Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Neste módulo da disciplina Sociologia da Educação 3, que diz respeito aos impactos da Reestruturação Produtiva na sociedade e na educação, assistimos ao filme “Billy Elliot”. O filme é ambientado nos anos em que Margaret Thatcher esteve no governo da Inglaterra. O filme tem como pano de fundo as lutas grevistas dos mineiros ingleses. Obrigado pelo pai a treinar boxe, Billy fica fascinado com a magia do balé, com o qual tem contato através de aulas de dança clássica que são realizadas na mesma academia onde pratica boxe. Incentivado pela professora de balé, que vê em Billy um talento nato para a dança, ele resolve então pendurar as luvas de boxe e se dedicar de corpo e alma à dança, mesmo tendo que enfrentar a contrariedade de seu irmão e seu pai à sua nova atividade. As perguntas deste módulo giram em torno da temática do filme: a implantação do modelo neoliberal e a resistência dos trabalhadores. Billy Elliot é um símbolo da resistência contra a implantação do modelo neoliberal (“Terceira Via”). As perguntas para o comentário são as  seguintes: como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso? Bom trabalho a todos! Prof. Fábio Fernandes Villela.

*NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.) A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

162 Comentários “Módulo 2 – Sociologia da Educação 3 – Os Impactos da Reestruturação Produtiva na Sociedade e na Educação”

  1. Raísa Hernandes disse:

    O capitalismo, representante do sistema ideológico e político de dominação, criou diante da sua crise uma “jogada” política de Estado para recuperar o consenso com estratégias burguesas. A educação para o consenso era liderada pelas forças econômico-políticas e o livro de NEVES nos faz pensar em uma educação contra-hegemônica, para que não haja conformação entre as classes menos favorecidas. No livro a autora aborda que o capitalismo, sendo conservador, há uma necessidade de superação, sendo assim necessário uma mova organização social.
    O modelo neoliberal (Terceira Via) surgiu para conciliar o capitalismo de livre mercado e o socialismo democrático, mas na verdade ele serve para “maquiar” a política econômica para a aceitação do povo, é o centrismo radical.
    Atualmente os programas implantados para ajudar os desempregados, como as Bolsas, fornecidas pelo Estado, são a melhor forma dos organismos que se opõem à educação para o consenso se fortalecerem.

  2. Janiclei disse:

    Olá Professor e colegas do Blog,

    Podemos refletir sobre o refinamento teórico e prático, que chamamos de neoliberalismo de Terceira Via, são mantidos os fundamentos do capitalismo neoliberal, acrescidos de medidas que aliviam as condições miseráveis da grande parte da população mundial e, ao mesmo tempo, garante a “paz social”. Para Neves (2005), são emblemáticas algumas estratégias a saber: Brasil o Programa Comunidade Solidária, do governo FHC, e o Programa Fome Zero e Bolsa Família, do governo Lula. No neoliberalismo da Terceira Via reestruturam-se as relações de poder, a “concertação social” se estabelece como prática política majoritária em que o bloco histórico hegemônico cede às pressões sociais fragmentárias, para manter intactas as bases do projeto hegemônico no seu todo. Nós estudantes de Pedagogia podemos observar esse movimento na reforma da educação superior. O que acontece? O governo oferece aos estudantes o Prouni (Programa Universidade para Todos), e para os educadores uma nova carreira e melhoria salarial, cativam os pesquisadores pelo financiando individual de seus projetos, distribuem um maior volume de recursos as instituições de ensino superior, mas na verdade o que é implementado é um projeto de Educação Terciária proposto pelos Banco Mundial, Unesco e OCDE.

    Att.

    Jany.

  3. Ana Carolina Aguiar disse:

    A estratégia do capitalismo, diante sua crise, foi a dinamicidade comercial, ou seja, a introdução de empresas em países subdesenvolvidos, e a grande hegemonia das políticas neoliberais, como por exemplo, a política de “Terceira Via”. Neves (2005) retrata em seu livro, essa grande estratégia do capitalismo, que é A Nova Pedagogia da Hegemonia com o “Estado ampliado” ou a “Terceira Via”, sendo condições do capitalismo neoliberal com medidas miseráveis de socialismo democrático para “maquiarem” a verdadeira política econômica para o povo, por meio de: Bolsa família; Bolsa gás; Prouni, entre outras formas, sendo essas, as estratégias dos organismos se fortalecerem para se opor à educação para o consenso.

  4. Cintia disse:

    A reoorganização do capital diante de sua própria crise foi a utilização do modelo Taylorismo/Fordismo como métodos científicos do trabalho, racionalizando a produção por meio da divisão do trabalho, separando a produção da elaboração. Esse tipo de trabalho gera muitos emprefos com baixos salários e condições precárias, não conhcendo o produto que está fabricando, uma vez que é designado apenas para produzir uma parte sem conhecer o todo.Com a crise deste modelo, surge o modelo Toyotista, que não mexia no princípio capitalista, mas, na estrutura de produção. Ou seja, operário é chamado a participar das decisões, não é apenas um operador de máquina, mas um colaborador da empresa, polivalente, que opera várias máquinas e compreende todo o processo de produção, o trabalhador flexível, mas continua com baixo salário.
    As estratégias e/ou alternativas que poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso seria uma grande participação dos profissionais da educação em relação ao ato grevista. Pois assim se fortalece os sindicatos e gera um modelo contrario ao capital e o ambiente passa a ser de coletividade pelos interesses comuns.

  5. Natália Ferreira disse:

    Após o apogeu do acúmulo de capital obtido pelas empresas capitalistas houve uma decadência do mesmo por causa do excesso de produção e a manifestação intensificada de lutas sociais. Os modelos taylorista e fordista são abalados pela crise do capital e as empresas são forçadas a buscarem novas soluções que deem conta de suprir as deficiências do antigo sistema de produção, com isso privatizou-se o Estado, incorporaram-se novas tecnologias ao longo do desenvolvimento da produção e adotaram um novo modelo de produção denominado: Toyotismo. As forças econômicas tendo consciência da necessidade de empregar estratégias que tornem a população acrítica elegem como artifício a ideia de que um bom cidadão equivale-se aquele que participa ativamente e politicamente das questões sociais de modo a executar as políticas vigentes. Partindo desta premissa Neves (2005) menciona ao longo de seu livro: “A nova pedagogia da hegemonia” algumas exemplificações de programas criados pelo governo como instrumento controlador que possui o intento de manipular as pessoas: alienando-as e mistificando-as. Essas estratégias são reflexos da política de “Terceira Via” criada para amparar a crise do capital.

  6. Cassiana Lima Santos disse:

    Para superar a crise, o sistema econômico capitalista introduziu empresas em países em desenvolvimento e a política de “Terceira Via”. Segundo Neves (2005), o capitalismo utilizou como estratégia a Nova Pedagogia de Hegemonia, com objetivo real de distorcer a situação econômica da população por meio de ações que minimizam as reivindicações, evitando a oposição populacional por meio da educação.

  7. Heloisa H. Lemo disse:

    Para a reorganização do capitalismo, perante sua crise, foram introduzidas empresas nos países que ainda não são desenvolvidos, unido à noção neoliberal de Terceira Via. Segundo Neves (2005), que escreveu o livro “A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso” a Terceira Via é uma medida do capitalismo neoliberal que disponibiliza pequenas doses de “ajuda” ao povo, como as bolsas que auxiliam a população de classe baixa a manter seus filhos na escola, a comprar o gás e a realizar um curso superior, medidas essas intimamente ligadas ao socialismo democrático, que na verdade tem o objetivo de enganar a maioria desavisada, já que recebendo esses auxílios o povo não exigirá outras medidas para que se igualem as condições sociais. Dessa forma se mantem os interesses dos que já estão no poder e o sistema vigente, que se opõe a educação para o consenso.

  8. Luana Dias disse:

    O neoliberalismo da terceira via é uma maneira de fazer com que a população se sinta confortável com seu governo, pois cria mecanismos que aliviam a miséria da população criando medidas que calem as pessoas para que não lutem por seus direitos e para que as coisas mudem. No filme existe a greve dos mineradores, que estavam lutando por melhores condições de trabalho, mas ao final tiveram que voltar a trabalhar sem receber nada pois suas famílias já estavam em condições de miséria. O modelo neoliberal cria maneiras de conciliar o mercado capitalista e as necessidades da população, para que não haja reivindicações

  9. Samia disse:

    A reorganização do capital, diante a sua crise, aconteceu a partir da introdução de empresas em países subdesenvolvidos, juntamente com a política neoliberal, isto é, a política de Terceira Via. De acordo com Neves (2005), essa política de Terceira Via, atuaria como um respaldo financeiro para famílias com condições financeiras baixas, a fim de evitar reivindicações, manifestos e qualquer outra atitude que se opusesse aos organismos de poder. Sendo assim, grande parte da população, subsidiada por bolsas de todos os tipos (escola, gás, Prouni, Fies etc), financiadora de casas populares, ficam a favor do regime vigente e se conformam com suas reais condições. Portanto, os interesses dos que estão no poder são mantidos, opondo-se a educação do consenso.

  10. Maria Antonia C. Marques disse:

    Se reorganizou criando a política de “ Terceira Via”.
    Segundo Neves ( 2005), a manutenção da hegemonia burguesa e do seu projeto de sociedade exige do Estado ações pedagógicas voltadas para formar certo homem coletivo, mais adequado ao desenvolvimento do aparelho econômico de produção e legitimar as mudanças estruturais, as quais eram necessárias àcontinuidade e funcionamento desse aparelho. Deste modo, o Estado capitalista assume o papel de educador, com a tarefa de criar novos tipos de civilização mais adequada ao funcionamento do aparelho econômico de produção.

  11. Caroline disse:

    Através da reorganização do capital onde acontece a introdução de empresas em países não desenvolvidos, criou-se a política de “Terceira Via” e que segundo Neves (2005) seria uma forma de “amenizar as tensões entre a busca do lucro da sociedade e o necessário caráter autoritário do Estado”, ou seja, criando programas como Bolsa Família, Prouni, Fies e outros com o intuito de fazer com que mantenha-se o interesse dos que já estão no poder e opondo-se a educação do consenso.

  12. Daiana Moreno disse:

    Para reorganizar o capitalismo, criou-se a política de Terceira Via, no qual, grandes empresas passam a produzir em países subdesenvolvidos com o objetivo de utilizar mão de obra barata. De acordo com Neves (2005), a Terceira Via é uma medida empregada pelo capitalismo neoliberal que disponibiliza “ajuda” a população de classe baixa, oferecendo benefícios como: bolsa alimentação, bolsa família, etc. Esse modelo concilia a produção capitalista com as necessidades da população de baixa renda, de forma que esta, acaba por não reivindicar seus direitos.

  13. Daiana disse:

    A reorganização do capital, deu-se com a introdução de grandes empresas em países subdesenvolvidos com o objetivo de produzir em grande escala pagando por mão-de-obra barata. A Terceira Via, de acordo com Neves (2005) é uma medida do capitalismo neoliberal que disponibiliza ajuda a população de classe baixa, oferecendo pequenos benefícios como bolsas auxilio. Esse modelo tem como objetivo desenvolver os moldes capitalistas, de forma que a população sinta-se satisfeita com esses benefícios, não reivindicando melhores condições.

  14. Marina dos Reis Dourado disse:

    Na tentativa de aliviar a miséria, as desigualdades sociais, falta de moradia e outros problemas da sociedade, a Terceira Via é uma política do Estado, que foi criada pelo sistema Capitalista Neoliberal com intuito de superar a crise. Essa Política cria mecanismos para que essa sociedade (Miserável) não reivindique melhoras através de manifestos e reivindicações, porque a essas pessoas são oferecidos “apoio” pelo Estado com projetos como Bolsa família, Minha casa , minha Vida; Prouni, Fies. As pessoas aceitam assim as condições de vidas que elas têm, porque há um consenso de que o Estado cria melhores condições de vida.

    Att. Marina Dourado

  15. Débora Gervásio disse:

    O sistema neoliberalista de Terceira Via é uma das vias de escape para a contínua concretização do capitalismo, ou seja, esse sistema possibilitou uma reorganização de tal sistema, uma vez que, o mesmo passou por uma crise. Essa seria uma certeira estratégia capitalista para aliviar algumas condições e formas em que grande parte da classe operária vinha vivendo até então, dando um falso ar de que o Estado se preocupa com o povo, garantindo assim a inexistência de medidas que vão contra as atitudes da classe dominante, ou seja, tais estratégias são armadilhas para o povo, que acima de tudo o aliena profundamente. No Brasil podemos citar diversos programas oferecidos pelo governo para que a maioria do povo continue não sendo contrário ao Estado, sendo alguns deles: o Bolsa Família, Fome Zero, etc.

  16. Ariadne C. Matos disse:

    Diante de sua crise, o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou criando a política de “ Terceira Via”, onde acontece a introdução de empresas em países não desenvolvidos. Segundo Neves (2005) , essa grande estratégia do capitalismo, que é A Nova Pedagogia da Hegemonia, retratada em seu livro, é uma medida do capitalismo neoliberal que disponibiliza uma “pequena ajuda” financeira para famílias de “baixa-renda”, como Bolsa Família, Prouni, Fies, entre outras. Tudo isso para que não tomem nenhuma atitude “contra” o organismo do poder, mantendo assim seu interesse.

  17. Débora Boulos disse:

    O capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou por meio do ideal neoliberalista, que trouxe como diretriz a privatização do Estado, a luta dos trabalhadores pelos seus direitos, com a consequente desregulamentação dos mesmos, a flexibilização dos processos de produção, em função da busca empreendida pelo aumento da produtividade, e o predomínio do privado sobre o público, alterando, inclusive, as características de um Estado de Bem-Estar Social ineficiente e injusto, configurando, dessa maneira, mudanças efetivas na relação trabalho/capital.
    Quanto às estratégias para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso, Neves (2005) fala do neoliberalismo da Terceira Via que, como parte do processo de ampliação do Estado na manutenção dos ideais burgueses, efetiva-se na prática com a transferência de recursos públicos para o setor privado, desconsiderando a necessidade de implantação de mecanismos efetivos de superação da organização social baseada na exploração e dominação de uns sobre os outros.

  18. Nathália Vieira Ribeiro disse:

    Cria-se a política de Terceira Via, uma vez que há a necessidade de reorganizar o capitalismo, cujas grandes empresas passam a produzir em países subdesenvolvidos com o objetivo de utilizar mão de obra barata. De acordo com Neves (2005), essa política atuaria como um respaldo financeiro para famílias com condições financeiras baixas, com o intuito de evitar reivindicações, manifestos e qualquer outra atitude que se opusesse aos organismos de poder, isto para que não tomem nenhuma atitude “contra” o organismo do poder, ou seja, não reivindiquem seus direitos.

  19. Juliane Marigo de Lima disse:

    Diante sua própria crise, o capitalismo se reorganizou a partir da introdução de empresas em países subdesenvolvidos, e por meio da Terceira Via, a grande estratégia do capitalismo, em que bolsas de todos os tipos são criadas para “ajudar” financeiramente famílias em situações econômicas baixas. Desta forma, as famílias beneficiadas se contentam com essa “ajuda”, se conformam com sua real condição, e não se opõe aos organismos de poder, não realizam manifestações e reivindicações. Há a manutenção da hegemonia burguesa, o Estado desenvolve ações pedagógicas, pois assim evita-se a oposição populacional por meio da educação, a educação para o consenso.

  20. Dayse disse:

    Com a crise que levou a reorganização do capital houve o surgimento de empresas em países subdesenvolvidos, trazendo com sigo a politica neoliberal. Essa politica segundo Neves chamada de terceira via seria o que poderia conter certas reivindicações pelos trabalhadores já que ela da a sensação de que estão trabalhando na politica pela classe menos favorecida, dando-lhes certos “agrados” como (bolsas, casas populares e etc), fazendo com que algo que é obrigação do governo pareça boas atitudes dos governantes.

  21. Lilian Prado disse:

    Diante da crise do Capitalismo a estratégia foi introduzir empresas em países subdesenvolvidos. “A política de “Terceira Via”. Neves (2005) retrata bem essa crise e essa estratégia.
    As estratégias que são usadas atualmente são, por exemplo, as Bolsas, fornecidas pelo Estado (Bolsa família, Bolsa alimentação, Fies, Prouni, entre outras…) mantendo os interesses dos que já estão no poder e o sistema vigente, que se opõe a educação para o consenso.

  22. Crislei Mayara disse:

    O capital se organizou por meio do ideal neoliberalista. E Neves (2005) aponta o neoliberalismo da Terceira Via, que atua como parte do processo de ampliação do Estado e na manutenção da classe burguesa, onde os mesmos transferem os recursos do público para o privado,esquecendo-se de que, na verdade deveriam existir políticas de ampliação dos recursos para a classe baixa, não políticas estritamente compensatórias como essas que podem ser vista nos programas de auxílio do governo.

  23. Danielli Fernanda da Silva disse:

    A crise capitalista veio a se reorganizar por meio de uma perspectiva neoliberal, ocorrendo assim, a privatização do Estado, ou o que chamamos de neoliberalismo de Terceira Via, onde foram mantidos os fundamentos do capitalismo neoliberal, acrescidos de medidas que aliviam as condições de miséria que grande parte da população mundial está envolvida e que, ao mesmo tempo, oferece a garantia de Bem-Estar Social, o qual temos o conhecimento de ser ineficiente e injusto.
    Neves (2005) mostra o neoliberalismo da Terceira Via, como parte do processo de ampliação do Estado na manutenção dos ideais burgueses, vem-se efetivar na prática com a transferência de recursos públicos para o setor privado, desconsiderando assim, a necessidade de implantação de mecanismos efetivos para a superação e a organização social baseada em exploração e dominação das classes trabalhadoras e não essas políticas compensatórias das quais o estado oferece. Dessa forma, as famílias beneficiadas se conformam com essa “ajuda”, em sua real condição, e assim, acabam por não se opor aos organismos de poder, ou seja, não realizam manifestações e reivindicações.

  24. monica floriano lucianelli lucheta disse:

    A crise capitalista iniciada com a pós guerra gerou uma corrida por soluções. Resolveram então criar politicas que aliavam certa liberdade aos empresarios e politicas assistenciais a classe operaria. Essa solução teve grande impacto pois resolveu a crise maior e ainda abafou as crises operarias que também sofriam. No entanto, outra parte da população não aceitou a situação e ainda tenta lutar contra a opressão gerada pelo capitalismo. Neves (2005) aponta as alternativas atuais do governo como Prouni, bolsas familia, escola, gas, etc apontando que são alternativas para maquiar a realidade miseravel da classe operaria. Propostas para lutar contra essa realidade são as lutas sindicais e de grupos especificos, que assim conseguem se fortalecer. Sou um tanto pessimista com relação a esta postura, pois não acredito que só isso baste.

  25. Gabriella Bonil disse:

    O capitalismo se organiza diante de sua crise com a utilização do modelo Taylorismo/Fordismo que racionalizam a produção por meio da divisão do trabalho, separando a produção da elaboração e com baixos salários. Com sua crise, surge o modelo Toyotista em que o operário é chamado a participar das decisões, não é apenas um operador de máquina, mas um colaborador da empresa, polivalente, que opera várias máquinas e compreende todo o processo de produção, o trabalhador flexível, mas continua com baixo salário. Criou-se, então, a política de “Terceira Via” que Neves(2005) explica como uma forma de amenizar as tensões existentes entre Estado e Trabalhador. Sendo assim, criam-se programas como Bolsa Família, Prouni, Fies, entre outras.

  26. Camila disse:

    Segundo Antunes “Como resposta à sua própria crise, iniciou-se um processo de reorganização do capital e de seu sistema ideológico e político de dominação, cujos contornos mais evidentes foram o advento do neoliberalismo, com a privatização do Estado, a desregulamentação dos direitos do trabalho e a desmontagem do setor produtivo estatal (Antunes, 1999, p. 31)”.
    segundo Neves 2005 aponta, com a introdução de empresas nos países subdesenvolvidos e a implantação da politica da “Terceira Via”, oferece aos trabalhadores e o povo “bolsas de auxilio” afim de máscarar a realidade existente e vivida, minimizando manifestaçoes e reinvidicações.

  27. Michele Saçaki disse:

    Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, aborda o Neoliberalismo, da Terceira Via, que aparentemente, tenta conciliar os extremos entre o Socialismo e o Liberalismo. A fim de impedir a oposição da classe trabalhadora à ideologia e burguesia dominante, a política da Terceira Via visa o financiamento de algumas políticas compensatórias, transferindo o dinheiro público para o privado, com o intuito de minimizar os descontentamentos da massa, da classe operária, evitando-se dessa forma, revoltas de organizações sindicais.
    Na atualidade, as estratégias e/ou alternativas usadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso, são os programas, de políticas compensatórias, como o Bolsa Família, o Prouni, entre outros, que tentam minimizar as desigualdades existentes para a classe trabalhadora, a fim de torná-los passíveis e iludidos da triste e miserável realidade em que se encontram.

  28. Aline Naliati disse:

    Diante da crise o sistema capitalista, representante do sistema ideológico e político de dominação, criou uma dinamicidade comercial. Foi introduzido empresas em países subdesenvolvidos e a política da “ Terceira via”. Para Neves (2005), essa estratégia do capitalismo foi para maquiar a verdadeira política econômica para a população, surgindo o Bolsa Família, Bolsa gás entre outros. Esses programas ajudam os desempregados e evita a oposição populacional, por meio da educação, reivindicar.

  29. Camila disse:

    O capitalismo, que após uma grande fase de expansão que iniciou no pós-guerra, vive um período de crise e as suas principais estratégias de superação – neoliberalismo, globalização, reestruturação produtiva e Terceira Via -, onde as teorias Neoliberais e Terceira Via, têm papel central na redefinição das fronteiras entre o público e o privado, e na mudança do papel do Estado para com as políticas públicas e nas consequências para a construção da democracia.
    Atualmente, as alternativas a serem usadas, segundo Neves(2005), para o fortalecimento dos organismos que se opõem a educação para o consenso são as famosas “Bolsas Auxilio” doadas pelo governo a classe menos favorecida afim de que sua necessidades sejam em partes supridas e que não haja reinvindicações e não façam mobilizações de descontentamento.

  30. Marina T. disse:

    Para superar a crise, o sistema econômico capitalista introduziu empresas em países em desenvolvimento e a política de “Terceira Via”. Essa política faz com que a população sinta-se a vontade com o governo, pois o mesmo, cria mecanismos que aliviam a miséria da população. Segundo Neves (2005) a Terceira Via é uma medida empregada pelo capitalismo neoliberal que disponibiliza “ajuda” a população de classe baixa, oferecendo benefícios como: bolsa alimentação, bolsa família, etc. Com isso são aliviadas as tensões que existem entre o Estado e o Trabalhador, ou seja, maquiando as condições de miséria.

  31. Michelle Silvestre disse:

    AO capitalismo se organiza diante de sua crise com a utilização do modelo Taylorismo/Fordismo que racionalizam a produção por meio da divisão do trabalho, separando a produção da elaboração com salários baixos. Com a crise do capital, surge o modelo Toyotista em que o operário é chamado a participar das decisões, sendo assim, um colaborador da empresa que compreende todo o processo de produção, o trabalhador flexível, mas continua com baixo salário. Para a reorganização do capitalismo, diante de sua crise, foram introduzidas empresas nos países que ainda não são desenvolvidos, unido à noção neoliberal de Terceira Via,sendo esta uma medida do capitalismo neoliberal que disponibiliza pouca ajuda ao povo, como por exemplo, as bolsas que auxiliam a população de classe baixa a manter seus filhos na escola, a comprar o gás e a realizar um curso superior, medidas essas intimamente ligadas ao socialismo democrático, que na verdade tem o objetivo de enganar a maioria desavisada, já que recebendo esses auxílios o povo não exigirá outras medidas para que se igualem as condições sociais.

  32. Larissa disse:

    Para superar a crise, o sistema capitalista introduziu a política de “Terceira Via”. Segundo Neves (2005), o capitalismo utilizou como estratégia a Nova Pedagogia de Hegemonia, com objetivo de distorcer a situação econômica da população por meio de ações que minimizam as reivindicações, evitando a oposição populacional por meio da educação. O Estado capitalista assume o papel de educador, com a tarefa de criar novos tipos de civilização mais adequada ao funcionamento do aparelho econômico de produção.

  33. Muriele Zaneboni disse:

    Segundo Neves (2005), a política da “Terceira Via” foi introduzida pelo sistema capitalista como estratégia para manter a hegemonia das políticas neoliberais, utilizando medidas (Bolsa Família, ProUni, etc) que remediam algumas situações para desfocar a atenção da população em relação às suas reivindicações.

  34. Karen Lima disse:

    A estratégia do capitalismo foi a introdução de grandes empresas em países subdesenvolvidos com o objetivo de produzir em grande escala pagando por mão-de-obra barata. A Terceira Via, de acordo com Neves (2005) é uma forma de o capitalismo neoliberal disponibilizar ajuda a população de classe baixa,onde ele oferece pequenos benefícios como bolsas auxilio ( politica compensatória)Esse modelo tem como objetivo desenvolver os moldes capitalistas, onde faz com que a população sinta-se satisfeita com esses benefícios, não reivindicando melhores condições.

  35. Sônia Haruko Ito disse:

    O Capital se reorganizou com estratégias representadas de seu projeto de sociabilização neoliberal da Terceira Via, onde o Estado tem um importante papel de educador para “educar o consenso”.
    De acordo com Neves (2005), o Estado assume um papel de educador redefinindo práticas e instaurando a nova relação entre a aparelhagem estatal e a sociedade civil, com vistas a estabilizar no espaço brasileiro o projeto neoliberal de sociabilidade.
    Em seu texto a autora diz que a precarização das relações de trabalho e a desregulamentação dos direitos trabalhistas vêm desmobilizando os sujeitos políticos comprometidos com a contra hegemonia, nos mostrando que somadas a articulação complexa das estratégias do Governo e suas medidas de apaziguamento e desfragmentação social, ocorre o fortalecimento da ideologia hegemônica.
    Neves aponta, por exemplo, como algumas das alternativas para o fortalecimento dos organismos que se opõe à educação para o consenso, a própria sociedade reconhecer a importância de sua atuação através das classes dirigentes na defesa vital de seus interesses e o questionamento da sociedade dos rumos da formação humana para que fortalecimento da contra hegemonia se faça presente.
    Nós, parte da sociedade, devemos estar alertas para estas mudanças e buscando sempre o esclarecimento acerca do que acontece para que possamos nos estruturar a fim de fazer parte deste tenue ainda, movimento contra hegemônico.

  36. eliane rosa policarpo disse:

    A estratégia do capitalismo,foi a de introduzir as empresas em países subdesenvolvidos,e a grande hegemonia das políticas neoliberais,como por exemplo,a política de “Terceira Via”.Neves (2005) retrata em seu livro experiências concretas da Nova hegemonia no Brasil,como exemplo os PCNs,a FBM,a igreja católica em tempos modernos,configurando-se assim uma importante via de acesso do setor empresarial `as políticas públicas educacionais baseando-se nos valores do projeto capitalista contemporâneo de sociabilidade e favorecendo a possibilidade de intervenção direta das empresas no currículo, na seleção de matweriais e na gestão dos recursos das escolas públicas brasileiras.

  37. Mayara Rocha disse:

    O livro de Neves (2005) vai tratar da consolidação e do aprofundamento do projeto burguês para a atualidade, onde a educação para o consenso é liderada pelas forças econômicas e políticas do capital, de um estado formador e (con)formador. O capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise com o projeto de sociabilidade neoliberal da terceira via, onde se tenta reconciliar a direita e a esquerda, além do capitalismo de livre mercado e do socialismo democrático, através de uma política econômica conservadora e de uma política social progressista. A terceira via é uma estratégia para se manter na crise do capital. A autora Neves traz em seu livro exemplos de experiências de difusão da nova pedagogia, nos fazendo refletir sobre uma educação contra hegemônica, em que não haja conformação entre as classes menos favorecidas, que estes se questionem sobre a sociedade em que vivem.

  38. thaila de oliveira disse:

    é interessante dessa questão associando-a ao filme e ao texto de Neves, o filme retrata a questão do governo de Margaret Tacher e Neves caracteriza o modelo governamental da 3° via, o neoliberalismo. A crise capitalista ganhou seu retorno e contornou a situação calamitosa na qual se encontrava exatamente por esse modelo, que como Neves aponta busca alienar o homem, tornando-o um ser passível, fácil de dominar pela burguesia, as iniciativas governamentais assistencialistas como o bolsa família, as ONGs e até os próprios PCN quando analisados em uma criticidade profunda mostram em sua essência o pensamento neoliberal

  39. Bete disse:

    O Capital e seu sistema ideológico e político de dominação reorganizou-se perante a própria crise por meio de um discurso neoliberal em que procurou conciliar o capitalismo de livre mercado e o socialismo democrático com o intuito de disfarçar a política econômica para a aceitação do povo.
    A crise, como mostrada no filme “Billy Elliot”, com lutas grevistas de operários em busca de direitos, acaba com alguns benefícios aos trabalhadores, como a organização em sindicatos, flexibilidade dos meios de produção na busca do aumento produtivo e predominância do privado sobre o político.
    Com isso, surgem políticas públicas neoliberais que intentam auxiliar os menos favorecidos, por meio do que Neves (2005) chama de “Terceira Via”, em que recursos do Estado são destinados ao setor privado para auxiliar / complementar a renda familiar dos pertencentes a classes menos favorecidas, incluindo uma educação contra hegemônica, isto é, orientações que conseguem tornar-se dominantes e buscam intencional e sistematicamente colocar a educação a serviço de forças que lutam para transformar a ordem em vigor, em manutenção de uma nova forma de sociedade. Com a “Terceira Via”, procurava-se evitar manifestos e reinvindicações, mantendo a ordem social.

    • Evaldo disse:

      Oi Bete, entendo que o filme abordou entre outras situações a dos trabalhadores das Minas de carvão na era Margareth Tatcher, no entanto, sua política de austeridade fiscal determinou em grande parte o que a Inglaterra é hoje, lembrando que foi um dos poucos países na zona do euro que optou manter sua moeda corrente por ter uma economia até então mais sólida que os EUA. É obvio que discutimos a situação dos trabalhadores que infelizmente pagam por essas ações, porém, gostaria de saber se realmente existiria outro tipo de política econômica viável.

  40. Mariana disse:

    Diante da sua crise como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou criando um programa que procura apresentar “uma nova agenda politica-economica para o mundo nos limites do capitalismo, constituindo-se em importante instrumento de ação da nova pedagogia da hegemonia [...] denominado Terceira Via” (NEVES, 2005, p.43). De acordo, ainda, com Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, as estratégias e/ou alternativas que poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso são, por exemplo, as famosas “bolsas auxílio” (ProUni, Bolsa Família, Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Auxílio Gás, etc.) doadas pelo governo a classe menos favorecida afim de que sua necessidades sejam em partes supridas e assim não façam mobilizações de descontentamento.

  41. Mariana disse:

    Diante da sua crise o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou criando um programa que procura apresentar “uma nova agenda politica-econômica para o mundo nos limites do capitalismo, constituindo-se em importante instrumento de ação da nova pedagogia da hegemonia [...] denominado Terceira Via” (NEVES, 2005, p.43). De acordo, ainda, com Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, este programa tem estratégias e/ou alternativas utilizadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso. Como exemplo destas estratégias nos dias atuais, podemos citar as famosas “bolsas auxílio” (ProUni, Bolsa Família, Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Auxílio Gás, etc.) que são doadas pelo governo à classe menos favorecida afim de que suas necessidades sejam em partes supridas e assim não façam mobilizações de descontentamento.

  42. Carla Cristina disse:

    O capital e o sistema de ideologias políticas de dominação se reorganizam diante de sua crise e criam a política chamada Terceira Via, o neoliberalismo, que como mostra Neves em seu livro, busca “acalmar os ânimos” dos trabalhadores para que não reivindiquem seus direitos, não lutem, busquem, nem mesmo conheçam seus direitos e dessa maneira não se opondo ou contrariando os interesses e aqueles que estão no poder. Vemos isso nas diversas políticas públicas, no Brasil, que oferecem “ajuda financeira”, as famílias menos favorecidas financeiramente de modo que essas não se questionem, nem lutem, sendo então, passivas e “aceitantes” de tudo o que acontece, muitas vezes até considerando um agrado do Estado essas “ajudas”. Propõe- se então, que haja uma nova pedagogia, que vai contra a hegemonia, por uma educação que incite as classes menos favorecidas a se questionarem, a não aceitarem passivamente o que a sociedade em que se vive provoca a vida de cada um.

  43. João Theodoro disse:

    Acredito que a maior estratégia elaborada pelo capital foi a criação de uma ideologia individual no qual cada indíviduo é responsável pelo seu sucesso e conquista, vigente na política neoliberal no qual podemos citar a meritocracia. Este processo tem uma ligação intrinsica com todas as mídias disponíveis no mercado para o estabelecimento desse ideal, divulgando essa competição no mercado e que demonstra essa carater individual para o sucesso, no qual eu tenho que ser vencedor ou serei vencido, serei um fracassado e não vou merecer direitos. Assim, cada ser humano tem muitos mais deveres e seguem os padrões dessa hegemonia, no qual o trabalhador continua explorado, porém, agora com uma consciência de que ele tem que enfrentar isso porque somente ele pode responder pelo seu sucesso e pelas suas responsabilidades de sustentar a sua família e pagar suas dividas. Porém, a exploração do capital é tão forte que para evitar uma revolta social, as empresas que exploram contatam uma parceria com o governo, principal agente na manutenção e controle social. Com o governo instala-se a estratégia de bolsas, vias alternativas para que a população consiga sempre sobreviver ao sistema, como possibilidades de créditos, financiamentos, vale-refeição, bolsa família, entre tantos outros métodos financiados pelas grandes empresas com o objetivo de calar a ação dos trabalhadores.

  44. Deise Scardelato disse:

    A crise do capitalismo em meio ao processo de produção e acumulação industrial, descola o trabalho especializado, marcado pela alienação da linha fabril e repetição de uma mesma função pelo trabalhador, para a flexibilização das funções, onde o empregado passava a ser deslocado em seu posto conforme as necessidades da empresa, chegando a realizar diversas tarefas ao mesmo tempo. Para suprir as necessidades da população e para fortalecer a oposição à educação para o consenso o governo cria bolsas auxílios que na verdade camuflam a verdadeira situação da população e suas reais necessidades. Dentro da escola, podemos citar o PCN, material utilizado para nortear o trabalho do professor, mas que traz um pensamento neoliberal, ou seja, representa a classe dominante.

  45. Maria Rodrigues disse:

    O autor defende um novo modelo social europeu baseado no
    empreendedorismo, no investimento em tecnologia, no capital humano
    e na flexibilidade no mercado de trabalho. É possível observar que são
    princípios e ações para países de bem-estar social consolidado, que, ao
    adaptarem-se aos ditames da reestruturação produtiva, aprofundarão os
    custos sociais e o aumento das desigualdades. Destaca-se que o agravamento
    das questões sociais é ainda maior em países que não tiveram o
    Estado de bem-estar social.

  46. Elisa Pavani de Oliveira disse:

    A crise capitalista que ocorreu em decorrência do pós-guerra deu origem aos mecanismos para a instauração da pedagogia da hegemonia, cujo principal instrumento foi a criação da Terceira Via como forma de descentralizar o poder, ou seja, responsabilidades que eram atribuídas ao Estado são tranferidas para setores privados.

  47. Emanuelle Zanchetta Borges disse:

    O sistema econômico capitalista para superar a crise introduziu empresas em países em desenvolvimento e a política de “Terceira Via”. Essa política faz com que a população sinta-se a vontade com o governo, pois o mesmo, cria mecanismos que aliviam a miséria da população com “ajuda” como bolsa família, bolsa alimentação, entre outras.

  48. Viviane Borges disse:

    Após a grande fase de expansão no início do pós-guerra, o capitalismo vive um período de crise e para solucionar a mesma o sistema usa de estratégias de superação; que foram a reestruturação produtiva, neoliberalismo, globalização e a Terceira Via, que serve como uma maquiagem onde se distorce a verdadeira situação econômica do povo por meio de ações conhecidas como “bolsas auxilio” para que as classes mais necessitadas não se rebelem evitando assim a oposição do povo por meio da educação.

  49. Geisinara Fernanda B. Dias disse:

    A crise capitalista provocou uma reorganização no sistema ideológico e político do capital, surgindo assim “uma nova agenda político-econômica para o mundo nos limites do capitalismo, constituindo-se em importante instrumento de ação da nova pedagogia da hegemonia [...] denominado Terceira Via” (NEVES, 2005, p.43), conforme a perspectiva neoliberal. Neves (2005) discute o neoliberalismo da Terceira Via, como parte do processo de ampliação do Estado na manutenção dos ideais burgueses, o qual é efetivado na prática com a transferência de recursos públicos para o setor privado, isto é, a privatização do Estado, desconsiderando assim, a necessidade de implantação de mecanismos efetivos para a superação e a organização social baseada em exploração e dominação das classes trabalhadoras. Em “A nova pedagogia da hegemonia” (NEVES, 2005), a Terceira Via apresenta estratégias e/ou alternativas utilizadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso, ou seja, políticas compensatórias/assistencialistas para a sociedade se contentar e não reivindicar seus verdadeiros direitos, como por exemplo: Bolsa Família, Bolsa Alimentação, Bolsa Escola, ProUni, Auxílio Gás, etc.

  50. Elisa Rincon disse:

    A crise do sistema capitalista fez com que ele se reorganizasse de forma a possibilitar a população de baixa renda programas “beneficentes” que fizessem com que todos pensem que a ordem dominante faça isso por “bondade”. Sendo assim, a Terceira Via age fazendo com que as pessoas aceitem sem contestar e nem reivindicar o que o sistema impõe.

  51. Rafaela disse:

    O sistema capitalista se reorganiza diante da sua crise com a construção de programas sociais e privatização do Estado. A ideologia neoliberal ou de terceira via reestrutura o sistema de poder com financiamentos de projetos sociais e com educação profissionalizante, que está inserida na pedagogia da hegemonia. Há também a ideia que cada individuo é responsável pelo seu sucesso ou fracasso e também é responsável pela sociedade, implementando a ideia de solidariedade, colocando como problema das empresas e da sociedade em geral, do desemprego, da pobreza e da miséria.

  52. ANGELA M. DAVANZO FÁVARO disse:

    Nesse sentido, um processo de reestruturação da produção e do trabalho surgem visando, principalmente, a recompor os patamares de acumulação. As tecnologias desenvolvidas no processo de reestruturação produtiva introduziram significativas mudanças na relação capital/trabalho. A busca pelo aumento da produtividade configura um novo cenário marcado pela flexibilização dos processos de produção. Nesse contexto, o neoliberalismo emerge como prática política e econômica que objetiva contribuir para a tarefa de reorganização do Estado e recuperação dos lucros da burguesia.
    Antes de buscar resposta para tantas perguntas, vale entender, afinal, qual a finalidade da corrente neoliberal?
    Teoricamente, a doutrina neoliberal aponta para o domínio do privado sobre o público; privatização de empresas do Estado; flexibilização das relações de trabalho; combate às regulações financeiras e ao protecionismo econômico dos países, entendidos como obstáculo ao livre comércio internacional; combate a um Estado de Bem-Estar Social ineficiente e injusto
    afirmação do mercado enquanto esfera capaz de regular e equilibrar economia e relações sociais, já que a riqueza seria naturalmente distribuída; vinculação da liberdade e da democracia ao mercado (reduzindo-as ao exercício de livre escolha dentro de uma esfera livre de intervenções); valorização do campo jurídico enquanto terreno mediador das relações contratuais entre os livres indivíduos; redução das funções do Estado à atuação em setores desinteressantes e não rentáveis para o mercado e à garantia da ordem estabelecida, dos contratos efetuados, da propriedade privada e do livre mercado.

  53. DANIELA CARLA NEGRINI disse:

    A reestruturação da produção, enquanto resposta à crise do capital, exigiu novas características do trabalhador. Características que deveriam ser formadas sob um processo educacional compatível com os anseios principais do capital em crise: redução dos investimentos estatais e fornecimento ao aluno-trabalhador de competências básicas para o trato com a nova organização flexível do trabalho. Além disso, observamos que essa educação conta com um componente subjetivo não menos importante para a manutenção da hegemonia capitalista em tempos de crise, a noção de cidadania.
    Constantemente difundida pelos meios de comunicação e também presente nos documentos norteadores da educação pública brasileira, o conceito de cidadania significa, de certa maneira, a formalização da igualdade.
    Como expressão da luta entre as classes, o discurso da cidadania visa a suprimir o antagonismo burguesia/trabalhadores e produzir um horizonte de inclusão de todos os indivíduos dentro de uma ordem estabelecida, perpétua e inalterável. A ascensão do neoliberalismo como resposta à crise estrutural do capital introduz princípios desta corrente de pensamento na estrutura de organizações internacionais. As formulações neoliberais passam a constituir arcabouço ideológico de instituições como o FMI e o BM na busca de reconfigurar os países periféricos de acordo com as exigências da crise.

  54. Aruana Menegasso disse:

    Com a necessidade de reorganização do capitalismo cria-se a ideologia neoliberal de terceira via juntamente com a inserção de empresas nos países os quais ainda não eram desenvolvidos, tendo como objetivo a utilização de mão de obra barata. Neves (2005) afirma que essa ideologia age como parte do processo do de ampliação do estado e manutenção da burguesia, transferindo os recursos públicos para o privado, atuando como respaldo financeiro para famílias em condições financeiras baixas para evitar atitudes que se opusesse aos organismos de poder.

  55. Silmara Comino disse:

    Para a reorganização do capitalismo, perante sua crise, foram introduzidas empresas nos países que ainda não são desenvolvidos, unido à noção neoliberal de Terceira Via. Segundo Antunes “Como resposta à sua própria crise, iniciou-se um processo de reorganização do capital e de seu sistema ideológico e político de dominação, cujos contornos mais evidentes foram o advento do neoliberalismo, com a privatização do Estado, a desregulamentação dos direitos do trabalho e a desmontagem do setor produtivo estatal (Antunes, 1999, p. 31)”.
    Atualmente, as alternativas a serem usadas, segundo Neves(2005), para o fortalecimento dos organismos que se opõem a educação para o consenso são as famosas “Bolsas Auxilio” doadas pelo governo a classe menos favorecida afim de que sua necessidades sejam em partes supridas e que não haja reinvindicações e não façam mobilizações de descontentamento.

  56. Valéria Paes disse:

    Neste semestre assistimos ao filme “Billy Elliot” que conta a historia de um menino de 11 anos que se apaixona pela dança clássica, mas o cenário desta história é o período em que os fortes sindicatos dos mineiros de carvão ao qual seu pai é filiado fazem intensas greves contra as politicas liberalistas do governo, seu pai e seu irmão que também é mineiro são machistas e tratam Billy com preconceito até o instante anterior ao final da película. Esse cenário das grandes greves e piquetes fervorosos marca um sinal dos novos tempos na relação dos trabalhadores com os padrões, os sindicatos possuíam grande poder sobre as ações do governo, esta força dos sindicatos era vista em muitos países inclusive no Brasil pelas grandes greves realizadas pelos metalúrgicos na região do ABC paulista (quartadas as proporções da influência, pois o Brasil vivia a ditadura militar). No entanto o período é justamente marcado pela quebra desta força dos sindicatos que acabam aceitando as imposições dos patrões e do governo e o modelo socialista destes sindicatos sai enfraquecido o que torna seu discurso mais brando e conciliador, haja vista que no Brasil o líder dos Sindicatos veio a se eleger Presidente alguns anos depois com uma linguagem e manifestação mais moderada, em contrapartida o modelo neoliberal foi ganhando corpo e passando a ser o regime das decisões dos países capitalistas.

  57. Patricia C. Zarpelon disse:

    O sistema capitalista entre em crise no ano de 1929 por conta dos uso desenfreado dos meios produtivos. Com essa crise, muitos países se voltam para o sistema socialista, mas o capitalismo cria então o Estado de Bem Estar Social e o sistema Kenzionista para regular a economia. Em 1989 o socialismo entra em crise, e o capitalismo ascende novamente, não sendo necessário mais o zelo por tal trabalhador. Começa-se então a reestruturação produtiva que envolve todos os setores sociais e econômicos. A Terceira Via assim chamada por Neves (2005) corresponde ao Neoliberalismo. O Neoliberalismo divide as responsabilidades do Estado com empresas, o que denomina-se responsabilidade social empresarial substituindo-se a ideia de filantropia empresarial. Segundo Neves( 2005,) uma das principais formas de disseminação da responsabilidade social no meio empresarial consiste no Instituto Ethos, pois em meio a um conjunto de textos com diferentes temas, estimula-se práticas voltadas para a nova ideologia.

  58. Poliana Billae Elios disse:

    Para superar a crise, o sistema capitalista promove uma reorganização do capital, implantando o modelo neoliberal (terceira via) na sociedade. Uma estratégia desse novo modelo é a introdução de empresas nos países subdesenvolvidos e a criação de um novo setor que se caracteriza pelo voluntariado, reduzindo assim as demandas sociais e as reivindicações dos trabalhadores.

  59. Poliana Billar Elios disse:

    Para superar a crise, o sistema capitalista promove uma reorganização do capital, implantando o modelo neoliberal (terceira via) na sociedade. Uma estratégia desse novo modelo é a introdução de empresas nos países subdesenvolvidos e a criação de um novo setor que se caracteriza pelo voluntariado, reduzindo assim as demandas sociais e as reivindicações dos trabalhadores.

  60. Raiza Oliveira disse:

    A crise capitalista provocou uma reorganização no sistema ideológico e político do capital, essa reorganização criou o que é chamado de Terceira via, que possui características como: ideologia neoliberal, reestruturação do sistema de poder com financiamentos de projetos sociais e com educação profissionalizante, pedagogia da hegemonia, divisão entre Estado e empresas no que diz respeito as responsabilidades sociais, ideologia baseada no individualismo, de modo que cada indivíduo se torna responsável pelo seu sucesso e pelo seu fracasso, conceito de cidadania e etc. Este processo possui é apoiado pelas mídias, sendo que elas contribuem para a disseminação dessas ideais e a manutenção do sistema, bem como a aceitação pela sociedade.
    Atualmente, convivemos com estratégias parecidas que são utilizadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso, ou seja, políticas compensatórias/assistencialistas para a sociedade como por exemplo: bolsas (Bolsa Família, Bolsa Escola, ProUni), auxílios, custeamentos e financiamentos que são anunciados como “facilitadores da vida do cidadão, dessa forma, o Estado capitalista assume o papel de educador, com a tarefa de criar estratégias que se adequem melhor ao funcionamento do aparelho econômico de produção capitalista.

  61. Amanda Amaral Perles disse:

    A reorganização no sistema ideológico e político do capital, devido a crise do capital, levou a criação de mecanismos de superação, dando início a reestruturação produtiva, o neoliberalismo, a terceira via, estes para a manutenção do sistema.
    Tais mecanismos serviram como forma de evitar que a classe trabalhadora se rebelasse sentido ao governo, exigindo e reivindicando por seus direitos. Para tanto, o governo mascara a situação econômica de sua população por meio de ações, auxílios, custeios, entre outros que minimizam o descontentamento da maioria, um exemplo é o Bolsa Família. Dessa forma reforça estratégias que colaboram com o sistema econômico capitalista e se opõem à educação para o consenso.

  62. Gleicer Correia disse:

    O capital e seu sistema ideológico e político de dominação vê na implantação da “Terceira via” descrita por Neves (2005, p. 43) como “importante instrumento de ação da nova pedagogia da hegemonia” uma forma de reorganização diante da crise.
    As estratégias que poderiam ser usadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso são as políticas compensatórias e assistencialistas, que englobam programas como “Bolsa Família” “PROUNI” “Bolsa Escola” e outros auxílios, custeamentos e financiamentos.

  63. Mariana Santini Arroyo disse:

    A Terceira Via surgiu devido à reorganização ideológica e política do capital, trazendo mecanismos de superação, dando início a reestruturação produtiva, o neoliberalismo, estes para a manutenção do sistema.
    Para que a população se mantivesse alienada e não se rebelasse contra o governo, criaram-se políticas compensatórias e assistencialistas, como por exemplo: Bolsa escola, Bolsa família e etc. Essas ações resultam no fortalecimento do Estado capitalista, mesmo após sua crise.

  64. Patrícia Santos disse:

    A saída encontrada para superar a crise do capital foi a implementação da política da Terceira Via, onde o Estado “dividiu” suas responsabilidades com o setor privado, que passou a promover ações sociais de inclusão, gerando a imagem de um grande “benfeitor” da sociedade, além da implementação de programas assistencialistas que visam suprir as necessidades imediatas da população mais carente, sem a necessidade de se preocupar em oferecer condições dignas de sobrevivência para estas pessoas a longo prazo. Por meio destas políticas paternalistas cria-se a falsa sensação de “amparo”, diminuindo as reivindicações da sociedade. Para Neves (2005), estas estratégias resultaram na Nova Pedagogia da Hegemonia, que fortalece e sustenta o sistema vigente, perpetuando a desigualdade e injustiça social.

  65. Danny Lima disse:

    Para o capital e o seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizar diante da sua própria crise foi implementado a Terceira Via. Na Terceira Via o Estado divide suas obrigações com o setor privado. De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, as estratégias utilizadas para o fortalecimento dos organismo que se opõem à educação para o consenso são as políticas paternalistas, políticas compensatórias e assistencialistas. Promovendo “benefícios” para a sociedade, com implementações de programas assistencialistas, suprindo as necessidades imediatas das camadas mais baixas, promovendo ações sociais de inclusão. Sem oferecer condições dignas de vida a longo prazo.

  66. Veridiana Santana de Oliveira disse:

    Para a superação da crise do sistema capitalismo um mecanismo econômico que visava a hegemonia da classe mais favorecida e a continuidade da desigualdade social e econômica, a Pedagogia da Hegemonia é relatada em Neves e no filme esta reorganização é mostrada como este mecanismo de dominação ocorre.

  67. Ana Beatriz Galbin Gomes disse:

    Como tentativa de superar a crise do capital, empresas foram introduzidas em países em desenvolvimento, uma vez que nesses países a mão de obra é mais barata e os lucros são maiores. Também foi implementada a política da Terceira Via em que o setor privado e o Estado dividem suas obrigações.

  68. Gisele Lopes disse:

    Com a crise capitalista ocorreu a privatização do Estado, ou o que chamamos de neoliberalismo de Terceira Via, onde foram mantidos os fundamentos do capitalismo neoliberal, acrescidos de medidas que aliviam as condições de miséria que grande parte da população mundial está envolvida e que, ao mesmo tempo, oferece a garantia de Bem-Estar Social, o qual temos o conhecimento de ser ineficiente e injusto. Pessoalmente vivo este um exemplo desse “alívio”, moro em um conjunto habitacional, onde pessoas de baixa renda, ou como se diz “pobres” mesmo, tem a oportunidade de ter uma moradia digamos digna. O governo constroi casas e depois sorteia, com a intenção de ganhar eleitores e não de tirar pessoas de péssimas condições, e além disso sabemos que há roubo de verbas, e muito roubo, pois as casas são entregues com inacabadas e logo já estão caindo pois os materiais são de péssima qualidade. É claro que dessa forma, as famílias beneficiadas se conformam com essa “ajuda”, em sua real condição, e assim, acabam por não se opor aos organismos de poder, ou seja, não realizam manifestações e reivindicações e votam nas eleições.

  69. Evaldo disse:

    Segundo Neves (2005), “A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso” a Terceira Via é uma medida do capitalismo neoliberal que disponibiliza pequenas doses de “ajuda” ao povo, como as bolsas que auxiliam a população de baixa renda a manter seus filhos na escola, a comprar o gás e a realizar um curso superior, situações que temos atualmente como o bolsa-família, bolsa-escola,Vale-gás, Prouni , medidas que certa forma são na verdade uma válvula de escape para que se evite uma revolução da classe trabalhadora, casos como esses geralmente são idealizados por governos populistas. Medidas como essas entre outras como privatizações estatais fazem parte de pacote determinado por um sistema que procurou sobreviver ao se reinventar na roupagem conhecida como neoliberal.

  70. Angelica Camacho disse:

    A nova pedagogia da Hegemonia tinha por objetivo redefinir o padrão de politização fordista por meio da repotilização da política.
    Para superar a crise, o sistema capitalista introduziu a “Terceira Via”. A Terceira Via tem como um dos mais importantes princípios constitutivos do projeto político a reinvenção da sociedade civil, sendo necessária a construção de uma nova sociedade civil, denominada “sociedade civil ativa”.

  71. Daniela Alves disse:

    O capital e seu sistema ideológico e político de dominação criou estratégias para garantir o seu poder e a superação da sua crise através da contribuição financeira para criação de ONGs e trabalho voluntariado com empresas privadas, pois, segundo NEVES (2005) algumas empresas fazem seus funcionários contribuírem com recursos financeiros para ajudar pessoas com menos renda, tendo como plano de fundo o beneficio do capital.
    Em seu texto, Neves (2005) vem trazer a ideia de que a classe trabalhadora precisava ir em busca de uma nova hegemonia, que buscasse uma nova sociedade.
    Mas a realidade vem mostrar que por melhores que sejam as intenções, o capital sempre estará sendo beneficiado. Como podemos ver nos governos do FHC e do Lula com a criação de bolsas e outras ações que são consideradas de grande ajuda às pessoas de classe baixa, mas que essas mesmas ajudas são formas de transformar as pessoas em passivas diante de lutas revolucionarias. As bolsas oferecidas são estratégias do capital em que utiliza a educação para se fortalecer.
    As pessoas acreditavam numa qualidade de vida melhor, mas essas mesmas pessoas são alienadas e não reivindicam novas transformações sociais que podem mudar nosso mundo.
    Com o filme e o texto de Neves podemos ver também que a reestruturação produtiva tem como modelo o Fordismo que foi utilizado pelo capital para garantir mão de obra barata e que tenha trabalhadores flexíveis.
    Por fim, a Terceira Via nos mostra a dominação estratégica que o capital utiliza para transformar qualquer ação em beneficio próprio.

  72. mecia disse:

    O capital com seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou utilizando estratégias de naturalização dessa ideologia como o melhor sistema para sociedade,na defesa da participação civil na prestação de serviços( de responsabilidade do Estado), defendendo a descentralização administrativa do Estado e a transferência de responsabilidade para sociedade civil em nome da “abertura de espaços de participação” ;na defesa do livre mercado e na valorização da individualidade com intuito de fragmentar a luta social e coibir a exigência de direitos coletivos.O sistema “criou máscaras” para disfarçar as reais intenções do Capital(lucro e alienação) se utilizando de instrumentos como as mídias, igrejas e ONGs que enfatizam o valor da “responsabilidade social”. Outro instrumento são as políticas governamentais que prometem “diminuir as desigualdades sociais”. Neves(2005) , cita como estratégia de fortalecimento dos organismo opositores à pedagogia da hegemonia a possibilidade de uma educação(que nos remete ao pensamento de Mészaros) que valorize a união dos indivíduos e a luta por seus verdadeiros direitos sociais coletivos, destituindo assim, a ideologia individualista que beneficia apenas uma minoria privilegiada.

  73. Hayanne Zahra disse:

    Para que houvesse a reorganização do capitalismo, diante a crise o qual se encontrava, a estratégia – assim pode-se dizer – elaborada pelo capital foi de uma ideologia neoliberal de Terceira Via, em que foram introduzidas empresas nos países ainda não desenvolvidos, com o intuito de se ter mão de obra barata. No Brasil, a ideia foi adotada durante o governo de FHC e na fundação do PSDB. Segundo Neves (2005), autor do livro “A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso” a ideologia da Terceira Via, com o governo, proporciona auxílio à sociedade, por meio de bolsas e diversas alternativas que faça com que a população sobreviva ao sistema corrente, de maneira enganosa para não haver exigências por meio da população, não havendo meios para que as condições sociais se igualem. Assim, mantém-se os interesses dos que já se encontram no poder e no sistema – os quais se opõe à educação para o consenso.

  74. Andressa Parra disse:

    O capital e seu sistema ideológico e político se reorganizou diante de sua crise de forma que reduzisse os problemas que se deparavam, que nada mais é que a ideologia neoliberal, em nosso país foram trazidas empresas com alguns descontos em aluguéis, redução de impostos, com o intuito da mão de obra barata. Esse modelo é o neoliberal (“Terceira Via”) que conciliou o capitalismo e o socialismo, que na realidade ele disfarça a política econômica. De acordo com Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, traz uma estratégia contra-hegemônica para que a classe menos favorecida não seja esquecida, oferecendo à eles algumas ajudas.

  75. Bruna Belluci disse:

    Vimos em sala de aula a Pedagogia da Hegemonia que é a responsável por definir o padrão fordista através da política. O neoliberalismo encontrado na terceira via é uma forma de mostrar uma situação confortável à população. Vimos no filme bem rapidamente a greve dos mineradores que lutavam por melhores condições de trabalho, mas ao final tiveram que voltar a trabalhar sem receber nada pois suas famílias já estavam em condições de miséria. Para superar a crise, introduziram a Terceira Via, que vinha para construir um projeto político e reinventar a sociedade civil, a chamada sociedade civil ativa. Vemos então que o modelo é criado para conciliar o capitalismo com a necessidade da população para que não haja reivindicações.

  76. Nayara Koseki disse:

    O capital e seu sistema ideológico e politico de dominação se reorganizou diante de sua própria crise, introduzindo empresas em países subdesenvolvidos com a politica neoliberal de Terceira Via. De acordo com Neves (2005) em “A Pedagogia da Hegemonia”, atualmente os programas criados pelo governo são as estratégias e alternativas usadas para o fortalecimento dos organismos que compõe a cidadania para o consenso, pois através dessa politica são disponibilizadas bolsas que auxiliam a população de classe baixa, a manter seus filhos na escola, sua casa e a realizar um curso superior. Sendo assim, o modelo neoliberal de Terceira Via, cria maneiras de conciliar o mercado capitalista e as necessidades da população, para que não haja reivindicações e predomine seu próprio interesse.

  77. Thaís Leite disse:

    O filme de Neves retrata a questão do governo de Margaret Tacher e Neves caracteriza o modelo governamental da 3° via, o neoliberalismo, Sendo esta, (a terceira via) uma estratégia para se manter na crise do capital. O Capital e seu sistema ideológico e político de dominação reorganizou-se perante a própria crise por meio de um discurso neoliberal em que procurou conciliar o capitalismo de livre mercado e o socialismo democrático com o intuito de disfarçar a política econômica para a aceitação do povo.
    Atualmente, as alternativas a serem usadas, segundo Neves(2005), para o fortalecimento dos organismos que se opõem a educação para o consenso são as famosas “Bolsas Auxilio” doadas pelo governo a classe menos favorecida afim de que sua necessidades sejam em partes supridas e que não haja reinvindicações e não façam mobilizações de descontentamento.

  78. Fernanda Rissardi disse:

    Com a crise do capital houve a promoção de manobras para a sua eliminação. Dessa forma, nasce, aliado ao neoliberal, a Terceira Via visando a perduração do sistema. Cria-se também a meritocracia, concebendo a ilusão de que todos os indivíduos são responsáveis pela sua ascensão ou pela sua falha. O assalariado então é explorado e origina-se uma competitividade no mercado, posto que o trabalhador internaliza e admite o conceito da meritocracia. As empresas exploradoras de trabalhadores empregam alianças com o governo, órgão que persevera o controle social, instaurando-se a promoção de bolsas, possibilidades de créditos e inúmeros outros mecanismos para que a população possa conservar-se e permanecer obediente sem criar manobras para a eliminação do capital.

  79. Mariana Lemes disse:

    De acordo com Antunes “Como resposta á sua própria” crise, iniciou-se um processo de reorganização do capital e de seu sistema ideológico e politico de dominação, cujos contornos mais evidentes foram o advento do neoliberalismo, com a privatização do Estado, a desregulamentação dos direitos do trabalho e a desmontagem do setor produtivo estatal (Antunes, 1999, p.31), ou seja, para superar a crise, o sistema econômico capitalista introduziu empresas em países em desenvolvimento e a política da Terceira Via. Para Neves, com essa introdução oferece trabalhadores e bolsas de auxilio para a população, pois assim a classe menos favorecida “consegue suprir” suas necessidades e não há reivindicações e mobilização contra os governos.

  80. Fernanda Janaina Leso disse:

    Por consequência da crise que sofreu o Capital, o governo neoliberal implementou novas empresas para injetar recursos novos na economia assim gerando a terceira via. A ajuda destinada ao Estado encontra-se na ação compensatória de criação de bolsas, uma forma se ajuda financeira a classe menos favorecida, mascarando a verdadeira queda na economia e a forma de altos tributos gerados. Desta forma, consolida-se a forma de calar o povo pela ajuda financeira, mas não digna, para que este já alienado possa encontrar-se como satisfeito em seu Estado político.

  81. Camila Pavaneli disse:

    Diante da crise, o capitalismo se reorganizou no sistema ideológico e político do capital. Tal reorganização criou a Terceira Via. O filme retrata a questão do governo de Margaret Thatcher no modelo governamental da Terceira Via, o neoliberalismo, no qual possui características como a ideologia baseada no individualismo, de modo que cada indivíduo se torna responsável pelo seu sucesso e pelo seu fracasso, conceito de cidadania, a reestruturação do sistema de poder com financiamento de projeto sociais e com educação profissionalizante. Neves (2005) afirma que essa ideologia age como parte do processo do de ampliação do estado e manutenção da burguesia, transferindo os recursos públicos para o privado, atuando como respaldo financeiro para famílias em condições financeiras baixas para evitar atitudes que se opusesse aos organismos de poder. Um exemplo disso, na nossa sociedade brasileira, é a questão do Bolsa Família, Fies, ProUni. Há, portanto, auxílios, custeamento e financiamento, o Estado assume papel de educador tendo como premissa estratégias que se adequem a reprodução capitalista.

  82. Marina Martins disse:

    A reorganização do capital, frente a sua crise, acontece a partir da introdução de empresas em países subdesenvolvidos, juntamente com a política neoliberal, isto é, a política de Terceira Via. De acordo com Neves (2005), essa política de Terceira Via, atuaria como um respaldo financeiro para famílias com condições financeiras baixas, a fim de evitar reivindicações, manifestos e qualquer outra atitude que se opusesse aos organismos de poder. No filme, é possível observar bem o sistema tratado bem como os conflitos e as lutas de classes envolvidas. A terceira via, vem para amenizar as reinvindicações do povo e ao mesmo tempo manter o capital, agora não tão claro, oferecendo a população elementos que possa deixa-la mais satisfeita para evitar revoltas.Para Neves (2005), estas estratégias resultaram na Nova Pedagogia da Hegemonia, que fortalece e sustenta o sistema vigente, perpetuando a desigualdade e injustiça social. Esta ideologia, apresenta estratégias e/ou alternativas utilizadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso, ou seja, políticas compensatórias/assistencialistas para a sociedade se contentar e não reivindicar seus verdadeiros direitos.

  83. Rebeca Gomes disse:

    Para tentar aliviar a miséria, as desigualdades sociais,a falta de moradia e outros problemas da sociedade, a Terceira Via é uma política do Estado, que foi criada pelo sistema Capitalista Neoliberal com intuito de superar a crise.Essa Política cria mecanismos para que essa sociedade não reivindique melhoras através de manifestos e reivindicações, porque a essas pessoas são oferecidos “apoio” pelo Estado com projetos como Bolsa família. As pessoas aceitam assim as condições de vidas que elas têm, porque há um consenso de que o Estado cria melhores condições de vida. Podemos associar essa questão ao filme e ao texto de Neves, o filme retrata a questão do governo de Margaret Tacher e Neves caracteriza o modelo governamental da 3° via, o neoliberalismo.

  84. Letícia Veste Correia disse:

    De acordo com Neves (2005), a política da “Terceira Via” foi introduzida pelo sistema capitalista como estratégia para manter a hegemonia das políticas neoliberais, utilizando medidas remediam algumas situações para mudar a atenção da população em relação às suas reivindicações.
    Depois da fase de expansão no início do pós-guerra, o capitalismo vive um período de crise e para solucionar o sistema usa estratégias de superação, que foram a reestruturação produtiva, neoliberalismo, globalização e a Terceira Via, que serve para distorcer a verdadeira situação econômica do povo.

  85. Maiara Carnelossi disse:

    Para superar a crise, o sistema econômico capitalista introduziu empresas em países subdesenvolvidos e a política de “Terceira Via”, com o intuito de desviar a atenção da população e implantar a mão-de-obra barata. Segundo Neves (2005), o capitalismo utilizou como estratégia a “Nova Pedagogia de Hegemonia”, com objetivo real de distorcer a situação econômica da população por meio de ações que minimizam as reivindicações, evitando a oposição populacional por meio da educação, criando tipos de bolsas que dão dinheiro a determinadas famílias, programas educacionais e de fácil acesso para as classes baixas, etc.
    Esse modelo capitalista implantado vem “suprir” as necessidades da população de baixa renda, desviando assim a atenção destes para que eles não viessem a reivindicar seus direitos, ou seja, mascarando o que realmente acontecia.

  86. Beatriz Rincão disse:

    Com a crise no sistema capitalista foi necessário criar métodos, os quais superassem essa crise, portanto, o modelo economico do capital trouxeram empresas que estavam em constante desenvolvimento e junto com as empresas trouxarem também uma política chamada Terceira Via, a qual mostrou que o capitalismo utilizava de uma estratégia de tirar o foco da população nos conflitos da epoca para trazerem mão de obra barata, que foi denominada de pedagogia Hegemonica que tinha e tem como objetivo porque vimos até hoje desviar a atenção da sociedade a partir da econimica para que a mesma não ‘lute” pelos seus direitos, fazendo com que não haja ninguém contra o gorverno ou contra a oposição.

  87. Jacqueline Rezende disse:

    Para superar a crise em que viviam, o sistema econômico capitalista introduziu várias empresas em países em desenvolvimento e então se instaurou a política de “Terceira Via”. Segundo Neves (2005), o capitalismo utilizou-se de estratégias, como a Nova Pedagogia da Hegemonia, com objetivo real de distorcer e modificar a situação econômica da população por meio de ações que minimizam as reivindicações, evitando a oposição populacional por meio da educação, fazendo com que as pessoas não lutem por seus direitos, sem oposição ao governo vigente.

  88. maely disse:

    Para neves (2005) a politica da “terceira via” tem por finalidade manter a hegemonia e superar a crise, esta foi criada pelo sistema capitalista. Tal politica possui o poder de criar mecanismos e situações que transitem a sociedade o desejo de buscarem e reivindicarem por melhorias. Esse paradigma se reflete nos dias de hoje, como os programas criados pelos governos, que na verdade são meios intuitivos a fortalecer a cidadania para o consenso.

  89. Noemi disse:

    As estratégias e/ou alternativas que poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso seria uma grande participação dos profissionais da educação em relação ao ato grevista. Pois assim se fortalece os sindicatos e gera um modelo contrario ao capital e o ambiente passa a ser de coletividade pelos interesses comuns. Ou seja, operário é chamado a participar das decisões, não é apenas um operador de máquina, mas um colaborador da empresa, polivalente, que opera várias máquinas e compreende todo o processo de produção, o trabalhador flexível, mas continua com baixo salário. A estratégia do capitalismo, diante sua crise, foi a dinamicidade comercial, ou seja, a introdução de empresas em países subdesenvolvidos, e a grande hegemonia das políticas neoliberais, como por exemplo, a política de “Terceira Via”. Neves (2005) retrata em seu livro, essa grande estratégia do capitalismo, que é A Nova Pedagogia da Hegemonia com o “Estado ampliado” ou a “Terceira Via”, sendo condições do capitalismo neoliberal com medidas miseráveis de socialismo democrático para “maquiarem” a verdadeira política econômica para o povo, por meio de: Bolsa família; Bolsa gás; Prouni, entre outras formas, sendo essas, as estratégias dos organismos se fortalecerem para se opor à educação para o consenso.

  90. Luany Pyetra disse:

    Diante a crise,o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou e criou estratégias partindo dos modelos do neoliberalismo, a que chamamos “Terceira Via”. Nesse contexto, o povo tem uma visão distorcida do que realmente esta passando na política, (lembrando que esse é o ideal da “Terceira Via”), e as alternativas que o governo utiliza para manter essa posição é proporcionando auxílio a população, por meio de bolsas e programas assistencialistas.

  91. Mylena Pereira disse:

    De acordo com o texto estudado por Neves “A nova política da hegemonia” pode-se perceber que a política de Terceira Via visa primeiramente conciliar o extremo entre Socialismo e Liberalismo para apresentar uma nova “política- econômica “ para o mundo do capitalismo. A Terceira Via que é um instrumento de ação da nova pedagogia da hegemonia ((NEVES, 2005, p.43) ,é um financiamento de algumas políticas para a população de massa afim de “aparentemente” transferir o dinheiro privado em ações públicas para evitar descontentamento da população. Um exemplo de como aplicar isso nos dias de hoje é através das “bolsas auxílio” distribuído para a população brasileira através do ProUni, Bolsa família, Bolsa Escola, Bolsa alimentação, Auxílio Gás entre outros outras ações oferecidas pelo governo como forma de fortalecimento e evitar o descontentamento da população.

  92. Janaine Braga Ramos disse:

    Após a crise pós-guerra a houve como resposta a reestruturação da produção. De modo que os trabalhadores tiveram que se readaptar ao sistemas, uma das principais exigências ao trabalhador foi o fato de que agora era necessário um processo educacional compatível com os anseios principais do capital em crise: redução dos investimentos estatais e fornecimento ao aluno-trabalhador de competências básicas para o trato com a nova organização flexível do trabalho. Além disso, observamos que essa educação conta com um componente subjetivo não menos importante para a manutenção da hegemonia capitalista em tempos de crise, a noção de cidadania.
    Constantemente difundida pelos meios de comunicação e também presente nos documentos norteadores da educação pública brasileira, o conceito de cidadania significa, de certa maneira, a formalização da igualdade.
    Como expressão da luta entre as classes, o discurso da cidadania visa a suprimir o antagonismo burguesia/trabalhadores e produzir um horizonte de inclusão de todos os indivíduos dentro de uma ordem estabelecida, perpétua e inalterável. A ascensão do neoliberalismo como resposta à crise estrutural do capital introduz princípios desta corrente de pensamento na estrutura de organizações internacionais. Sendo assim, a escola enquanto aparelho ideológico do capital, cumpre sua função de moldar as massas para servir o capital.

  93. Ana Claúdia disse:

    Através da reorganização do capital onde acontece a introdução de empresas em países não desenvolvidos, criou-se a política de “Terceira Via” e que segundo Neves (2005) seria uma forma de “amenizar as tensões entre a busca do lucro da sociedade e o necessário caráter autoritário do Estado”, ou seja, criando programas como Bolsa Família, Prouni, Fies e outros com o intuito de fazer com que mantenha-se o interesse dos que já estão no poder e opondo-se a educação do consenso.

  94. Nicole Sangalli disse:

    A reorganização do capital foi feita por meio da política de Terceira Via que foi criada com o objetivo de utilizar mão de obra barata através da implantação de grandes empresas em países subdesenvolvidos.
    Neves (2005) afirma que a Terceira Via é uma medida empregada pelo capitalismo neoliberal que disponibiliza “ajuda” a população de classe baixa, oferecendo diversos benefícios.
    Com isso a população de baixa renda acaba não reivindicando seus direitos, já que o Estado está oferecendo algum tipo de “ajuda”, e este modelo chamado de Terceira Via vem de encontro também com o modo de produção capitalista, reorganizando-o e restruturando-o.

  95. Silmara Dias disse:

    Após a Segunda Guerra Mundial, com a crise do capital, foi realizada uma serie de medidas para recompor o bloco capitalista, na busca pela manutenção e fortalecimento da sua hegemonia.A ” Terceira Via”, ideologia social democrata implantada com a criação do “estado do bem social” foi uma forma de harmonizar os interesses entre os dominantes e os dominados, para que não houvesse uma onda de revoltas por parte dos trabalhadores ante a crise instaurada. Outra medida também, foi a transferencia de obrigações do Estado para a sociedade civil, ele agora deixa de ser central, para ocupar o papel de intermediario entre os interesses socialistas e liberalista, em uma combinação eficaz entre o consenso e a coerção.

  96. Caroline Teixeira disse:

    Neves (2005) trás a Terceira Via como uma medida empregada pelo capitalismo neoliberal que disponibiliza “ajuda” a população de classe baixa, oferecendo diversos benefícios. Contudo, essa medida visa trazer o conformismo para a população de classe baixa evitando revoltas e dando a ilusão de “oportunidades iguais”.
    Podemos ver claramente nos dias de hoje essas medidas. Programas como PROUNI, FIES, BOLSA FAMÍLIA, entre outras ações, são disponibilizados pelo governo como forma de conter/contentar a população.

  97. Vera Lucia Vançan disse:

    Com a crise no sistema capitalista ocorre a reestruturação produtiva acarretando transformações no processo produtivo e mudanças sociais, determinando consequencias sinificativas para o mundo do trabalho, as quais permanecem até os dias atuais. Com a introdução dos métodos de produção conhecidos como fordismo, taylorismo e toyotismo vamos encontrar trabalhadores alienados e mal remunerados, além do aumento do desemprego e aumento do trabalho informal, situação que favorece a manutenção do capitalismo.

  98. Vera Lucia Vançan disse:

    A reorganização do capital se deu por meio da política do neoliberalismo, um conjunto de ideias políticas e econômicas capitalistas que defende a não participação do estado na economia, com total liberdade de comércio, para garantir o crescimento econômico e o desenvolvimento social de um país. Foi criada a política da terceira via que divide responsabilidades sociais do estado com setores privados, como empresas privadas e ONGs. Foram criadas medidas políticas para diminuir a miséria da população e aumentar o poder de compras.

    • Leila Garbelini Soares disse:

      Vera, concordo com suas colocações. O Estado brasileiro se transformou em “Quartel-General” de atuação e manutenção dos interesses de proprietários de meios de produção, afirmados e garantidos por corporações midiáticas. Essas corporações vendem a ideia necessária: aproveite as “oportunidades” que aparecem; faça máximos esforços; tenha seu próprio negócio (não dependa do Estado…); transforme o simples em grandioso; seja solidário (garantindo, por princípio, o que é seu); exerça um trabalho voluntário, compreendendo que a pobreza sempre vai existir (afinal, ela é necessária…); seu lugar na sociedade está garantido pelo seu poder de consumo; somos todos iguais, pois somos todos igualmente “cidadãos”… Enfim, toda ilusão necessária para a passividade popular é explicitada, em cores e sons vibrantes… Entram em ação, então, o controle social e o vazio intelectual de mentes humanas, tão individualizadas…

  99. Franciane disse:

    A partir do início da década de 1970 o sistema capitalista apresenta uma crise econômica que se agrava com a crise do petróleo que ocorreu em 1973. Então, surge, na Inglaterra, no governo de Margaret Thatcher, e nos EUA, no governo do presidente Ronald Reagan, a política econômica do neoliberalismo cuja ideologia fundamental era de que o Estado, de maneira geral, não deveria interferir na organização do capital produtivo e financeiro e deveria, também, flexibilizar as relações trabalhistas, inclusive favorecendo a privatização das empresas estatais (cuja maioria era considerada improdutiva ou deficitária) para ser organizado e administrado pela iniciativa privada que tornaria estes setores da economia mais produtivos e lucrativos. Conforme Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, o neoliberalismo te estratégias para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso. Existem vários exemplos dessas estratégias na atualidade como alguns programas sócio-econômicos do governo federal (Bolsa família, PROUNI, Programa de cotas raciais, etc.) que procuram auxiliar as classes sociais menos favorecidas e assim acaba desarticulando movimentos políticos reivindicatórios desses grupos sociais.

  100. Marieli Bianchi disse:

    Com a crise do capital, lança-se empresas em países subdesenvolvido para reorganização e reestruturação favorecendo assim a politica da “terceira Via” que favoreceu e fortaleceu a ideologia da hegemonia, incentivando a mão de obra barata e “maquiando” os deveres do Estado com a sociedade por meio da criações de “auxílios” para as classes menos favorecida ( ex: Bolsa Familia, Renda cidadã, PROUNI, etc..)

  101. Adriane Paulino disse:

    Devido à crise do capital, viu-se necessário criar mecanismos de superação, o que deu início à reestruturação produtiva e à Terceira Via assim chamada por Neves (2005), que corresponde ao Neoliberalismo. O Neoliberalismo divide as responsabilidades do Estado com empresas, o que se denomina responsabilidade social empresarial substituindo-se a ideia de filantropia empresarial.
    Os mecanismos de superação serviram como forma de evitar que a classe trabalhadora se rebelasse sentido ao governo, exigindo e reivindicando por seus direitos. Deste modo, o governo mascarou a situação econômica de sua população por meio de ações, auxílios, custeios, entre outros que minimizam o descontentamento da maioria, reforçando, assim, estratégias que colaboram com o sistema econômico capitalista e se opõem à educação para o consenso.

  102. Ana Régio disse:

    A reorganização se deu por meio do ideal neoliberalista, que como retrata Neves (2005), acontece com implantação da “Terceira Via” que se caracteriza a tentativa de equilibrar os extremos entre o socialismo e liberalismo, visando o financiamento de políticas compensatórias, com as privatizações, objetivando amenizar a insatisfação da massa, evitando assim, revoltas sindicais.

  103. Júlia Neves Ferreira disse:

    Diante da crise, a estratégia de reorganização do capitalismo aconteceu a partir da política de Terceira Via, constituída como um importante instrumento de ação da nova hegemonia, onde foram introduzidas empresas em países subdesenvolvidos, com o objetivo de utilizar mão de obra barata. De acordo com Neves (2005) a Terceira Via seria uma medida empregada pelo capitalismo neoliberal como uma forma de amenizar as tensões entre a busca do lucro da sociedade e o necessário caráter autoritário do Estado, disponibilizando ajuda à população de classe mais baixa por meio de ações e benefícios que minimizam as reivindicações evitando, assim, a oposição populacional fazendo com que essas pessoas acabem por não reivindicar e lutar pelos seus direitos.

  104. Adriane Ruis da Silva disse:

    O capital e seu sistema ideológico tiveram de adaptar-se/reorganizar-se com a introdução da política da Terceira Via, a qual procurava construir um novo programa que adequasse a velha socialdemocracia às novas ideias e políticas neoliberais hegemônicas, implementando dessa forma empresas em países em desenvolvimento, afinal a mão de obra era mais barata. Segundo Neves (2005) a Terceira Via buscou amenizar os conflitos existentes e/ou que poderiam surgir entre operadores e donos dos meios de produção, criando mecanismos tais como “Bolsa-Família” e demais “benefícios do governo”- benefícios esses que permitiriam melhores condições de vida. Dessa maneira evitavam-se reivindicações.

  105. Natália Feltrin disse:

    Com a crise do capital, este teve que se reorganizar por meio da política da Terceira Via, uma corrente que tenta conciliar a direita e a esquerda defendendo o Estado necessário, introduzindo empresas nos países subdesenvolvidos onde a mão de obra é mais barata. De acordo com Neves (2005) a terceira via seria uma forma de ‘ajudar’ as pessoas com alguns programas como: FIES, Bolsa-família de modo a conter e a contentar o povo. O que leva as pessoas acharem que todos tem os mesmos direitos e as mesmas condições e que se você não conseguiu foi porque não se esforçou o suficiente (meritocracia), pois oportunidade o governo proporciona.

  106. Verbênia Dias Araújo disse:

    Diante da grande crise do capitalismo a partir da década de 70, emerge a reestruturação produtiva, a qual se dá por sucessivos processos de transformações nas empresas e indústrias, e que era caracterizado pela desregulamentação e a flexibilização do trabalho. Nesse momento, com o Neoliberalismo, a política da Terceira Via, tenta conciliar a direita e a esquerda, a qual não é o liberalismo clássico e nem o socialismo, mas um importante fator para a ação da hegemonia. Em sua ideologia trás que não há mais conflitos entre capital e trabalho. Isso seria um mecanismo para amenizar a miséria e as desigualdades sociais, pois assim a sociedade que vive em condições desfavoráveis não reivindicaria melhoras, pois à elas são oferecidos apoio pelo Estado, como afirmado por Neves (2005). Uma das estratégias foi a implementação de empresas em países subdesenvolvidos, no entanto, essas usavam mão de obra barata para obterem o lucro.

  107. Carolina Puga disse:

    A partir da década de 1970, veio à tona a Reestruturação Produtiva, como resposta a crise que o capitalismo enfrentava na época. Essa reestruturação trouxe impactos profundos nas empresas como a desregulamentação do trabalho. Diante desse contexto, surge o Neoliberalismo, política da Terceira Via, que tenta acalmar os ânimos aliando direita e esquerda e tendo como discurso o fim das desigualdades sociais.Na prática, a política tinha como intenção evitar protestos e reinvidicações

  108. Ana Cláudia de Oliveira Pereira disse:

    O capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou por meio de uma visão neoliberal, com isso ocorre à privatização do Estado, conhecido no neoliberalismo como a Terceira Via, os fundamentos do capitalismo neoliberal são mantidos e são acrescentadas medidas que vão aliviar a pobreza da maior parte da população, ao mesmo tempo em que o Bem-Estar Social, totalmente injusto, é garantido.
    Neves apresenta a Terceira Via como parte do processo de sustentação dos ideais burgueses que são efetivados com a transferência de recursos públicos para o setor privado, deixando de lado a necessidade da implantação de maneiras efetivas para a superação e a organização social da classe trabalhadora, que é dominada e explorada, e trazendo cada vez mais políticas compensatórias das quais o Estado oferece para amenizar as necessidades do trabalhador. As famílias beneficiadas se conformam e aceitam essas políticas compensatórias, pois é o que “elas têm para hoje” e acabam não se opondo aos organismos de podem, não realizam manifestações e nem reivindicações, se conformam.

  109. Carolina Longo disse:

    O capital e seu sistema ideológico e político de dominação, devido a crise do capital, se reorganizou levando a criação de mecanismos de superação, dando início a reestruturação produtiva, o neoliberalismo, a terceira via, para a manutenção do sistema.Por intermédio desses subterfúgios, como a “inclusão social” estimula a ideia/ prática de que, muito mais importante do que a denúncia de um modelo comprometido com a exploração, a qual poderia ser um potente estímulo à contra hegemonia, seria a constituição de ações voltadas para a conquista desses mesmos contingentes sociais.O governo ameniza a situação econômica de sua população por meio de ações, auxílios, custeios, entre outros que minimizam o descontentamento da maioria.

  110. Danielle Oliveira disse:

    Visando superar a crise que o sistema capitalista enfrentava, foram introduzidas em países em desenvolvimento uma nova reestruturação produtiva, e então se instalou a política da chamada “terceira via”. Tal política tem como objetivo desviar a atenção da crise econômica que a população vive e introduzir a mão de obra barata. Ou seja, para que a sociedade não reivindique igualdade social, melhores condições de vida e etc., essa política cria um “apoio” à sociedade com míseros projetos, causando a ideia de que o Estado se importa com o povo e cria melhores condições de vida para os menos favorecidos, assim amenizando a insatisfação e a revolta.

  111. Celene Gomes Orives disse:

    Para que a crise do capital fosse superada,foi necessário introduzir uma nova reestruturação capitalista, a terceira via e o neoliberalismo. Esses modos de política do governo visavam amenizar/disfarçar a situação econômica da população,minimizando o descontentamento da maioria.
    Ainda hoje, o governo continua “maquiando a realidade ” de seu povo através de programas de apoio como o “Bolsa-Família” entre outros – o que na verdade merece uma discussão mais aprofundada, pois não é de todo ruim -.

  112. Luis Henrique dos Santos Barcellos disse:

    A redução dos níveis de produtividade causadas pelas crises estruturais do Capital no Taylorismo e Fordismo, mostrou-nos sinais de esgotamento do modo de produção vigente.
    Ante a crise o Capital sente a necessidade de reorganizar com novas formas de acumulação, dai a primeiro acontecimento se dá pelo Toyotismo com estrutura mais “flexível” e a falácia da “qualidade total”. Desse movimento foi se dando a reestruturação produtiva, banhada pela busca por mais qualidade na formação e privatizações por exemplo.
    O reflexo na educação se dá pelas diversas “pedagogias” que surgem, como a pedagogia das competências, do ócio, de projetos, empresarial, do amor etc, que visam a educação para o consenso, uma educação para a hegemonia desse sistema.
    Devemos nos ater a possibilidades de superação dessas pedagogias que reforçam as identidades de classes, buscando uma educação mais pluralista, libertando-se das tendências reducionistas presentes nos projetos de educação presentes nos PCN (1997) e das igrejas e ONGs.

  113. Tainara Rodrigues disse:

    O modelo neoliberal, chamada por Neves (2005) de “Terceira Via”, surgiu para conciliar o capitalismo de livre mercado e o socialismo democrático e tem papel central na redefinição das fronteiras entre o público e o privado, assim como na mudança do papel do Estado para com as políticas públicas e nas consequências para a construção da democracia. Segundo Neves (2005), as alternativas a serem usadas é as que nos fazem pensar em uma educação contra hegemônica, de modo que fortaleça os organismos que se opõem à educação para o consenso, como as políticas compensatórias e assistencialistas, que englobam programas como “Bolsa Família” “PROUNI” “Bolsa Escola” e outros auxílios, custeamentos e financiamentos, doadas pelo governo à classe menos favorecida, a fim de que suas necessidades sejam, em partes, supridas e que não haja reivindicações, nem mobilizações de descontentamento.

  114. Thainá Carmona disse:

    A introdução de novas tecnologias desencadeou uma série de efeitos sociais que afetaram os trabalhadores e sua organização. Esses efeitos, que se pode chamar de “impactos sociais”, repercutiram nos processos de trabalho, na qualificação da força de trabalho, nas próprias condições de trabalho, na saúde do trabalhador e conseqüentemente nas políticas de ocupação, afetando diretamente a questão do emprego. O uso de novas tecnologias trouxe a diminuição do trabalho necessário que se traduz na economia líquida do tempo de trabalho, uma vez que, com a presença da automação microeletrônica, começou a ocorrer a diminuição dos coletivos operários e uma mudança na organização dos processos de trabalho.
    A nova pedagogia da hegemonia consideradas como uma das diferentes estratégias do capital, propõe o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso através de programas sócio-econômicos do governo federal como: Bolsa família, PROUNI, que procuram auxiliar as classes sociais menos favorecidas e assim acaba desarticulando movimentos políticos reivindicatórios desses grupos sociais.

  115. Thailene disse:

    A reorganização do Capital, diante da sua crise, aconteceu a partir da introdução de empresas em países subdesenvolvidos, juntamente com a política neoliberal, isto é, a política de Terceira Via. Segundo Neves (2005), o capitalismo utilizou como estratégia a Nova Pedagogia de Hegemonia, com objetivo real de distorcer a situação econômica da população por meio de ações que minimizam as reivindicações, evitando a oposição populacional por meio da educação.

  116. Marina disse:

    Na tentativa de superação da crise e de uma reorganização do capital, o sistema capitalista neoliberal criou a política de Terceira Via introduzindo empresas em países subdesenvolvidos. Além disso, o capitalismo ainda usou como estratégia a Nova Pedagogia da Hegemonia, com o intuito de mascarar/ distorcer a real situação econômica através de ações que visam suprir as necessidades das populações de baixa renda, desviando assim a atenção destas e minimizando as reivindicações.

  117. Tainara Rosa Teixeira Leandro disse:

    Com a crise do capital os modelos taylorismo e fordismo são abalados, tendo então o atual modo de produção esgotados, fazendo com que as empresas sejam forçadas a buscarem novas soluções, surgindo o modelo Toyotista, mudando a estrutura de produção.
    A estratégia do capitalismo diante da crise foi a política “Terceira Via”, a qual segundo Neves (2005) é uma medida neoliberal que disponibiliza “ajudas” ao povo, como bolsas de todos os tipos, criando, assim, maneiras de conciliar o mercado capitalista e as necessidades da população, para que não haja reivindicações, como aparece no filme, as greves no mercado de trabalho.

  118. Leila Garbelini Soares disse:

    O Neoliberalismo, novo “fôlego” do Capitalismo, pratica a Pedagogia de “Formação do Consenso”, ou seja, pratica a “formatação” da mão-de-obra explorada (trabalha muito e recebe pouquíssimo dinheiro: manutenção da ordem social elitizada).

  119. Rayane Silva disse:

    Com a crise do capitalismo, o seu sistema ideológico e político de dominação criou a política de “Terceira Via”, sendo a introdução de empresas nos países não desenvolvidos. Para Neves (2005), foi uma estratégia do capitalismo para maquiar a verdadeira política econômica para a população, surgindo bolsas de auxílio e um processo de manutenção da burguesia, transferindo recursos públicos para os privados, oferecendo esse respaldo para as famílias de condições financeiras baixas, evitando atitudes que se opusesse ao poder.

  120. Thalita Blanco Penha disse:

    O mecanismo que auxilia o capital a se manter no poder e evitar que a população tente de alguma maneira se “rebelar” está em dois principais pontos. A ideologia de que cada um é responsável por sua situação, que para mudar de vida somente o sujeito é capaz de fazer e a responsabilidade é somente dele, ou seja um pensamento individualista. E a outra forma de contenção no capitalismo está nos auxílios disponibilizados pelo governo, influenciando no conformismo existente na população.

  121. América disse:

    A politica de Terceira Via é um verniz do ESTADO E uma forma de transportar responsabilidade para outrem. Percebemos o apoio que o Estado oferece para grandes corporações, para que seja feito investimentos industriais milionários em países e/ou regiões subdesenvolvidas. Aparentemente subentende-se que estão gerando empregos e oferendo condições mais digna de sobrevivência, mas nas entrelinhas não há nada de boa ação, tudo faz parte do lema da exploração, tanto da natureza como do trabalho humano. Aproveitam das tristes realidades sociais do povo para lucrarem muito. Quanto a Política de Terceira via ela apenas deixa as coisas como estão, tomam medidas imediatas frente as realidades sócio econômica das massas populares, mas nada fazem, de fato e positivo, para mudar e transformar estas realidades.Tudo faz parte do esquema capitalista e das ideologias neo liberais, para ”literalmente enganar o povo de baixa renda”. Estas medidas são forma de manipulação do povo, para que estes acreditem nas boas intenções do governo e se tornem dependentes do mesmo, e ao mesmo tempo, não con testam nem questionam aquilo que esta sendo feito de forma prejudicial à sociedade, pois temem perder os ”benefícios”. Alienadamente dão carta branca para o Sistema imperar e fazer o que bem entende. Essas estratégias são para amparar a crise do capital e ao mesmo tempo dar a impressão de politica socialista, para que não percebam que tudo não passa de um jogo de poderes, da classe dominante contra a classe dominada.
    Em relação as Organizações Não Governamentais, que também fazem parte do terceiro setor…coincidentemente uma emissora de TV esta passando uma novela com o titulo a Regra do Jogo, onde estão reproduzindo os verdadeiros interesses por detrás de muitas ”Ongs”. nesta novela fala-se muito do crime organizado usando a fachada destas instituições para se dar bem, mas nós sabemos sobre os inúmeros crimes de colarinho branco por detrás destas instituições sem fins lucrativos e com o ”intuito” de ajudar o povo. me engana que eu gosto.
    No mundo do capitalismo: ”manda quem pode obedece quem tem juízo.”

  122. Natália Diniz Feltrin disse:

    Com a introdução da Terceira via que é uma corrente da ideologia social democrata que tenta conciliar a direita e a esquerda, defendendo um Estado necessário o sistema capitalista teve que se reorganizar e se adaptar implementando empresas em países subdesenvolvidos, com o objetivo de utilizar mão de obra barata. Conforme Neves (2005), a Terceira via tenta diminuir os problemas oferecendo alguns subsídios à população, como, por exemplo: Bolsa família e o FIES, sendo uma estratégia do governo, pois faz à sociedade se “contentar” um pouco evitando mais reivindicações. Além disso, essa estratégia do governo nos faz pensar que se o individuo não conseguiu algo é porque não se esforçou o suficiente (meritocracia), pois condições o governo possibilita.

  123. Amanda Vivan disse:

    Com a crise do capitalismo na década de 1970 e falência do modelo de bem estar social, a reestruturação do capital tratou de elaborar novas estratégias como a Terceira Via, situada entre a esquerda e a direita, ou seja, buscando manter um discurso de liberdade e promoção social, porém, conservando a mesma ordem vigente. Nesse contexto, é difundida a ideologia de responsabilidade social à sociedade civil tanto através de mecanismos midiáticos, quanto elaborados pelo próprio governo. No livro citado, a autora expõe brilhantemente esses mecanismos e a articulação do Estado e da sociedade civil na criação da pedagogia para a hegemonia, sobretudo, a partir do governo de FHC, quando a Terceira Via e o neoliberalismo de consolidam no Brasil. Além do papel da mídia, uma dessas estratégias foi a integração de setores da elite e da influência desta ideologia nos sindicatos.

  124. Vivian Blanco disse:

    Com a crise do capital, segundo a autora, neste momento de reestruturação e adequação, inicia-se estratégias para suprir e alimentar o capital e seus dominantes, a Terceira Via como ela cita em seu livro, que visa um “bem” comum, uma vez que, ambos tem objetivos capitalistas não importando a cor do partido, direita ou esquerda. A linha discursiva se baseia na questão da responsabilidade social, por meio de recursos de consenso como a mídia, sistema S de ensino entre outros. O direcionamento das pessoas, por exemplo na educação, notando que o livro de Neves, ela cita por várias vezes o descontentamento da população e logo em seguida, programas de educação para “educar” seguindo os modelos implantados, esse descontentamento logo viria a ser um sentimento reduzido e essas pessoas foram condicionadas a pensar de acordo com tal sistema. Seria válido se em algum momento dessa educação para o consenso, aquele que ensina tivesse o “bom senso”, de apenas fazer com que, aqueles que estão recebendo esta educação, percebam e comecem a analisar o sistema em que estão sujeitos e que o descontentamento ganhe força e que tão logo não seja reduzido por esses programas de consenso.

  125. Cristiane Silva disse:

    O sistema capitalista é tão astuto que diante da crise dos trabalhadores, onde os mesmos se viram explorados, com funções insalubres, sem condições de trabalho e mal remunerados, ele se organiza de forma a iludir o trabalhador, fazendo-o obedecer desta vez não de forma autoritária, mas tramando ideologias onde aquele que vende seu trabalho seja dominado pela ideia, pelo sentimento de pertença (o vestir a camisa). Bom funcionário é aquele que fica até tarde, que faz hora extra, que trabalha de casa nos finais de semana, que se vê como dono da empresa, que dá a vida pelo seu emprego mesmo recebendo para o resto da sua vida um valor que seu patrão ganha muitas vezes em minutos de funcionamento de fábrica ou negociação. A ideologia é tão bem articulada que livros são publicados, programas de tv são veiculados, cursos são formados, todos com o intuito de incutir a falácia do bom empregado. E seguimos orgulhosos de nós mesmo para o matadouro todos os dias, pois mesmo exauridos com a demanda da vida urbana, voltamos para casa afim de mastigar o feno e dormir com o sentimento de dever cumprido, homens e mulheres honradas. Uma das poucas mas profícuas formas de desmonte deste pensamento tão bem engrenado é a educação de rupturas, profissionais que sejam críticos e que saibam o terreno onde pisam, que fomentem o pensar nos seus alunos, que apresentem o conhecimento acumulado de forma a entendermos os motivos pelos quais chegamos até aqui e como podemos mudar. Precisamos com urgência gritar que não somos livres, que somos manipulados todos os dias, que somos miseráveis zumbis em busca do consumo desenfreado e desmedido, que estamos massa disforme, sem vida e sem pensamento. É mais do que necessário que quem se compromete a trabalhar com o conhecimento busque fomentar a crítica e o conhecimento histórico em seus alunos, que os provoquem, que os chamem a se perguntar o motivo de eles não poderem tantas coisas. E saber que não foi sempre assim, e que podemos mudar para não ficarmos sempre deste jeito.

  126. Maria Paula dos Reis disse:

    O sistema econômico capitalista introduziu empresas em países em desenvolvimento, bem como a política de “Terceira Via”, ou seja, a política neoliberal, para superar a crise. ”. Segundo Neves (2005), as estratégias utilizadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso seriam criar ações que viessem a minimizar as reivindicações e /ou manifestações populares que se opusessem ao poder. A exemplo disso temos a Bolsa Família, Bolsa Escola, FIES, ProUni etc. cujos “benefícios” trazem o conformismo à população de massa.

  127. Alan da Silva Marques disse:

    Diante da crise, que é uma contradição do próprio sistema capitalista, o capital passa por uma reorganização. Como vimos no filme Billy Elliot, que ilustra em seu pano de fundo na trama a transição para o sistema neoliberal. Hoje estamos passando no Brasil pela reestruturação produtiva do capital, e consequentemente as políticas educacionais serão expressões dessa reestruturação. Visto as novas tendências pedagógicas que estão a cada dia aparecendo no cenário educacional.

  128. Aline Stelzer disse:

    No pós guerra, o capitalismo diante de crise cria uma dinâmica comercial para sua manutenção, utilizando de estrategias de superação como Terceira Via para descentralização do poder, instaurando assim a pedagogia da hegemonia. Esses sistemas que favorecem a população de baixa renda, dando aos mesmos “benefícios” faz com que as pessoas aceitem as atitudes governamentais sem nenhum tipo de contestação. O Estado por sua vez, transfere para o setor privado responsabilidades que anteriormente eram atribuídas a ele.

  129. Talita Gabriela de Oliveira Ribeiro disse:

    Mediante a crise de 70 do taylorismo e fordismo o capital necessitou se reestruturar para recuperar seu ciclo produtivo. Como forma econômico adotou-se outros modelos de organização, como por exemplo a adoção do toyotismo, redução de empresas estatais e aumento das empresas privadas, manobras nas leis trabalhistas e consequente dificuldade nas mobilizações dos trabalhadores. Enquanto impacto social implementa-se políticas neoliberais, as quais se efetivam em ações e políticas sociais reformistas, contribuindo para desmobilização da classe trabalhadora uma vez que tais políticas aparentam determinados avanços para a classe. No contexto educacional, a fim de efetivar tais políticas, aplica-se uma nova pedagogia da hegemonia, efetivando-se numa educação para o consenso, cidadania, democracia e participação política adequada aos interesse vigentes. Nesse sentido, o estado assume um papel educador e concilia aparelho estatal e sociedade civil a fim de que se estabilize esse novo modelo societário.

  130. POATAN PINOTI disse:

    Após a crise capital petrolífera que afetou seriamente a economia de muitos países durante a década de 70 (séc. XX), surge uma corrente ideológica de cunho social-democrática denominada terceira via, que tenta reconciliar os posicionamentos econômicos tradicionalmente associados à direita e à esquerda, adotando uma política econômica ortodoxa e políticas sociais progressistas, não sendo uma alternativa à dicotomia política entre esquerda e direita, mas sim uma alternativa às propostas econômicas do liberalismo econômico e do socialismo.
    A terceira via é uma corrente que surge no distributismo e mais tarde na ideologia social-democrata, porém, é também promovida por alguns partidários do liberalismo social. Tenta reconciliar os posicionamentos econômicos tradicionalmente associados à direita e à esquerda, adotando uma política econômica ortodoxa e políticas sociais progressistas. Ela não é necessariamente uma alternativa à dicotomia política entre esquerda e direita, mas sim uma alternativa às propostas econômicas do liberalismo econômico e do socialismo.
    As principais características dessas medidas foram a redução dos investimentos na área social, ou seja, no que se refere à educação, saúde e previdência social. Ao mesmo tempo, adotou-se como prática também a privatização das empresas estatais, o que se aliou a uma perde de poder dos sindicatos. Passou-se a defender um modelo no qual o Estado não deveria intervir em nada na economia, deixando-a funcionar livremente.
    Atualmente, as alternativas a serem usadas, para o fortalecimento dos organismos que se opõem a educação para o consenso são as bolsas de auxílio, doadas pelo governo às classe menos favorecida, afim de que suas necessidades sejam em partes supridas e que não haja reinvindicações ou mobilizações de descontentamento.

  131. Gabrielle Del Campo de Freitas disse:

    A ideia central do sistema capitalista não é acabar com as desigualdades sociais e culturais, e sim fazer com que elas estejam muito bem estampadas para quem quiser ver. O neoliberalismo se instala por etapas, e encontra uma esquerda que o aceita ( terceira Via). É uma americanização do processo político e de procedimentos sociais que querem diminuir a consciência social e privatizar empresas Estatais. Com isso há um empresariamento da sociedade que se desvincula do Estado, chamado de Terceiro Setor, com isso, os sindicatos diminuem, apaziguando a luta dos trabalhadores. As pessoas são forjadas a “pensar” como o sistema quer e assim, não se opor ao que eles ditam. O Estado para ganhar forças usa das mídias e também das escolas produzindo assim uma ” cidadania” sem senso crítico. Pensando por esse lado, vemos hoje, a escola sem partido que vem ganhando forças para que não se ensine as pessoa a pensarem de forma crítica e sim serem fáceis de manipular e que não sejam capazes de contestar o que é imposto. Outra forma de mostrar isso são as chamadas filantropias, que nada mais são do que “dar” para as classes pobres uma fagulha do que precisam para se manterem vivos, tais como cesta básica, causando um sentimento de “bondade” de quem deu e um silenciamento de quem recebeu para que não se rebelem e revindiquem melhorias necessárias para as classes dominadas.

  132. Ana Beatriz Furtini Guiduci da Silva disse:

    Para se reorganizar diante de sua própria crise, o sistema capitalista passou a se pautar no sistema ideológico e político da filosofia neoliberal. Esta filosofia, baseada no liberalismo clássico, tinha como pretensão conservar a classe dominante no poder, pois, como apontou minha colega Gabrielle no comentário que fez, o capitalismo é um sistema que se estrutura pela desigualdade social e não visa revertê-la. Percebendo que o estado interventor atuava como minimizador das desigualdades econômicas, o neoliberalismo utiliza-se da ideia de liberdade individual para se manter como classe dominante. O pensamento neoliberal, portanto, defende a privatização das empresas estatais e o fim das políticas sociais, como também incentiva a individualidade e a competição. É interessante apontar que, para uma dominação econômica, é necessária também uma dominação ideológica e cultural.
    Esse processo delega à própria sociedade (e não ao estado) a responsabilidade minimizar as desigualdades sociais, que acaba realizado por ONGs e visto como “caridade” e atua diretamente na construção da consciência de classe dos trabalhadores, já que estes não se veem mais como pares e iguais, mas como inimigos (estranhamento e alienação).

    A força de uma classe está em sua união, ponto em que a filosofia neoliberal se foca – encontramos uma classe oprimida desunida e adaptável à essa ideologia (terceira via). Uma estratégia para combater a pedagogia da hegemonia é a formação de sindicatos, ações em conjunto, que retomem a interação entre pares e faça o trabalhador perceber como vai “abdicando de sua função militante e se tornando voluntário”, deixando-se influenciar. Não é uma tarefa fácil, porém.

    • Isabelle Francesquini Matheus Jardim disse:

      Na tentativa de superação da crise, o Estado assume um papel de educador redefinindo práticas e instaurando a nova relação entre a aparelhagem estatal e a sociedade civil, com vistas a estabilizar no espaço brasileiro o projeto neoliberal de sociabilidade. A terceira via é uma estratégia, essa política faz com que a população sinta-se à vontade com o governo, pois o mesmo, cria mecanismos que aliviam a miséria da população. O capitalismo utilizou como estratégia a Nova Pedagogia de Hegemonia, com objetivo de distorcer a situação econômica da população por meio de ações que minimizem as reivindicações como, por exemplo, as famosas “bolsas auxílio” (ProUni, Bolsa Família, Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Auxílio Gás, etc.) doadas pelo governo a classe menos favorecida a fim de que sua necessidades sejam em partes supridas e assim não façam mobilizações de descontentamento.

  133. Ana Elisa Almeida Pereira Antunes de Queiroz disse:

    Módulo 2 – As perguntas para o comentário são as seguintes: como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    Com a crise de 70 e a desvalorização do bem-estar social do trabalhador, o liberalismo teve a ‘’necessidade’’ de repensar o modelo sociopolítico utilizado no momento, com isso surge o modelo Neoliberal, que segundo Neve (2005) é denominado ‘’Terceira Via’’.
    Na tentativa de intercalar posicionamentos econômicos tradicionalmente associados à direita e à esquerda, não sendo uma alternativa à dicotomia política entre esquerda e direita, mas sim uma alternativa às propostas econômicas do liberalismo econômico e do socialismo, o neoliberalismo trás um discurso de liberdade e promoção social, surgindo assim um pensamento social-democrático, que sem alterar a ordem social vigente, vai reduzir os investimentos no setor público, visando cada vez mais a inciativa privada.
    Para Neves (2005), as alternativas a serem usadas é as que nos fazem pensar em uma educação contra hegemônica, de modo que fortaleça os organismos que se opõem à educação para o consenso, como as políticas compensatórias e assistencialistas, que englobam programas de bem estar social que abarcam as classes menos favorecidas socialmente, a fim de que suas necessidades sejam, em partes, supridas e que não haja reivindicações, nem mobilizações de descontentamento.

  134. Laura de Oliveira Prais disse:

    O sistema capitalista como forma de se reorganizar, começa a se pautar no sistema político e ideológico Neoliberal, desenvolvendo assim novas ideias e práticas voltadas para a construção de uma nova pedagogia da hegemonia.
    Uma estratégia foi o programa de sociabilidade da Terceira Via que tem como características a negação do conflito de classes, ancorando uma sociabilidade com base na “conciliação” de interesses de grupos “plurais”, na alternância de poder entre os partidos políticos, na auto-organização e envolvimento das populações com as questões ligadas às suas localidades, no trabalho voluntário e na ideologia da responsabilidade social das empresas. Porém, o que permanece são as relações de exploração e precariedade no que diz respeito as condições de trabalho.
    Neves (2005), ressalta que no Brasil, o programa da Terceira Via é um ponto de partida sobre a difusão na sociedade brasileira, ideias e práticas voltadas para a construção de uma nova pedagogia da hegemonia que educa para os interesses privados do grande capital nacional e internacional.

  135. Jacqueline de Sousa Rissi disse:

    A partir da seguinte pergunta realizada na postagem do blog de Sociologia da Educação 3. A questão é a seguinte: como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    R: O capital se reorganizou diante da sua própria crise por meio do projeto ideológico conhecido como Neoliberalismo. Essa nova ideologia desenvolveu novas ideias e práticas no âmbito social e político, além de ser voltada para a construção de uma nova pedagogia da hegemonia.
    Esse projeto, teve impactos na forma de ser
    da classe trabalhadora, de seu movimento sindical, de seus
    partidos, de seus movimentos sociais, de seus ideários e valores. Além de modificar toda uma era na Inglaterra. Outras modificações ligadas a essa ideologia, foi no âmbito educacional, assunto esse relacionado também a segunda pergunta. As estratégias e/ou alternativas tomadas para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso, foi a pedagogia da hegemonia. Essa educação segundo Neves, foi voltada para o consenso sobre os sentidos de democracia,
    cidadania, ética e participação adequados aos interesses
    privados do grande capital nacional e internacional. Além disso, outro ponto importante a ser ressaltado é o projeto da Terceira Via, que tem como principais características, negar o conflito de classes e até mesmo a existência dessa divisão nas sociedades ditas “pós-tradicionais”, ancorando uma sociabilidade com base na democracia formal. Porém, o que se viu foram relações de exploração por parta do proprietário com seus trabalhadores e suas condições de trabalho.

  136. Giovanna Massolino disse:

    P: Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?
    O capital, em frente a sua crise, fez implantação do sistema Neoliberal de produção ideológica, no qual se tem por principio o desenvolvimento de novas ideias e praticas voltadas a nova construção social. Implantada pela Terceira Via, esse projeto de sociabilidade Neoliberal tem por característica a negação dos conflitos de classe, fundamentando sua socialização na harmonia dos interesses dos grupos plurais na sociedade, nos quais há alternância de poder entre os grupos políticos regentes.
    Frente a isso, o Neoliberalismo apresenta novas ideais e praticas voltadas para a construção de uma nova pedagogia da hegemonia, a qual se pauta em uma educação para o consenso, baseada nos sentidos primordiais da democracia, cidadania, ética e participação. Sendo assim, o Estado passa a assumir um papel mais educador, o qual deve conduzir os amplos setores de sua população a uma reforma intelectual e moral adequada a sua sociedade.Há uma nova relação entre Estado e Sociedade Civil. Com isso as estratégias propostas por Neves (2005) em “A nova pedagogia da hegemonia” são:
    *Diretrizes para a construção de uma nova cultura cívica
    presentes nos Parâmetros Curriculares Nacionais para a
    educação básica;
    *Ações da Fundação Belgo-Mineira
    para educar as novas gerações de trabalhadores
    matriculados na rede pública municipal segundo seus ideais e
    práticas;
    *A doutrina e a prática da Igreja Católica nas
    ações de filantropia em tempos de neoliberalismo;
    *A experiência da Vila Olímpica da Maré.

  137. Mariana Dutra da Silva disse:

    Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    Para efetuar a sua reorganização, o sistema capitalista vestiu a capa dos pressupostos neoliberais, os quais, como referidos no módulo anterior, tem como característica primeira a minimização do Estado, a fim de enraizar a desigualdade social. Essa desigualdade social nasce na estrutura do neoliberalismo, que tem como finalidade manter os donos dos meios de produção e seu monopólios como ditadores das regras sociais, políticas e econômicas. Para que isso, de fato ocorra, é necessário, primeiramente, adaptar a sociedade e sua forma de viver, isto é, sua cultura a favor dos pensamentos neoliberais, mas, como fazer com que uma sociedade aceite uma política que pretende manter o pobre como pobre e o rico como mais rico? Como fazer com que a população abrace essa ideia? Através do discurso da igualdade de oportunidades, todos podem ter sua própria empresa e podem crescer na vida, a fim de alcançar, quem sabe, a alta classe social, porém, o que esse discurso não ressalta é que nem todos possuem as mesmas condições para. A partir disso a escola possui um papel central nessa peça, o papel de propagar o discurso neoliberal e de fazer com que a cultura seja reestruturada a partir dos apontamentos do sistema. Com essa política de desigualdade, a sociedade, por mais alienada que seja, consegue observar, através das pequenas denúncias sociais o caos instaurado e a forma desumana que o ser humano tem vivido, aproveitando esse gancho, a proposta do sistema é delegar à própria sociedade a responsabilidade de minimizar a desigualdade, por meio de ações filantrópicas, promovidas por instituições diferentes do Estado e, para dar continuidade nessa responsabilidade social, a escola também é a principal atuante, uma vez que em seus Projetos Políticos Pedagógicos o principal objetivo da escola é formar cidadãos críticos e conscientes de suas responsabilidades políticas (o voto) e sociais.
    Por fim, a partir das colaborações de Neves (2005), uma estratégia que poderia minimizar o fortalecimento dos organismos que se opõe à essa pedagogia são as organizações sindicais, as quais são extremamente politizadas e conscientes da sua função no sistema capitalista, buscando a inversão dessa posição e alçando o melhor para a classe trabalhadora, a qual se constitui pela maioria da população.

  138. Larissa Lima Vinhaa disse:

    Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?
    Foi com o início do Neoliberalismo que o capital se reorganizou a partir da pedagogia da hegemonia, uma corrente pedagógica representada pela Terceira Via, que mudou muito área voltada a educação da sociedade, modificando aspectos na classe trabalhadora incluído os movimentos sociais. Ela nega o conflito de classes e afirma uma democracia formal, porém sabemos que isso é surreal, pois sabemos da existência da exploração da classe trabalhadora.
    As estratégias podem ser a educação relacionada a democracia, cidadania, ética e inteligência política.
    Larissa L Vinhaa

  139. Amanda Stevanelli Soares Pereira disse:

    P: Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    R: O sistema ideológico e politico Neoliberal, foi a forma para reorganizar suas práticas visando a construção de uma nova pedagogia da hegemonia no país. Desta forma o Estado assume papel de educador, buscando formas de proporcionar a ampliação de setores na população e uma reforma intelectual e moral adequada, assim como afirma Neves (2005), para que possa obter consenso de sentidos de democracia, cidadania e ética. Neves também nos apresenta atividades desenvolvidas pelos parelhos privados que difundiam a nova pedagogia da hegemonia, como por exemplo, as diretrizes para a construção de uma nova cultura cívica presentes nos Parâmetros Curriculares Nacionais para a educação básica.
    Mas com o capital em crise primeiramente era necessário atingir a negação dos conflitos de classes, e para isso acontecesse, o sistema Neoliberal se firmou em negociações que queriam a “conciliação” entre os interesses de classes. Esta estratégia foi nomeada política da Terceira Via, que visava alcançar alternância de poder, auto-organização, envolvimento das populações e ideologia da responsabilidade social das empresas.

  140. Jaqueline da Silva Teodoro disse:

    Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    O sistema capitalista para se reorganizar, se voltou à ideologia e política neoliberalista, e desenvolveu estratégias para construir uma pedagogia de hegemonia nova. Dentre as estratégias está o programa de sociabilidade de Terceira Via, que nega o conflito de classes e se pauta em uma alternância de poder partidário, bem como na auto-organização, trabalho voluntário e responsabilidade social. No Brasil, esse programa foi um ponto de partida com relação à difusão da nova pedagogia de hegemonia dentro da sociedade, de acordo com Neves (2005). As características do programa de sociabilidade de Terceira Via, porém, continuam com as relações de exploração e condições precárias no trabalho.
    Atualmente, podemos citar os programas sociais de bolsa auxílio, que são oferecidas as classes menos favorecidas com o objetivo de suprir uma parte da lacuna social, criar um sentimento “humanitário” e “voluntário” naqueles que oferecem tais programas e evitar possíveis manifestações e movimentações de descontentamento. Assim, as reformas educacionais implementadas a partir dos anos de neoliberalismo, visam à formação do homem empreendedor, do ponto de vista técnico, e do ponto de vista político, a formação de um homem colaborador.

  141. Isabela Teixeira disse:

    Questão: como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    Com a necessidade de se repensar um novo modelo surge o modelo Neoliberal, denominado por Neves (2005) “Terceira Via”, que tinha como princípios uma nova construção social, abrangendo todos o campos. Este novo modelo trás a negação da existência de conflitos de classe com um discurso conciliador, com frases como ” o melhor para todos” “todos somos um”, ou seja um discurso de liberdade e promoção social. Surge também com toda essa nova estrutura a pedagogia da hegemonia, e assim como o discurso a educação é uma educação de consenso, voltada assim como diz Neves(2005) consenso sobre os sentidos de cidadania, democracia, etc.
    Com todo esse novo cenário o Estado assume um outro papel, o de caráter educador, surgindo assim uma nova relação entre o Estado e a Sociedade Civil. Para que este cenário mude e se combata a nova pedagogia instaurada é necessário que tenha uma consciência coletiva, principalmente sobre o papel que se exerce na sociedade, ou seja, tomar consciência da sua classe, para assim obter uma união de classe, que implicara em uma união de forças, retomando a interação entre pares.

  142. Luana Salvioni disse:

    Neoliberalismo de terceira via é uma forma de fazer com que a população se sinta satisfeita com seu governo, ele cria medidas para que a população não lute pelos seus direitos, trazendo um modelo de negação quanto a existência de conflitos de classe, um discurso de liberdade e promoção social.
    Sobre a “Terceira via”, Never (2005), descreve como “importante instrumento de ação da nova pedagogia da hegemonia”, uma forma de se reorganizar diante da crise.

  143. Breno Blundi disse:

    Com a reestruturação produtiva e crise do capital, o capitalismo se viu em um beco sem saída precisava se atualizar para conseguir se manter enquanto sistema social, sendo assim, ocorre mais uma reestruturação, agora de cunho ideológico, a atualização do liberalismo para o neoliberalismo, que vem ser denominado posteriormente segundo Neve (2005) por “terceira via”. A chamada terceira via, se divulgava como alternativa de intercalo dos pressupostos da direita e da esquerda, pautado no liberalismo econômico e no socialismo. As características da terceira via se centra na minimização do estado (estado mínimo), meritocracia, desigualdade social de forma velada, pois segundo o neoliberalismo você só é pobre por sua própria conta, pois todos tem a mesma oportunidade, mas cada um agarra ela de uma maneira e se a sua vida econômica não está dando certa, você deve se esforçar mais e mais, A partir disso, a terceira via vê na Educação um fator chave para propagação desta ideologia, afinal, a mudança cultural devia ser feita para que todos seguissem este sistema ideológico e qual instrumento melhor para consenso de massa do que a Educação? Sendo assim, a educação começa a propagar o discurso neoliberal e de fazer com que a cultura seja reestruturada a partir dos pressupostos do sistema. Segundo Neves (2005), uma das saídas da pedagogia do consenso, é as que nos fazem refletir uma educação contrahegemonica, reflexiva e realmente revolucionária, uma outra estratégia que pode minimizar o fortalecimento dos organismos do consenso é são as organizações sindicais, através de seu histórico de militância e revolução, tentando buscar o melhor para a classe trabalhadora.

  144. Pamela Linero Viviani disse:

    Para se reorganizar o capital usou da chamada terceira via que segundo Neves “pode ser também nomeado de “social-liberalismo”, conceituação que mais claramente expressa a retomada envernizada do projeto burguês que mantém as premissas básicas do neoliberalismo em associação aos elementos centrais do reformismo social democrata”. Na tentativa de justificar o modo de produção capitalista como mais adequado a humanidade a terceira via descaracteriza a categoria trabalho utilizando a ideia de ocupação ou emprego isso causa uma negação no processo de lutas de classe fragmentando os trabalhadores fazendo-os se ajustarem ao existente e não procurar por uma mudança. Para evitar ainda as manifestações do povo, algumas das estratégias desta via é baseada em um pensamento de estado necessário onde sua interferência não será nem máximo nem mínimo, e uma desobrigação do estado com as políticas sociais e de lazer, as transferindo para a sociedade civil. Algumas de suas estratégias citadas em Neves (2005) são as ONGs como a da União Esportiva Vila Olímpica da Maré, mudanças nos Parâmetros Curriculares Nacionais, a igreja católica como uma instituição educadora e de mais eficácia que a do estado, entre outras estratégias. Mas sempre todas elas com o intuito de corsão para que a classe dominante sempre fique com o poder, e o estado retome seu papel de agente educador, para que o povo pense que ele os está ajudando, e acabem deixando de lado a luta por uma igualdade de classe social.
    A melhor maneira de enfrentamos esse consenso seria tomar consciência das classes existente e a qual pertencemos, compreender o capitalismos e suas estratégias e com isso buscarmos através de luta uma igualdade social.

  145. Gabriela Da Silva disse:

    Neves (2005) exemplifica em seu livro “A nova pedagogia da hegemonia” nele a autora cita varios programas implementados pelo governo para atingir seu objetivo, de reorganizar a crise do capitalismo (Politica de terceira Via) . O capitalismo tem sua estratégia a “política do pão e circo” como uma medida para se fortalecer e mascarar sua oposição a uma educação de consenso, atualmente vemos que essa estratégia é de certa forma eficiente em seu objetivo, as Bolsas oferecidas pelo governo mais servem para acomodar e calar os mais desfavorecidos, e a mídia também é outra forma de alienação, as Politicas Publicas fornecidas, a falsa “participação” da sociedade na politica são exemplos, o Taylorismo/Fordismo é um exemplo bem empregado de uma estratégia que “parecia” favorecer a sociedade miserável de trabalhadores.

  146. Ana Paula Ribeiro disse:

    Mediante a crise de 70, que vinha ocorrendo e que é a contradição do sistema capitalista, o Capital passa por uma reestruturação. O Taylorismo e do Fordismo, contribuíram na maior parte para tal crise, então aparece o Toyotismo, com uma estrutura “flexível” e com a falácia de qualidade total, acarretando na redução de empresas estatais e aumento das empresas privadas, e reformas trabalhistas. Causando grande mobilização da classe trabalhadora, o que acarretou na implementação de políticas neoliberais como forma de “regular” a economia, podemos notar isso no filme do Billy Elliot, quando mostra o pai do garoto trabalhando contra suas ideologias e contra todos os operários que estavam em greve, o governo oferecia dinheiro e/ou alimento para quem trabalhasse, em troca de se calarem contra o Estado, ainda hoje podemos ver que isso acontece em casos em que o “Estado” dá cesta básica para algumas famílias e comunidades em troca de seu silencio e não rebelião contra as classes dominadoras.

  147. Carmem juliana do nascimento disse:

    Segundo Neves(2005), nos anos iniciais do capitalismo neoliberal, as medidas tomadas pelos governos nacionais, denominadas de Consenso de Washington reduziram a intervenção direta do Estado na economia e áreas socias ,essas medidas trouxeram como consequência imediata o aumento da pobreza em níveis mundiais,
    a solução encontrada pelos governos capitalistas para a correção de rumos do projeto político neoliberal para o século XXI é conhecida como terceira via. Nem social-democracia clássica, nem “fundamentalismo de mercado”, mas uma Terceira Via.
    Neste refinamento teórico e prático, que chamamos de neoliberalismo de Terceira Via, são mantidos os fundamentos do capitalismo neoliberal, acrescidos de medidas paliativas para minorar as condições miseráveis de vida de grande parte da população mundial e, ao mesmo tempo, garantir a “paz social”.
    A pedagogia da hegemonia surge para o fortalecer a nova ideologia, o Estado educador usa do consenso para fortalecer o capital.
    A responsabilidade social é dividida entre os civis há uma ampliação do Estado, e grandes grupos empresarias patrocinam projetos na educação publica, há o empresariamento da educação.As ongs surgem neste contexto como pedaço do Estado seja o Estado da ordem ou da contra hegemonia, a terceira via busca a reconciliação entre capitalismo de livre mercado e socialismo democrático e centrismo radical , a terceira via é movida para dar sustentabilidade as estratégias burguesas para q ocorra o fim da contradição entre capital e trabalho. Através de algumas Politicas do Estado que dão o mínimo para o trabalhador em troca de seu conformismo.
    Há uma redefinição da sociedade civil cada vez menos o Estado cuida do publico , os principais responsáveis pela divulgação dessa hegemonia são as escolas , a igreja e a mídia.
    Neste cenário uma alternativa para o fortalecimento dos organismos q se opõe a esta educação de consenso, são professores comprometidos com uma educação critica e reflexiva dos problemas sociais, políticos e econômicos do pais e do mundo.

  148. Francine Melzi Fonseca disse:

    Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    Diante da sua própria crise o capital se reorganizou na “Terceira Via”, o Neoliberalismo. Essa nova forma de se pensar nega a existência de conflitos de classes com discursos de liberdade e promoção social. Suas características são: estado mínimo, meritocracia e a ocultação da desigualdade social, ou seja, na visão neoliberalista a pessoa só é pobre se ela quiser, todos tem condições de ser iguais e as mesmas oportunidades, só precisa agarrá-la.
    Como forma da classe trabalhadora mais precária não fazer manifestações de descontentamento e/ou greve foram criados os programas sociais de bolsas de auxílios e as ONGs, que tem como objetivo suprir as necessidades dessa classe.

  149. Gabriela Aparecida da Silva disse:

    Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    No livro “A nova Pedagogia da hegemonia”, de Neves (2005), é possível reconhecer que após a crise e reorganização do Capital na década de 70, o Estado fez uso de medidas que ficaram conhecidas como “terceira via”, também nomeada de social-liberalismo, esta terceira via foi uma forma de mesclar os interesses de esquerda e direita, a fim de silenciar as massas reivindicadoras, ou seja, o governo cria medidas que “beneficiam” e promovem a aquietação da população.
    No filme, quando o pai de Billy Elliot se submete a trabalhar contra sua ideologia, mostra que acima dela estão as necessidades básicas de sobrevivência, já que o governo oferecia dinheiro e alimento há quem se opusesse a greve.

  150. Beatriz Gomes Damaceno disse:

    P: Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    R: Com a crise e logo após, foi introduzido o Toyotismo, modelo de estrutura flexível, que visava reduzir as empresas estatais e o aumento das privadas, onde o operário era chamado a participar das decisões (colaborador da empresa), que vinha a compreender todo o processo de produção e ainda sim continuava com um baixíssimo salário. De acordo com Neves, em A Nova Pedagogia da Hegemonia, pudemos discutir sua responsabilidade por definir o padrão fordista através da política, dando a entender que a estratégia de reorganização do capitalismo aconteceu após a política de Terceira Via, que além de ser considerado importante instrumento de ação da nova hegemonia, mostrava uma situação confortável à população, passando a ideia de que construiria um novo projeto político dando suporte a sociedade civil. Nesse período foram introduzidas empresas em países subdesenvolvidos com o objetivo de utilizar a mão de obra barata. Nada mais que fingir estar suprindo as necessidades da população sem questionamentos dos mesmos.

  151. Jéssica da Silva Gonçalves disse:

    Em frente a crise do capitalismo nos anos 1970, o mundo estava basicamente entre países capitalistas e países socialistas. Dessa forma, reuniram lideranças mundiais e fizeram uma reformulação da social-democrata onde resultou a Terceira Via que seria uma tentativa de acordo entre direita e esquerda, uma vez que defendia uma política econômica conservadora associada a uma política social progressista. Defendiam que modelo ideológico estava além do livre mercado e do socialismo democrático, sendo algo inovador, o que fez muito sucesso na Austrália no final da década de 1980, mas, se popularizou nos governos do presidente estadunidense Bill Clinton e do primeiro-ministro inglês Tony Blair.

  152. Angelica Marinho Coscrato disse:

    Diante da crise houve uma reestruturação neoliberalista do Estado, e por meio da pedagogia hegemônica disseminou estratégias. A estratégia para Neves (2005) “de legitimação social da hegemonia burguesa, o Estado brasileiro, enquanto Estado educador, redefine suas práticas, instaurando, por meio de uma pedagogia da hegemonia, uma nova relação entre aparelhagem estatal e sociedade civil, com vistas a estabilizar, no espaço brasileiro, o projeto neoliberal de sociabilidade”.

  153. Manuela Carneiro disse:

    Com a necessidade de reorganização do capitalismo cria-se a ideologia neoliberal de terceira via, a atualização do liberalismo para o neoliberalismo, o estado é visto como estado mínimo, transfere-se os recursos públicos para o privado, e a Educação é vista como salvadora, a responsabilidade pelo sucesso profissional e pessoal é exclusivamente baseado na capacidade do ser humano, excluindo as diferentes oportunidades e chances, sempre divulgando o capitalismo como melhor opção. Como forma de combate a opção é a formação crítica do cidadão e a identidade de classe.

  154. Karen Leticia Machado disse:

    O capital se reorganizou diante de sua própria crise através da Reestruturação Produtiva, implementação do toyotismo e maior controle de exploração do trabalhador e desregulamentação do trabalho. A política de Terceira Via também foi usada como uma reorganização e como estratégia para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação, por “disponibilizar ajuda” ao povo da classe baixa, trabalhadores. Essa alternativa não só mantinha o povo “quieto”, sem fazer reivindicações por terem benefícios, como mantém o sistema capitalista coordenando a alienação social dos trabalhadores explorados.

  155. Amanda C. Figueiras disse:

    A estrutura do modelo Toyotista de produção, acaba tendo ressonância internacional, devido a globalização e consequente aproximação entre os países resultante de avanços tecnológicos nos meios de comunicação. Os países desenvolvidos se consolidam como modelos a serem seguidos em relação aos subdesenvolvidos e uma crise que já vinha se instalando entre desequilíbrios e incoerências presentes na aparente “flexibilidade” do sistema acaba por se agravar naquele momento, que na verdade representava uma fragmentação cada vez maior nos processos de produção. O auge dessa fragmentação influencia no esvaziamento do sentido do trabalho e individualiza cada trabalhador em sua produtividade de forma mecanizada e reducionista.

    Varias multinacionais se instalam nos países subdesenvolvidos, privatizando empresas ate então estatais e oferecendo “alternativas” para altos índices de desemprego aproveitando-se da grande disponibilidade de mão de obra que tem seu valor subjugado.

    Na educação, a necessidade de “sobrevivência” acaba por se sobrepor ao valor da formação humana, a escola passa a ser vista de forma alienada e o conhecimento como mercadoria (algo para se ter e externo ao ser humano, não como humanizador e transformador do próprio ser ).

    No filme, o personagem principal representa uma forma de resistência, pois, escolhe aprender algo que aparentemente ele não “teria direito” pelas suas condições sociais e que não teria “utilidade” na sua vida como se esta pudesse estar pre-definida pela sua origem, sem possibilidades de transformação ao longo de sua trajetória humana.

  156. Milena Lucania De Freitas disse:

    Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

    Durante a crise do capital o seu sistema dominante e de ideologias teve que se organizar criando estratégias para recuperar o seu “poder”, e houve uma nova reestruturação do capital de caráter ideológico onde o liberalismo se reestruturou para a criação do neoliberalismo que era chamado também de “terceira via. Neves (2005) traz em seu livro estratégias que poderiam ser usadas para a construção de uma nova sociedade em todas as suas áreas. Neves fala sobre o consenso que tem um caráter discursivo objetivador negando a realidade onde acontecem vários conflitos entre as classes

    • Milena Lucania De Freitas disse:

      Comentário completo:

      Como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise?

      De acordo com Neves (2005), em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso?

      Durante a crise do capital o seu sistema dominante e de ideologias teve que se organizar criando estratégias para recuperar o seu “poder”, e houve uma nova reestruturação do capital de caráter ideológico onde o liberalismo se reestruturou para a criação do neoliberalismo que era chamado também de “terceira via”. Neves (2005) traz que esta terceira via tinha como base o liberalismo e o socialismo, em seu livro cita algumas peculiaridades características desta terceira via como por exemplo: o estado mínimo, as desigualdades entre os grupos minoritários, etc.
      Neves traz estratégias da nova pedagogia do consenso que poderia ser usada para a construção de uma nova sociedade em todas as suas áreas, onde é pensado a educação contra a hegemonia e de cunho transformador dando através dela suporte para os grupos trabalhadores através de grupos sindicais, lideranças do povo entre outros fazendo que a classe dos operários tenham voz e lutem por seus direitos como cidadãos. Concluindo que este consenso é conscientizar estes grupos sobre sua relação e atuação na sociedade e fazendo que assim eles se unam para a construção desta sociedade a tornando assim objetivamente menos desigual. Vemos atualmente em nossa sociedade que o que falta é essa conscientização (o chamado “consenso”), de que classe estamos e o que devemos fazer para atuar de forma transformadora para que as desigualdades, escravismos parem de acontecer com nossa classe, mas o professor tem também esse papel de revelar aos discentes sua função na sociedade como agentes críticos e transformadores da realidade em meio a um sistema ditador eis um de nossos papeis de luta.

  157. Lorena Azevedo dos Santos disse:

    Após a ascenção de Margareth Tacher, a sociedade, em especial Inglesa, passou por mudanças significativas, incluindo uma nova configuração de divisão de trabalho, que gerou muito desemprego, e um novo modo de ser da classe trabalhadora, a final, para o capitalismo se reerguer, precisou usar de uma nova pedagogia para a hegemonia, oque é uma estratégia necessária para qualquer Estado que não tenha poder absoluto, a fim de difundir uma nova ideologia que o ajudasse a novamente se firmar como uma realidade imutável, por meio da difusão de novos ideais que formassem um consenso, concretizando isso no senso comum; reestruturando-se produtivamente, superando sua própria crise.
    Uma alternativa para o fortalecimento da oposição à educação para esse consenso já estabelecido é a criação de um novo consenso, uma nova ideologia, com o mesmo poder de sensibilização, capaz de atingir o senso comum, mas desta vez, vinda do proletariado. Bem como vemos exemplificado no filme Billy Eliot, que se passa na mesma época, há importância na mobilização executada por um ideal comum, entretanto, a ideologia atrelada ao movimento, deve ser capaz de superar a que já havia sido naturalizada anteriormente.

Deixar um comentário