I Fórum Social Mundial Palestina Livre

On agosto 22, 2012, in Libano-RP, by Fábio Fernandes Villela

Bom Dia Amigos do Mutirão! Tudo bem?

Porto Alegre sediará o evento “I Fórum Social Mundial Palestina Livre” em defesa da justiça, da igualdade e da soberania palestinas de 29 de novembro a 1º de dezembro de 2012, um encontro global de ampla base popular e de mobilizações da sociedade civil de todo o mundo.

O Fórum Social Mundial Palestina Livre faz parte da oposição do Fórum Social Mundial à hegemonia do neoliberalismo, do colonialismo e do racismo através das lutas por alternativas econômicas, políticas e sociais para promover a justiça, a igualdade e a soberania dos povos.

Os objetivos do FMPL são:

- Mostrar a força da solidariedade aos chamados do povo palestino e à diversidade de iniciativas e ações visando promover a justiça e a paz na região.

- Ser um espaço para discussão, troca de ideias, estratégias e planos que desenvolvam a estrutura da solidariedade.

- Criar ações efetivas para assegurar a autodeterminação palestina, a criação de um Estado Palestino com Jerusalém como sua capital, e o atendimento aos direitos humanos e ao direito internacional por: a) acabar com a ocupação israelense e a colonização de todas as terras árabes e derrubar o muro, b) assegurar os direitos fundamentais dos cidadãos árabe-palestinos de Israel à plena igualdade, e c) implementar, proteger e promover os direitos dos refugiados palestinos de retornar a seus lares e propriedades, como estipula a resolução da ONU 194.

Por isso, o Comitê Organizador do Fórum Social Mundial Palestina Livre convoca todas as organizações, movimentos, redes e sindicatos em todo o mundo a se unirem ao FSM Palestina Livre, de 29 de novembro a 1º de dezembro, em Porto Alegre, Brasil.

Para mais informações, acesse: http://www.wsfpalestine.net/

APOIO

Comitê de Solidariedade ao Povo Palestino de São José do Rio Preto – SP.

1 Comentário » “I Fórum Social Mundial Palestina Livre”

  1. Evaldo disse:

    Acredito que seja um bom começo apesar de ser apenas uma medida paliativa pois percebe-se que a existência de conflito nesta região é histórica e um dos grandes responsáveis por financiá-los aparentemente não está nem aí(USA)! O Brasil vem se posicionando de forma coesa como sede destas discussões mas insiste em participar do Conselho de Segurança da ONU cujo propósito não se justifica.

Deixar um comentário