Módulo 1 – Sociologia da Educação 1 – O Conhecimento Sociológico

On setembro 11, 2012, in SocioEdu1, by Fábio Fernandes Villela

Bom Dia Car@s Alun@s! Tudo bem?
O módulo 1 da disciplina Sociologia da Educação 1 aborda o “Conhecimento Sociológico”. Gostaria que vcs fizessem um comentário sobre a seguinte questão: “Por que para Durkheim os “fatos sociais” tem um caráter impositivo?”.  Sugiro duas atividades complementares para auxiliar a reflexão: (1) assistir ao documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância” e (2) visitar o site do Instituto Alana.

O documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância”, lançado em dezembro de 2008 pela MEF (Media Education Foudantion), nos EUA, aborda o problema do consumismo infantil naquele país. Sem dúvida faz par como o filme “Criança, A Alma do Negócio” . O filme trabalha numa perspectiva de alerta geral sobre a publicidade e as estratégias de marketing das grandes empresas no intuito de transformar as crianças e a própria infância num grande buraco negro de consumo e eixo de influência da família. O estudo demonstra o enorme volume de gastos com pesquisas e produções midiáticas direcionadas ao público infantil, comerciais e animações, fast-food, automóveis, celulares etc., que são cada vez mais, feitos olhando a criança como principal consumidora ou “aliciadora” da família, no sentido de convencer os pais sobre como e no que gastar.  Ficha técnica. Direção: Adriana Barbaro / Jeremy Earp. Lançamento: 2008. Duração:66 min.

(1) Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância:

http://www.youtube.com/watch?v=mLuRH7nmhy4

(2) Instituto Alana:

http://www.alana.org.br/CriancaConsumo/Home.aspx

Bom trabalho a tod@s! Prof. Fábio Fernandes Villela.

99 Comentários “Módulo 1 – Sociologia da Educação 1 – O Conhecimento Sociológico”

  1. thaila de oliveira souza disse:

    Durkheim em seus estudos já dizia que a sociedade moldava o individuo. A sociedade capitalista acaba moldando o consumismo exacerbado no ser humano. O vídeo em questão explicita bem essa relação de consumo no ser humano desde os anos iniciais de vida. As crianças desde pequenas estabelecem ligações com a sociedade consumista, desejam bens que nem sempre, em decorrência da classe social da qual advêm podem usufruir. A mídia tem grande influência nessa relação, os programas televisivos expõem crianças a um padrão miniadulto de ser, usando-as na tentativa de ganhar audiência, comerciais que garantem que todos os bens apresentados que são tão “acessíveis” que qualquer um pode ter.
    Em uma sociedade baseada no ter e não no ser, as crianças (frágeis e suscetíveis aos abusos da sociedade consumista), só são aceitas no meio social e escolar dependendo da marca que usam o que consomem, onde frequentam se estão antenados a tendências, se tem a mochila do momento, assistem ao desenho ou novela modinha, se usam o corte de cabelo do jogador top do momento. É fácil ver em nossos estágios pelas instituições de educação infantil que as crianças preferem brincar com quem de alguma maneira tenha um status por consumir o que é da moda e que possam lhes dar satisfação pessoal por de alguma maneira fazerem parte da vida consumista. Os adolescentes desejam fazer parte do “mundo onde tudo acontece”, não importando que às vezes pareçam outdoor ambulantes. A mídia muda frequentemente seu foco de padrão consumista a ser alcançado até para elevar o capitalismo, sempre desejando que mais pessoas façam parte desse circulo vicioso baseados em valores distorcidos.

  2. Mayara Thaís Miler da Rocha disse:

    Durkheim defendia a ideia de que a sociedade está acima dos indivíduos.
    Ele trabalhou com a teoria dos fatos sociais, fazendo uma analise do que se tem por de traz dos fatos.
    E o vídeo indicado mostra criticamente o que se tem por de traz das propagandas infantis, dos brinquedos, e tudo que influência a criança desde pequenas a serem consumistas.
    Fica evidente que os filmes e desenhos animados, os brinquedos, as roupas, as viagens e passeios, as guloseimas, etc., despertam o interesse e vontade da criança. E por traz disso é tudo definido por metas dos proprietários, de realmente atingir as crianças, para que elas usem de variadas formas, como a birra e a insistência ao pedir, para conseguir o que tanto desejam. Comercializando assim a infância. Criando neles desde pequenos uma perspectiva de que precisam daquele momento ou daquele objeto para viver, para se igualarem uns aos outros e também a serem melhores que outros, nesta sociedade capitalista.

  3. Evaldo disse:

    Apesar de parecer complexa, a explicação para essa imposição social abordada por Durkheim é fácil de explicar e difícil para entender. Vejamos o porquê! As relações estabelecidas pelos indivíduos fazem com que sejamos forçados a fazermos parte de determinados grupos sociais nos quais temos maior identidade, isso é um fato, pois inconscientemente buscamos proteção já que ninguém é uma ilha, entretanto, nossas escolhas levam a determinadas ações que serão julgadas por indivíduos que pensam diferente! Diante dessa situação julgamos e somos julgados por um modelo social que buscamos compreensão e não conseguimos identificá-lo… é nesse vazio que corremos o risco da alienação!

  4. Maria Luciana C. Brito disse:

    No livro “Um Toque de Clássicos” seu primeiro capítulo nos apresenta: A especificidade do objeto sociológico; Durkheim define a Sociologia como “ciência das instituições”, da sua gênese e do seu funcionamento, todo o comportamento instituído pela coletividade. São os chamados fatos sociais que constituíram o objeto próprio dessa esfera do conhecimento que então aspirava tornar-se autônoma. Os fenômenos que Durkheim denominava fatos sociais compreendem “toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior; ou ainda, que é geral na extensão de uma sociedade dada, apresentando uma existência própria, independente das manifestações individuais que se possa ter”. Maneiras de agir, de pensar e de sentir exteriores ao indivíduo, dotadas de um poder de coerção em virtude do qual se lhe impõem, ou maneiras de fazer ou de pensar, reconhecíveis pela particularidade de serem suscetíveis de exercer influência coercitiva sobre as consciências particulares.
    Este trecho do texto nos mostra como o pensamento da sociedade, que para Durkheim é uma entidade, algo que tem vida própria, influi os pensamentos individuais fazendo com que estes vivam em função das regras estabelecidas pela sociedade.
    Exemplo disso é o vídeo das crianças consumistas. Por serem seres totalmente influenciáveis são alvo das industrias da propaganda. Bombardeadas todos os dias, o dia todo, por propagandas de todos os tipos com produtos direcionados à elas, ou não, mas que por meio delas, possam ser consumidos, o comércio tem uma fonte riquíssima de consumidores. O site ALANA também pesquisado, é uma forma de conscientização para pais e responsáveis, sobre a violência contra as crianças que está embutida nesse tipo de comércio; este é um fato social, segundo Durkheim, estudado por sociólogos contemporâneos que visam um despertar de consciência social neste sistema do capitalismo que tem como alvo o indivíduo com forte poder de interferência de decisões, porém ainda não tem consciência de seus próprios atos.

  5. Fabiano da Silva Costa disse:

    Porque as instituicoes sociais forçam o individuo, atraves da moral, a seguirem determinada direção que é entendida como a correta. Nos dias atuais as propagandas tmabem servem como fonts coercitivas, entao, segundo o texto “As causas sao, portanto, objetivas, exteriores ao individuo , estimulando-os ou detendo-os”, essas sao as “tendencias coletivas”. Tudo que fazemos tem mais ou menos influencias do meio social, através das instituicoes que estabelecem a moral a ser seguida.

  6. Patrícia Carla Zarpelon disse:

    Durkheim é de origem francesa e viveu entre (1858-1917). Propunha explicar como se estabelecia a relação entre indivíduo e sociedade.
    Para ele a sociedade condiciona o indivíduo. Estuda o fato social, a maneira de agir, onde a sociedade é um corpo vivo e cada órgão, ou seja, cada indivíduo possui uma função.
    Desde seu nascimento, a criança já é condicionada para o consumismo. Em meio a uma sociedade capitalista, fica difícil tentar educar uma criança para que se oponha a esse tipo de sistema, já que os comerciais de TV, a internet e tantos outros recursos estão inseridos no seu dia-a-dia e influenciam diretamente em sua vida. As crianças utilizam de birras, e até de chantagens para convencerem seus pais a comprarem um produto. e os publicitários se aproveitam da situação, utilizando de vários meios para que as crianças exerçam cada vez mias seu papel de consumidor, seja direta, fazendo uso do dinheiro que ganham de seus pais, e vós, ou seja indiretamente, quando influenciam seus pais a comprarem aquele carro do ano, ou ir viajar para determinado lugar que eles escolhem.
    É interessante destacar o alto crescimento após a desregulamentação, que era na marca de 4% ao ano e passa para 35%., levando em conta que a maioria dos desenhos infantis que circula na TV possuem a finalidade de vender brinquedos.
    Sendo assim, a função das crianças na sociedade vista através do sistema capitalista é a de consumir e levar seus pais e suas famílias a se tornarem consumidores e pessoas exploradas de determinado sistema.

  7. Patricia Santos disse:

    O sociólogo francês Émile Durkheim dedicou-se a análise da vida social e afirmou que, ao viver em sociedade os seres humanos se deparam com regras de conduta que não foram criadas por eles, mas devem ser aceitas e seguidas por todos, pois sem elas a sociedade não existiria – os chamados fatos sociais. Na sociedade atual, notamos uma busca frenética por padrões que irão definir (e separar) as pessoas bem sucedidas ou não, quem é feliz ou não, criando a ideia de superioridade e inferioridade. Nota-se que esses padrões são baseados sempre no TER em detrimento do SER. E essa ânsia consumista atinge cada vez mais as crianças, consumidoras potenciais desse mercado capitalista e sujeitas a propagandas abusivas, que promovem com afinco tantos valores distorcidos. Nesse contexto, uma questão se faz necessária: será que preciso mesmo desse objeto para minha sobrevivência/bem estar ou apenas para construir uma imagem positiva perante a sociedade em que estou inserido? A resposta a essa pergunta pode determinar o rumo de nossa existência.

  8. Elisa Pavani de Oliveira disse:

    Durkheim apresenta a forte influência que o capitalismo exerce sobre o indivíduo, sendo este alienado ao sistema. O indivíduo está tão “cego” por esse sistema que o produto que ele próprio produz é comercializado, ou seja, este indivíduo que produziu o produto e deseja obtê-lo, terá de comprá-lo. Assim, o vídeo apresenta o público alvo à que se deixam influenciar pelo capitalismo, as crianças, porém não são capazes de distinguir essa persuasão.
    Os produtos infantis apresentam por meio dos comerciais o quanto é bom e gostoso possuí-los, atingindo assim o ponto fraco de seus consumidores, a brincadeira e a diversão, assim desde pequenos vão desenvolvendo o espírito do consumismo, da necessidade de obter tal objeto e acreditando que é mais importante ter, para se igualar aos outros, do que ser.

  9. Deise Scardelato disse:

    Durkheim afirma que ao mesmo tempo em que as instituições se impõem a nós, aderimos a elas, elas comandam e nós as queremos, assim a sociedade do consumo se instala. Até mesmo as crianças passam a serem estimuladas a comprar, com isso a mídia volta suas propagandas para as crianças, lançando todos os métodos para conquistar essa população, exibindo comerciais coloridos, desenhos, filmes vendendo a imagem de que se você comprar aquele determinado produto será aceito na sociedade em que vive, formulando a questão de que “o que você compra é o que você é” e “se você não tem então você não vale nada”.

  10. Bete disse:

    Para Durkheim a sociedade é movida por fatos sociais que são, segundo ele, o modo de pensar e agir coletivo. Esse modo de pensar e agir coletivo acaba influenciar nas crenças, regras e normas que são aceitas e partilhados por todos.
    De modo inconsciente, tais fatos sociais acabam por se impor nos indivíduos e esses, por sua vez, procuram moldar-se ao pensar coletivo, criando para si mesmos uma espécie de barreira protetora ao preconceito e a discriminação que rege ao diferente.
    Um exemplo de como os fatos sociais influenciam o ser pode ser percebido no vídeo “Criança: a alma do negócio”. Esse vídeo relata como em apenas 30 segundos cria-se um novo consumidor que pensa ser necessário, imprescindível a aquisição do produto anunciado para ser considerado um cidadão. Isso serve-nos de alerta, pois a propaganda acaba criando seres alienados que deixam de fazer a distinção entre o que é necessário e o que é faz parte da cultura do consumo.

  11. Emanuelle Zanchetta Borges disse:

    Os fatos sociais tem um caráter impositivo, pois a sociedade estipula o que é certo, o que é errado, o que temos que ter e o que não precisamos ter. Portanto tudo na nossa vida tem uma imposição social pela qual muitas vezes não percebemos, um exemplo é o que é mostrado no vídeo onde crianças são “manipuladas” pela mídia e fazem com que os pais comprem o produto que lhe despertou interesse, interferindo até na compra de um carro, assim a ação dos pais está sobre a imposição da mídia (fatos sociais) sem ao menos perceber.

  12. Viviane Borges disse:

    Durkheim dizia que a sociedade passa por processos de evolução caracterizados pelas diferenças sociais , diferenças as quais tem o caráter de moldar cada indivíduo . As instituições sociais na sociedade capitalista seduzem e iludem o indivíduo manipulando-o e estipulando assim como o mesmo tem de ser e ter . O vídeo apresentado mostra em pesquisas como a mídia esta presente em nossas vidas e como ela pode ser prejudicial para o homem. Os publicitários tendem a desenvolver propagandas manipuladoras que iludem e separa os indivíduos (os que possuem e os que não possuem) . Também é mostrado que isso afeta de uma maior forma as crianças que não possuem um certo discernimento para entender como estão sendo ”usadas” pelos meios de comunicação tornando-as vítimas da imposição social.

  13. Veridiana Oliveira disse:

    O consumismo infantil é um assunto complexo, pois acredito na liberdade de proporcionarmos a nossos filhos o que desejamos e o que eles desejam também, mas deixá-los a mercê da indústria publicitária do consumismo sem fazer nada a respeito é algo inaceitável. Neste momento de reflexão entrego-me ao positivismo de Durkheim, porque criar um cidadão em um mundo sem regras e limites só poderá ser prejudicial para ele. Nossos filhos crescerão com o acesso aos apelos publicitários e nem por isso não conseguirão viver sem comprar todos os produtos apresentados a eles de forma desenfreada. Caberá a nós pais criarmos pessoas conscientes de suas escolhas futuras se tornarem adultos responsáveis e felizes.

  14. Carla Cristina Gomes Nogueira disse:

    Segundo Durkheim, a sociedade não é apenas a soma ou a junção de consciências individuais, mas a soma de tudo isso que forma uma nova consciência e um novo ser, um novo produto que tem o poder de exercer uma força ou uma coerção sobre o individuo, indicando-lhe qual a maneira correta de seguir, determinada pela moral. Essas maneiras de agir, pensar fixas ou não que exercem força exterior sobre os indivíduos foi chamada por Durkheim de fatos sociais. O vídeo apresentado anteriormente mostra claramente a força exercida pela sociedade, enquanto um novo ser, sobre os indivíduos, nesse caso as crianças que são expostas desde muito cedo a pressão publicitaria e consumista que usam estratégias para despertar nas crianças desejos de posse de aparelhos eletrônicos, brinquedos, roupas, comidas e outros produtos que nem sempre podem ser adquiridos por seus familiares. Usam em programas infantis, desenhos animados, filmes crianças que agem como adultos e “ensinam” disfarçadamente ou não, como obterem os produtos que, agora, então, fazem parte dos seus desejos. Conforme a idade da criança se avança o desejo e a “necessidade” de obter esses produtos vão aumentando de modo que se não tiverem tal produto ou tal marca em suas roupas, calçados e eletrônicos não são aceitos em determinados grupos sociais. Aparece a partir daí, portanto, a competição entre gerações para ter o melhor, o mais moderno objeto de determinada categoria. Dessa forma, aumenta dia após dia, a criação, a oferta e a procura por produtos modernos e tecnológicos gerando cada vez mais lucro para os publicitários e empresários que usam a mídia para explorarem o mercado infantil e juvenil atingindo diretamente ou indiretamente, também, os indivíduos adultos.

  15. Mariana Santini Arroyo disse:

    Os “fatos sociais” tem um caráter impositivo pelo fato de influenciar o individuo, dentro do nosso mundo capitalista, a consumir sempre mais, a fazer parte de uma determinada classe social que é considerada a mellhor. As crianças são seres facilmente influênciados, por isso os capitalistas usam e abusam das propagandas direcionadas à esse público, fazendo com que as pessoas consumam cada vez mais cedo. E da mesma forma que as crianças se tornam mini-consumidores, elas levam os adultos ao mesmo caminho. E é justamente essa a intenção dos proprietários, fazer com que as pessoas façam parte desse mundo capitalista gerando lucros sempre maiores, que obviamente vão sempre para os bolsos dos grandes capitalistas. Esses são os “fatos sociais” da nossa atualidade, uma sociedade que molda o indivíduo e o leva ao que ela determina ser certo ou melhor.

  16. Rafaela Pinheiro Alves disse:

    Para Durkheim os fatos sociais são exteriores aos indivíduos, são maneiras de pensar, agir, sentir, que tem um grande poder sobre o individuo.
    E são os fatos sociais que organiza a nossa sociedade, e nós somos vistos como um objeto de analise, como mostrado no documentário as crianças sendo analisadas pelo seus comportamentos diante de produtos e personagens, pelos seus pensamentos, e sendo usados para influenciar suas famílias ao consumo desses produtos. Nossa sociedade é movida pelo ter, e isso é cultivado desde o nascimento.
    As crianças vivem em um mundinho criado pelas suas fantasias e imaginações, e a mídia entra nesse mundo e fazem as crianças pensarem que podem tudo, e que o que esta sendo apresentado é o melhor e que farão eles melhores.
    O fato social é reconhecido pelo poder que exercer sobre os indivíduos externamente, e sua presença é determinada pela sua resistência contra indivíduos que queiram tira-lo, como se tivesse vida própria.
    A mídia sobre o publico infantil é assim, não importa se os pais não aderem aos desejos do filho, para essa criança aquele produto apresentado é o melhor, e não o ter deixa a criança frustrada.

  17. Amanda Amaral Perles disse:

    Durkheim em seus estudos nos traz a teoria de que a sociedade atua sobre o indivíduo. Desde o momento em que nasce o homem passa a ser dependente da sociedade em que vive. O consumo desenfreado juntamente com a sociedade passa a moldar o indivíduo introduzindo-o de forma cada vez mais profunda no capitalismo. Instigado pelos fatos sociais, no ter para ser, o cidadão tende a querer fazer uso de produtos que muitas vezes não está ao seu alcance, em alguns casos devido à condição de sua classe social, o que na maioria das vezes, devido ao intenso desejo de compra, deixa de ser um obstáculo.
    Nesse jogo de ter para fazer parte da sociedade, a indústria publicitária busca seu melhor público e passa a incentivar o consumo em pessoas cada vez mais jovens e fazem das crianças o alvo principal. Passam a incentivar a compra de produtos que serão então adquiridos não por necessidade, mas para satisfazer a vontade ou apenas por um mero capricho.
    Comerciais, desenhos animados, novelas, jogos, tudo que desperta o desejo da compra cada vez mais próximos dos indivíduos, ancorados a uma moral, vista como correta, na qual se deve seguir. O indivíduo passa a agir através do comando imposto pela sociedade, em uma realidade externa a ele, fortalecendo diariamente o capitalismo e os padrões de superioridade e inferioridade.

  18. Mariana P. Calijuri disse:

    Para Durkheim os fatos sociais tinham um caráter impositivo porque são coercitivos e exteriores à consciencia do indivíduo, ou seja, os indivíduos são obrigados a seguir os padrões determinados pela sociedade. Quando o indivíduo nasce já lhe é dado tudo pronto(costumes, crenças, leis, regras etc), o que os impedem de desenvolver sua criatividade e se tornar capaz de modificar sua realidade histórica. Todos esses costumes são passados de geração em geração por meio do processo de educação. Contudo, vemos no documentário que a mídia tem sido uma das grandes responsavéis pela transmissão de fatos sociais. Vivemos numa sociedade capitalista onde o consumo é inevitável, e a mídia tem feito que se torne cada vez mais inevitável, as próprias crianças são “bombardeadas” com propagandas que a induzem quererem certos produtos, sem terem noção do sentido daquilo, mas porque simplesmente viram no comercial. Dessa forma vemos que cada vez mais os fatos sociais induzem os individuos à uma aceitação da sociedade já imposta e não à uma transformação da realidade histórica.

  19. Edinaldo S. Nascimento disse:

    A vida social, análise de Durkheim, sociólogo francês, contempla na existência humana uma sociedade de crenças, costumes e regras, cuja essência fundamental se encontra nas práticas sociais que, por sua vez, se conecta a consciência moral. O indivíduo que não é único e sim parte de uma completude grupal deve seguir normas coercitivas ditadas pelo senso comum. A criança como parte de um sistema, não difere do adulto no aspecto social, no convívio cotidiano com a mídia multifacetada, ela será acometida do desejo de obtenção de produtos que lhe são oferecidos inteligentemente pelos meios de comunicação. Consequentemente, a moral, característica da consciência humana, será medida pelos hábitos e posses. E, além disso, terá a competência de inserir ou expelir o indivíduo da comunidade em que se insere.

  20. Annelize dos Santos Martins disse:

    Émile Durkheim coloca como objetivo central de sua teoria sociológica o fato social; e uma das definições de fato social, é todo evento que acontece dentro da sociedade, apresentando algum tipo de interesse social, pelo menos para uma grande parte dos individuos com certa generalidade. Uma das características de fato social, é que ele existe fora da consciência, com o modo de pensar e agir.. Mostra também que o fato social tem o poder de impor ao individuo, mesmo que ele não queira.
    Concluindo com algumas definições que Durkhein descreve, os fatos sociais tem um caráter impositivo, pois tudo o que está ao nosso redor, mexe com a nossa mente, e nos impulsiona a querer comprar tudo o que vemos, o que está em promoção, e isso influencia principalmente as crianças, que ultimamente tem sido alvo do mercado, pois quanto mais propagandas, quanto mais chamarem a atenção delas, assim elas irão querer determinado produto, pois todos seus amiguinhos tem, e ela não quer ser a ‘única’ que não possui determinado produto.
    Fazendo com que insistam aos seus pais para comprar tal produto, fazendo birras, chorando, ficando triste, parando de ler, escrever, estudar, as vezes até de comer, e mesmo que seus pais não queiram ou até mesmo não podem efetivar a compra, alguns acabam fazendo os gostos dos filhos para não vê-los dessa forma. No site do Instituto Alana, demonstra muitos exemplos de como o fato social pode ser de caráter impositivo; ele aborda vídeos que são interessantes, e que muitas vezes não nos preocupamos tanto. Devemos olhar mais para as nossas crianças, ter um cuidado maior, observar os exemplos que são dados na família, as propagandas que a televisão, a internet estão abordando, pois eles trazem o reflexo do amanhã.
    A infancia tem que ser vivida intensamente, pois é uma fase que acontece uma única vez na vida, e as crianças não devem pular as etapas da infância para se tornarem adultas antes do tempo certo.

  21. Geisinara Fernanda B. Dias disse:

    Ao enfatizar ao longo de sua obra o caráter exterior e coercitivo dos “fatos sociais”, Émile Durkheim afirmava que comportamo-nos no figurino das regras socialmente aprovadas. Constata-se, pois, que os “fatos sociais” apresentam caráter impositivo pelo fato de existir padrões, na sociedade capitalista, que definem as pessoas, incluindo-as ou excluindo-as de determinados grupos, baseando-se pelo o que se tem (TER) e não pelo o que se é (SER). Fica evidente que, segundo Durkheim, os “fatos sociais” de uma sociedade é capaz de moldar, influenciar e direcionar o indivíduo para o que é padronizado como certo e errado ou como melhor e pior, gerando a ideia do que é superior e do que é inferior.
    Assim como Durkheim faz uma análise do que tem por de traz dos fatos sociais, o vídeo indicado apresenta o que se tem por de traz das propagandas publicitárias produzidas especificamente para crianças, influenciando-as ao consumismo exagerado, e mais do que isso, fazendo com que a criança torne-se dependente de um determinado objeto (brinquedos ou roupas) ou de um momento (passeios, viagens, etc.) para viver ou se sentir feliz. Dessa forma, podemos compreender a alienação instituída na sociedade capitalista, a qual deseja sempre ter o melhor e o mais moderno, contribuindo, por sua vez, para que a mídia seja usada como uma grande e infalível estratégia de exploração do mercado infantil, atingindo também, direta ou indiretamente, os adultos. E isso demonstra claramente a força exercida pela sociedade enquanto um novo ser sobre os indivíduos, conforme observado por Durkheim.

  22. Poliana Billar disse:

    Os fatos sociais têm um caráter impositivo, pois a sociedade dita maneiras de agir e sentir que já estão estabelecidas e que devem ser seguidas, exercendo inúmera influencia sobre o individuo.
    O mesmo ocorre nas propagandas infantis, como visto no vídeo, que usam de todo o seu poder de coerção, ditando um padrão de consumo e influenciando as crianças a se tornarem consumidoras cada vez mais cedo.
    Dessa forma , pode -se perceber

  23. Poliana Billar disse:

    Os fatos sociais têm um caráter impositivo, pois a sociedade dita maneiras de agir e sentir que já estão estabelecidas e que devem ser seguidas, exercendo inúmera influencia sobre o individuo.
    O mesmo ocorre nas propagandas infantis, como visto no vídeo, que usam de todo o seu poder de coerção, ditando um padrão de consumo e influenciando as crianças a se tornarem consumidoras cada vez mais cedo.
    Diante disso , pode -se perceber que a sociedade impõe uma forma de conduta para os individuo, nos levando ate mesmo a acreditar que a maneira imposta é a melhor.

  24. Danny disse:

    Ao meu entender no texto trabalhado de Durkheim, ele mostra que a sociedade transforma as pessoas, e que não devemos deixar que um mundo sem limites prejudique-as. Os fatores sociais impõem-se da maneira em que mostram como devemos sentir, usar, gostar, agir. E o consumismo sem necessidades na nossa realidade do capitalismo, que está pautado no ter e não no ser, tem sido muito discutida. A partir do vídeo, percebemos como os comercias tem se voltado para as crianças, pois são mais facilmente influenciadas para que elas possam consumir cada vez mais e mais cedo, sendo elas também quem acabam influenciando nas compras dos adultos, que muitas vezes não percebem essa imposição pelas indústrias. Por isso sites como ALANA são fundamentais para uma conscientização desses adultos, e principalmente para denunciar esses abusos que as crianças sofrem com as propagandas excessivas.

  25. João Theodoro disse:

    Para Durkheim os fatos sociais possuem cárater impositivo desde quando o indíviduo se depara com a sociedade, pois toda a estrutura e a organização já está pronta. Tudo ao redor dele já está pressionando-o, determinando regras e posturas de como se deve agir socialmente. A sociedade é organizada de tal complexidade que não permite que o ser humano tenha uma direção, o que faz com que ele precise de referências do que está sendo transmitido e bem aceito pelas classes mais dominantes para se sentir parte constituinte. O problema da sociedade seria nas formas de convivência que não podem ser entendidas como naturais e sim uma construção dos homens, ou seja, uma determinada pressão e influência em massa. E que homens são esses que determinam o modelo a ser seguido? Os da classe dominante, do comércio publicitário, dos empresários que visam sempre o acúmulo do lucro e não pelo serviço prestado à sociedade.
    No vídeo mostra como os fatos sociais impõe modos de como as pessoas devem agir, e caracterizam as pessoas não por suas habilidades e seus conhecimentos, mas sim pela marca e pelo prestígio de determinado produto que ela possui. O problema da propaganda infantil é que as crianças não possuem um filtro para entenderem a organização da sociedade e a política do mercado, influenciando fortemente suas maneiras de se vestirem, de se comunicarem com as outras pessoas, por exemplo. Durkheim abordaria a questão do consumismo explicando o conceito de espírito de adesão ao grupo, que para se sentir parte de algum grupo, é necessário ter determinados produtos e ter determinados gostos. Então, eu preciso do produto com o desenho da moda para eu ser bem visto no meu grupo social, e que este fenômeno está acontecendo brutalmente com idades cada vez menores justamente por faltar o senso crítico nas crianças, o que fazem com que os pais tenham que satisfazer os desejos de seus filhos, aumentando cada vez os lucros e o consumismo, tornando uma maneira eficaz de influenciar o modo de ser dos indivíduos, e que irá perpetuar desde o crescimento e o desenvolvimento deles, que continuarão consumistas ao se tornarem adultos. Esta pressão que as crianças sofrem é o próprio meio social tentando moldá-la aos seus costumes, mas o que precisa ser notado é que esta estratégia do consumismo infantil faz com que mesmo que a criança cresça e tenha consciência dos fenômenos sociais, já adquiriu um hábito que não irá perder: o gosto pelo consumismo.

  26. Ana Beatriz Galbin Gomes disse:

    De acordo com a perpectiva de Durkheim, os fatos sociais atuam sem adesão consciente dos indíviduos e não dependem de suas vontades. O vídeo mostra o poder que de consumo que as crianças possuem, pois são “bombardeadas” o tempo todo com propagandas em diversas mídias que as induzem a desejarem vários produtos e as fazem insistirem para seus pais comprarem, muitas vezes sem terem condições financeiras para essa aquisição. As imposições geradas pelo fatos sociais são coercivas, uma vez que os individuos se conformam, por exemplo, com a forma de se vestir, com as leis, com os produtos que devem possuir. Por esses motivos, é possível perceber porque, para Durkheim, os fatos sociais tem caráter impositivo.

  27. Gleicer Cristina Correia disse:

    Segundo Durkheim, os fatos sociais compreendem “toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior; ou então ainda, que é geral na extensão de uma sociedade dada, apresentando uma existência própria, independentemente das manifestações individuais que possa ter”.
    Assim percebe-se que os fatos sociais levam o indivíduo, de certa forma, a ter ações iguais e impensadas, por intermédio grande principalmente da mídia.

  28. Gleicer Cristina Correia disse:

    Segundo Durkheim, os fatos sociais compreendem “toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior; ou então ainda, que é geral na extensão de uma sociedade dada, apresentando uma existência própria, independentemente das manifestações individuais que possa ter”.
    Assim percebe-se que os fatos sociais levam o indivíduo, de certa forma, a ter ações iguais e impensadas, por intermédio grande principalmente da mídia.

  29. Erika Caroline disse:

    A sociologia é uma ciência de muitos métodos e poucos resultados?
    Não, se nós pararmos e observarmos tudo que está a nossa volta, podemos perceber a influência da sociologia em diversos campos da sociedade. A sociologia está na formação de profissionais, nas pesquisas, nos estudos produzidos para pensar os problemas da sociedade. E quando faço esse exercício de tentar compreender o que os sociólogos querem dizer, consigo avaliar criticamente certas atitudes presentes em minha sala de aula.Por isso os resultados obtidos na sociologia estão presentes no cotidiano das pessoas. nas atitudes.

  30. Erika Caroline disse:

    Émile Durkheim diz que a sociedade é um conjunto de normas e regras que são chamados de fatos sociais. Embora sejam colocadas para as pessoas de “fora para dentro”, são interiorizados pelo indivíduo e exercem sobre ele um poder de imposição. Como mostrado no vídeo as crianças estão exposta a estas propagandas e elas estimula um consumo desenfreado a pondo das crianças se sentirem excluídas por não ter determinado “objeto de desejo”. Se formos analisar estes fatos, perceberemos que como estas comerciais são colocados é entendido como uma regra e a sociedade em especial as crianças tem que obedecer esta regra, desenhando assim um cenário impositivo que se não tiver não fará parte da sociedade, colocada pela mídia que está em todo lugar.

  31. Daysa Lourente disse:

    Analisando os sociólogos que nos foi apresentados, pude me identificar bem com a sociologia de Émile Durkheim, que para desenvolver sua linha de pensamento passou pela Revolução Industrial e Francesa, juntamente com os pensamentos de vários outros críticos da época e formou sua linha de raciocínio sobre a sociedade. A definição de sociologia para Durkheim é toda crença e todo comportamento instituído pela coletividade, pois os fatos sociais são formados pelas representações coletivas, ou seja, é como a própria sociedade a vê. Ele fala que a sociedade age sobre o individuo e que ela impõem certos “padrões” para este mesmo e que muitos não obtendo essas imposições acabam se sentindo excluídos dessa sociedade. Durkheim acredita que a sociedade é a melhor parte de nós, por que na verdade, o homem não é humano senão porque vive em sociedade.

  32. Eveline Gimenes disse:

    A SOCIOLOGIA estuda os fenomenos sociais e as diferentes formas de cultura. Criada por Auguste Comte com a intenção de unificar estudos a respeito do homem.
    Seus principais seguidores e propussores, Karl Marx, Émile Durkheim,e Max Weber a institucionalizaram como ciência, surge então a fim de compreender as novas formas das sociedades e suas estruturas .
    No video( Crianças do consumo ) podemos perceber o quanto somos influenciados desde a infancis a sermos consumistas e involuntariamente alimentamos a forma capitalista da sociedade atual.

  33. Eliane Rosa Policarpo disse:

    Segundo Durkheim os “fatos sociais” tem carater imposotivo porque significa o que as pessoas sentem,pensam ou fazem independente de suas vontades individuais, pois é um comportamento estabelecido pela sociedade, exterior ao indivíduo dotadas de um poder de coerção sobre o mesmo.Analisando o documentário “Crianças do Consumo”,percebe-se claramente como as crianças são influenciadas pela publicidade da TV,e como a socidade capitalista exerce seu poder de coerção sobre elas,a ponto de se sentirem fora da sociedade se não possuirem um determinado objeto.

  34. GISELE REGINA GUBOLIN NARDELLI disse:

    Durkheim em seus estudos mostra que a sociedade molda os indivíduos, por isso, o capitalismo vem moldando o ser humano inclusive as crianças.
    a mídia em geral contribui cada vez mais com isso e pais na tentativa de suprir as necessidades afetivas dos filhos, acabam comprando e induzindo seus filhos a consumir cada vez mais.

  35. Maria Rodrigues da Silva disse:

    Relacionando o vídeo com Durkheim na leitura dos fatos sociais podemos afirmar o poder impositivo que o capitalismo exerce sobre a sociedade., ou seja, somos vítimas daquilo que vem do exterior. Assim, os fatos sociais são produtos da vida em sociedade e sua manifestação.
    Essa ação coercitiva do fato social é o que nos impede ou nos autoriza a praticar algo, por exercer uma pressão em nossa consciência, dizendo o que se pode ou não fazer.
    No caso do vídeo a imposição é de consumo, a mídia dita quais objetos devemos comprar, pois são esses que nos darão status, e o público alvo são as crianças, devido o poder que essas exercem sobre seus pais.

  36. Patrícia Almeida Florêncio disse:

    Durkein mostra a alienação do individuo em relação ao sistema, uma vez que o capitalismo exerce forte influência sobre o mesmo.
    A influência do capitalismo é tão grande, que até as crianças tornaram um alvo e através de comerciais, desenhos, revistas, e todos os outros tipos de mídia , são influenciadas a comprar. Sendo assim, elas crescem com a ideia de que “elas são o que elas possuem” e de que se não possuírem as coisas caras e de marcas elas não vão ser aceitas pelos seus amigos e pela sociedade

  37. Hiromy Tukamoto disse:

    O vídeo mostra o consumismo exacerbado das crianças, porém as crianças não são consumistas apenas por serem assim, mas elas são consumistas devido a sociedade a qual pertecem, como diz Durkhein a sociedade molda o individuo e este esta alienado ao sistema. As crianças consumistas estão inseridas em uma sociedade consumista, onde esse consumo é o que definie o poder e as relações de classes.
    Uma criança que vive em uma país extremamente pobre ou em tribos provavelmente não se pauta pelo consumo mas por outra forma de determinar o seu poder, não só as crianças mas a sociedade em geral.

  38. Camila Matos disse:

    Boa tarde!
    Segundo Durkheim, a sociedade molda o indivíduo, tendo por base o método funcionalista e o estudo dos fatos sociais, que regem a sociedade, sendo classificados em: geral – que se manifesta em todos os indivíduos; exterior- que é independe da vontade do indivíduo.
    O vídeo mostra como funciona o sistema capitalista no qual estamos inseridos, através da influência exercida sobre o público infantil, que, por não ter consciência do objetivo camuflado do consumismo, influencia sua família através do apelo afetivo.

  39. Marcelo George do Amaral B. Longhi disse:

    Desde o nascimento, nosssa liberdade é dosada e nosso modo de viver e pensar moldado. Somo fruto de um processo historico e de uma sociedade que vem se constituindo a muitas gerações, mas por muitas vezes nao nos damos conta disso. Devemos aceitar o mundo como nos é apresentado, e nos ajustarmos para fazermos parte dele, e ser levado por ele. Estudar Sociologia como proposto por Durkheim nos desvenda os olhos e no faz perceber o carater coersivo da cosiedade.No sistema capitalista, a vida é baseada no consumo e o valor do ser humano é medido por sua capacidade de consumir, de modo que esta pratica que determina sua inserção nela. Vemos, por meio do documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância”, lançado em dezembro de 2008 pela MEF (Media Education Foudantion), nos EUA, como que este sistema é covarde, imoral e oportunista, importo ate mesmo aos seres mais frageis da sociedade, as crianças, um padrão de consumo absurdo e inalcansavel pela maioria.

  40. Beatriz Stefanie da Silva disse:

    O que acontece é que as diversas instituicoes sociais forçam o individuo, através da moral, a seguirem determinada direção que é entendida como a “correta”, propondo um modelo de vida a ser seguido onde o individuo que não se enquadra nos modelos que julgam ser “adequados”, a pessoa passa a ser excluida de certos grupos sociais. De acordo com a perpectiva de Durkheim, os fatos sociais atuam sem adesão consciente dos indíviduos e não dependem de suas vontades. Podemos ver no vídeo que nos dias atuais as propagandas também servem como fonts coercitivas, entao, segundo o texto “As causas sao, portanto, objetivas, exteriores ao individuo , estimulando-os ou detendo-os”, essas sao as “tendencias coletivas”.
    No vídeo podemos observar também o consumismo exagerado das crianças, porém as crianças não são consumistas apenas por serem assim, mas elas são consumistas devido a sociedade a qual pertecem, como diz Durkhein a sociedade molda o individuo e este esta alienado ao sistema. A sociedade impõe “modelos de vida”, como por exemplo: mostram a roupa que deve se vestir, os sapatos, a aparência, impondo esse modelo, pois a todo momento são “atingidas” com propagandas em diversas mídias que as induzem a desejarem vários produtos e as fazem insistirem para seus pais comprarem, muitas vezes sem terem condições financeiras para essa adquirir determinado produto, induzindo a alienação.

  41. Jorgeana disse:

    Para Durkheim fatos sociais são fatos externos que tem um poder coercivo sobre as pessoas. E o capitalismo usa da ingenuidade das crianças para mandarem seus recados. Nessa aula me lembrei do quanto a propaganda das casas Bahia entrava na minha cabeça, eles falam tão rápido e com tanta convicção, que se você não estiver atento, pega sua bolsa e sai correndo pra comprar. E infelizmente, tudo o que vemos hoje é por conta de consumismo. Enquanto tiver forças vou lutar contra isso e dar exemplos, que é o mais importante.

  42. Sandra disse:

    Porque os fatos sociais condicionados pelo capitalismo visam influenciar as pessoas para um consumo exorbitante, isto é imposto e repassado de geração em geração por meio da educação. O individuo ao nascer encontra tudo pronto e predestinado pela sociedade, se torna um ser passivo e acomodado. O alvo principal é o ser enquanto criança, pois o desejo é facilmente manipulado pela mídia, atingindo os objetivos do capitalismo.

  43. Daniela Alves disse:

    De acordo com o texto de Durkhein os fatos sociais foram criados para a compreensão do que acontece na sociedade, o autor também visa o método do funcionalismo que observa a maneira de agir de determinados grupos que é capaz de exercer uma força superior ao indivíduo, como ele mesmo disse “a sociedade molda o indivíduo”. Existe uma força do consumismo sobre nós, fazendo com que os fatos sociais sejam impositivos, ou seja, arrogantes e exteriores ao indivíduo. Quando assistimos o vídeo e vemos o site, essa ideia de consumismo fica mais clara e percebemos que essa pressão consumista atinge mais as crianças, pois elas têm um grande poder de persuasão em relação aos pais. A mídia faz com que os adultos ajam de forma inconsciente de acordo com o que ela determina como correto ou errado na sociedade. Simplesmente obedecemos o que a mídia nos mostra como base para uma sociedade capitalista. E geralmente são as crianças as escolhidas para essa reprodução, pois é na escola que esse poder abusivo do consumismo acontece de forma mais ampla, através de brinquedos, de roupas, calçados, materiais escolares, etc de personagens midiáticos. Portanto para essa sociedade capitalista que nos cercam todos precisam se adequar a essa sociedade, mesmo se a situação financeira for inferior a esses produtos, pois quem não os têm são discriminados.

  44. Hayanne Zahra disse:

    Os fatos sociais de acordo com Durkheim são “coisas” materiais capazes de exercerem sobre o indivíduo uma coerção exterior a ele (pressão que a sociedade exerce nos indivíduos) e que se estabelece em toda a sociedade, tornando esses fatos impositivos. Os fatos sociais são coletivos, existentes em toda a sociedade e não apenas a um único indivíduo. A sociedade, portanto, é vítima de tudo que vem do exterior.
    A partir do que o documentário apresenta pode-se ter como compreendido que as crianças estão sendo, desde muitos anos, alvos do mercado de consumo para a obtenção de lucros geralmente conquistadas desonestamente. As crianças estão sendo “dissecadas pelos profissionais do marketing através principalmente da mídia. A sociedade pouco se preocupa com elas (crianças), e tratam-as como “coisa” e consumidoras com poder de compra.
    Essa geração de consumidores está sendo criada e vista como doentes consumidores em vez de saudáveis, demonstrando altos níveis de depressão, ansiedade, diabetes e outras doenças que se apresentavam em níveis baixos há algumas décadas passadas.
    No site do Instituto Alana também encontra-se diversas notícias com relação a publicidade infantil, jogos e aplicativos para bebês e crianças em eletrônicos os quais são apresentados pelas empresas como educativos, ações de marketing nas escolas e dentre muitas outras.

  45. Marieli Bianchi disse:

    Na sociedade capitalista estamos imersos ao consumismo antes de nascermos. O mercado está cada vez mais direcionado a infância utilizando-se da mídia como maior meio de influência consumista, que apesar de muito grande para as crianças, os adultos também são pressionados ao consumo.
    Para Durkheim os ” Fatos sociais” são ações impostas a cada um de nós, é algo ou um fator externo que exerce para que nos adequamos a tal forma na sociedade capitalista em que estamos inseridos. Esse são impositivos, pois os indivíduos estão condicionados como ao seguir as leis ou regras impostas sem questioná-las, o consumo inconsciente e os visualizam como ações naturais.

  46. Angelica Camacho disse:

    Para Durkheim os fatos sociais compreendem toda maneira de agir que exerce sobre o indivíduo uma coerção exterior, que apresenta na sociedade, uma existência própria que independe de manifestações individuais.
    Essa coerção é entendida como o ato de induzir, pressionar ou compelir alguém para fazer algo, por uma força maior.
    Os fatos sociais também se dão a partir de como a sociedade enxerga a si mesma e ao mundo que rodeia.
    A sociedade capitalista atua a partir desses trechos citados acima, pois de acordo com Durkheim, a sociedade molda o indivíduo. As pessoas estão preocupadas cada vez mais em coisas materiais, coisas que muitas vezes nem usam, mas o consumismo as fazem querer ter.
    Através do documentário percebemos que o capitalismo está impulsionando desde muito cedo as pessoas a esse querer ter, desde a infância. A mídia ajuda e influência muito nessa estratégia, ajuda muito nesse mundo de querer comprar algo para ter uma satisfação, satisfação essa que nunca chega.
    No site também fica bem claro essa ideia, pois o que vemos é várias divulgações sobre produtos do universo infantil, que influenciam desde muito pequenas consumidores que atendam a intenção maior da sociedade capitalista.
    Esse fato social se torna impositivo pela maneira como os indivíduos se tornam consumistas sem ao menos questionarem o por quê disso, pois com o capitalismo, já é quase uma regra esse consumo compulsivo.

  47. Maiara Carnelossi disse:

    Émile Durkheim foi o primeiro professor universitário de sociologia e definia a sociologia como sendo uma ciência das instituições e do funcionamento destas, de todo funcionamento instituído pela sociedade.
    Esses comportamentos e funcionamentos da sociedade são chamados de fatos sociais, que definem o objeto da sociologia.
    Esses fatos sociais são formados por representações coletivas e maneiras sociais de agir que são externas ao indivíduo, que exercessem influência sobre eles, apresentadas pela sociedade independente das manifestações individuais. Esses são chamados de impositivos, pois são ações impostas sobre os indivíduos, são externas e, portanto, nos enquadram nesse mundo capitalista onde somos a todo momento, principalmente pela mídia, impulsionados a consumir excessivamente sempre. Esses consumos acabam se tornando inconscientes e inquestionáveis. Portanto, a sociedade num todo acaba sofrendo essas influências externas do mundo capitalista.
    Através do documentário assistido e do site do Instituto Alana podemos observar que desde cedo as crianças já são influencias externamente através de propagandas a consumirem os produtos infantis, uma ação que visa apenas o lucro e que acontece já há muitos anos. A mídia é o principal lugar onde acontece essa influência sobre as crianças, que as levam a querer consumir incessantemente.
    Todo esse fato social se torna impositivos por exercer sobre os indivíduos essa vontade exagerada de consumir, de leva-los a consumir sem mesmo que eles percebam que fazem isso que, Esta é uma característica nítida no mundo capitalista onde predomina esse consumo impulsionador.

  48. Bruna disse:

    Para ele tosas as respostas da nossa organização social estavam nos fatos sociais, sendo assim seria necessária a aplicação de um método para os compreendermos melhor enquanto objeto sociológico.
    Os fatos sociais tem então que ser igual as plantas para a biologia onde se estuda cada detalhe.
    Para ele, o homem naturalmente cria falsas noções do que são as coisas que o rodeiam, mas não é através da criação de ideias que se chegará à realidade.
    Para Durkheim, deve-se propor a investigação dos fatos para buscar as verdadeiras leis naturais que regem o funcionamento e a existência destes, pois possuem existência própria e são externos em relação às consciências individuais.

  49. Fernanda Rissardi disse:

    Para Émile Durkheim os fatos sociais, objeto de sua sociologia, são maneiras de pensar, sentir e agir exteriores ao indivíduo, atribuídas de um poder de coerção em virtude do qual se lhe impõe.
    Os fatos sociais são formados pelas representações coletivas, isto é, o produto de uma colaboração de indivíduos que misturam idéias e sentimentos, originando os conceitos.
    Os fatos sociais são divididos em duas maneiras: as maneiras de agir, que estão menos consolidadas, como as correntes sociais e os movimentos coletivos. E as maneiras de ser sociais, já cristalizadas, representam as regras, os dogmas religiosos e as morais.
    Para esse sociólogo a sociedade é a soma dos indivíduos que a compõem, cada pessoa é uma pequena parte de uma multidão de colaboradores, assim sendo, os fenômenos que constituem a sociedade têm sua sede na coletividade e não em cada um de seus membros. Conseqüentemente, depreende-se que os fatos sociais são impositivos, surgem independentemente da importância que alguém lhe atribui.
    As pessoas moldam-se ao tipo de sociedade para a qual vivem, nesse caso, na sociedade capitalista os indivíduos deixam-se levar pelo consumismo demasiado, acarretando que muitas pessoas prejudiquem-se financeiramente ou então cumpram uma carga horária de trabalho muito maior do já possuem apenas objetivando o consumismo desnecessário posteriormente.
    É importante salientar o consumismo infantil, conforme ratifica o documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância”, no qual aborda o quanto a mídia exerce um poder coercitivo nos pequenos para a compra demasiada, propendendo-os para o consumismo desde os seus primeiros anos de vida, acarretando que sejam induzidos pela sociedade na qual estão introduzidos.
    Contudo, ainda deparamo-nos com maneiras de agir, como o instituto Alana, que apesar de ser um fato social menos consolidado, atua para encontrar alternativas transformadoras que honrem a criança, visando assegurar sua vivência plena.

  50. Fran (Denise Franciane) disse:

    Segundo Durkhein, os fatos sociais têm caráter impositivo devido a sociedade ser caracterizada por um conjunto de regras estabelecidas a priori e influenciada por fatores externos, principalmente pela mídia que atende aos interesses do capital.
    O documentário “Crianças do Consumo” mostra claramente como as crianças são facilmente manipuladas inconscientemente pelo marketing intenso e constante que visa, basicamente, cooptar os jovens, crianças e inclusive os bebês para conseguir seus objetivos.
    Fica evidente que vivemos num momento cultural com implicações contundentes da mídia e do consumo onde muitas crianças são produzidas, formatadas e fabricadas na sociedade da mídia e do consumo. Fazem parte da infância da maioria das crianças, na atualidade, a efemeridade; individualismo; fugacidade; visibilidade; superficialidade; ambivalência; instabilidade e descartabilidade, pois buscam incansavelmente a fruição e o prazer. São crianças que procuram, infatigavelmente, fazer parte de uma comunidade de consumidores de mercadorias da moda o que favorece a mídia se beneficiar da fragilidade das crianças a fim de serem exploradas como mercadorias, ou seja, a criança passará a ter valor se consumir os produtos que estão na moda.
    O site do “Instituto Alana” tem o objetivo de auxiliar a sociedade, principalmente os pais e responsáveis, para a intensa e cruel exploração da infância como mercadoria. O Instituto dialoga com o documentário, ambos defendem o mesmo ideal de que a infância deve ser protegida da exploração da mídia capitalista.

  51. Flávia G. disse:

    Os fatos impositivos os quais Durkheim se refere, diz respeito às forças externas da sociedade que são impostas e que afetam o individuo, ora e onde o consumismo de mercado de produtos infantis entra nisto? Ora na imposição do mercado em que vende a idéia de que quem não possui determinada mercadoria, não se encaixa na sociedade, hoje vivemos numa era em que quanto mais novo for meu público alvo, mais tempo de consumo vai se ter, ou seja, quanto antes a criança aprender a consumir e a persuadir os pais para ter algo, mais tempo na vida ela passará consumindo, e este consumo exagerado ou os fatos sociais que criam esta falsa noção de necessidade é o que garante o crescimento do capitalismo e alimenta uma sociedade consumista, que não percebe a verdadeira importância de ser um individuo, longe dos moldes e das inflências exteriores.

  52. Andressa Parra disse:

    Para Durkheim a questão que diz respeito aos fatos sociais é uma inquietação contínua, Durkhein acreditava que os problemas de sua época não se referiam a natureza econômica e sim a moral, no entanto os socialistas que alteravam a riqueza não contribuíram para solucionar os problemas que existiam ali, mas era considerado que a ciência poderia solucionar essas situações. Na visão de Durkhein a divisão do trabalho poderia ser revertida em ajuda e colaboração entre os homens o que não era a realidade, assim constata-se que os fatos sociais impõem padrões existentes na sociedade capitalista, esta que acaba por caracterizar as pessoas, os indivíduos mais favorecidos, sendo estes a minoria, acaba sendo integrados e outros a maioria é eliminada. Basicamente os fatos sociais induzem em estabelecer o que é considerado certo ou errado, o está à cima de alguns e abaixo de outros.
    O documentário “Consumo de Crianças – A comercialização da infância” deixa bem explicito que desde a infância os “fatos sociais” tão referidos por Durkhein estão imersos no sistema capitalista juntamente com a alienação da sociedade, impõe até mesmo que as crianças cresçam sendo consumistas, que ela seja muito dependente de bens materiais como se nada mais fosse importante para a satisfação pessoal. A mídia é um meio de comunicação em massa muito poderoso, que também contribui para esse consumismo em excesso, deixando-nos alienados como se aquilo que é imposto é o melhor.

  53. Camila Pavaneli disse:

    A maneira pela qual os indivíduos se comportam, o modo de sentir as coisas e aproveitar a vida, se deve ao fato destes indivíduos estarem expostos as regras das quais foram criadas e estabelecidas pelos os outros. Possuem, portanto, um caráter coercitivo. Para Durkheim os fatos sociais tem caráter impositivo pois os indivíduos se comportam de acordo com as regras que são socialmente aprovadas. Sendo assim, as pessoas molda-se de acordo com o grupo social que pertence. Ao assistir o documentário “Crianças do Consumo” fica claro que a sociedade molda as crianças ao mundo do capital, no qual é vista como mero produto capitalista, vendo elas como consumidores do manhã, devido sua fragilidade para fazer uma reflexão do que vê. A sociedade é voltada para o “ter” e não para o ser. Transmitem a ideia que para ser feliz, estarem adequadas à sociedade é precisa obter tal produto. Vivemos, portanto, em uma sociedade onde o consumismo é o grande fundamentalismo. Agimos, nos comportamos de acordo com este tipo de sociedade, comprovando a teoria de Durkheim. A grande difusão deste tipo de comportamento se dá através da televisão no qual se torna a ferramenta do capital, torna-se uma comunicação mercadológica, tendo como único objetivo vender e obter lucros. O resultado disso são os altos índices de violência na juventude, obesidade infantil, erotização precoce, estresse familiar e tantos outros problemas. O Instituto Alana Defesa vem em contraposição ao sistema. Defende as crianças na questão da publicidade voltadas para elas por não terem a capacidade para compreender o poder persuasivo das mensagens publicitárias que atingem os meios de comunicação, buscam pela garantia dos direitos das crianças em relação ao consumo. Trabalham para ampliar a conscientização da população sobre o consumismo na infância.

  54. Letícia Veste Correia disse:

    Para Durkheim, os fatos sociais consistem em maneiras de agir, de pensar e de sentir exteriores ao indivíduo, dotadas de um poder de coerção sobre este mesmo indivíduo. Também pode ser considerada uma forma de tentar compreender o que acontece em nossa sociedade, compreender as características dessa sociedade que molda o indivíduo. Segundo, ele, os fatos sociais constituem o objeto de estudo da Sociologia, pois decorre da vida em sociedade.
    Através do documentário podemos perceber que cada vez mais estamos imersos neste “mundo” do consumismo. Inclusive as crianças, que recebem influências para exercerem o consumo, ou seja, desde a infância existe essa questão do “querer ter”, até mesmo sem a necessidade, apenas para suprir os desejos e as vontades de consumir.
    O tempo todo, as pessoas são excessivamente influenciadas pela mídia.

  55. Thaís Leite disse:

    Para Durkheim a sociedade é um meio manipulável, condicionável, tanto que, baseiam-se em parâmetros estabelecidos pela mesma para que possam viver confortavelmente. Parametros estes, que afundam cada vez mais a mesma no mundo da alienação. E como se não bastasse, “arrasta” junto nossas crianças, como assim visto no vídeo citado. Cada vez mais as crianças querem crescer mais rápido, meninas de 17 anos por exemplo não leem revistas para meninas de 17 anos, querem ler revistas de adultos; e o publico das revistas destinadas à meninas de 17 anos, são as meninas entre 12 e 15 anos aproximadamente. O mundo do marketing vem marcando cada vez mais a vida das crianças, tornando-as quanto antes, mini adultos. A partir de 1984 foi que piorou radicalmente, quando liberaram totalmente comerciais que induzem às crianças o consumo. Estas, tendo o poder de decidir aonde a família passeia, o que a família come, como a família se diverte, faz com que, os pais cedam suas vontades, estes por muitas vezes tentando suprir sua ausência devido às longas jornadas de trabalho. Com isso, os lucros dos “marketeiros” passaram de 4%/ano para 35%/ano. Estes, interessam-se em movimentar produtos, indiferentes à moralidade, pois não se importam em saber que, não são só produtos que estão sendo vendidos, são os valores.
    As meninas têm a visão de que devem ser lindas, sexy, perdendo tamanha inocência infantil. E os meninos, têm a visão de que devem ser violentos, durões.
    O excesso de mídia precoce altera a maneira como o cérebro se desenvolve, afeta a maneira como as crianças se desenvolvem. E dificulta a aprendizagem escolar, pois elas acostumam-se com imagens coloridas, passando rapidamente diante de seus olhos, assim, a aula não contendo nada disso, torna-se desinteressante.
    As brincadeiras educativas são infinitamente mais proveitosas mentalmente do que os softwares educativos, mas, as brincadeiras criativas tiveram queda absurda de 94% na ultima década. Essas brincadeiras são os alicerces do aprendizado, são a base do pensamento critico, da empatia.
    Questiona-se então; não seriam os pais os responsáveis pelo controle das crianças? Parcialmente sim, mas, como dito no vídeo, imaginemos que uma frota de caminhões decidisse andar somente à 250km/h principalmente em uma faixa onde prevalecem crianças, a responsabilidade seria só dos pais para que elas não se machucassem? Sozinhos os pais não conseguem; principalmente levando em consideração tamanha influencia que vendo sendo exercida sobre as crianças, estas, cada vez mais jovens.

  56. Ana Claúdia disse:

    Fazendo um paralelo entre as ideias de Durkheim e os documentários, podemos compreender que os chamados “fatos sociais”consistem em maneiras de agir, de pensar e de sentir exteriores ao indivíduo, dotadas de um poder de coerção sobre este mesmo indivíduo, é sobre esse poder que as crianças já nascem imersas, em uma sociedade onde não se valoriza o ser, mas sim o ter, uma sociedade que só aceita os “bem sucedidos” e que dita a todo momento o que devemos comer, vestir, como devemos falar, do que podemos gostar. Uma sociedade pautada no consumismo dilacerado.

  57. Rebeca Gomes disse:

    Para Durkheim, o fato social tem caráter impositivo, pois ele se apresentaria ao individuo como uma realidade preexistente, independente e exterior. O primeiro caráter de um fato social é o poder de coerção, não necessariamente percebido como coerção pelos membros da sociedade. O indivíduo, explica Durkheim, ao nascer, não escolherá o idioma ou as normas de comportamento, pois que tudo isso já está definido de acordo com a sociedade em que venha a nascer. Em tais circunstâncias de existência social, o homem prova, então, da força de coerção da sociedade.
    Esse poder de coerção levará a sociedade a fazer uso de sanções que podem ser legais ou espontâneas. Nesse sentido, a punição para os que se rebelarem contra as normas ou se comportarem questionando-as, portanto, poderá aparecer em forma de lei penal juridicamente estabelecida (legal) ou pela simples reprovação, em que o infrator, por exemplo, se sentira alvo de risos (espontânea).
    É essa visão que vemos ao assistir o documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância”, pois ele mostra a influência da sociedade da vida da criança até antes dela nascer. São impostos pelos marketings uma variedade enorme de itens, e com o intuito persuasivo de que a pessoa não será feliz se não tiver aquilo. Podemos ver a nossa volta como é grande o consumismo imposto as crianças, pois se criam desenhos, e tudo possível de acessórios e brinquedos sobre ele, fazendo com que a criança deseje e peça até os pais comprarem. Porém não se devem culpar as crianças por isso, e sim batalhar para que seja proibido usá-los como objeto de intermédio para chegarem aos pais, para influenciar os pais a gastar. Mas isso será difícil, pois nascem em uma sociedade onde o “ter” é mais valorizado que o “ser”.

  58. Noemi disse:

    Segundo Durkheim os fatos socais são maneiras de pensar e agir externas ao indivíduo que estão explicitas no modo capitalista. Estes fatos exercem sobre o indivíduo aquilo que a sociedade deseja independentemente do individual, são chamados impositivos pois são impostos pela sociedade ao indivíduo, tornando-os cada vez mais consumistas e inconsequentes de seus atos.
    A mídia faz com que as pessoas sigam um padrão imposto por ela e quem sair fora não serve para aquela sociedade.
    O documentário mostra o quando a sociedade impõe as crianças para desde de pequenos já serem consumista e sempre querer mais do bom e do melhor. Ja o site do instituto Alana tenta criar alternativas para que as crianças aprendam a lidar com esse consumismo de maneira diferente e a cada vez diminuir este consumismo infantil.

  59. Janaine Braga Ramos disse:

    Segundo Durkheim, os fatos sociais tem um caráter impositivo, pois exercem no indivíduo uma coerção, ou seja, uma imposição que determina o comportamento social do sujeito. Além de os fatos sociais caracterizarem-se por seu aspecto impositivo eles também se definem por uma imposição que ocorre na maior parte das vezes sem que o indivíduo tenha consciência desta agressão social que ele sofre.
    Os fatos sociais são passives de análise e se fazem presente na rotina da vida humana, visto que vivemos em sociedade e seguimos as regras impostas pelos pensadores que norteam o comportamento das massas. Na sociedade capitalista a ideia que norteia tal comportamento é o consumo, deste modo somos bombardeados por todas as formas de estimulo que levem ao consumo. Para alcançar tal objetivo os marketeiros não medem esforços e não poupam os consumidores, nesta perspectivas todos são consumidores.

  60. Luany Pyetra disse:

    Na visão de Durkheim,os fatos sociais são,exteriores ao individuo,toda sua maneira de pensar,sentir e agir que tem influência coercitiva sobre suas consciências.A sociedade tem representações coletivas que geram uma visão de si própria,quando observado o mundo em seu redor.
    Esta imposição dos fatos sociais se dá por meio de diversos fatores,destacando principalmente toda forma de capitalismo.No documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância”,podemos ver claramente que o capitalismo chega por meio de diversos meios de comunicação às nossas crianças,que aprendem o consumo capitalista e repassam seus desejos aos adultos, colaborando para influencia-los.A busca incessante pelas modernidades de cada “era digital”,faz com que as propagandas invistam ainda mais em coisas que atinjam as crianças e de maneira direta os adultos,sendo a todo instante internalizado esse consumismo no capitalismo.

  61. Durkheim, estuda o fato social que baseia em estudos da sociologia, pois faz parte da vida da sociedade. Ele defende esse fato em 3 características
    .
    A primeira é a característica geral, na qual o fato se repete em todos os indivíduos. Um exemplo podemos perceber a generalidade pela propagação das tendências dos grupos pela sociedade..

    A segunda é a de coercividade, que é a força que a sociedade exerce sobre o indivíduo, porém esses padrões culturais são de tal maneira fortes que obrigam os indivíduos a cumpri-los.

    A terceira é a de exterioridade é quando as características de fato transmitem esses padrões de cultura no exterior do indivíduo, independente das sua consciência.

    Durkheim, acredita que fatos sociais são “coisas”. São maneiras de agir, pensar e sentir ate mesmo no exterior do indivíduo, e dotadas de um poder coercitivo. é importante não confundirmos com os fenômenos orgânicos nem com os psíquicos que constituem uma espécie nova de fatos. São fatos sociais: regras jurídicas, morais, dogmas religiosos, sistemas financeiros, maneiras de agir, costumes, etc.

    Com a chegada do capitalismo veio o consumo, e o consumo que influencia as crianças é muito grande, pois por meio de propagandas indústrias tentam vender ser produto deixando as crianças fascinadas e fazendo com que elas pensam para seus pais e com o tempo essa propaganda apelativa só tende aumentar.

  62. Mylena Pereira disse:

    Émile Durkheim coloca como uma das características de fato social, é que ele existe fora da consciência, e exterior aos indivíduos tendo um caráter impositivo com o modo de pensar e agir.. Mostra também que o fato social tem o poder de impor ao individuo, mesmo que ele não queira. Sendo assim a sociedade impõe regras e não permite á mobilização das pessoas, não permitindo sua criatividade e imaginação. Toda essa dominação acontece entre os dominantes com o intuito de um interesse social.
    Isso pode ser percebido facilmente através das propagandas comerciais com as crianças, na qual elas são bombardeadas por publicidades infantis de brinquedos, personagens que passa a ideia de que se elas consumirem tal produto elas vão adquirir as mesmas personalidades que os personagens. Tudo isso demonstra como a mídia influência nossa maneira de pensar e agir e principalmente nossa personalidade. O consumo faz com que nós não pautemos no ser, e sim no ter.
    Como consciência de todas as influências externas que a mídia exerge o Instituto Alana tem como objetivo auxiliar a sociedade pais e responsáveis para que a criança pare de ser objeto de consumo e mercadoria.

  63. América disse:

    O indivíduo já nasce em um ‘’mundo ‘’ pronto, ele não nasce humano, nasce filho de humanos. Para ele ser tornar humana precisará da interferência e influência do meio que esta inserido. Ele herdará características da das pessoas que constituem o lar que o ‘’abriga’’. Sua essência humana nada mais será que ‘’um pouco ‘’ de cada coisa e de cada uma’’ que passou pela sua vida, enquanto estava em processo de formação. Ele aprenderá sobre as regras e comportamento e as convenções sociais que já existiam antes de ele nascer. Durante sua primeira infância ele absorverá o máxima de características e costumes do ‘’meio’’. Isso implica dizer que aprenderá o que deve comer, vestir, calçar, comprar, etc. Os adultos estarão inseridos em uma sociedade alienada que é controlada pela mídia e, fatalmente, ele aprenderá logo cedo, que poderá usar suas armas de persuasão para conseguir o que quer. E o que ele quer? O que as grandes corporações cinematográficas, marketeiras, as industrias de brinquedos e alimentícia querem que ele consuma.Elas ditarão as regras e eles infernizarão, desde a tenra idade, seus pais, avós, tios e quem quer que aparece em seu caminho dizendo: Eu quero! Eu quero!… Compra! Compra!…
    Os pais estarão como sempre ocupadíssimos, sendo nada mais que marionetes dentro deste jogo de consumismo, trabalhando dia e noite para poder consumir, consumir, ter, ter, comprar , comprar, para o bem da família…nisto faltará tempo para os rebentos e , de consciência pesada tentarão abrandar o sofrimento da prole,, com isso, substituirão a atenção e interação familiar por brinquedos e brinquedos, aparelhos tecnológicos, roupas de grife, tênis ‘’massa’’ e um monte de guloseimas…afinal as crianças precisam de energia. A falta de tempo da sociedade consumista obrigou, as grandes industriais do seguimento alimentício, à pensarem nas famílias da ‘’pós-modernidade’’. Criaram pratos rápidos e básicos e, lógico, não se esqueceram dos pequeninos…existem linhas inteiras oferecidas inclusivamente para as crianças e os jovens…embalagens coloridas, chamativas, com personagens infantis e teen…tudo para ‘’agradá-los e incentivá-los a comer, comer, comer,comer. Não importa o que estão comento o importante é que estão comendo. Nesta pós modernidade tudo é em pró das crianças e dos jovens…e os fabricantes levam muito a sério isto, elaborando produtos específicos para o publico infantil e jovem. Ostentação! Ostentação”Ostentação! O dinheiro esta nas mãos dos pais e os filhos são a razão de suas vidas. Nada mais justo do que querer agradar os filhos.
    Não encontramos mais crianças , mas miniaturas de adultos . Eles estão mais exigentes, São cheios de opiniões? São eles que decidem o que irão vestir, usar, etc. Eles impõem o parecer sobre a casa, os móveis, a alimentação, o carro, a viagem, o material escolar…infinitamente…tudo.
    Mas o grande vilão está invisível ao raciocínio humano. Todos são manipulados pela mídia, em especial os indivíduos em formação, mas por detrás das mídias estão os interesses de investidores ambiciosos , dispostas a usar de qualquer meio de apelação, na maioria inescrupulosas, para enriquecer. Usam de figuras públicas, de ídolos, de desenhos, de programas infantis, de filmes, novelas para venderem seus produtos.
    Estamos na era do ter. Então quem pode manda e obedece quem tem juízo. Eles compram tudo, eles mandam em tudo. Eles determinam como deve ser o ‘’andar da carruagem’’.Eles criam a leis que os favorecem.Eles derrubam leis que os prejudicam. Eles são os donos do dinheiro, logo são eles que decidem qual música será tocada. Eles quem? Os grandes investidores, os burgueses, os cabeças da lógica do capital. Em tudo, que acontece na sociedade, eles veem uma oportunidade de negócio. Lucram de todas as formas possíveis.
    Era disto que Durkheim estava dizendo quando falou sobre os fatos sociais. O sistema no qual vivemos molda o individuo para que este se adapte as regras existentes, caso ele se negue sofrerá as consequências por não seguir os padrões de comportamento já pré estabelecidos, você tem que ser o que os outros são: alienados!
    Cada vez mais o poder de compra se sobressai sobre o caráter e virtudes da pessoa a humana. Você vale o que tem no bolso, ou no banco, ou em aplicações. Nunca a aparência teve tanto poder. E tudo isso esta influenciando negativamente ,de forma geral, o psique das pessoas. Os valores mudaram, e isto resultou no ‘’caos da sociedade’’ , isto é um fato social. Este caos alimenta e fortalece o capitalismo, cuja regra é: consumir! Consumir! Consumir!
    O fato social interfere na maneira de viver , de ser, de agir das pessoas.

  64. Silmara T. Dias disse:

    Èmile Durkheim define que os fatos sociais como “toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior, ou então ainda, que é geral na extensão de uma sociedade dada, apresentando uma existência própria independente das manifestações individuais que possa ter.”

    DURKHEIM. As regras do método sociológico,p.11

    As maneiras de agir e de ser são igualmente coersivas pois internalizam no individuo determinadas condutas e formas de sentir que não lhe são próprias, mas são externas a ele, resultado das representações coletivas presentes na sociedade. No vídeo Consumo de Criança- A Comercialização da Infância podemos constatar de maneira bem explícita a influencia das propagandas na vida das crianças e como o marketing impõe desejos cada vez mais precoce para o publico infantil no decorrer de sua ascensão, influencia até nos dias de hoje a forma de ser, sentir, consumir da sociedade em geral.

  65. Caroline Teixeira disse:

    Para Durkheim temos os fatos sociais como todas as coisas que são nos impostas ao indivíduo em sociedade. O fato de o indivíduo nascer e já se deparar com regras (estrutura e organização) já prontas – e impostas a ele – determina a forma com que ele deverá agir socialmente, fazendo assim a sociedade condiciona-lo a assumir a função que lhe foi imposta.
    Olhando por esse ângulo, e tendo em vista a sociedade em que vivemos a criança já nasce condicionada ao consumismo. Uma forma clara de perceber isso são os horários das propagandas de TV. Se nós deixarmos nossos filhos assistindo televisão por um dia todo e depois quisermos sair para ‘’dar uma volta’’, vamos nos deparar com um show particular de birras por quererem ‘’aquele novo brinquedo’’, ou o ‘’novo sapato’’.
    A escola nos dias de hoje também se tornaram uma grande fonte de consumismo, as crianças olham para o que o ‘amiguinho’ trouxe de novo, não sendo só em brinquedos. O consumismo infantil imposto pelas propagandas influenciam o modo delas serem, agirem e principalmente pensarem.

  66. Raquel Piocoppi disse:

    Como analisa Durkheim, a sociedade com pensamento alienado coletivo que percebe, age e analisa conforme a maioria, é constantemente definida poe decisões únicas, não reflexivas que agem compulsivamente e mecanicamente frente a um capitalismo que “engole” quase toda iniciativa contraditória à mídia e aos bens de consumo. Assim, é de se esperar que o indivíduo desde seus primeiros contato com essa realidade de indução, execute tarefas e modelos de compras de exemplos patriarcais que induzem consciente e inconscientemente, desde pequenos ao consumismo exagerado, sem propósito que só aliena e atrasa o desenvolvimento pleno de um indivíduo crítico que vê e luta por aquilo que não está correto dentro da formação social.

  67. Nicole Sangalli disse:

    Segundo Durkheim,o indivíduo, ao nascer, não escolherá o idioma ou as normas de comportamento, pois que tudo isso já está definido de acordo com a sociedade em que venha a nascer. Em tais circunstâncias de existência social, o homem prova, então, da força de coerção da sociedade.
    Esse poder de coerção levará a sociedade a fazer uso de sanções que podem ser legais ou espontâneas. Nesse sentido, a punição para os que se rebelarem contra as normas ou se comportarem questionando-as, portanto, poderá aparecer em forma de lei penal juridicamente estabelecida (legal) ou pela simples reprovação, em que o infrator, por exemplo, se sentira alvo de risos (espontânea).
    Durkheim trazia forte influência dos positivistas e acreditava na objetividade do fato social. O pesquisador, portanto, para cumprir a exigência de rigor científico, deveria tomar uma distância e neutralidade de seu objeto de estudo (fato social) e conservar a objetividade de sua análise sociológica. Verifica-se que para o pensador em questão o fato social é um fenômeno passível de observação. Em outros termos, assim como um determinado ser vivo é um objeto exterior e palpável de estudo para um biólogo, tendo esse ser diante de si, o fato social se ofereceria com a mesma objetividade para o sociólogo. Como o próprio Durkheim dizia, os fatos sociais são coisas. Neste sentido, a infância é “bombardeada” pelo sistema capitalista, que por meio do excesso de propagandas e de uso do marketing das mais variadas formas, ensinam as crianças a serem consumistas desde muito cedo, inserindo-as desde a infância no modelo capitalista baseado no consumismo.

  68. Marina Martins disse:

    Durkheim fundamenta uma forma determinada de análise da sociedade – a análise funcionalista. Esta análise baseia-se na visão da sociedade como um todo integrado, onde cada parte ( cada um) desempenha uma função necessária ao equilíbrio do todo. Neste pensamento o indivíduo não pode ser considerado objeto de estudo sociológico e sim o indivíduo inserido num grupo social. Nesta compreensão a base de estudo está nas relações sociais, os fatos sociais. Para Durkheim, o “fato social” é exterior aos indivíduos.Além de exteriores, os fatos sociais, são também concebidos como coercitivos: Nossa forma de viver a vida, nossa própria rotina já foi estabelecida antes pelos outros. A sociedade influencia o indivíduo a ter comportamentos e este acredita que é dele. Nosso comportamento, no entanto, está dado de acordo com as regras da sociedade. Assim Durkheim apresenta o caráter impositivo dos fatos sociais. As regras impõe determinados modos e comportamentos ao indivíduo. Desta forma é possível entender que os fatores externos e impositivos aos indivíduos fazem com que ao nascer o indivíduo já comece a se adaptar ao mundo que vive moldando assim o individuo ao grupo social que ele está. . Isto é, o indivíduo faz-se sujeito social segundo os
    parâmetros historicamente impostos pelo seu grupo. A formação diz respeito aos aspectos psicológicos, morais, pelos hábitos costumes, pelo comportamento, ou seja, por toda sua constituição como indivíduo de determinada cultura. Este processo é inconsciente, mas ao mesmo tempo forma o individuo que se deseja e molda o perfil segundo a sociedade. Assim os fatos sociais são impositivos e externos ao indivíduo. Na sociedade capitalista, como se pode ver no vídeo, o indivíduo já é induzido de forma brutal pela sociedade a se adaptar ao sistema capitalista.Este por sua vez exige e oferece cada vez mais ao homem o consumo.

  69. Wanderléa Esteves disse:

    Para Durkheim, os fatos sociais tem um caráter impositivo, pela influência que exerce nos indivíduos, moldando e organizando a sociedade, determinando os padrões a serem seguidos.
    Segundo o documentário visto, as crianças estão sendo atingidas desde muito pequenas, bombardeadas pelo consumismo desenfreado, sofrendo uma coerção da própria sociedade, através da mídia, passando a serem grandes consumidores desde muito cedo, reafirmando uma sociedade capitalista.

  70. Nayara Koseki disse:

    Para Durkheim os “fatos sociais” tem um caráter impositivo porque a sociedade vem moldando o indivíduo, ou seja, ele defende a ideia que a sociedade está acima dos indivíduos.
    O documentário “Crianças do consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância”, mostra o quanto isso é real atualmente e o quanto atende o público infantil. As crianças vem sendo influências pelas propagandas de brinquedos a querer sempre “mais”, a fazer parte desse mundo comunista, onde as pessoas só pensam em comprar. E isso tudo é a sociedade capitalista que pregou, e nós estamos realmente sendo diariamente moldados por esta sociedade.
    O site Alana tem como fundamento trazer a conscientização dos adultos que já se encontram alienados ao consumismo, como também permite fazer a denúncia desses abusos que as crianças vem sofrendo com o excesso de propagandas, pois o site trabalha com caminhos que transforma e honre as crianças.

  71. maely disse:

    Para Durkheim os fatos sociais se expressam em maneiras de pensar, de agir e de sentir. Durkheim retrata que fato social também tem a característica impositiva da qual as crianças já nascem imersas, ou seja, na sociedade em que vivemos o consumismo está predominando, sendo a própria sociedade vitima disso.
    O modo de agir e de pensar dos indivíduos depende do “quê” é imposto sobre ele, através principalmente da mídia, sendo ela quem impõe padrões de comportamento, de alimentação, de vida em geral, fazendo com que o individuo siga esses padrões a qualquer modo. Nas escolas a crianças e adolescentes também são alvos do consumismo, seja por roupas, maquiagem e até mesmo o material escolar.
    Em fim, seja adulto, jovem ou criança o consumismo predomina em toda a sociedade, porem as crianças tem sido alvos principais, pois já nascem sentido a pressão posta pela mídia e colegas.

  72. Ana Régio disse:

    Na visão de Durkheim, a sociedade forma, mesmo que externamente, o caráter do indivíduo, que ao estar nela inserido sujeita-se ao que lhe é “imposto, ofertado”. Caracteriza-se, assim, os fatos sociais, de caráter impositivo, influenciando “direcionando” o indivíduo no mundo capitalista, que divide a sociedade entre classes, incentivando a busca pela inserção nas classes mais altas, aumentando assim o nível de aceitação desse indivíduo pela sociedade.
    Através do filme é possível compreender um pouco mais além e concretamente a relação de imposição de bens de consumo e domínio dos indivíduos pelo sistema social no qual se insere, no caso o capitalismo, que julga as pessoas pelo que têm e não pelo que de fato são ou agem. Ficou explícito a questão da imposição da qual Durkheim reflete, pois crianças são alvos frágeis e fáceis de manipular, na verdade são verdadeiras geradoras de lucro excessivos, sendo possível visualizar o caráter consumista introduzido desde a infância, que acaba por moldar a personalidade das mesmas, que crescerão em uma sociedade consumista ditada pelo capitalismo, que as alcança através da mídia, de suas propagandas exacerbadas camufladas de opções e sugestões educativas. O mais complexo de tudo é que tais crianças reproduzirão tal comportamento e formação em tempos futuros.

  73. SEGUNDO ÉMILE DURKHEIM, OS FATOS SOCIAIS SÃO MODOS DE PENSAR, SENTIR E AGIR DE UM GRUPO SOCIAL. POSSUEM EXISTENCIA PRÓPRIA, CAPAZES DE OBRIGAR O INDIVÍDUO A SE COMPORTAR DESSA OU DAQUELA MANEIRA. OS FATOS SOCIAIS POSSUEM CARACTERÍSTICAS COMO:
    GENERALIDADE : É COMUM A TODOS OS MEMBROS DE UM GRUPO, OU SUA MAIORIA. EXTERIORIDADE: EXISTEM INDEPENDETEMENTE DA VONTADE DO INDIVÍDUO, OU SEJA, SÃO EXTERIORES AO INDIVÍDUO, NÃO DEPENDE DA CONSCIÊNCIA INDIVIDUAL DAS PESSOAS PARA EXISTIR.
    COERÇÃO SOCIAL: OS INDIVÍDUOS SE SENTEM PRESSIONADOS A SEGUIR O COMPORTAMENTO ESTABELECIDO, INDEPENDENTE DA SUA VONTADE. O INDIVÍDUO SE COPORTA DE ACORDO COM HÁBITOS, COSTUMES COLETIVOS OU REGRAS QUE O INDIVÍDUO ACEITA COMO VÁLIDAS, SENDO INDUZIDOS A ASSUMIR CERTAS ATITUDES. CASO NÃO SIGA ESSES COSTUMES OU REGRAS OS INDIVÍDUOS SERÃO PUNIDOS ATRAVÉS DA RIDICULARIZAÇÃO PERANTE O GRUPO SOCIAL, O ISOLAMENTO SOCIAL OU SANSÃO PENAL. O DOCUMENTÁRIO MOSTRA COMO A MÍDIA TEM INFLUENCIADO O CONSUMISMO, PRINCIPALMNTE NA CRIANÇA. FAZ COM QUE OS INDIVÍDUOS CRIEM NECESSIDADES DE CONSUMIR A FIM DE QUE SEJAM ACEITOS NO GRUPO SOCIAL. BUSCAM INFLENCIAR AS CRIANÇAS, UMA VEZ QUE ESSAS INFLUENCIARÃO OS PAIS. O QUE VEMOS É UMA SOCIEDADE DE INDIVÍDUOS ALIENADOS QUE NEM MESMO SABEM DISCERNIR O QUE REALMENTE É NECESSÁRIO OU SE ESTÃO SENDO INDUZIDOS A CRIAR NECESSIDADES.

  74. Adriane Paulino disse:

    A sociedade atua sobre o indivíduo desde o seu nascimento. Como vivemos em um mundo capitalista, as pessoas são induzidas ao consumismo e moldadas pela sociedade para “afundar-se” cada vez mais no capitalismo. Segundo Durkheim, os fatos sociais são “coisas” que influenciam o indivíduo a consumir sempre mais para fazer parte de uma determinada classe social que é considerada superior. No vídeo “Crianças de Consumo – A comercialização da infância”, vimos que o consumismo começa nos primeiros anos de vida das crianças. As crianças são facilmente influenciadas e por esse motivo, os capitalistas usam propagandas direcionadas a esse público, pois esses influenciam os adultos. Trata-se de um fato social imposto pelos grandes capitalistas com o intuito de moldar o indivíduo e levá-lo ao que se acredita ser certo e melhor.

  75. Ludmila L.Liduenha disse:

    Durkheim estuda os fatos os fatos sociais, que são influências exteriores aos individuos que influenciam seu modo de pensar e agir. Ele apresenta o carater impositivo dos fatos sociais, pois todo o nosso dia a dia esta cercado de coisas que nos conduzem.
    A mídia influencia muito as crianças impondo á elas o consumismo e também a sexualidade, criando mini adultos.
    Desde pequenos todos nós somos expostos e forçados a nos adaptar a este mundo e suas regras, crescemos com uma realidade e somos influenciados a pensar e agir. Para entao reforçar este consumismo desenfreado.

  76. Letícia Gabriela de Oliveira disse:

    Para Durkheim os fatos sociais tem caráter impositivo pois a sociedade esta acima dos indivíduos, ou seja, é ela quem nos molda fazendo com que nos comportemos de acordo com regras/fatos sociais previamente elaboradas e aprovadas. Deste modo somos o que somos não porque queremos, mais sim fomos levados a ser, pois a sociedade age como um órgão, que separa cada individuo e define o que ele é ou deseja ser de acordo com os interesses das elites/classes dominantes.
    As teorias de Durkheim podem ser comprovadas na sociedade capitalista e consumista em que vivemos, onde somos o que consumimos , não compramos produtos mas sim sentimentos, fantasias .E porque acreditamos nisso, não seria mais importante SER do que TER? Pois somos moldados desde a mais tenra idade ao consumo, como observamos no documentário “Crianças do consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância” , que demonstra o poder da publicidade para influenciar as crianças e fazer com que elas influenciem os seus pais , deixando claro como a mídia molda aquilo que queremos ser na sociedade capitalista, relacionando a alegria sempre ao consumo, relacionando com a teoria dos fatos sociais de Durkheim , onde somos o que somos, porque fomos levados (pela sociedade) a ser.

  77. Marinelli Almeida disse:

    Para Durkheim o fato social deriva da vida em sociedade, e, de todo conjunto de “coisas” exteriores ao indivíduo e aplicáveis a toda sociedade, como: dogmas religiosos, costumes, normas morais, etc.. Enfim, consiste em maneiras de pensar, de agir e de sentir que exercem poder de coerção sobre o indivíduo.
    Um bom exemplo dessa coerção impositiva de Durkheim, são as propagandas dirigidas as crianças, que transmitem a falsa ideia de realizações de sonhos e inclusão social através do consumo de “tal coisa”, seja brinquedo ou roupas….
    Dica de filme sobre o consumismo exacerbado: 1,99 Um supermercado que vende palavras (2003), de Marcelo Masagão.

  78. Ana Règio disse:

    Na visão de Durkheim, a sociedade forma, mesmo que externamente, o caráter do indivíduo, que ao estar nela inserido sujeita-se ao que lhe é “imposto, ofertado”. Caracteriza-se, assim, os fatos sociais, de caráter impositivo, influenciando “direcionando” o indivíduo no mundo capitalista, que divide a sociedade entre classes, incentivando a busca pela inserção nas classes mais altas, aumentando assim o nível de aceitação desse indivíduo pela sociedade.
    Através do filme é possível compreender um pouco mais além e concretamente a relação de imposição de bens de consumo e domínio dos indivíduos pelo sistema social no qual se insere, no caso o capitalismo, que julga as pessoas pelo que têm e não pelo que de fato são ou agem. Ficou explícito a questão da imposição da qual Durkheim reflete, pois crianças são alvos frágeis e fáceis de manipular, na verdade são verdadeiras geradoras de lucro excessivos, sendo possível visualizar o caráter consumista introduzido desde a infância, que acaba por moldar a personalidade das mesmas, que crescerão em uma sociedade consumista ditada pelo capitalismo, que as alcança através da mídia, de suas propagandas exacerbadas camufladas de opções e sugestões educativas. O mais complexo de tudo é que tais crianças reproduzirão tal comportamento e formação em tempos futuros.

  79. Jacqueline Paiva de Rezende disse:

    Para Durkheim os fatos sociais tem um caráter impositivo porque os indivíduos são obrigados a seguir os padrões determinados pela sociedade. Quando o indivíduo nasce já tem contato com a cultura pronta(costumes, crenças, leis, regras etc), o que os impedem de desenvolver sua criatividade e se tornar capaz de modificar sua realidade histórica. Todos esses costumes são passados de geração em geração por meio do processo de educação. Contudo, vemos no documentário que a mídia tem sido uma das grandes responsavéis pela transmissão de fatos sociais. Vivemos numa sociedade capitalista onde o consumo é inevitável. Dessa forma vemos que cada vez mais os fatos sociais induzem os individuos à uma aceitação da sociedade já imposta e não à uma transformação da realidade histórica.

  80. Bruna Jacomin disse:

    Para Durkhein as respostas da nossa organização estavam nos fatos sócias, portanto a necessidade de aplicar um método para os compreendermos enquanto objeto sociológico.
    Para ele, os fatos sociais têm caráter impositivo devido a sociedade ser caracterizada por um conjunto de regras estabelecidas a priori e influenciada por fatores externos, principalmente pela mídia que atende aos interesses do capital.
    O consumismo faz com que as pessoas preocupem-se apenas com coisas matérias, coisas de que muitas vezes não precisam, porem o capitalismo as impulsionam a comprar.
    Através do documentário percebemos que o capitalismo está impulsionando desde muito cedo as pessoas a esse querer ter, desde a infância. E na maioria dos casos a grande responsável por esse consumo exagerado é a mídia, pois em suas propagandas mostra uma grande satisfação com a compra, porem muitas vezes essa satisfação não é alcançada mesmo com a compra do produto.
    O documentário assim como o site do “Instituto Alana” tem o objetivo de auxiliar a sociedade, principalmente os pais e responsáveis, para a intensa e cruel exploração da infância como mercadoria. O Instituto dialoga com o documentário, ambos defendem o mesmo ideal de que a infância deve ser protegida da exploração da mídia capitalista.

  81. Adriane Ruis da Silva disse:

    Durkheim considerado o pai da sociologia da educação, não pensa em transformar a sociedade, quer justificá-la. Vê nos fatos sociais um caráter impositivo, ou seja, o indivíduo nasce imposto à diversas regras já prontas, as quais determinam (de certo modo) um tipo de comportamento, que muitas vezes é transmitido pela educação, a qual tem por objetivo formar o ser social. Sendo assim menospreza a criatividade e a imaginação do indivíduo desde seu nascimento. O documentário nos mostra como estamos imersos ao consumismo e muitas vezes não nos damos conta disso e os publicitários, por sua vez, visão atraírem um público consumidor cada vez mais jovem, moldando dessa forma sua visão de mundo, fazendo funcionar adequadamente o modo de produção capitalista.
    Durkheim afirma que a sociedade é superior ao individuo, por isso os fatos sociais atuam independente de sua vontade ou até mesmo de sua consciência, o sociólogo declara ainda que os fatos sociais são característicos de funções, por isso atualmente ainda e cada vez mais estamos expostos a esse mundo de imposição, transmitido hoje principalmente pelas mídias. O documentário e o Instituto nos alertam para o perigo do consumismo cada vez mais precoce e a precarização da infância, mostrando-nos os benefícios de uma infância saudável.

  82. Júlia Neves Ferreira disse:

    Durkheim assinala esse caráter impositivo dos fatos sociais, pois, segundo ele, vivemos em uma sociedade onde os seres humanos se deparam com regras de conduta que devem ser aceitas e seguidas, o que os impede de modificar sua realidade, portanto, temos nosso comportamento baseado nessas regras socialmente aprovadas. Defendia então, que a sociedade era responsável por moldar os indivíduos, ou seja, a sociedade condiciona os seres humanos fazendo com que eles passem a ser dependentes dessa sociedade em que vivem. A mídia passa a ser uma das grandes responsáveis por transmitir esses fatos sociais. Na sociedade capitalista em que vivemos, o consumo é inevitável e a mídia contribui para aguçar em nós esse desejo desenfreado de consumir a todo o momento transformando-nos em indivíduos alienados. A influência do capitalismo é tão grande, que até mesmo as crianças se tornam alvo, tendo seus desejos influenciados pela mídia através de comerciais, desenhos e revistas. Elas passam a crescer em uma sociedade onde o “ter” é mais valorizado que o “ser”, e assim exercem forte influência até mesmo nas decisões dos pais em relação ao que vão consumir com o simples intuito de suprir desejos. O instituto Alana trabalha para encontrar alternativas para que as novas gerações aprendam a lidar com o exagero no consumismo visando também diminuí-lo.

  83. Simone A. Rodrigues disse:

    Émile Durkheim afirmava que nos comportamos no figurino das regras socialmente aprovadas, enfatizando ao longo de sua obra o caráter exterior e coercitivo dos “fatos sociais”. Pode-se constatar então que os “fatos sociais” apresentam caráter impositivo pelo fato de existir padrões, na sociedade capitalista, que definem as pessoas, incluindo-as ou excluindo-as de determinados grupos, baseando-se no TER e não no SER. Fica evidente que, segundo Durkheim, os “fatos sociais” de uma sociedade são capazes de moldar, influenciar e direcionar o indivíduo para o que é padronizado como certo e errado ou como melhor e pior, gerando a ideia do que é superior e do que é inferior. Relacionando a fala de Durkheim, que faz uma análise do que tem por de traz dos fatos sociais, com o vídeo indicado percebemos o que se tem por trás das propagandas publicitárias produzidas especificamente para crianças, que as influenciam ao consumismo exagerado, e mais do que isso, fazem com que a criança torne-se dependente de um determinado objeto (brinquedos ou roupas) ou de um momento (passeios, viagens, etc.) para viver ou ser feliz. Isso demonstra a força exercida pela sociedade, de acordo com Durkheim.

  84. Carolina Puga disse:

    Segundo Durkheim,os fatos sociais atuam sobre os indivíduos independente de sua vontade. Eles são coercitivos na medida que exercem força sobre os indivíduos levando-os a se adequarem às regras da sociedade em que vivem, independente de suas vontades.
    Na sociedade capitalista, temos um exemplo de como os fatos sociais têm influência nos indivíduos. Como podemos observar no documentário “Crianças do Consumo ( ou Consumindo Crianças)- A comercialização da Infância”, as crianças são expostas ao consumismo desde pequenas por influencia da mídia. As crianças são levadas a dar valor no ter ter e não no ser, só sendo aceitas se seguirem as tendências de consumo do momento.
    Como mencionado no blog Alana, o excesso de consumismo faz com que as crianças sofram mais cedo graves consequências como: obesidade infantil, erotização precoce, estresse familiar e banalização da infância.

  85. Leila Garbelini Soares disse:

    Se fizermos comparações, percebemos que as defesas de Durkheim têm próxima relação com o que é colocado pelo discurso neoliberal, por nós vivenciado na atualidade por meio do modo de produção globalista.
    No contexto dessa organização socioeconômica, há a presença significativa e inegável (acredito que posso até dizer “presença inevitável”) das instituições sociais e de seus valores fundamentais. Aí, temos campo para “linkar” com o conceito durkheimiano de “fato social”.
    Realmente, somos coercitivamente regidos por regras sociais que acabam por dar sentido às nossas vidas. Aproveitando-se disso, a publicidade encontra oportunidade para entrar em ação, no seu intuito de convencimento de mentes humanas.
    A criança, facilmente “captada” por causa de sua imaturidade natural, é vista como alvo publicitário. Se à criança não forem proporcionados diferentes ambientes de vivência social e cultural, ela se torna, de fato, “preza fácil” de comerciais, tendo em vista que a possibilidade de exposição da mídia capitalista é muito ampla: televisão, internet, jornal, revista, rádio, outdoors, lojas, shoppings, músicas etc.
    O vídeo sugerido mostra que a criança acaba sendo a “alma do negócio”.
    Contudo, algumas vertentes do conhecimento sociológico nos permitem caminhar pela contramão desse processo de manipulação, e, nesse sentido, o site da “Organização Alana” ajuda significativamente.

  86. Verbênia Dias Araújo disse:

    Émile Durkheim, concebe os fatos sociais como sendo exteriores aos indivíduos e capazes de influenciar de uma forma coercitiva a vida das pessoas, fazendo com que elas se comportem de uma maneira ou outra. Sendo assim, Durkheim evidenciava o caráter impositivo dos fatos sociais, mostrando que o comportamento dos indivíduos em uma sociedade está relacionado com as regras que estão socialmente colocadas. De forma inconsciente, o homem vai aderindo àquilo que a sociedade impõe e seu caráter vai sendo amoldado à ela. Essa imposição vai definindo o comportamento social do indivíduo, onde ele perde a sua identidade e se transforma naquilo que é imposto pela sociedade. Fica explícito no documentário “Crianças do Consumo – A comercialização da infância“, como vivem os indivíduos no sistema social capitalista e é possível notar o caráter impositivo dos fatos sociais refletido por Durkheim. É imposto às crianças, mesmo sendo elas frágeis, a compra de diversos produtos que são relacionados com a ideia de uma vida feliz, fazendo assim com que desde pequenas elas consumam para que o capitalismo continue sendo reproduzido. A mídia é uma grande transmissora dessa ideia, que através de um marketing bem elaborado impõe à sociedade, e cada vez mais cedo, direcionando também às crianças a imposição de produtos que levam ao consumismo desenfreado. O documentário trás esse alerta e a uma das reflexões da presidente do Instituto Alana nos leva a pensar sobre esse aspecto: “ Pessoas criativas, inovadoras, solidárias, equilibradas, responsáveis e produtivas só existirão se nossa sociedade propiciar um ambiente saudável para o desenvolvimento das crianças” – Ana Lucia Villela, Presidente do Instituto Alana.

  87. Amanda Vivan disse:

    Durkheim inaugura o conceito Sociologia, entendida como a ciência da sociedade, comparando-a às ciências naturais, busca uma explicação científica, inspirado pelo positivismo. Nessa concepção, a sociedade é considerada um organismo, onde cada instituição tem uma função, sendo fundamental para a manutenção da harmonia, coesão, solidariedade e consciência coletiva.
    Para ele, os fatos sociais devem ser analisados como regras coletivas, exteriores à subjetividade dos indivíduos e às suas próprias consciências. O processo educativo tem como objetivo a aprendizagem das regras para a vida social. Impostas, as regras acabam por ser naturalizadas levando os indivíduos a serem moldados e adaptados à moral vigente. Assim sendo, os fatos sociais não são resultados do acaso, eles cumprem uma função para a sociedade capitalista, que sempre predomina sobre as partes.
    Podemos perceber que o funcionalismo de Durkheim se faz presente ainda hoje na organização da sociedade. Com a nova fase do capitalismo, há a presença marcante da imposição de valores em prol da conservação da ordem através das instituições e ganham ainda mais força com o poder ideológico da mídia. A publicidade se torna uma ferramenta fundamental para o acúmulo de lucros no novo contexto. As crianças tornam-se um público-alvo ingênuo para o consumismo: além de poder de compra, exercem poder de influência sobre a compra dos adultos, como podemos perceber no documentário Consumo de Crianças – A comercialização da infância. Felizmente, algumas iniciativas como a do Instituto Alana, alertam e mobilizam a sociedade a debater e tomar iniciativas sobre a questão da publicidade dirigida às crianças, contribuindo para proteção da integridade infantil, quer seja nos aspectos físicos, psicológicos e sociais.

  88. Vivian Blanco disse:

    Para Durkheim os fatos sociais tem caráter impositivo, a sociedade é como um organismo vivo , e cada membro tem sua função, coagindo o homem a fazer determinada função, para que o funcionamento deste organismo ser harmonioso.
    Segundo o documentário, faz relação as crianças que desde o nascimento começa a ser inserida no mundo capitalista, e através da mídia as crianças passam a ser novas consumidores em potencial, abrindo uma nova geração para o mundo capitalista.

  89. Professor Fábio, os “fatos sociais” tem um caráter impositivo justamente por impor e, até mesmo, influenciar o indivíduo, ou melhor, o sujeito constituído e atravessado historicamente por inúmeros discursos. Quando se pensa que a sociedade capitalista influencia e se organiza por meio dos meios de produção a prática em consumir é inevitável. Esse valores, sentidos e modos de se viver acabam fazendo parte da nossa vida e daquilo que acabamos por cultuar e valorizar. Se desejamos ter uma boa casa, um bom carro e, portanto, sermos felizes é porque reproduzimos muitas das vezes os discursos consumistas que nos condicionam a pensar na felicidade associada ao consumo. Não há felicidade e bem estar social se não consumirmos. Tanto a propaganda acima, o documentário e o filme dialogam entre si sobre essa ilusão que o capitalismo e o consumo nos condicionam.

  90. Gerald disse:

    summitry@wuh.priestly” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó….

  91. lawrence disse:

    moriartys@mosques.order” rel=”nofollow”>.…

    good….

  92. Ron disse:

    legislature@righteousness.bracket” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó!!…

  93. evan disse:

    royce@explosion.sponsors” rel=”nofollow”>.…

    tnx….

  94. chad disse:

    perfusion@bluish.pipeline” rel=”nofollow”>.…

    áëàãîäàðþ!!…

  95. Kent disse:

    ills@wealth.adjourns” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ!!…

  96. angel disse:

    neurologist@pout.motif” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ!!…

Deixar um comentário