926, foi expulso desta instituição, pois afirmava que ninguém era suficientemente competente para o avaliar.

    Nesta fase da vida, conviveu com vários cineastas, artistas e escritores famosos, tais como: Luis Bruñel, Rafael Alberti e Frederico Garcia Lorca.
    Em 1929, viajou para Paris e conheceu Pablo Picasso, artista que muito influenciou a produção artística de Dalí. No ano seguinte, começou a fazer parte do movimento artístico conhecido como surrealismo.
    A década de 1930 foi um período de grande produção artística de Dali. Nesta fase, o artista representava imagens do cotidiano de uma forma inesperada e surpreendente. As cores vivas, a luminosidade e o brilho também marcaram o estilo artístico de Dali. Os trabalhos psicológicos de Freud influenciaram muito o artista neste período É desta fase uma de suas obras mais conhecidas “A persistência da Memória”, que mostra um relógio derretendo.
    Em 1934, Dali casou-se com uma imigrante russa chamada Elena Ivanovna Diakonova, conhecida como Gala.
    Em 1939, foi expulso do movimento surrealista por motivos políticos. Grande parte dos artistas surrealistas eram marxistas e justificaram a expulsão de Dalí, alegando que o artista era muito comercial.
    Em 1942, Dali e sua esposa foram morar nos Estados Unidos, país em que permaneceu até 1948. Voltou para a Catalunha em 1949, onde viveu até o final de sua vida.
    Em 1960, Dali colocou em prática um grande projeto: o Teatro-Museo Gala Salvador Dali, em sua terra natal, que reuniu grande parte de suas obras.
    Em 1982, com a morte de sua esposa Gala, Dali entrou numa fase de grande tristeza e depressão. Parou de produzir e se recusava a fazer as refeições diárias. Ficou desidratado e teve que ser alimentado por sonda. Em 1984, tentou o suicídio ao colocar fogo em seu quarto. Passou a receber o cuidado e atenção de seus amigos.
    Dali morreu na cidade de Figueres, em 23 de janeiro de 1989, de pneumonia e parada cardíaca.

    Material a ser utilizado

    - Folhas de papel sulfite e papel cartão
    - Lápis de cor aquarela e giz de cera
    - revistas e jornais
    - tinta a dedo e guache
    - cola
    - papel fantasia

    Estratégias

    - História da vida do artista Salvador Dali, contada pelo professor
    - Apresentação de imagens de pinturas surrealistas, previamente selecionadas pelo professor utilizando o datashow
    - Manuseio de cópias de algumas imagens contando obras de Salvador Dali para posterior releitura. Esclarecer o que é essa imagem do inconsciente, dos sonhos, da imaginação, o “não real”, o que não tem lógica aparente.

    Atividades

    Os alunos farão a releitura das obras “Livro árvore” e “Moinhos de borboletas” utilizando o material disponibilizado pelo professor..
    Posteriormente, serão incentivados a criar a sua própria obra surrealista.
    Uma boa maneira de incentivá-los a fugir da cópia diária que fazem, desde gestos, falas e até atitudes, é partir de roda de conversas onde serão estimulados a criar histórias de intervenção em grupo. Um bom exemplo é o de dar continuidade. O professor inicia a conversa com: “Hoje de amanhã eu acordei, abri a janela e vi… um elefante voando!”
    O aluno ao lado deve continuar a história, sempre colocando fatos inusitados e que fogem à realidade que conhecem. O professor deverá intervir sempre que achar necessário.

    Referências

    http://www.gtamind.com.br
    http://www.escolainternacional.com.br
    http://www.historiadaarte.com.br©
    Lúcia Grossi dos Santos, portaleducação.com.br
    Ivete Raffa, Fazendo arte com os mestres-vol.3- Ed. Escolar.

  12. Josiane Rodrigues disse:

    PLANO DE AULA – JOAN MIRÓ

    Josiane Paula Rodrigues
    UNESP/IBILCE

    Introdução – A escolha de uma reprodução do artista espanhol Joan Miró para esse plano de aula se dá pelo colorido e na espontaneidade das figuras que compõe a composição feita pelo artista, levando o observador a um ambiente mágico, provocando encantamento e ao mesmo tempo estranhamento. Essas características de seu trabalho se dão pela grande influência do movimento surrealista no conjunto de sua obra. O presente plano de aula foi proposto para ser ministrado no ensino fundamental, a partir do 2º ano ao 5º ano, atendendo as necessidades de cada ano.

    Objetivos – Ensinar o aluno do Ensino Fundamental I sobre os períodos históricos e movimentos artísticos, através atividades que desenvolva composição artística dos alunos a partir de obras artes.

    Material – reprodução da obra: O jardim de Miro e materiais diversos para a produção artística dos alunos como tinta guache, lápis de cor, giz de cera, retalhos de papel, cola, etc.

    Roteiro da Aula

    1. Chamada de atenção – Preparar a sala de aula, organizando as carteiras em semicirculo e afixando na lousa um cartaz com o quadro O Jardim (The Garden) de Joan Miró.

    2. Ativação do conhecimento prévio – Neste momento, mostrar o quadro para os alunos e iniciar um diálogo, perguntando que imagens eles estão vendo? Quais imagens eles conhecem? Pedir para os alunos olharem a obra com atenção e depois elaborar uma lista com o que todos enxergaram. Fazer perguntas que estimulem a percepção da linguagem visual e estética, como os elementos formais, sua configuração espacial e os materiais utilizados.

    3. Contextualização do quadro
    * Apresentar uma contextualização sobre as bases do Surrealismo. Em sala, através de texto e imagens de livros, os alunos irão se familiarizando com as imagens e as bases do surrealismo.
    * Contextualizar a vida e a obra do autor, mostrando às crianças uma foto e falar sobre o autor Joan Miró i Ferra, foi um importante escultor e pintor surrealista espanhol.

    4. Atividades propostas
    * A partir da obra estudada de Miró, em grupo os alunos os alunos elaborarão sua obra, inspirada no quadro “O jardim”, nesta atividade cada grupo receberá uma cartolina branca e nela os alunos devem desenhar o que tem no jardim, e depois, colorir o desenho com giz de cera ou lápis colorido.
    * Pintura com guache, a professora preparar várias reproduções da obra de Miro em preto em braço, e em seguida distribuiu para os alunos escolherem. Com a tinha guache os alunos devem dar o colorido em sua obra.
    * Os alunos realizarão sua obra surrealista. Pode ser a representação de um sonho que tiveram, uma imagem crítica da realidade ou até um tema proposto pelo professor.
    Para realizar a obra, utilizarão a técnica da colagem. Eles devem ter em mente a imagem que irão representar e recortar das revistas. Em uma folha de papel sulfite, os alunos vão colar as imagens recordadas para realizar a composição de sua obra surrealista.

    5. Avaliação – A avaliação da aprendizagem dos alunos se faz presente em todos os momentos etapas de desenvolvimento das atividades.

    6. Conclusão – Por meio desse plano de aula apresentado, destacamos os uso de diferentes tipos de recursos e matérias para trabalhar arte com os alunos no ensino fundamental. Utilizamos a obra de Joan Miró pelo o colorido de sua obra, e sua influência do movimento surrealista, pois possibilita várias interpretações dos sonhos, desenvolvendo assim uma forma de desenhar e pintar que levava os alunos a um mundo estranho e fantasioso.

    Referências
    http://bmgrandola.blogspot.com/2007/08 (Biblioteca Municipal de Grândola)
    http://revistaescola.abril.com.br/arte/pratica-pedagogica/intervencoes-obra-joan-miro
    http://mestres.folha.com.br/pintores/miro

  13. Jaqueline disse:

    Jaqueline Cortez Bonil Fiamengui

    Plano de aula: Salvador Dalí
    Série/Turma: 5º ano (Ensino Fundamental)

    Introdução:
    O movimento surrealista teve sua inspiração em Freud e suas teorias e preocupa-se em trabalhar com a linguagem do inconsciente e dos sonhos, objetivando que os elementos destes aflorassem para a consciência. Assim a escolha por trabalhar com Dalí se deu pela criatividade e ousadias de suas obras.
    Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech nasceu em 11 de maio de 1904, na cidade espanhola de Figueres (Catalunha). Desde a infância demonstrou seu interesse pelas artes plásticas, entrando em 1921 na Escola de Belas Artes de São Fernando (Madri) da qual foi expulso em 1926. Em 1929 viaja para Paris e conhece Pablo Picasso, sendo muito influenciado por suas obras. No ano seguinte faz parte do início do movimento surrealista. Em 1934 casa-se com uma imigrante russa conhecida como Gala. É expulso do movimento surrealista por motivos políticos. De 1942 a 1948 mora nos Estados Unidos, retornando a Catalunha em 1949 onde permanece até o final de sua vida.

    Objetivos:
    Identificar as características do movimento surrealista;
    Conhecer a obra e biografia de Salvador Dalí;
    Explorar a apreciação e reflexão das obras deste autor.

    Roteiro das atividades:
    Para o início das atividades indica-se o texto “Surrealismo” do site Educação, sugerindo que os alunos em dupla leiam o texto citado e anotem as características marcantes do movimento.
    Discussão em sala sobre as características anotadas e posterior contextualização do movimento pelo professor.
    Mostrar as imagens de autoria de Salvador Dalí, explorando as características da mesma conforme o roteiro a seguir:
    O que se vê na imagem?
    É real ou imaginário?
    Descreva os objetos da imagem.
    O que os objetos parecem significar?
    O que achou do nome escolhido por Dalí?
    Que nome você daria?
    Pedir para os alunos que pesquisar na internet, sob a supervisão do professor, imagens de outros pintores surrealistas, relatando as sensações que estas lhe trouxeram.
    Discussão coletiva sobre como o surrealismo está representado em nossos dias (exemplo grafitti).
    Para finalizar pedir aos alunos que façam um trabalho (pintura, colagem ou outra técnica que o aluno desejar) a partir das experiências vividas, explorando as características do movimento surrealista, especialmente de Dalí, com o objetivo final de realizar uma exposição na escola.

    Avaliação:
    Avaliar o envolvimento do aluno durante a realização das atividades e seu desenvolvimento em relação a sua forma de expressão artística.

    Referências:
    http://educação.uol.com/planos-aula/ult3900u163.jhtm
    http://www.suapesquisa.com/biografias/salvador_dali.htm
    http://www.filosofia.com.pt/iquest/freud_inc/dali/p2.html

    Anexo:
    Surrealismo
    Criando com a linguagem dos sonhos
    Valéria Peixoto de Alencar*
    Um relógio que derrete, um peixe com corpo de mulher. Esquisitices assim só podem ser vistas em sonho, já que estão acima da realidade – ou, em francês, “sur le réel”, daí o termo “surrealismo”, escola artística que tem esses delírios como tema.
    Esse movimento artístico e literário surgiu em Paris na década de 1920, mais ou mesmo ao mesmo tempo em que apareciam outros movimentos modernistas, como o cubismo.

Foi o escritor André Breton (1896-1966) o primeiro a utilizar o termo, ao publicar o “Manifesto Surrealista”, em 1924. Os artistas deste movimento acreditavam que a arte deveria se libertar das exigências da lógica e da razão e ir além da consciência do dia-a-dia, para poder expressar o inconsciente, a imaginação e os sonhos.

Baseavam-se também nos estudos de Sigmund Freud (1856-1939), considerado o pai da psicanálise. Em sua obra mais conhecida, “A Interpretação dos Sonhos”, Freud descreve o funcionamento do inconsciente e a forma como ele aflora nos sonhos.

Em algumas obras surrealistas pode-se ver influências do dadaísmo, do cubismo, do abstracionismo e do expressionismo, que eram movimentos artísticos contemporâneos. A diferença básica em relação a esses movimentos está nas figuras representadas. O surrealismo prefere imagens de um universo onírico, isto é, o mundo dos sonhos e à imaginação.

    (Possibilidade de propor pesquisas sobre esses assuntos específicos para comparação, utilizando texto e imagens.)

  14. Maiara Caroline Pereira disse:

    PLANO DE AULA – JOAN MIRÓ

    Maiara Caroline Pereira
    UNESP/IBILCE

    - Introdução
    O plano de aula que segue tem por intuito apresentar para as crianças do 4º ano do Ensino Fundamental o autor surrealista Joan Miró, bem como discorrer sobre o movimento surrealista ao qual este pintor integra-se, já que foi ele uns dos pintores que mais destacou durante o surrealismo. Os motivos principais para o trabalho com este pintor foi o fato do mesmo manter em sua coleção de obras, quadros coloridos e chamativos que muito interessa e aguça a curiosidade infantil.

    - Objetivos
    *Proporcionar o conhecimento da vida e obra de Joan Miró;
    *Entendimento e desenvolvimento de obras surrealistas;
    *Desenvolvimento de técnicas de pintura;
    *Desenvolvimento do potencial criativo de cada criança.

    - Chamada de atenção
    *Arrumar a sala de aula de forma que as carteiras fiquem dispostas em semi-círculo;
    *Colocar na lousa e cobrir com cortina feita de fitas de papel crepom colorido a pintura O jardim – Joan Miro;
    *Em relação à pintura coberta na lousa as crianças serão questionadas da seguinte forma: 1) Vocês sabem o que tem na lousa? 2) Por que está tampado? 3) O que vocês gostariam que fosse?
    *Em seguida a pintura será mostrada e os alunos serão questionados sobre o que estão vendo na pintura;

    - Ativação do conhecimento prévio
    *Resgatar todo e qualquer conhecimento que o aluno possa ter em relação à obras de artes;
    *Perguntar aos alunos se eles já haviam visto a pintura, ou alguma outra semelhante que explorasse bem como esta os espaços, formas e cores;

    - Breve explicação sobre o Surrealismo
    O Surrealismo foi um movimento artístico e literário surgido primeiramente em Paris dos anos 20, inserido no contexto das vanguardas que viriam a definir o modernismo no período entre as duas Grandes Guerras Mundiais. Reune artistas anteriormente ligados ao Dadaísmo ganhando dimensão internacional. Fortemente influenciado pelas teorias psicanalíticas de Sigmund Freud (1856-1939), mas também pelo Marxismo, o surrealismo enfatiza o papel do inconsciente na atividade criativa. Um dos seus objetivos foi produzir uma arte que, segundo o movimento, estava sendo destruída pelo racionalismo. O poeta e crítico André Breton (1896-1966) é o principal líder e mentor deste movimento.

    - Contextualização do autor
    *Apresentação de uma imagem colorida e descontraída do pintor;
    *Joan Miró nasceu em Barcelona, na Espanha, em 20 de abril de 1893. Em 1912, seus pais consentiram que ingressasse numa escola de arte em Barcelona. Em sua pintura e desenhos, tentou criar meios de expressão metafórica, ou seja, descobrir signos que representassem conceitos da natureza num sentido poético e transcendental. Na década de 1930, seus horizontes artísticos se ampliaram. Fez cenário para balés, e seus quadros passaram a ser expostos regularmente em galerias francesas e americanas A partir de 1948, Miró mais uma vez dividiu seu tempo entre a Espanha e Paris. Nesse ano iniciou uma série de trabalhos de intenso conteúdo poético, cujos temas são variações sobre a mulher, o pássaro e a estrela. Algumas obras revelam grande espontaneidade, enquanto em outras se percebe a técnica altamente elaborada, e esse contraste também aparece em suas esculturas. Miró tornou-se mundialmente famoso e expôs seus trabalhos, inclusive ilustrações feitas para livros, em vários países. Em 1954, ganhou o prêmio de gravura da Bienal de Veneza e, quatro anos mais tarde, o mural que realizou para o edifício da UNESCO em Paris ganhou o Prêmio Internacional da Fundação Guggenheim. Em 1963, o Museu Nacional de Arte Moderna de Paris realizou uma exposição de toda a sua obra. Joan Miró morreu em Palma de Maiorca, Espanha, em 25 de dezembro de 1983.

    - Pinturas de Miro
    *Neste momento da aula, será feita a apresentação e estudo das características artísticas de algumas pinturas de Miró;

    - Atividades

    *Exibição de um vídeo contendo algumas obras de Miro – (http://www.youtube.com/watch?v=RnCiC8FU7jI&feature=related);
    *Produção pelos alunos de pinturas que tenham características surrealistas;
    *Apresentação do material produzido para professora e colegas de classe;
    *Exposição das pinturas feitas pelos alunos no mural da escola.

    - Referências
    *http://www.pitoresco.com.br/universal/miro/miro.htm
    *http://rosacatalao.wordpress.com/2009/03/17/joan-miro-obras/
    *http:// pt.wikipedia.org/wiki/Surrealismo

  15. Renata Luiza X. dos Santos disse:

    CURSO DE EXTENSÃO: ARTE E EDUCAÇÃO 2010
    UNESP – RIO PRETO
    PLANO DE AULA: SALVADOR DALÍ
    RENATA LUIZA XAVIER DOS SANTOS

    INTRODUÇÃO: Nas duas primeiras décadas do século XX, os estudos psicanalíticos de Freud e as incertezas políticas criaram um clima favorável para o desenvolvimento de uma arte que criticava a cultura européia e a frágil condição humana diante de um mundo cada vez mais complexo. Surgem movimentos estéticos que interferem de maneira fantasiosa na realidade.
    O surrealismo foi por excelência a corrente artística moderna da representação do irracional e do subconsciente. Suas origens devem ser buscadas no dadaísmo.
    Este movimento artístico surge todas às vezes que a imaginação se manifesta livremente, sem o freio do espírito crítico, o que vale é o impulso psíquico. Os surrealistas deixam o mundo real para penetrarem no irreal, pois a emoção mais profunda do ser tem todas as possibilidades de se expressar apenas com a aproximação do fantástico, no ponto onde a razão humana perde o controle.
    A publicação do Manifesto do Surrealismo, assinado por André Breton em outubro de 1924, marcou historicamente o nascimento do movimento. Nele se propunha a restauração dos sentimentos humanos e do instinto como ponto de partida para uma nova linguagem artística. Para isso era preciso que o homem tivesse uma visão totalmente introspectiva de si mesmo e encontrasse esse ponto do espírito no qual a realidade interna e externa são percebidas totalmente isentas de contradições.
    A livre associação e a análise dos sonhos, ambos métodos da psicanálise freudiana, transformaram-se nos procedimentos básicos do surrealismo, embora aplicados a seu modo. Por meio do automatismo, ou seja, qualquer forma de expressão em que a mente não exercesse nenhum tipo de controle, os surrealistas tentavam plasmar, seja por meio de formas abstratas ou figurativas simbólicas, as imagens da realidade mais profunda do ser humano: o subconsciente.
    Sobre o artista Salvador Dali:
    Salvador Dalí, é sem dúvida, o mais conhecido dos artistas surrealistas. Estudou em Barcelona e depois em Madri, na Academia de San Fernando. Nessa época teve oportunidade de conhecer Lorca e Buñuel. Suas primeiras obras são influenciadas pelo cubismo de Gris e pela pintura metafísica de Giorgio De Chirico. Finalmente aderiu ao surrealismo, junto com seu amigo Luis Buñuel, cineasta. Em 1924 o pintor foi expulso da Academia e começou a se interessar pela psicanálise de Freud, de grande importância ao longo de toda a sua
    obra. Sua primeira viagem a Paris em 1927 foi fundamental para sua carreira. Fez amizade com Picasso e Breton e se entusiasmou com a obra de Tanguy e o maneirista Arcimboldo. O filme O Cão Andaluz, que
    fez com Buñuel, data de 1929. Ele criou o conceito de “paranóia critica“ para referir-se à atitude de quem recusa a lógica que rege a vida comum das pessoas .Segundo ele, é preciso “contribuir para o total descrédito da realidade”. No final dos anos 30 foi várias vezes para a Itália a fim de estudar os grandes mestres. Instalou seu ateliê em Roma, embora continuasse viajando. Depois de conhecer em Londres Sigmund Freud, fez uma viagem para a América, onde publicou sua biografia A Vida Secreta de Salvador Dali (1942). Ao voltar, se estabeleceu definitivamente em Port Lligat com Gala, sua mulher, ex-mulher do poeta e amigo Paul Éluard. Desde 1970 até sua morte dedicou-se ao desenho e à construção de seu museu. Além da pintura ele desenvolveu esculturas e desenho de jóias e móveis.
    Objetivos: Apresentar o artista Salvador Dalí e suas obras dentro do movimento surrealista, para crianças do 5º ano do Ensino Fundamental I.

    Duração: mais ou menos 5 aulas.
    Material: Datashow, para apresentação de suas obras, utilização de materiais de arte tais
    como telas, pincéis, tintas guache, lápis de cor, placas de isopor.

    Desenvolvimento: Relatar sua vida e obra, dentro do contexto histórico, demonstrando sua crítica através da arte, a utilização de cores. E com essa demonstração pedir aos alunos que também expressem o que sentem, suas idéias através da pintura, para que ao término dessa atividade façamos uma exposição pessoal dos trabalhos confeccionados para os pais e a escola.

    Avaliação: Os alunos serão avaliados, a partir da discussão em sala de aula sobre o movimento surrealista, o artista apresentado e a produção das telas.

    Referências bibliográficas:
    http://www.historiadaarte.com.br/surrealismo.html
    http://3.bp.blogspot.com/_3CfEzb3xqyc/TKsoxmUUpPI/AAAAAAAAAcs/kmUQrQ_RaH8/s1600/salvador-dali.jpg
    http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/surrealismo/surrealismo.php

  16. Lenice disse:

    Olá Prof Fabio, como tem passado?
    Escrevo-lhe em razão da necessidade do certificado do Curso de Extensão “Arte e Educação”-Surrealismo para agregar pontos ao meu currículo. A contagem para o próximo ano já começou.
    Caso o mesmo ainda não esteja pronto, e tendo a informação de que uma colega de curso recebeu o certificado provisório já há algum tempo gostaria de pedir, possível, me envie via email.
    Sem mais, agradeço-lhe.
    Abraço
    Lenice

  17. CELIA DAGOSTIM disse:

    ADOREI!planos de aula que irão me ajudar e muito;obrigado!

  18. CELIA DAGOSTIM disse:

    dicas excelentes;obrigado!

Deixar um comentário