(Ceceña e Yedra, 2009)

Bom Dia Car@s Alun@s! Tudo bem?

A postagem do módulo 3 de Trabalho e Educação diz respeito ao processo de recolonização da América Latina.  Conforme mostra Ceceña e Miranda  (2009)*, há um conjunto de fatos que “[...] permite concluir que está em curso um projeto de recolonização e disciplinamento completo do continente”. (Cecenã e Yedra, 2009).  Gostaria que vcs apontassem quais são o “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina, segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña. Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

*(Ceceña, Ana Esther; Miranda, Humberto. ¡Yankees go home! Nueva ofensiva de los Estados Unidos sobre los pueblos de América. Revista Herramientas n° 42, octubre 2009. Disponível em:< http://www.herramienta.com.ar/revista-herramienta-n-42/yankees-go-home-nueva-ofensiva-de-los-estados-unidos-sobre-los-pueblos-de-a >. Acesso em: 05 de out. 2012.

(Fonte: Site da campanha “O Nióbio é nosso”.)

135 Comentários “Módulo 3 – Trabalho e Educação – Riqueza e Miséria dos Processos de Trabalho na América Latina”

  1. Josy Fernandes disse:

    Esse processo de recolonização da América Latina constitui-se amplo e diversificado, podendo-se detectar alguns aspectos como: aplicação de políticas neoliberais no papel dos Estados a partir de mudanças de alcance estrutural; ação mais incisiva do imperialismo, buscando se apropriar dos recursos naturais existentes nas periferias; estratégia de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo estadunidense; tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial; e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região, no contexto pós-Guerra Fria. As ações do imperialismo dos Estados Unidos são adequadas a partir da reorientação do seu código geopolítico global pautado na prevenção e resultante da inauguração de uma nova ordem mundial com o fim da Guerra Fria.

  2. Andréa Petreca disse:

    Alguns aspectos do processo de “Recolonização” da América Latina são: aplicação de políticas neoliberais, imperialismo se apropriando de recursos naturais na periferia, tentativa de restauração do poder de classe, tentativa de reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos.
    Segundo Ana Esther Ceceña, os Estados Unidos vêm redesenhando suas geopolíticas e suas redes de posições militares visando “controlar o mundo em sua totalidade e, nesta disputa, o território segue sendo o elemento essencial”.

  3. Damires disse:

    A recolonização da América Latina é marcada pelas novas políticas de desenvolvimento do capitalismo que visa imperar sob a América , com as ideias desenvolvimentista de (“exploração”) do banco mundial interferindo nas políticas escolares e na nossas riquezas naturais afim de se manter a hegemonia Estadunidense.

  4. Franciele Baptista disse:

    O processo de recolonização da América Latina pelos Estados Unidos está ocorrendo através de políticas neoliberais que vem desestabilizando diversos países. Também, vem ocorrendo de forma bastante previsível a tentativa de apropriação dos nossos recursos naturais. Acredito também que isso possa ocorrer por meio de diversos atrativos que os EUA transmitem aos países pela mídia ou outros meios, assim como intervindo em diversos setores, dentre eles o educacional.

  5. Carla Mariana Bonfim disse:

    Segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña as investidas norte-americana que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina referem-se ao padrão de dominação através do neoliberalismo, a militarização norte-americana como se percebe claramente com a ilustração do mapa acima, onde os pontos em negritos representam a instalação de bases militares na América do Sul em pontos estratégicos, como, por exemplo, em áreas predominantemente ricas em recursos naturais. Isto constitui alguns destes “conjuntos de fatos” que evidenciam o processo de recolonização.

  6. Michelle Azevedo disse:

    O projeto proposto pelos Estados Unidos referentes a recolonização da América Latina, aplicando dessas forma suas várias forma de dominação dos povos latinos. Dentre alguns planos de “desenvolvimentos” podemos citar a militarização em pontos estratégicos como áreas de extração de minérios, mostrado atraves dos diversos mapas apresentados, os ideais neoliberais. Podemos com isso perceber claramente as tentativas por diversos segmentos dos EUA em fazer sua poltica de recolonização dos países vizinhos com o intuito de garatir sua dominação num maior espaço possivel.

  7. Andreia Fidelis disse:

    Nesse processo de recolonização o colonizador agora é outro os EUA, por meio de ações neoliberais e imperialistas se apropriam dos países latinos, sugam até o último gole dessas nações. Introduzem suas empresas mascaradas com o discurso assistencialista visando a utilização de mão o de obra barata e ainda com o apoio do Estado local para essa atitude abominável. Essa é a América para os americanos.

  8. Luciana Ciencia disse:

    O “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina, pelos Estados Unidos sao: aplicação de políticas neoliberais,imperialismo buscando se apropriar dos recursos naturais existentes na periferia, estratégia de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo estadunidense; tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial; e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região.

  9. Renata Luiza disse:

    Os fatos que caracterizam o processo de recolonização da América Latina pelos Estados Unidos, pode ser entendido como um processo amplo que busca atender aos interesses das grandes corporações que no caso agora é o Estados Unidos ditos como transnacionais com a aplicação de políticas neoliberiais a partir de mudanças de alcance estrutural; ação incisiva do imperialismo, apropriação dos recursos naturais da periferia como parte de uma restauração do poder de classe e a manutenção da hegemonia do imperialismo estadunense; através de tentativas de reversão de tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial; mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região no contexto pós Guerra Fria.

  10. Juliana Constâncio disse:

    A intervenção militar americana na América do Sul se iniciou tendo como pressuposto conter o terrorismo entre os países e garantir a democracia. No entanto, a verdadeira intenção foi a de dominar e explorar economicamente a região, mantendo sua hegemonia. Depois do sucesso da revolução em Cuba, foi necessário que os Estados Unidos se voltassem para a região, cooperando com a instalação de ditaduras militares e do neoliberalismo. Nesse sentido, as riquezas naturais dos países sul-americanos estão sendo usurpadas em nome da união dos Estados americanos. Para colocar esse plano em prática, os Estados Unidos instalaram bases militares em pontos estratégicos da América do Sul, configurando a recolonização do continente.

  11. Adriana disse:

    O Processo de “Recolonização” da Amárica Latina deve-se inicialmente a aplicação de políticas neoliberais, além da apropriação do imperalismo sobre os recursos naturais que existiam na peiferia., as tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos.
    Segundo Ana Esther Ceceña, os EUA pretendem reestruturar suas geopolíticas com o objetivo de conseguir controlar todo o mundo, para isso os Estados Unidos instalaram inumeras bases militares em pontos estratégicos da América do Sul, fazendo assim a “recolonização”.

  12. Paula Rocha disse:

    Após a guerra fria os EUA com sua dominação imperialista, procuraram ampliar seu poder hegemônico por meio de uma recolonização dos países periféricos, lançando bases militares sobre eles afim de conseguirem pontos estratégicos em locais onde as riquezas materiais são mais abundantes. Essa estratégia norte-americana redesenha o quadro da geo-política mundial, reconfigurando também as relações de dependência, por meio de políticas neoliberais impostas às nações recolonizadas.

  13. Tânia Batista disse:

    A América Latina foi um dos principais alvos nas últimas décadas, de uma ofensiva imperialista desferida pelos governos dos Estados centrais e por suas grandes corporações transnacionais. O processo de recolonização da América Latina é marcada por políticas de desenvolvimento do capitalismo, estas por sua vez, visam imperar sob a América. Suas idéias norteadoras são o desenvolvimento através da exploração. Nesse sentido torna-se indispensável contextualizar e analisar a transição democrática na América Latina e atualizar a crítica sobre a impossibilidade de transferir as teorias do liberalismo clássico para a realidade da região.
    Assim, podemos detectar alguns aspectos do processo de recolonização: pela aplicação de políticas neoliberais metamorfoseando o papel dos Estados a partir de mudanças de alcance estrutural por uma ação mais incisiva do imperialismo, buscando se apropriar dos recursos naturais existentes nas periferias como parte de uma estratégia de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo estadunidense através das tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial.

  14. Bruna Tairine disse:

    O “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina se dá devido à implantação de politicas neoliberais, por meio de práticas dominadoras, pela instalação de bases militares a fim de explorar as riquezas locais. Desse modo, reconfiguram o pensamento e as práticas locais, explorando a classe trabalhadora através do caráter assistencial, conseguindo assim dominar a população e mascarar o seu real intuito, de lucratividade.

  15. Susa disse:

    De acordo com a professora mexicana Ana Esther Ceceña, o processo de recolonização da América Latina é marcado pela aplicação de políticas neoliberais, apropriação apropriar dos recursos naturais existentes nas periferias; de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo dos EUA; busca pela reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial; e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região, no contexto pós-Guerra Fria.

  16. Monise Matucci disse:

    De acordo com Ceceña e Miranda (2009), o processo de “recolonização” da América Latina pelos Estados Unidos se refere a exploração das riquezas locais, como por exemplo, a biodiversidade do Brasil. Assim, por meio de políticas neoliberais, os EUA garante sua hegemonia, instalando bases militares por entre os países latino-americanos. Para os autores, a dominação já está instaurada, uma vez que o governo dos EUA recebe apoio de alguns países latino-americanos. Por isso, os autores afimam que os países explorados devem combater essa dominação capitalista, devendo reunirem suas forças e colaborações.

  17. Bárbara disse:

    O processo de recolonização da América Latina constitui de alguns
    aspectos, dos quais: há aplicação de politicas neoliberais, ação do
    imperialismo, tentativas de restauração do poder de classe e de reversão das tendencias de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial,ou seja, há interferências da politica de desenvolvimento do capitalismo, com ideias de exploração do banco mundial, que desestabiliza diversos países e influencia nas politicas educacionais, nas riquezas naturais e diversos setores sociais.

  18. Silvana Teles disse:

    Os conjuntos de fatos que caracterizam o processo de Recolonização da América Latina englobam o estabelecimento de políticas neoliberais, mudanças institucionais, instalações de bases militares e a manutenção da hegemonia por parte dos Estados Unidos. Existe uma exploração dos recursos naturais e dos grandes territórios, além da exploração da classe trabalhadora que, para assegurar seu lucro e encobrir a realidade obtém uma assistência para com os trabalhadores.

  19. Ana Carla disse:

    Os aspectos mais relevantes desse processo de “Recolonização” da América Latina foram a aplicação de políticas neoliberais, imperialismo, tentativa de restauração do poder de classe, tentativa de reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos.

  20. Emerson Roberto disse:

    A chama “recolonização da América Latina” é envolvida pelas diversas políticas e ações do capitalismo que cada vez mais se apresenta visível na América . As novas tecnologias, processos de desenvolvimentos econômicos fazem com que as questões financeiras estejam cada vez mais tendo sua importância presente.Segundo Ana Esther, as políticas neoliberais, e a apropriação de recursos naturais existentes fazem com que a intenção do imperialismo americano seja cada vez mais presente.
    É notável o número de discussões que envolvem tais fatos, e tais debates são de fundamental importância para o processo de compreensão dos acontecimentos

  21. Patrícia Toledo disse:

    A hegemonia estadunidense sobre a América Latina teve inicio no início no século XIX, no processo de emancipação da maioria dos países e se intensificou ao longo do século XX.
    Durante a Guerra Fria, os países latino americanos representaram uma grande área de influência e se alinharam à estrutura política, econômica e social imposta pelos EUA.
    Atualmente, esse país é o responsável pela condução da globalização e exerce sua dominação sobre o mundo através da sua supremacia econômica e tecnológica. A América Latina, dependente financeiramente dos EUA, aceita as condições que lhes é imposta e adota políticas neoliberais que perpetuam a sua condição de submissão.

  22. Jéssica disse:

    O “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina pelos Estados Unidos, segundo Ana Esther são:aplicação de políticas neoliberais e a apropriação de recursos naturais. Isto já está acontecendo pelas instalações das bases militares por entre os países latino-americanos, como se pode ver no mapa, para que se garanta a hegemonia dos EUA.

  23. MªCristinaMarquesGuimarães disse:

    Segundo Ana Esther Ceceña os norte-americanos investem no processo de “Recolonização” da América Latina pelo padrão de dominação através do neoliberalismo, ilustrado pelo mapa acima quando representa a instalação de bases militares em pontos estratégicos da América Latina, principalmente próximos às áreas ricas em minérios e de recursos naturais exploráveis pelo capitalismo neoliberal. No entanto, esta intervenção militar norte-americana iniciou-se com a bandeira de conter o terrorismo entre os países da América do Sul e para garantir a democracia na “linha abaixo do Equador”. Permanecendo até a atualidade através das ideias desenvolvimentistas, para esta região do planeta, bancadas pelo Banco Mundial que ao interferir nas políticas educacionais de vários países e na exploração das riquezas naturais consegue manter a hegemonia norte-americana.

  24. Saulo disse:

    Este processo de recolonização da America Latina pregado por Ana Esther Ceceña se baseia em diversas ações tomadas pelo Estados Unidos que, sob o pretexto da prevenção do narcotráfico e do terrorismo, tem ocupado o solo Latino Americano. Através de instalações de bases estrategicamente posicionadas em países “aliados”, apoio a governo neoliberais possuidores de território abundante em recursos naturais; financiamento proporcionados por órgãos internacionais como o FMI, BID, Banco Mundial e outros para países Sul Americanos carentes sob condições politico educacionais e politica internacional econômica de inserção de suas empresas transnacionais para aumentar o próprio balanço econômico os Estados Unidos exercem o seu “softpower” sobre o continente Sul Americano.

  25. Nathalia Neves disse:

    De acordo com Ceceña e Miranda, a recolonização da América Latina é a exploração de riquezas locais pelos Estados Unidos. Isso é feito á partir de políticas neoliberais instalando bases militares nos países da América Latina. E a autora defende que esse países se aliem e juntem suas forças apara combater e hegemonia norte-americana.

  26. Priscila disse:

    A intervenção militar nos países da América do Sul teve início a partir da intencionalidade de minimizar o terrorismo que estava acontecendo naquele período e legitimar a democracia.Entretanto a verdadeira intenção dessa intervenção estava relacionada a dominação e a exploração dos países sul-americanos.Após a revolução cubana os EUA exploraram as riquezas naturais das regiões dominadas afim de efetivar as bases militares em pontos estratégicos para recolonização desse continente.

  27. Letícia Bortolozo disse:

    Os Estados Unidos possuem grande influência em basicamente todos os outros países do mundo. Na recolonização da América Latina sua influência se torna imperativo por sua conduta capitalista e extrativista.
    Segundo Ana Ester Ceceña, esse fator (imperialismo estadunidense) vem modificando as relações de posições militares, afim de manter sua hegemonia mundial, explorando os países latino-americanos com suas “ideias desenvolvimentistas”.

  28. Débora Gervasio disse:

    O processo de Recolonização se dá em maior parte pelos Estados Unidos, em que sua influencia em relação aos demais países é algo inquestionável. Assim, os Estados Unidos utiliza o poder para dominar, degradar e explorar os países mais pobres, de maneira estratégica e sistemática. A autora defende a tomada de consciência de todos os países que sofrem esse processo, para se reconhecerem como autônomos e lutarem na paralisação de intervenção dos Estados Unidos, claro que isso não é fácil, uma vez que, esses mesmo países são, de certa forma, dependente de tal país, seja na geração de emprego ou em ‘’políticas públicas’’, tudo maneira de conseguirem mais e mais dinheiro para continuarem no poder. Essa exploração além de causar impactos ambientais, influencias negativamente nas relações políticas, sociais, culturais, etc.

  29. Ana Carolina Aguiar disse:

    Segundo Ana Esther Cecenã, o processo de recolonização da América Latina é baseado em diversas ações dos Estados Unidos como: políticas neoliberais (predisposição da burguesia latino-americana de ser “administradora colonial”), militar ( estabelecer novos laços dos EUA com a América Latina) e econômica. Assim, essas ideias desenvolvimentistas que na realidade é de “exploração” são realizadas para os EUA manter sua hegemonia mundial.

  30. Monica floriano lucianelli lucheta disse:

    Nas aulas ministradas na disciplina de Trabalho e Educação vimos que muitos são os fatos que caracterizam uma recolonização da América Latina. Entre eles pode-se destacar a questão das bases militares em locais estratégicos, exploração da biodiversidade, principalmente na Amazônia, a exploração da mão de obra barata, pressão para a diminuição das políticas sociais e aumento das politicas neoliberais, com privatizações e tercerização de serviços, entre outras. Esses fatos muitas vezes aparecem mascarados por discursos humanitários e de proteção, fazendo a grande massa acreditar que está sendo beneficiada, quando na verdade estão vivendo uma nova era de colonização.

  31. josiane castamann disse:

    O processo recolonização da America Latina se dá num cenário onde os EUA é o colonizador e suas ações que são no âmbito politico neoliberal, militar e econômico, tendo o Banco Mundial como principal financiador para os paises latino americanos supostamente em desenvolvimento. Os EUA com seu pensamento de desenvolvimento e sua postura capitalista e extrativista mantem os paises latino americanos sob observação constantes atraves de suas bases militares espalhadas por toda america para ssim manter sua hegemonia mundial, forçando esses paises a privatizar e tercerizar quase todas suas empresas antes estatais, explorando as riquezas locais o que acaba infuenciando na maneira de como se conduz a educação.

  32. Janiclei de Fátima Arone Amaral disse:

    Olá usuários do blog de aula, penso que diversos fatores estão relacionados a recolonização da América Latina. Os principais aspectos que podem ser destacados são: a instalação de novas bases militares bem como o reforço das bases já existentes, o treinamento e militares e a influência do judiciário em países latino-americanos. Essa recolonização que a América Latina está passando pode ser entendida como um movimento de alcance estrutural que tenta recolocar as economias locais ao nível de subordinação do imperialismo do século XIX.

  33. Larissa Lopes disse:

    As características do processo de Recolonização da América Latina são: o estabelecimento de políticas neoliberais, mudanças institucionais, instalações de bases militares e manutenção da hegemonia por parte dos Estados Unidos. Existe uma exploração dos recursos naturais e dos grandes territórios, além da exploração da classe trabalhadora que, para assegurar seu lucro e encobrir a realidade obtém uma assistência para com os trabalhadores.

  34. Cintia B, Poletto disse:

    o “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina são: a aplicação de políticas neoliberais no papel dos Estados à partir de mudanças até o alcance estrutural; ações mais incisivas do imperialismo, buscando se apropriar dos recursos naturais existentes; estratégia de restauração do poder da classe e manutenção da hegemonia do governo; tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia em âmbito mundial e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região, no contexto pós-Guerra Fria. Os pontos de instalação foram principalmente próximos a áreas ricas em minérios e recursos naturais exploráveis pelo sistema capitalisma.

  35. Natália Ferreira disse:

    A meu ver, o processo de recolonização da América Latina se pauta principalmente nas experiências e pensamentos dos Estados Unidos, a fim de alicerçar uma política social que dê conta de estabilizar a estrutura econômica vigente. Neste sentido, Ana Esther Cecenã menciona alguns aspectos que marcam tal processo, dentre os quais: exploração de recursos naturais e mão de obra barata que ratificam a especulação alheia em prol de um desenvolvimento egocêntrico e o incentivo de políticas neoliberais que visam o lucro excedente de empresas particulares, aumentando a desigualdade social. Em suma, a recolonização é alienante na medida em que se dá sem a consciência dos “outros” sobre a mesma.

  36. Daiana Moreno disse:

    Segundo a autora Ana Esther Cecenã as características dos processos de recolonização da América são: as políticas neoliberais, a instalação de novas bases militares nos países da américa. A criação das bases militares definem a grande influencia e manipulação norte americana sobre os demais países da América latina, no sentido de sempre se manter na hegemonia.

  37. Raísa Hernandes disse:

    O processo de recolonização tem como base principalmente o poder dos Estados Unidos, que por ser um país líder e com grande força militar, quer garantir suas riquezas com a força e exploração de outros países que acabam sendo dependentes dos EUA para sobreviver.
    O que a autora defende é que os países que estão sofrendo esse tipo de submissão aos Estados Unidos, se juntem, pois se todos eles estivessem juntos conseguiriam lutar contra os interesses americanos.

  38. Gabriella Bonil disse:

    O processo de recolonização da América Latina é marcado pelos seguintes fatores: aplicação de políticas neoliberais, imperialismo, tentativa de restauração do poder de classe, tentativa de reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos.

  39. Heloisa H. Lemo disse:

    A América Latina está em um processo de recolonização e disciplinamento, encabeçado pelos Estados Unidos, que, sendo país de grande influência tem interesses em se manter no poder e para isso usa de artefatos como os apontados pela autora Ana Esther Cecenã: exploração da mão de obra barata, aumento das políticas neoliberais, bases militares em locais estratégicos, privatizações de serviços, diminuição das políticas públicas, exploração da biodiversidade, reversão da margem de lucro baixo, entre outros. Essas ações acontecem de maneira mascarada, suas intenções são invertidas e a população se mantem alienada e enganada.

  40. Caroline disse:

    O processo de “Recolonização” da América Latina se dá principalmente por ações vindas dos Estados Unidos, sendo estas: aplicação de políticas neoliberais, tentativa de reversão das tendências de quedas de taxas de lucro pela burguesia mundial, em que introduzem suas empresas mascaradas com o discurso assistencialista visando a utilização de mão o de obra barata e ainda com o apoio do Estado local para essa atitude abominável.

  41. Claudia disse:

    O “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina seria a aplicação das políticas neoliberais, para defender os interesses de grandes empresas e garantir o domínio econômico, geopolítico e o controle direto militar das regiões e territórios privilegiados pela natureza de recursos naturais, principalmente petróleo, água e biodiversidade. Vale lembrar, que esta recolonização financeira do imperialismo do EUA apoiada por um grande aparato militar, com estratégias e mecanismos de dominação e exploração levadas a últimas consequências, por meio de instalação de novas bases militares e o reforço de bases já existentes; treinamento de militares latino-americanos, somado ao fortalecimento da indústria bélica estadunidense; instalação de sistemas de vigilância e espionagem; influência sobre o poder judiciário em países latino-americanos com criação de novos mecanismos de dominação econômica, como a área de livre comércio das Américas. Com a finalidade de domesticar e combater todos que lutam para construir uma contra-hegemonia, gerando, entre outros, o aumento da violação dos direitos humanos, repressão a movimentos sociais e a destruição do meio-ambiente.

  42. Maria Antonia C. Marques disse:

    A recolonização da América Latina de acordo com Ana Esther Cecenã ocorre com intervenção dos Estados Unidos nos países em desenvolvimento. Ações como, políticas neoliberais, instalações de bases militares, exploração econômica dos recursos naturais, exploração da classe trabalhadora; são estratégias dos Estados Unidos de controle sobre outras nações, para assim, manter sua hegemonia mundial

  43. Samia disse:

    O processo de recolonização da América Latina, liderado principalmente pelos Estados Unidos, possui o intuito de manter o poder deste país e a sua liderança em diferentes aspectos, tais como, econômico, social e político. Para que isso aconteça algumas atitudes são tomadas pelos EUA, como por exemplo, a exploração de mão de obra barata, aumento e aplicação de políticas neoliberais, instalação de bases militares e também exploração dos recursos encontrados no meio ambiente.

  44. Michele Saçaki disse:

    O conjunto de fatos que permite concluir que está em curso um projeto de recolonização da América Latina, disciplinamento completo e controle (econômico, social e político) do continente pelos EUA são a disposição de suas bases militares, que estão aos poucos impregnando todo o continente, principalmente em áreas que possuem grande valor econômico, como áreas de petróleo, por exemplo, sistemas de vigilância e espionagem implantados, como se pode ver até recentemente, no caso da espionagem de nossa presidente da república, aplicação de políticas neoliberais, exploração da mão-de-obra barata e de recursos naturais encontrados.

  45. Marina Peixoto disse:

    Segundo a autora, a recolonização da América Latina está acontecendo por parte dos Estados Unidos da América, na tentativa de se afirmar como potencia mundial e manter sua hegemonia. Para isso, estão se utilizando dos países subdesenvolvidos, com meios como a implantação de bases militares, exploração dos trabalhadores e dos ambientes naturais encontrados nesses, além de políticas neoliberais que facilitem esses processos, com discursos repletos de falsa moral e cooperatividade, dizendo-se visarem avanços a economia e necessariamente, à vida da população desses países explorados

  46. Luana Cristina Dias disse:

    Existe um conjunto de fatos que caracterizam a recolonização da América Latina, tais como as políticas neoliberais, a instalação de novas bases militares nos países da América, a busca pela dominação financeira dos países da America latina com a disposição de bases nos poços de petróleo, buscando a dominação e a exploração dos recursos.

  47. Nathália Ribeiro disse:

    Segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceñasão, o “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina são: aplicação de políticas neoliberais, imperialismo se apropriando de recursos naturais na periferia, tentativa de restauração do poder de classe, assim como, mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos e tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia em âmbito mundial.

  48. Ariadne C. Matos disse:

    De acordo com Ana Esther Cecenã a recolonização da América Latina é marcada pelas novas políticas de desenvolvimento do capitalismo, com a intervenção dos Estados Unidos. Com isso são aplicadas políticas neoliberais, exploração da classe trabalhadora, ideias desenvolvimentista de “exploração” do banco mundial, que interferem nas políticas escolares e na nossas riquezas naturais, para assim manter a hegemonia mundial dos Estados Unidos.

  49. Débora Boulos disse:

    O “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina, segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña, assenta-se, basicamente, sobre a ofensiva imperialista dos Estados Unidos e da Europa sobre a América Latina.
    No final da década de 70 se instala um cenário de crise econômica mundial que leva os países centrais (mais ricos), na busca pela sua recuperação, a pensar em ações mais intensas sobre os chamados estados periféricos (países mais pobres).
    Tais ações se delineiam por meio da apropriação dos recursos naturais existentes na América Latina e aí se instaura o processo de recolonização: ação de restauração do poder e manutenção da hegemonia do imperialismo americano, por meio da instalação de bases em pontos estratégicos para os Estados Unidos, onde os efetivos militares se posicionam, resguardando, assim, seus interesses e negócios na região.
    Com essas ações intensivas, os governos na América Latina foram sendo transformados em instrumentos dos interesses imperialistas, ficando à mercê das políticas econômicas determinadas pelas nações mais poderosas do capitalismo mundial, uma vez que grande parte da economia dos países latinos, como o Brasil, por exemplo, depende de investimentos de capital estrangeiro.

  50. Aline Naliati disse:

    Alguns dos processos de recolonização da América Latina são os seguintes: : aplicação de políticas neoliberais, imperialismo se apropriando de recursos naturais na periferia, tentativa de restauração do poder de classe, tentativa de reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos.
    De acordo com Ana Esther Ceceña, os Estados Unidos quer controlar o mundo em sua totalidade e para isso, ele vem redesenhando suas geopolíticas e suas redes de posições militares. A verdadeira intenção dos EUA foi sempre a de dominar e explorar economicamente a América do Sul para manter a sua hegemonia.

  51. Crislei Mayara disse:

    A esse conjunto de fatos que caracterizam o processo de Recolonização da América Latina, Ceceña refere-se as diversas atitudes tomadas pelos EUA, sob o pretexto da prevenção do narcotráfico e do terrorismo, através da instalações de bases estrategicamente posicionadas em países “aliados”, ou não como é o caso de Cuba, financiado por órgãos internacionais como o FMI, BID, Banco Mundial e países Sul Americanos carentes sob, condições político educacionais e política internacional.

  52. Juliane Marigo disse:

    Segundo Cenenã, o processo de recolonização da América Latina tem como base os pensamentos, influência e poder que exerce os Estados Unidos, que almejam se reafirmar como potencia mundial e garantir suas riquezas através da exploração de outros países. Como estratégias, os Estados Unidos criaram a implantação de bases militares, a exploração dos ambientes naturais, a exploração dos trabalhadores, e a aplicação de políticas neolibeiras, manipulando a população destes países, buscando sempre visar o lucro e manter sua hegemonia.

  53. Lilian disse:

    A Recolonização da América Latina pelos EUA ocorre através de políticas neoliberais buscando se apropriar dos recursos naturais existentes na periferia como forma de restauração do poder de classe e a manutenção da hegemonia do imperialismo dos EUA. Os Estados Unidos da América instalaram bases militares em pontos estratégicos, fazendo assim a Recolonização.

  54. Danielli Fernanda da Silva disse:

    O processo de recolonização da América Latina, onde o principal colonizador é o EUA, ocorre por meio de ações neoliberais e imperialistas, onde este vem a se apropriar dos países latinos, sugando até o todo tipo de riqueza dessas nações. Inicialmente introduzem empresas mascaradas com um discurso assistencialista que visa a utilização da mão de obra barata, e geralmente, ainda conta com o apoio do Estado local, para essa atitude desprezível com o povo.

  55. Cassiana Lima Santos Rosa disse:

    Segundo Cenenã, a Recolonização da América Latina pelos EUA ocorre por conta das políticas neoliberais que objetivam apropriar-se de recursos naturais originários da periferia. O colonizador principal é os EUA, que buscam, atra´ves dessa recolonização a restauração do poder de classe e a manutenção da hegemonia do imperialismo.

  56. Sônia Haruko Ito disse:

    O processo de “Recolonização” da América Latina segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña tem como características vários fatores, dos quais podemos mencionar:
    - que os pontos estratégicos onde estão instaladas as bases militares americanas que facilmente atingirão, se necessário, inclusive os países aonde não foi possível instalar tais bases militares, sob o pretexto de auxílio à democracia;
    - que através de mapas, podemos ver as riquezas minerais que existem nos territórios latino-americanos, com a extração do Nióbio (matéria prima importante para as novas tecnologias) que são do interesse dos americanos;
    - e que as políticas neoliberais que invadem os países latinos através de seus governos demonstram o quanto impera a “recolonização” nestes países, em detrimento do povo latino que está submetido à condições precárias de vida, tanto que existem reações civis rechaçadas com violência e auxílio de forças militares americanas.

  57. Dayse disse:

    A recolonização da América Latina é marcada por novas políticas de desenvolvimento fundamentadas no capitalismo, que visa imperar sob a América , com as ideias desenvolvimentista de (“exploração”) do banco mundial interferindo nas políticas escolares e na nossas riquezas naturais afim de se manter a hegemonia Estadunidense. Podemos identificar isso principalmente nas políticas educacionais visto que, sempre é copiado o que se faz lá para implementar aqui.

  58. Muriele Zaneboni disse:

    O processo de “Recolonização”, no intuito de manter os Estados Unidos com seu controle hegemônico ocorre por meio de políticas neoliberais e instalação de novas bases militares nos países da América. Segundo a autora Ana Esther Cecenã, “o fracasso global do mercado como disciplinador é acompanhada pela crescente presença das forças políticas e militares”, principalmente nas áreas de maior concentração de riquezas do país, visando uma desconstrução de possíveis processos democráticos

  59. Marina T. disse:

    A recolonização da America Latina é marcada por políticas fundamentadas no capitalismo. Os EUA tinham a ideia de instalar novas bases militares nesses países e usar dos recursos naturais originais desses países e assim aconteceu a Recolonização, para que se mantivesse a o poder sob a classe latina.

  60. Jorgeana Basseti disse:

    Esse processo de recolonização e disciplinamento, nada mais é para que os Estados Unidos se garanta no poder defendendo os interesses de grandes empresas, usando a exploração de mão de obra barata, aumento das políticas neoliberais, bases militares em locais estratégicos, privatizações de serviços, diminuição das políticas públicas, exploração da biodiversidade, reversão da margem de lucro baixo, entre outros. Sem esquecer do grande aparato militar que domina, explora e vigia com a finalidade de domesticar e combater os que lutam para combater essa violência contra os direitos humanos.

  61. Thaila de Oliveira Souza disse:

    como a autora frisa e a aula expositiva apresentou essa recolonização esta pautada na hegemonia americana antidemocrática que recoloniza baseando-se no controle dos recursos naturais e a espionagem e uso de poder militar para intimidar e conter seus desafetos, como é possível ver no trecho “Prudentemente se detuvo esta escalada militar para bajar las tensiones y dar paso al cambio de gobierno en los Estados Unidos, pero la necesidad de detener el crecimiento del ALBA y la búsqueda de caminos seguros para intervenir en la región, sobre todo frente a Venezuela, Ecuador y Bolivia, llevó nuevamente a los Estados Unidos a involucrarse en proyectos desestabilizadores o directamente militaristas.”

  62. Fabiano da Silva Costa disse:

    Este novo processo de recolonização tem como principal motivo a posse das riquezas dos paises latino americanos, que são tidas como estrategicas pelo governo norte americano, tambem há a intenção de aumentar dependencia comercial desses paises, obrigando-os a comprarem as mercadorias dos estadunidenses, as consequencias disso seriam o solapamento das industrias nacionais, em detrimento da dependencia de importações e transferencia de riquezas, além do dominio das multinacionais americanas. Ceceña e MIranda afirmam que “Con la anuencia y hasta entusiasmo de las oligarquías locales, con la coparticipación de los grupos de ultraderecha instalados en algunos gobiernos de la región”, estas oligarquias são responsáveis por dar apoio nacional as estratégias norte americanas, uma vez que têm interesses economicos e politicos particulares.

  63. Rafaela disse:

    Um dos fatos responsáveis por essa recolonização da América Latina é a política Neoliberal, instaurada nesses países. Com essa política existe a exploração dos recursos naturais e humanos, a manutenção da hegemonia estadunidense. A influência que os Estados Unidos tem perante a América Latina, faz com que explorem esses países em diferentes aspectos, como na economia, na educação, etc.

  64. Elisa Pavani de Oliveira disse:

    A recolonização da América Latina, apresentada pela autora, diz respeito à exploração por parte do regime norte-americano por meio de uma política neoliberal com a instauração de bases militares nos países da América Latina, disfarçando a ideia desenvolvimentista por meio da exploração e da mão de obra barata. Isso deixa bem claro a forte influência que os Estados Unidos exerce sobre esses países.

  65. Bete disse:

    O “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina, segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña (2009), trata da garantia da hegemonização dos Estados Unidos, por meio de uma política neoliberal. Isso ocorreria com a instalação de bases militares nos países da América Latina, como meio de combate às guerrilhas e ao narcotráfico. Além dessa pseudo ajuda, o governo americano também interferiria nas políticas econômicas e educacionais dos países que compõem a América Latina, com a interferência do FMI, BID e Banco Mundial, propondo financiamentos desde que fossem seguidas as condições dos América do Norte. Desse modo, os Estados Unidos acabariam por “recolonizar” os países da América Latina, visto que estaria dentro de seus comandos militar, econômico e educacional.

  66. Annelize dos Santos Martins disse:

    O processo de recolonização da América Latina é enorme e variado e pode-se constatar perspectivas como: ação de políticas neoliberais, com transformações de alcance estrutural, atividades mais voltadas ao imperialismo que busca apoderar-se dos recursos naturais que existem nos subúrbios, para reconstruir o poder de classe e conservar a hegemonia do imperialismo estadunidense. Uma tentativa do reversão da disposição de queda em taxas de lucro da burguesia e uma alternativa na estratégia geopolítica do E.U.A. para a região no cenário pós Guerra Fria.

  67. Mayara Rocha disse:

    O processo de Recolonização se dá pelo principal motivo, o domínio dos Estados Unidos sobre os países da América Latina, visando manter seu controle hegemônico e o modelo neoliberal, e manter também o controle sobre os recursos naturais destes países. Os objetivos dos EUA é de “disciplinamento” do continente completo, colocando tropas americanas nos países da América Latina, a fim de “domesticar” e “combater” os povos das nações latino americanas.

  68. Deise Scardelato disse:

    Aplicações de políticas neoliberais a partir de mudanças de alcance estrutural, ações mais incisivas do imperialismo buscando apropriar os recursos naturais existentes nas periferias, estratégia de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo estadunidense, tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região, no contexto pós-Guerra Fria. Este é o cenário provocado pela “recolonização” da América Latina, com o objetivo de impor uma cultura, um poder norte-americano que mascara um ‘apoio’ degradando e explorando as riquezas dos países latinos.

  69. Poliana Billar Elios disse:

    O “conjunto de fatores” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina compreendem o estabelecimento de políticas neoliberais, o controle dos recursos naturais e a instalação de bases militares em pontos estratégicos dos países latino-americanos, possibilitando a hegemonia americana na região.

  70. Emanuelle Zanchetta Borges disse:

    O processo de recolonização da América Latina é marcado por diversos fatores, sendo eles: a aplicação de políticas neoliberais, imperialismo, tentativa de reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos EUA.

  71. Camila Mendes disse:

    O conjunto de fatos que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina por parte dos Estados Unidos são predominantemente as ações neoliberais e o forte aspecto imperialista (comprovado pela presença de instalações militares em áreas de interesse Estadunidense). Essa presença reforça a disposição americana em apropriar dos recursos naturais dos países periféricos da América Latina e na tentativa de reversão na queda de lucros das burguesia. Outra característica desse processo é a necessidade estadunidense de impor sua cultura visando apossar das riquezas dos países latinos.

  72. Carla C.G.Nogueira disse:

    A “recolonização” da América Latina que acontece baseada no sistema norte americano de exploração, controle e posse das riquezas dos países da América Latina, como ação incisiva do imperialismo; estratégia de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo dos Estados Unidos; A imposição da cultura e do poder estadunidense como modo de obtenção de posses; o disfarçado apoio para o desenvolvimento que visa principalmente a ampliação da dependência comercial por meio das multinacionais norte-americanas e a imposição de bases militares que espiam, controlam e atacam os que se rebelarem contra as ações norte americanas são as estratégias que caracterizam esse processo de “recolonização” da América Latina pelos norte americanos.

  73. Mariana Lemes disse:

    A recolonização da América Latina, onde o poder vem dos Estados Unidos, que por ser um país líder e com grande força militar, quer garantir suas riquezas com a força e exploração de outros países que acabam sendo dependentes dele para sobreviver. Segundo a autora Cecenã ela aponta alguns artefatos que são utilizados por eles porem destaca que todas essas ações acontecem de maneira com que a população tenha suas intenções invertidas e se mantenham alienadas e enganadas. (exploração da mão de obra barata, aumento das políticas neoliberais, bases militares em locais estratégicos, privatizações de serviços, diminuição das políticas públicas, exploração da biodiversidade, reversão da margem de lucro baixo, entre outros).

  74. Ana Beatriz Galbin Gomes disse:

    A recolonização é resultado do interesse estadunidense em ter domínio sobre as riquezas dos países latino americanos para, desse modo, manter a hegemonia estadunidense e dependência desse países. Algumas estratégias utilizadas para manter a recolonização são: subterrânea, superficial (terrestre e marinha) e espacial, além da superioridade tecnológica, reordenamento territorial e universalização de normativas reprodutoras das relações de poder.

  75. Fernanda Janaina Leso disse:

    O processo de recolonizaçao da América Latina constitui-se em Aplicação de políticas neoliberais no país, apropriação de recursos naturais, perpetuação e continuação da hegemonia e ideologias vigentes norte americanas, a imposição da cultura, principalmente a voltada para a economia, entre outras.
    Este conjunto de fatores, favorecem e consolidam a forte influencia e poder estado unidense no Brasil.

  76. Patricia Zarpelon disse:

    Alguns fatores podem ser apontados como marcantes no processo de “Recolonização” da América Latina, como por exemplo, tornar a burguesia americana a administradora colonial. Há também o processo de Recolonização militar que estabelece novos laços militares diretos entre os Estados Unidos e os países da América Latina, consolidando assim, o controle econômico e militar da América Latina. Os Estados Unidos instaura, portanto, um poder sobre a América Latina, dominando a América Latina no que tange a economia e ao militarismo. O país afim de garantir a sua hegemonia, cria uma estratégias para que seus produtos circulem livremente, sustentando assim, o seu poder sobre os países latino-americanos.

  77. Patrícia Santos disse:

    A autora nos mostra que o imperialismo norte-americano segue avançando por meio de ações variadas, em diversas frentes: as políticas neoliberais que visam a diminuição de ações sociais por parte dos governos dos países em crescimento; o incentivo às privatizações, que garantem o poderio econômico de grandes empresas estadunidenses; os financiamentos concedidos pelo FMI e Banco Mundial, desde que haja uma “adequação” dos sistemas de ensino dos países “beneficiados”; a instalação de bases militares em locais estratégicos, com grande riqueza natural (água, petróleo, minérios, biodiversidade), visando o controle futuro desses recursos. O que é mais contraditório nesses ações, é que a população desses países passa a acreditar no “caráter humanitário” dessas ações, que julgam ser voltadas para o combate do terrorismo e do narcotráfico, desconsiderando o caráter dominador e alienador dos EUA.

  78. Gleicer Correia disse:

    Segundo a professora Ana Esther Ceceña, o conjunto de fatos que evidenciam o processo de “Recolonização”da América Latina são as aplicação de políticas neoliberais- garantindo a hegemonia- o imperalismo que busca apropriar-se dos recursos naturais dos países, a tentativa de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia, instalação estratégica de bases militares, imposição da cultura, entre outros fatores.

  79. Edinaldo Nascimento disse:

    Como políticas neoliberais que confrontam o desenvolvimento de ações sociais, o processo de “Recolonização” da América Latina instaura-se, segundo Ana Esther Ceceña, concomitantemente, às privatizações e instalações de bases militares nas regiões latino americanas, a manutenção e, consequente, hegemonia estadunidense sobre os países emergentes. Estrategicamente sistematizadas, as ações americanas põem em “xeque” o futuro autônomo das pequenas potências em riquezas naturais em detrimento da dependência econômica já instaurada pelo Banco Mundial e FMI.

  80. Raiza Oliveira disse:

    A recolonização da América Latina se dá por meio da política Neoliberal, instaurada nesses países. Esta política é baseada na exploração dos recursos naturais e humanos e a manutenção da hegemonia dos Estados Unidos. A influência que os Estados Unidos tem perante a América Latina, permite que explorem esses países nos seus mais diversos âmbitos e potencialidades (mão de obra, economia, recursos naturais, educação, etc.).

  81. João Theodoro de Alvarenga Junior disse:

    Os Estados Unidos continua utilizando o termo “em defesa da segurança nacional” para instalar plataformas militares de vigilância na América Latina. Segundo Ceceña e Yedra (2009) há uma estratégia de disciplinar os países no sentido de mostrar a hegemonia estadounidense, no qual depreendemos esse conceito de “Recolonização”.
    Acordos são feitos entre os países defendendo os interesses americanos como a ALCA (livre comércio) em que países contrários como o Equador são excluídos, como a Cuba também.
    Honduras é exemplo de dominação dos Estados Unidos no qual grande percentual das terras pertencem a um grande grupo econômico americano, além de instaladas diversas bases americanas. Colômbia também segue o mesmo caminho. Todas bases se encontram, principalmente, nas fronteiras dos países.
    De acordo com a autora, o interesse das bases é a disciplina e o controle, dificultando as alianças progressistas e os processos de independência continental, forçando os países a criar dependência econômica aos Estados Unidos.

  82. Mariana Santini Arroyo disse:

    O processo de recolonização da América Latina é consequência de um conjunto de fatores, como o estabelecimento de políticas neoliberais; imperialismo; controle de recursos naturais; tentativa de reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial; mudanças na estratégia geopolítica nos EUA e instalação de bases militares em pontos estratégicos dos países latinos americanos, possibilitando a hegemonia americana na região.

  83. Veridiana Santana de Oliveira disse:

    Segunda a professora a América Latina está na corrente das políticas Neoliberal e a apropriação dos recursos naturais desestabiliza outros países e gera mudanças no sistema educacional dos países na formação da mão de obra para esta finalidade produzindo uma maior área de dominação dos países ricos e recebendo o nome de “recolonização” da América latina.

  84. Geisinara Fernanda B. Dias disse:

    De acordo com os estudos de Ceceña e Miranda (2009), pode-se compreender que há um conjunto de fatos que “[...] permite concluir que está em curso um projeto de recolonização e disciplinamento completo do continente”. Sobre isso, verifica-se que os aspectos que caracterizam este “conjunto de fatos” e reconfiguram uma nova colonização da América Latina tratam-se de estratégias dominadoras utilizadas pelo governo neoliberal dos EUA, que pretende ampliar cada vez mais o seu poder sobre o continente. Para tanto, como estratégias observa-se a implantação de políticas neoliberais; a instalação de bases militares em locais estratégicos que facilitem a exploração de recursos naturais da biodiversidade; o controle social, econômico e político, de modo geral; a exploração de mão de obra barata; privatizações e terceirizações de serviços; reversão das tendências de queda nas taxas de lucro em âmbito mundial; entre outros que constituem tal “conjunto de fatos” que, em sua maioria, são impostos por meio de falsos discursos humanitários que insinuam preocupação com o continente no sentido de proteger a todos, por meio de políticas assistencialistas que enganam a população, e por meio de políticas que fazem aumentar a dependência comercial dos países latinos americanos com os EUA.

  85. Aruana Menegasso disse:

    Esse processo de recolonização se da principalmente pelo domínio dos Estados Unidos sobre os países da América Latina. Suas ações mantinham a hegemonia do imperialismo incisivo por meio do controle dos recursos naturais desses países, estratégias de restauração do poder de classe, tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial, tal recolonização visava impor da à cultura norte americana por meio dessas ações sobre esses países da América Latina

  86. Sandra P. Silveira disse:

    Alguns aspectos são marcados pelas novas políticas de desenvolvimento do capitalismo que visa imperar sob a América. Os Estados Unidos com seu poderio militar vem aplicando seu imperialismo e se apropriando dos recursos naturais, fazendo os latinos americanos engolir a aplicação de políticas neoliberais. Ele foi se infiltrando aos poucos com promessas assistencialista, mas na verdade a única que implantou foi a exploração da mão de obra barata.

  87. Elisa Rincon Vieira disse:

    A recolonização da América latina pelos Estados Unidos caracteriza-se na aplicação de políticas neoliberais e na apropriação dos recursos naturais, fazendo estabelecer o imperialismo, reconfigurando as relações de classes.

  88. Silmara de Oliveira Comino Formagge disse:

    Esse processo de recolonização da América Latina constitui-se amplo e diversificado, podendo-se detectar alguns aspectos como: aplicação de políticas neoliberais no papel dos Estados a partir de mudanças de alcance estrutural; ação mais incisiva do imperialismo, buscando se apropriar dos recursos naturais existentes nas periferias; As ações do imperialismo dos Estados Unidos são adequadas a partir da reorientação do seu código geopolítico global pautado na prevenção e resultante da inauguração de uma ordem mundial com o fim da Guerra Fria. Segundo Ana Esther Ceceña, os Estados Unidos vêm redesenhando suas geopolíticas e suas redes de posições militares visando “controlar o mundo em sua totalidade e, nesta disputa, o território segue sendo o elemento essencial.

  89. Beatriz Stefanie da Silva disse:

    De acordo com a professora Cenenã, podemos perceber que o processo de recolonização da América Latina tem como base os pensamentos, influência e poder que exerce os Estados Unidos. Existe um conjunto de fatos que caracterizam a recolonização da América Latina, tais como as políticas neoliberais, a instalação de novas bases militares nos países da América, a busca pela dominação financeira dos países da America latina, buscando a dominação e a exploração dos recursos, a exploração dos ambientes naturais, a exploração dos trabalhadores, sempre visando o lucro e manter sua hegemonia.
    No texto a autora defende que os países tomem consciência de todo esse sofrimento, para que se unam e lutem para acabar com essa hegemonia.

  90. Hayanne Zahra disse:

    De acordo com a professora mexicana Ana E. Cecaña o processo de “Recolonização” da América Latina é resultado do interesse dos estadunidenses em influenciar e se apropriar de países latino-americanos e possui diversos fatores e ações que podem caracterizá-lo, e que demonstra que os EUA tem ocupado o solo Latino Americano. Portanto, podemos destacar:
    - a instalação e reforço de bases militares posicionadas em países “aliados”;
    - treinamento de militares e influência em países latino-americanos;
    - políticas/ governo neoliberais que invadem países latinos, submetidos à condições precárias de vida;
    - apropriação e controle de recursos naturais desses países.
    Por ser um país líder e com grande força militar, os EUA quer garantir suas riquezas com a força e exploração de outros países que acabam sendo dependentes deles (Estados Unidos) para sobreviver.

  91. Daniela Alves disse:

    O conjunto de fatos que caracterizam o processo de “recolonização” da América Latina pode ser visto na formação de políticas neoliberais no papel dos Estados a partir de mudanças estruturais, ou seja, que visa o desenvolvimento do capitalismo na imposição sob a América. O Banco Mundial desenvolve a exploração das politicas escolares procurando manter a hegemonia do Estado, assim as ações acabam caracterizando a Recolonização da América Latina por meio de práticas dos dominantes que estão a fim de explorar as riquezas dos locais.
    Com isso, o capitalismo explora a classe trabalhadora alienada através do assistencialismo que camufla o seu real objetivo que é o seu lucro e poder.
    Os países Latino Americanos são carentes de condições educacionais e política internacional e econômica, pois o que é buscado pelos países dominantes é o balanço econômico que só favorecem os “poderosos” como os EUA que além de ser líder também tem uma força militar.
    Por fim, os países latino- americanos, segundo o texto lido, deveria se unir para reverter a situação precária existente e procurar por melhorias reais para os países e não para ofender-se no poder econômico, político e militar que existe no imperialismo.

  92. Thais Leite disse:

    Segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña as investidas norte-americana que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina referem-se ao padrão de dominação através do neoliberalismo, a militarização norte-americana como se percebe claramente com a ilustração do mapa acima, onde os pontos em negritos representam a instalação de bases militares na América do Sul em pontos estratégicos, como, por exemplo, em áreas predominantemente ricas em recursos naturais. Isto constitui alguns destes “conjuntos de fatos” que evidenciam o processo de recolonização.

  93. Mec Conti disse:

    De acordo com Ceceña podemos entender que o processo de recolonização da América Latina se constitui gradualmente, no decorrer da História, através da extensão do poder ideológico, econômico militar e cultural dos Estados Unidos sobre os países Latinos, sob a máscara de intervenções na vida política e econômica disfarçadas de ajuda de Organismos Internacionais aos diferentes setores da economia. Esses em troca de recursos financeiros determinam os rumos das políticas de modo geral implantadas nos países latinos; devemos ressaltar que todos enfrentam problemas devido corrupção nos altos escalões, violência, lutas sociais, ou seja, estão fragilizados. Sendo assim, se tornam presas fáceis para invasão de suas fronteiras: instalação de bases militares estratégicas, imposição de programas e metas que norteiam o Sistema Educacional e Social de modo velado, o qual transforma o “vilão” em herói (E.U.A.).Imbuído da essência do capitalismo o “todo-poderoso” utiliza de diversas estratégias para “retirar” da América Latina todas as suas riquezas e biodiversidades naturais(inclusive a água) e até mesmo capital humano especializado. Sem escrúpulos o poder avança através de mecanismos tecnológicos avançados (espionagens e outras tecnologias) e implantação de grandes corporações econômicas que exploram todas as áreas imagináveis.E assim se tornam cada vez mais ricos e fortes e perpetuam a exploração do planeta. Enquanto isso na América Latina….a gente espera o Carnaval.

  94. Bruna Belluci disse:

    O processo de recolonização amplo e diversificado que a América Latina passa, liderado pelos Estados Unidos( país de grande influência, com interesses de se manter no poder) , podemos ver claramente nos apontamentos de Ana Esther Cecenã: exploração da mão de obra barata, aumento das políticas neoliberais, bases militares em locais estratégicos, privatizações de serviços, diminuição das políticas públicas, exploração da biodiversidade, reversão da margem de lucro baixo, entre outros.Todos esses artefatos não acontecem claramente e sim de maneira escondida, mascarada mantendo a população então de forma alienada e enganada.

  95. Caroline Teixeira Alves de Novaes disse:

    De acordo com Ceceña podemos perceber que o processo de recolonização da América Latina tem como base os pensamentos e a influência que os Estados Unidos exercem (hegemonia). Podemos caracterizar diversos fatos que caracterizam essa recolonização, são eles:
    -> Políticas neoliberais
    -> Instalação de novas bases militares
    -> Busca incessante pela dominação financeira dos países pertencentes a América Latina
    -> Exploração dos recursos, ambientes naturais, exploração dos trabalhadores de forma a visar lucro e manter a hegemonia estadunidense
    A autora trás outras medidas adotadas pelos Estados Unidos, as quais dão uma certa noção de que há uma luta contra o narcotráfico, ou até mesmo que há um investimento nos países da America Latina por meio de algumas políticas sociais. Essas ações geram na população um contentamento, ou melhor, dizendo, uma alienação perante os Estados Unidos, mantendo sempre sua posição Hegemônica.

  96. Beatriz Rincão disse:

    A América Latina fora marcada pela colonização e pela recolonização surgindo assim, novas políticas, em sua maioria,neoliberais, que visa o desenvolvimento do capitalismo que tem por objetivo se impor perante aos países latinos americanos. O que retoma as ideias de exploração, interferindo se assim nas riquezas naturais dos países e na educação, o que acaba deixando evidente a hegemonia dos Estados Unidos sobre esses países.

  97. Viviane Borges disse:

    Assim como apresenta a autora, a recolonização da América Latina diz respeito à exploração por parte do regime norte-americano por meio de uma política neoliberal com a instauração de bases militares nos países da América Latina, mascarando a ideia desenvolvimentista por meio da exploração e da mão de obra barata. Mostrando assim claramente a influência que os E.U.A exerce sobre esses países.

  98. Angelica Camacho disse:

    Podemos citar como conjunto de fatos que caracterizam o processo de Recolonização da América Latina como aplicação de politicas neoliberais, mudança na estratégias geopolítica dos Estados Unidos, imperialismo que busca se apropriar dos recursos naturais existentes nas periferias, reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial, restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo estadunidense. Entendemos dessa forma, a Recolonização da América Latina como marcada pelas políticas de desenvolvimento do capitalismo, onde prevalece a exploração.

  99. Maiara Carnelossi disse:

    A América Latina está em um processo de recolonização e disciplinamento, encabeçado pelos Estados Unidos, no qual este está na tentativa de se afirmar como potência mundial e manter sua hegemonia.
    Para isso, segundo a autora Ana Esther Cecenã, usa de artefato como: a exploração da mão de obra barata, aumento das políticas neoliberais, bases militares em locais estratégicos, privatizações de serviços, diminuição das políticas públicas, exploração da biodiversidade, reversão da margem de lucro baixo, etc. Essas ações acontecem de maneira mascarada, suas intenções são invertidas e a população se mantem alienada.

  100. Rebeca Gomes disse:

    Na década de 70 se instalou um cenário de crise econômica mundial que levou os países mais ricos, na busca pela sua recuperação, a pensar em ações mais intensas sobre os países mais pobres.
    Essas ações se delineiam por meio da apropriação dos recursos naturais existentes na América Latina e aí se instaura o processo de recolonização: ação de restauração do poder e manutenção da hegemonia do imperialismo americano, por meio da instalação de bases em pontos estratégicos para os Estados Unidos.
    Segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceñasão, o “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina são: aplicação de políticas neoliberais, imperialismo se apropriando de recursos naturais na periferia, tentativa de restauração do poder de classe, assim como, mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos e tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia em âmbito mundial.

  101. Fernanda Rissardi Gonçalves disse:

    Os Estados Unidos, país mantenedor de grande influência nos países da América Latina, fazem uso de artefatos para manterem-se no poder e explorar os países latino americanos. Conforme salienta Ana Esther Cecenã, através da mão de obra barata; de políticas neoliberais; do posicionamento de bases militares em locais planejados; da diminuição de políticas públicas; da privatização de serviços, entre tantos outros, faz-se possível mascarar seus intentos, alienando a população e confirmando sua hegemonia mundial.

  102. Andressa Parra disse:

    No que diz respeito o processo de “Recolonização” da América Latina segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña, destacamos o “conjunto de fatos” que permeiam este processo interesse focado pelos Estados Unidos, tendo como princípio políticas neoliberais com o intuito de se apropriar dos países localizados na América Latina aproveitando da fragilidade, além de estar à busca de riquezas naturais mantendo a hegemonia. A apropriação está relacionada ao crescimento do capitalismo subordinados a América, ressaltando a presença das bases militares em regiões onde há maior riqueza.

  103. Nayara Koseki disse:

    Segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña, o “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina se dá devido à implantação de politicas neoliberais, imposta pelos Estados Unidos, por meio de práticas dominadora e pela instalação de bases militares, a fim de explorar as riquezas locais, estabelecendo, o imperialismo, que reconfigurou as relações de classes. Contudo, os Estados Unidos instaurou assim, um poder sobre a América Latina, dominando- a no que tange a economia e ao militarismo.

  104. Letícia Veste Correia disse:

    São muitos os fatos que caracterizam uma “Recolonização” da América Latina. Tratam-se de estratégias dominadoras utilizadas pelo governo neoliberal dos EUA, assim, podemos citar, a questão das bases militares em locais estratégicos, exploração da biodiversidade, a exploração da mão de obra barata, a pressão para a diminuição das políticas sociais e aumento das políticas neoliberais, com privatizações e terceirização de serviços, entre outras, possibilitando a hegemonia americana na região.

  105. Luany Pyetra disse:

    O processo de recolonização da América Latina, tendo os EUA como principal interessado, constitui de alguns conjunto de fatos, como estratégias, e assim observa-se a implantação de políticas neoliberais; a instalação de bases militares em locais estratégicos, ação do imperialismo, tentativas de restauração do poder de classe e de reversão das tendencias de queda nas taxas de lucro pela burguesia, ou seja, há interesses da politica do capitalismo.

  106. Ana Regio disse:

    O processo de recolonização da América Latina marca-se pela aplicação de políticas neoliberais, apropriação dos recursos naturais existentes nas áreas periféricas, como a biodiversidade do Brasil, bem como da restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo dos EUA, busca pela reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica dos EUA para a região, no contexto pós Guerra Fria. Sendo assim, para os autores, a dominação ja está instaurada, uma vez que o governo dos EUA recebe apoio de alguns países latino-americanos, onde os países explorados devem combater essa dominação capitalista, devendo reunir forças e colaborações conjuntas.

  107. Mylena Pereira disse:

    O “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina tendo como responsável os Estados Unidos, de acordo com Ceceña (2009) são: exploração da mão de obra barata, aumento das políticas neoliberais, bases militares em locais estratégicos, privatizações de serviços, diminuição das políticas públicas, exploração da biodiversidade e reversão da margem de lucro baixo. Vale lembrar, que esta recolonização financeira do imperialismo do EUA apoiada por um grande aparato militar com estratégias e mecanismos de dominação e exploração acontece disfarçadamente reforçando ainda mais sua hegemonia.

  108. Franciane disse:

    Conforme mostra a professora mexicana Ana Esther Ceceña, o processo de recolonização da América Latina pelos EUA estaria relacionado, principalmente, com o surgimento do bolivarismo de Hugo Chávez que foi presidente da Venezuela de 1999 até sua morte em 5 de março de 2013 e a diminuição de investimentos financeiros estadunidenses na região da América Latina durante o governo de George W. Bush. Chávez realizou um governo de tendência de esquerda e criticou o imperialismo dos EUA na América Latina. Fundou em 2006 a ALBA (Aliança Bolivariana para as Américas), bloco econômico de integração regional composto por oito países de postura antineoliberal e estatizante que inclui, além da Venezuela, nações como Bolívia, Equador, Nicarágua e Cuba. Também foi fundamental para a criação da UNASUL (União das Nações Sul-Americanas), em 2005, que integra os doze países da América do Sul. A UNASUL, além da integração econômica entre seus países, busca solucionar conflitos geopolíticos regionais como ocorreu em 2008 entre Colômbia, Equador e Venezuela devido à ofensiva militar de tropas colombianas para atacar em território do Equador um grupo das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) causando um atrito diplomático entre os dois países com a participação da Venezuela que era favorável ao Equador. Em 2009, a UNASUL discutiu um acordo realizado entre EUA e a Colômbia para que os EUA utilizassem bases militares na Colômbia, supostamente para lutar contra as FARC, mas o acordo foi suspenso, pois o texto precisava de aprovação do Congresso. Entretanto, o Plano Colômbia, criado em 2000, continua vigente. Apesar destes fatos, a geopolítica dos EUA para a América Latina ainda é, de maneira geral, imperialista, pois este país continua ampliando sua influência na região com a criação de Megablocos econômicos regionais como a recente Parceria Transpacífica (2015) da qual fazem parte o México, Peru e Chile e mais oito países da Ásia de Monções e da Oceania garantindo a formação de uma grande zona de livre comércio.

  109. Camila Pavaneli disse:

    Para Ceceña o processo de recolonização da América Latina se dá através de diversos fatores, tais como: estabelecimento das politicas neoliberais, o controle de recursos naturais, imperalismo estadunidense, mudanças na estratégias geopolíticas dos Estados Unidos, exploração de mão de obra barata, privatizações e terceirizações, além de instalações de bases militares em pontos estratégicos dos países latinos que facilitam a exploração dos recursos naturais. Dessa forma, possibilitou a hegemonia estadunidense na América Latina.

  110. Vera Lúcia Vançan disse:

    O processo de “recolonização” é caracterizado pela dominação norte-americana sobre os países da América Latina, por meio de políticas neoliberais. Com idéias de desenvolvimento, os Estados Unidos se instala em alguns países, explorando suas riquezas naturais, interferindo na sua política, exercendo sua hegemonia.

  111. Nicole Sangalli disse:

    Segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña o “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina são: a aplicação de políticas neoliberais no papel dos Estados à partir de mudanças até o alcance estrutural; ações mais incisivas do imperialismo, buscando se apropriar dos recursos naturais existentes; estratégia de restauração do poder da classe e manutenção da hegemonia do governo; tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia em âmbito mundial e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região, no contexto pós-Guerra Fria. Existe uma exploração dos recursos naturais e dos grandes territórios, além da exploração da classe trabalhadora que, para assegurar seu lucro e encobrir a realidade obtém uma assistência para com os trabalhadores.

  112. Ana Claudia disse:

    De acordo com a professora mexicana Ana Esther Ceceña, o processo de recolonização da América Latina é marcado pela aplicação de políticas neoliberais, apropriação apropriar dos recursos naturais existentes nas periferias; de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo dos EUA; busca pela reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial; e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região, no contexto pós-Guerra Fria.

  113. Wanderléa Esteves disse:

    Segundo a professora mexicana Ana Esther Ceceña esse conjunto de ações que se denominam como processo de Recolonização da América Latinha, ocorre por meio de diversas práticas executadas pelos EUA, que após a guerra fria, com sua dominação imperialista, ampliam seu poder hegemônico através da recolonização dos países adjacentes, instaurando bases militares em pontos estratégicos onde as riquezas materiais eram abundantes e lhes interessavam, com essa estratégia lançada, um novo quadro político mundial estava sendo redesenhado. Os norte americanos alegavam que estariam prevenindo o narcotráfico e o terrorismo por meio de suas bases instaladas nesses países, mantendo os países dominados e dependentes de seu poderio.

  114. Wanderléa Esteves disse:

    Querido prof Fábio e queridas amigas, desejo a vcs um lindo e abençoado natal, e que 2016 venha recheado de coisas boas a todos nós…bjs no coração.

  115. Marina Martins disse:

    Segundo Ana Esther Cecenã, o conjunto de fatos que caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina se dá devido à implantação de politicas neoliberais, por meio de práticas dominadoras, pela instalação de bases militares a fim de explorar as riquezas locais. Desse modo, reconfiguram o pensamento e as práticas locais, explorando a classe trabalhadora através do caráter assistencial, conseguindo assim dominar a população e mascarar o seu real intuito, de lucratividade. Assim, essas ideias desenvolvimentistas que na realidade é de “exploração” são realizadas para os EUA manter sua hegemonia mundial.

  116. Marieli Bianchi disse:

    De acordo com a autora Ana Esther Cecenã e as discussões durante as aulas, apresenta-se a recolonização pautada na hegemonia americana antidemocrática que recoloniza com base no controle e exploração da população e dos recursos naturais, a espionagem e o poder militar para intimidar os países Latinos.
    Entede-se que o poder capitalista rege os interesses nas estratégias das práticas dominadoras que consequentemente implica diretamente em todas as áreas e dimensões sociais e principalmente a educação nos Países da América Latina, o que favorece e impõe a hegemonia.

  117. Ana Marta disse:

    A justificativa para a intervenção militar na América do Sul foi a de conter o Terrorismo e estabelecer a democracia. No entanto, as verdadeiras intenções eram de exploração econômica e manutenção da hegemonia Estadunidense. Assim, poderiam explorar os recursos naturais existentes, mas, para isso, instalaram bases militares em alguns lugares (estrategicamente pesados) para promover uma recolonização do continente.

  118. Maely Xavier disse:

    As políticas neoliberais inauguradas pelos dominadores das bases militares, que buscavam a exploração das riquezas do local, foram que marcaram a “Recolonização” da América Latina. Com isso, as classes trabalhadoras se alienam e a população é dominada não enxergando o objetivo de ganho.

  119. Janaine Braga Ramos disse:

    Os Estados Unidos estende, de maneira impositiva sendo agressivo ideológica e concretamente, a sua cultura e modo de economia, desse modo foi se concretizando a recolonozição da América Latina. Para Ceceña (2009), as imposições do sistema neoliberal foram gradativamente transformando a história latinoamericana por meio de políticas que sutilmente precarizaram e deixaram de mão atadas a população. Ao passo que os países da America Latina contraíram dívidas com os norte americanos foram se tornando mais frágeis deixando expostas suas fronteiras, também tiveram intervenções no sistema educacional, o que interfere diretamente na ideologia que será dominante no país.

  120. Flávia Grasieli Mendes disse:

    Segundo Cenenã, o processo de “Recolonização” da América Latina pelos EUA ocorre por conta das políticas neoliberais que objetivam apropriar-se de recursos naturais originários da periferia e tem como características vários fatores; que os pontos estratégicos onde estão instaladas as bases militares americanas que facilmente atingirão se necessárias, inclusive os países aonde não foi possível instalar tais bases militares, sob o pretexto de auxílio à democracia; que as riquezas minerais que existem nos territórios latino-americanos são do interesse dos americanos; e que as políticas neoliberais que invadem os países latinos através de seus governos demonstram o quanto impera a “recolonização” nestes países. Deste modo, os EUA buscam, através dessa recolonização a manutenção da hegemonia do imperialismo.

  121. Ludmila Lidiane Liduenha disse:

    O que caracterizam o processo de Recolonização da América Latina, pelos Estados Unidos sao: aplicação de políticas neoliberais e imperialismo buscando se apropriar dos recursos naturais existentes na periferia, estratégia de restauração do poder de classe e manutenção da hegemonia do imperialismo estadunidense; tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial; e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região. Ceceña e Miranda (2009), o processo de “recolonização” da América Latina pelos Estados Unidos se refere a exploração das riquezas locais, como por exemplo, a biodiversidade do Brasil. Assim, por meio de políticas neoliberais, os EUA garante sua hegemonia, instalando bases militares por entre os países latino-americanos. Para os autores, a dominação já está instaurada, uma vez que o governo dos EUA recebe apoio de alguns países latino-americanos. Por isso, os autores afirmam que os países explorados devem combater essa dominação capitalista, devendo reunirem suas forças e colaborações.

  122. Jacqueline Paiva de Rezende disse:

    O “conjunto de fatos” caracterizam o processo de “Recolonização” da América Latina e se dá devido ao da implantação de politicas neoliberais, por meio das práticas dominadoras, pela instalação de bases militares a fim de explorar as riquezas locais. Desse maneira, reconfiguram o pensamento e as práticas locais, explorando a classe trabalhadora através do caráter assistencial, conseguindo assim dominar a população e mascarar o seu real intuito, de lucratividade.

  123. Letícia Gabriela de Oliveira disse:

    Inserido em um contexto pós guerra-fria de expansão do imperialismo e capitalismo estadunidense, pode-se concluir que o processo de “Recolonização” da América Latina deve-se inicialmente a aplicação de políticas neoliberais dos Eua, sobretudo com inúmeras privatizações além da apropriação dos recursos naturais que existiam na “periferia”, as tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos. Nesse contexto, Ana Esther Ceceña explica que os EUA pretendem reestruturar suas geopolíticas com o objetivo de conseguir controlar todo o mundo, instalando bases militares em pontos estratégicos da América do Sul, fazendo assim a “recolonização”.

  124. Bruna Jacomin disse:

    O processo de recolonização da América Latina constitui-se de alguns
    aspectos, dos quais: há aplicação de politicas neoliberais, ação do
    imperialismo, tentativas de restauração do poder de classe e de reversão das tendencias de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial,ou seja, há interferências da politica de desenvolvimento do capitalismo, com ideias de exploração do banco mundial, que desestabiliza diversos países e influencia nas politicas educacionais, nas riquezas naturais e diversos setores sociais. Segundo Ana Esther, as políticas neoliberais, e a apropriação de recursos naturais existentes fazem com que a intenção do imperialismo americano seja cada vez mais presente.
    É notável o número de discussões que envolvem tais fatos, e tais debates são de fundamental importância para o processo de compreensão dos acontecimentos

  125. Numiá disse:

    O processo de recolonização na visão da professora Ana Esther Ceceña nos mostra o crescimento da política neoliberal, a ação forte do imperialismo na apropriação dos recursos naturais das áreas mais pobres, a busca pela manutenção do imperialismo hegemônico dos EUA, reversão das tendências de queda nas taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças e alterações na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região no contexto pós guerra fria.

  126. Noemi Morelli disse:

    A América Latina foi um dos principais alvos nas últimas décadas, de uma ofensiva imperialista desferida pelos governos dos Estados centrais e por suas grandes corporações transnacionais. O processo de recolonização da América Latina é marcada por políticas de desenvolvimento do capitalismo, estas por sua vez, visam imperar sob a América. Suas idéias norteadoras são o desenvolvimento através da exploração. Nesse sentido torna-se indispensável contextualizar e analisar a transição democrática na América Latina e atualizar a crítica sobre a impossibilidade de transferir as teorias do liberalismo clássico para a realidade da região.Com a finalidade de domesticar e combater todos que lutam para construir uma contra-hegemonia, gerando, entre outros, o aumento da violação dos direitos humanos, repressão a movimentos sociais e a destruição do meio-ambiente.

  127. Silmara disse:

    lguns aspectos do processo de “Recolonização” da América Latina são:
    - implantação das politicas neoliberais
    - imperialismo se apropriando de recursos naturais na periferia
    - tentativa de reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial e mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos.
    Segundo Ana Esther Ceceña, os Estados Unidos vêm redesenhando suas geopolíticas e suas redes de posições militares visando “controlar o mundo em sua totalidade e, nesta disputa, o território segue sendo o elemento essencial.

  128. América jaqueline disse:

    A re colonização da América latina se deu à partir da reestruturação do capital, visando de forma estratégica organizar as formas de exploração. exploração destes países periféricos, pertencentes a América latina. Nova abordagens foram criadas para explorar as riquezas naturais, manipular os povos e subordinar estas nações ao sistema capitalista, aproveitando de suas realidades sociais econômicas. Podemos dizer que o EUA ‘’deu com uma mão, para tirar com 10 mãos’’, todos investimentos e reestruturações realizadas não foram em pró do desenvolvimento dos países latinos, mas, sim, em pró dos interesses políticos econômicos do Capital e de sua máxima dominação em territórios Latinos. Isto fez com que aumentasse as diferenças sociais e se instalasse o caos dentro dos sistemas de governos destes países.

  129. Joice de Oliveira Silva disse:

    Segundo Ceceña (2009) o processo de recolonização da América Latina, que foi liderado principalmente pelos Estados Unidos tinha o intuito de manter o poder e a liderança, e com isso se verificava um conjunto de fatos decorrentes, tais como: aplicação de políticas neoliberais; imperialismo, com o intuito de se apropriar de recursos naturais da periferia; estratégias de restauração do poder de classe, e manutenção da hegemonia do imperialismo estadunidense; tentativas de reversão das tendências de queda nas taxas de lucro e mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos para a região.

  130. Bruna Fernandes disse:

    A nova colonização da América Latina, chamada de “recolonização”, é um movimento de alcance estrutural, tentando colocar as economias locais ao nível de subordinação ao EUA. Conjunto de fatos que caracterizam esse processo de “recolonização” da América Latina:
    - o processo de privatizações e fusões;
    - a dependência latino-americana, que se perpetua através de uma dívida externa ilegítima e da criação de novos mecanismos de dominação econômica, como a Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). Esta recolonização financeira do imperialismo do EUA é apoiada por um grande aparato militar
    - a recolonização militar procura estabelecer novos laços militares diretos entre os EUA e os países da América Latina, com a instalação de bases e a presença de tropas americanas nos seus territórios.
    - a estratégia recolonização dos Estados Unidos na América Latina, também segundo o FSM (2003, p. 1), inclui entre outros aspectos: 1. a instalação de novas bases militares e o reforço de bases já existentes; 2. o treinamento de militares latino-americanos, somado à venda de armas, à instalação de sistemas de vigilância e espionagem, além de, 3. Influência sobre o poder judiciário em países latino-americanos.
    - o treinamento de militares latino-americanos, como no caso da Operação Cabañas, realizada na Argentina com a participação de 1500 oficiais dos EUA, Chile, Brasil, Bolívia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai.
    - A atuação contínua dos EUA no treinamento de militares latino-americanos na Escola das Américas e criaram a Academia Internacional para o Cumprimento da Lei, na Costa Rica, com o objetivo de influenciar a legislação dos países da região em benefício de seus interesses políticos, econômicos e militares;
    - A instalação de mecanismos como o SIVAN (Sistema de Vigilância da Amazônia), um projeto de US$ 1.4 bilhão com capacidade de controlar 5,5 milhões de Km².
    - O fortalecimento da indústria bélica norte-americana.
    - O Plano Colômbia, que inclui um aparato de U$ 1.3 bilhões, sendo que o Secretário de Estado dos EUA, Colin Powel, pretende garantir mais US$ 731 milhões para financiar a participação do Equador, Bolívia e Peru nas operações militares. O Plano Colômbia facilita a implementação de mega-projetos hidroelétricos, petrolíferos e de mineração, patrocinados pelo Banco Mundial e por empresas multinacionais. Mais de um milhão de hectares da floresta colombiana já foram contaminados por agentes químicos e o número de refugiados internos chega a dois milhões de pessoas, sendo que 75% são mulheres e crianças.
    - A estratégia de dominação estadunidense inclui acordos regionais, como o Plano Puebla-Panamá – um projeto transnacional de construção de um canal terrestre ligando o sul do México até a América Central, passando pela Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica e Panamá. O Plano prevê a construção de um complexo de maquiladoras, ou linhas de montagem, controlado por empresas multinacionais e a instalação de grandes latifúndios para a produção de alimentos transgênicos. Esse projeto visa o controle de recursos hídricos e biológicos, além de reservas de gás natural, petróleo, urânio, alumínio e cobre.

  131. Ana Carolina Da Silva Garcia disse:

    O conjunto de fatos que marcaram a Recolonização da America Latina são: aplicação de políticas neoliberais, imperialismo tomando conta de recursos naturais na periferia, tentativa de restauração do poder de classe, reversão das tendências de queda das taxas de lucro pela burguesia mundial, mudanças na estratégia geopolítica nos Estados Unidos e manutenção da hegemonia do imperialismo dos Estados Unidos.
    Segundo Ceceña, os Estados Unidos vêm programando suas geopolíticas e suas redes de posições militares visando controlar o mundo em sua totalidade.

  132. Caroline Silva Machado Necchi disse:

    De acordo com a autora, a recolonização da América Latina ocorre através da intervenção dos Estados Unidos nos países sub-desenvolvidos por meio de ações como, políticas neoliberais, instalações de bases militares, exploração econômica dos recursos naturais e a exploração da classe trabalhadora.
    Essas são estratégias dos Estados Unidos de controle sobre as nações.

  133. Vitória Helena Proni disse:

    O processo de “Recolonização” da América Latina, segundo Ceceña e Miranda (2009), tem como características: a difusão e hegemonia do neoliberalismo e imperialismo estadunidense; as mudanças na estratégia geopolítica dos Estados Unidos; a crescente instalação de bases militares; o extrativismo dos bens naturais; as privatizações e fusões; a exploração da força de trabalho; e a redução dos direitos individuais e sociais.

  134. Laís Narciso disse:

    De acordo com Ceceña e Miranda (2009) o “conjunto de fatos” que caracterizam o processo de recolonização da América Latina são: exploração da mão de obra barata, aumento das políticas neoliberais, bases militares em locais estratégicos, diminuição das políticas públicas, privatizações de serviços, exploração da biodiversidade e reversão da margem de lucro baixo. Sendo essas intervenções dos Estados Unidos.

  135. Ana Paula Nunes disse:

    De acordo com Ceceña e Miranda (2009), o processo de “recolonização da América Latina” tem como características principais: a hegemonia das doutrinas neoliberais que são transmitidas a partir de ações norte-americanas nos países latino-americanos. As intervenções norte americanas por meio das instalações de bases militares em pontos estratégicos e também com o fortalecimento da indústria bélica nos EUA.
    Podemos citar também a exploração da biodiversidade e privatizações de serviços, com a redução dos direitos individuais e sociais.

Deixar um comentário