Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Os textos do Módulo 2 gravitam em torno das modalidades históricas do processo de trabalho capitalista. A pergunta para debate é a seguinte: por que o GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”? Minha sugestão é vcs lerem o texto 3 da bibliografia básica citado abaixo. O link para baixar o texto está logo em seguida. Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Obs. “Anped” é a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação.

Texto 3: BOMFIM, Alexandre Maia do. Há 21 anos Educação e Trabalho transformou-se em Trabalho e Educação: da construção da identidade marxista aos desafios da década de 90 pelo GTTE da Anped. In: Anped: 30 anos de pesquisa e compromisso social, 2007, Caxambu. Anped: 30 anos de pesquisa e compromisso social. Rio de Janeiro: Anped, 2007. p. 1-17.

Esse texto está disponível em: http://www.portal.fae.ufmg.br/seer/index.php/trabedu/article/viewFile/334/303

160 Comentários “Módulo 2 – Trabalho e Educação: As Modalidades Históricas do Processo de Trabalho Capitalista”

  1. Camila Tanure Duarte disse:

    O GT da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (Anped) “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” porque o termo trabalho tem maior significado à humanização do homem, se comparado à educação. Conforme os textos 1 – 2 – 3, o trabalho é a atividade que torna o ser humano diferente dos outros animais, ou seja, humaniza-o.

  2. Tabata Julia Soares Martins disse:

    O antigo nome do GT da Anped, Educação e Trabalho, está referindo -se às práticas pedagógicas nos ambientes escolares. E, a atual nomenclatura Trabalho e Educação enfatiza o trabalho desenvolvido em ambientes não escolares, mas que buscam aperfeiçoamento com embasamentos na área educacional.

  3. Betânia Aparecida Ferreira Cardoso disse:

    O GT da Anped modificou de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, devido Educação existir primeiramente no Trabalho, assim o Trabalho forma o homem por meio da Educação, já que o trabalho é a base da sociedade humana, a qual por sua vez, é a base para todos os tipos de formas e atividades humanas. O indivíduo se forma como sujeito por meio do trabalho, para depois buscar a educação correspondente as suas ideologias.

  4. Marilaine Lopes Barboza disse:

    O GT da Anped mudou para “Trabalho e Educação”, porque expressa melhor o conceito de trabalho a partir da visão sociologia. Como uma atividade humana que promove a humanização e alienação do sujeito.

  5. Ana Teresa S. Fiúsa disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação em um encontro realizado em abril de 1986, dessa forma o grupo de participantes desse encontro decidiram denominar essa área de Trabalho e Educação, sendo esta uma mudança de concepção teórica fundada em uma opção política, mais do que em uma diferença semântica segundo esses participantes. As idéias do grupo irão se consolidar e o trabalho será entendido como categoria central para entender a sociedade, e também como principio educativo, dessa maneira sendo o trabalho educativo ele humanizará o homem. As idéias desse grupo são tem origem na perspectiva marxista e na vertente gramsciana.

  6. Tatiani disse:

    O Gt da Anped decidiu mudar o nome, pois havia a preocupação de que o termo Educação e Trabalho pudesse permitir que os indivíduos se seduzissem pelo mundo do trabalho e perdesse a educação como referência. A preocupação era de que o campo de discussão fugisse do campo da educação e acabasse tomando o rumo da economia, ciência política e não considerando a relação do trabalho e educação. Com essa modificação o grupo solidifica uma de suas principais ideias, que é a idéia do trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade, por isso é tão importante entendermos quais influencias essa categoria exerce em nossa sociedade e, portanto, na educação.

  7. Talita C. L. Nogueira disse:

    A mudança de nomenclatura ocorreu principalmente pela opção política feita pelo grupo que compunha o antigo GT Educação e Trabalho da Anped. Tal grupo tinha em comum a perspectiva teórica do marxismo. Relatos dos componentes dizem que naquela época todos eram materialistas históricos, uns mais, outros menos… Sendo assim, estes estudiosos compreendem a escola como não dissociada da realidade e subordina o termo Educação à Trabalho, entendendo o Trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade e o assumindo como princípio educativo.
    Há alguns membros do grupo que ainda discutem essa mudança, pois com isso as pesquisas começaram a pender para temas mais valorizados na pesquisa, seduzindo-se pelo trabalho e perdendo a educação como referência, trazendo assim um “(…) desprestígio da própria educação à favor de um cunho mais sociológico, econômico ou filosófico” (Bomfim, 2007, p. 15) num GT em que a Educação Básica era a base da discussão.

  8. Simone F. Lopes disse:

    O GT Educação e Trabalho da Anped (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação) transformou-se em “Trabalho e Educação”,pois pensando na realidade do homem atual o termo trabalho tem grande significado se comparado ao termo educação. O trabalho, prática mais presente no cotidiano dos individuos, é o que os humaniza. Estão envolvidas questões políticas e sociais nessa mudança, pois segundo a sociedade o trabalho está inserido no contexto educacional e ajuda a compreender o âmbito social.

  9. Maiara Caroline Pereira disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” pelo fato de se considerar o trabalho como a primeira condição para se atingir o conhecimento e desenvolvimento primordial ao homem, para assim humaniza-lo. Esta decisão envolveu os interesses políticos dos membros do GT e suas idéias principais que pautavam-se no marxismo, considerando-se assim a condição do trabalho como princípio para atingir a educação, o que divide opiniões uma vez que percebe-se uma certa valorização maior do trabalho do que da própria educação que passou a segundo plano dado o interesse maior pelas pesquisas sociológicas.

  10. Livia Camargo Bini disse:

    O motivo pelo qual o GT “Educação e Trabalho” foi modificado por “Trabalho e Educação” foi a concepção de que o trabalho é a forma de educar e humanizar o homem na sociedade. O trabalho não só humaniza e educa como é uma forma de mudança social. Trata-se assim o trabalho como base da sociedade e da formação humana.

  11. Lilian Maria da Silva disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” mudou para “Trabalho e Educação” por razões teóricas baseadas no marxismo. Pois, segundo essa corrente, o trabalho seria a categoria principal de humanização humana e, por essa razão, resolveu-se mudar o nome.

  12. Mayara Gomes Lapa disse:

    A mudança de nomenclatura do Grupo de Trabalho da Anped “Trabalho e Educação”, antes nomeado “Educação e Trabalho”, aconteceu devido à sustentação teórica da lógica do capitalismo, o marxismo, que é a principal base dos ideais do GT. A razão é que o trabalho é a primeira categoria que humaniza o homem, como vimos em sala de aula nos estudos dos textos da disciplina Trabalho e Educação.

  13. Lais Santa Rosa disse:

    O GT da Anped “Trabalho e Educação” modificou seu nome para “Trabalho e Educação” devido a lógica capitalista seguida de seu embasamento teórico. Como podemos ver através das leituras o trabalho humaniza o homem e por conta disso essa categoria motivou a mudança do nome.

  14. Roseli Aparecida Francisco disse:

    A mudança de nome ocorreu primeiramente com bases na perspectiva marxista, deste modo o trabalho era visto como atividade que humaniza o homem e o prepara para a sociedade, pelo seu desenvolvimento integral.

  15. Patricia Muriel de Souza disse:

    O GT surgiu há 21 anos, em abril de 1986, quando pesquisadores da área de “Educação e Trabalho”, assumindo a perspectiva teórica do marxismo, mudaram a denominação para “Trabalho e Educação”. De qualquer forma, foi a partir da influência desse Encontro que o GT passaria a se chamar “Trabalho e Educação”. E foi neste ano de 1986 que acontece mais uma reestruturação da ANPED sobre os GTs, quando foram incentivados a assumir sua especificidade, sua identidade (HENRIQUES, 1998). A mudança formal do nome do GT para Trabalho e educação só vai acontecer mesmo no ano de 1989.
    Neste momento é que algumas idéias centrais para o grupo irão se consolidar, o
    “trabalho como categoria central para entendimento da sociedade”, o “trabalho como princípio educativo”. (BOMFIM, 2007)

  16. Juliana Saab disse:

    A Anped – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação modificou e GT de Educação e Trabalho para Trabalho e educação, porque, segundo os textos e discussões em sala, o termo “trabalho” é de maior significado à prática social do homem. Dessa forma, o trabalho é o princípio educativo para a socialização do homem – o que sabemos que é um fator negativo, visto que a mão-de-obra é alienadora do sujeito.

  17. Maria Cristina labrichosa disse:

    O GT “Educação e Trabalho” da Anped (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação) transformou-se em “Trabalho e Educação” porque assumindo a perspectiva teórica do marxismo, entendem o Trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade, assumindo-o como princípio educativo.
    Essa denominação embora seja também uma diferença semântica é uma concepção teórica fundamentada em opção política.

  18. Josiane Paula Rodrigues disse:

    O GT da ANPED (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação) “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”, devido Educação existir fundamentalmente no trabalho. Estão envolvidas questões políticas e sociais nessa mudança, pois segundo a sociedade o trabalho está inserido no contexto educacional e ajuda a compreender o âmbito social. O trabalho é compreendido como categoria central para entender a sociedade, e também como principio educativo, dessa maneira sendo o trabalho educativo ele humanizará o homem, sendo assim é importante entendermos quais influencias essa categoria exerce em nossa sociedade e na educação.

  19. Mariana Brandolezi disse:

    O motivo pelo qual “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação deve-se a perspectiva marxista e a concepção política presentes nos componentes do grupo Educação e Trabalho da Anped . Nessa perspectiva, o trabalho é visto como princípio educativo, sendo a educação subordinada ao trabalho. A escola, portanto, não deve estar dissociada do trabalho, pois ele é a principal atividade humana, seguindo a linha marxista, é o trabalho que humaniza o homem.

  20. Fernanda Mariane Ramos disse:

    Primeiramente, com base na perspectiva marxista, o GT da Amped – Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação) Educação e Trabalho mudou sua nomenclatura para Trabalho e Educação, pois, acredita-se que a primeira categoria que humaniza o homem é o trabalho, tendo maior significação quando comparado com a Educação, visto que o trabalho torna o ser humano diferente dos outros seres, ou seja o trabalho prepara o homem para a sociedade, desenvolvento-o integralmente.

  21. Fernanda Vollet disse:

    Houve a mudança no nome do GT da Anped de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, pois os participantes, cuja fundamentação teórica baseava-se no Marxismo, em determinada reunião reavaliaram a categoria trabalho como fundamento para definir a sociedade, inclusive a educação, entendendo que o trabalho é o princípio que educa e humaniza o homem.

  22. Jucélia Pena da Silva disse:

    é a seguinte: por que o GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”?

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” devido ao fato de que esta área estava tomando a educação como ponto de partida para a análise, e que na verdade, o que diferencia esta área temática das demais áreas da educação é o trabalho, entendido neste momento, como “categoria central para o entendimento da sociedade” e como um “princípio educativo”, isto é, uma categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo. O Grupo consolida as suas idéias na perspectiva marxista, mas sobre tudo na vertente gramsciana. Dessa maneira, o trabalho é entendido como uma atividade que humaniza o homem e o prepara para a sociedade.

  23. Kathia Jeanice disse:

    O nome do GT “Educação e Trabalho” foi modificado pra “Trabalho e Educação” devido à ideologia política marxista de seus componentes, em que o trabalho, por estar mais presente na vida das pessoas, é o princípio da educação, é a humanização do homem.

    • Michele C. F. S. Silva disse:

      O nome do GT da Anped foi modificado de Educação e Trabalho para Trabalho e Educação, em razão da significação do mundo do trabalho na vida do homem. Isso porque, muitas pessoas vivem para o trabalho e são educadas para essa vivência. Os indivíduos podem até não frequentar a escola, mas, por meio do trabalho eles se humanizam.

  24. Paula Bastos de Oliveira disse:

    A mudança de nomenclatura se deu fudamentalmente embasada nas concepções marxistas, que veem o trabalho como uma forma de compreender a sociedade e este como principio educativo que humaniza e educa o homem. Ele prepara o homem para viver em sociedade. Essa alteração mostra claramente o reconhecimento que o trabalho tem a cima da educação.

  25. Josy Fernandes disse:

    O GT da Anped, que se chamava “Educação e Trabalho”, mudou de nome em abril de 1986 e passou a se chamar “Trabalho e Educação”, isso devido a uma mudança na concepção teórica fundamentada em uma opção política e não apenas em uma diferença semântica, onde suas ideias são originadas da perspectiva marxista e da vertente gramsciana. Mas essa mudança só ocorreu de fato em 1989. Ainda no ano de 1986, aconteceu mais uma reestruturação da ANPED sobre os GTs, que foram incentivados a assumir sua especificidade, sua identidade, sendo, assim, consolidadas assim algumas ideias centrais para os grupos.

  26. Monise Matucci disse:

    De acordo com Bomfim (2007), a área de pesquisa da ANPED “Educação e Trabalho” passou a ser denominada “Trabalho e Educação” a partir de abril de 1986, incorporando aspectos teóricos marxistas e gramscianos. O grupo de estudos optou por inverter o nome pois consideravam que o ponto de partida deveria ser o trabalho, uma vez que os seus estudos pautavam-se numa crítica à economia política, e também pelo fato de o trabalho influenciar a educação, já que a escola é compreendida a partir da sociedade na qual está inserida. Assim, o principal objetivo deste grupo de estudos denominado GTTE, “Grupo de Trabalho – Trabalho e Educação” é propor uma escola que critique o capital e o reprodutivismo.

  27. Franciele Baptista disse:

    O Grupo de Trabalho da ANPED, antes denominado Educação e Trabalho, transformou-se em Trabalho e Educação pelo fato de os membros deste grupo entenderem que é por meio do trabalho que primeiramente o sujeito se humaniza, se desenvolve e se educa. Dessa forma, a Educação deixa de ser prioridade perante o Trabalho que acaba assumindo papel principal, refletindo assim a opção política assumida pelos componentes do grupo mencionado.

  28. Saulo disse:

    O texto tem centralidade na questão da mudança do nome do tema do GT de “Educação e trabalho” para “Trabalho e Educação”. Esse mudança é explicada como centrada na discussão do marxismo e dos interesses políticos de membros do grupo. Essa mudança de visão de mundo é pautada na centralidade do trabalho como meio educativo e, por isso, necessário maior estudo como principio para entender a educação e seus efeitos .

  29. Paula Rocha disse:

    BONFIM(2007), trás uma reflexão sobre o GT Trabalho e Educação nos últimos anos. O GT Trabalho e educação tem uma ideologia predominantemente marxista, pautado em Gramsci , na perspectiva do “trabalho como categoria central para entender a sociedade”. Pautado nessa concepção, o autor relata a mudança do nome do grupo de estudo que antes chamava-se Educação e Trabalho. Ressalta que apesar de uma identidade marxista o grupo dá abertura para outras correntes de pensamento. O GTTE tem uma preocupação, segundo o autor, em manter uma dialética entre identidade e pluralidade, procurando atender as demandas atuais da sociedade.

  30. Luciana Ciencia Apostolo disse:

    A mudança de nomenclatura do Grupo de Trabalho da Anped “Trabalho e Educação”, antes nomeado “Educação e Trabalho”, aconteceu devido à sustentação teórica da lógica do capitalismo, o marxismo, que é a principal base dos ideais do GT.Contemplando a realidade do homem atual o termo trabalho esta muito relacionado ao termo educacao. É o trabalho, presente no cotidiano dos individuos, a primeira prática que humaniza o homem o que justificaria essa mudanca.

  31. Carla Mariana Bonfim disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” para indicar a opção política feita pelo grupo como forma de confirmar a sua identidade. Com base na perspectiva teórica do marxismo e da vertente gramsciana, o grupo passa a considerar como categorial central (dimensão do trabalho) como ponto de partida para a análise para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre as duas dimensões – educação e trabalho. (KUENZER, 1991, p. 92). Deste modo, a relação Trabalho e Educação designa o Trabalho como categoria central e evidencia perspectiva assumida de ter o “trabalho como princípio educativo”. (p. 8) não perdendo de vista a Educação como ponto de referência, conforme argumenta Kuenzer, uma das integrantes do grupo.

  32. Renata Luiza disse:

    O GT da Anped, teve a mudança de nome de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” a partir de um encontro em 1986, em que os participantes do grupo buscavam uma nova concepção teórica. As ideias do grupo teriam como princípio o trabalho como categoria para entender a sociedade e embasar o princípio educativo de humanizar o indivíduo. Percebe-se que n década de 90 o GT passa por grandes desafios diante dos questionamentos dos adversários, fazendo surgir problemas e desprestígio para a Educação, e elevendo o grau de
    estudos de cunho sociológico, econômico ou filosófico.

  33. Bruna Tairine disse:

    Tendo por base a teoria do marxismo a mudança do GT da Anped de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” ocorreu-se não somente por uma opção superficial, mas tem como fundamento a categoria trabalho sobre a sociedade como princípio educativo. Desse modo, tendo como intuito realizar estudos e reflexões sobre a economia política, ocorreu-se a mudança por passarem a considerar primeiramente a dimensão trabalho para obter-se a compreensão do funômeno educativo.

  34. Andreia Fidelis disse:

    A ideia de mudança do nome do grupo de pesquisas da ANPED “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” surgiu em abril de 1986, no momento em que os pesquisadores dessa área assumiram a perspectiva teórica do marxismo, sobretudo de vertente Gramsciniana. No entanto, a mudança definitiva ocorreu em 1989, que reflete não apenas uma mudança nominal, mas sim a aquisição de uma concepção teórica fundamentada em opção política, no caso o Marxismo.
    Tomar como ponte de partida a educação estava levando a área ao padecimento de inversão, assim o ponto de partida deveria ser o trabalho, uma dimensão que permite a compreensão do fenômeno educativo e da articulação recíproca entre a educação e o trabalho. Logo, partir do trabalho para chegar-se a educação.

  35. Damires disse:

    A mudança de nomenclatura ocorreu pela opção política feita pelo grupo que compunha o antigo GT Educação tinha em comum a perspectiva teórica do marxismo. Assim ocorreu a mudança devido os estudiosos compreenderem a escola como não dissociada da realidade e subordina o termo Educação à Trabalho, entendendo o Trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade e oompreendendo como princípio educativo.

  36. Juliana Constâncio disse:

    A mudança do nome do Grupo de Trabalho intitulado Educação e Trabalho para Trabalho e Educação mostra não só uma mudança semântica, mas também uma mudança de concepção teórica e política do grupo. O fato de a maioria dos pesquisadores do grupo seguirem, em seus trabalhos, a perspectiva teórica do marxismo fez com que ocorresse a inversão. Esta significa que o trabalho passa a ser visto como categoria central para se compreender a sociedade e também como princípio educativo, de acordo com a teoria de Gramsci. Além disso, os trabalhos passam a ter como horizonte a defesa de uma escola pública de qualidade para o trabalhador, unitária e politécnica. Embora a maior parte dos pesquisadores do grupo tenha aceitado a mudança, alguns a criticam porque a consequência dela foi o desprestígio dos estudos na área da educação em favor de estudos na área de economia e política. Outro problema apontado seria o fechamento do grupo para estudos que partissem de outras perspectivas teóricas. Desse modo, o desafio a ser enfrentado é encontrar o equilíbrio entre a identidade e a pluralidade, entre autonomia e heteronomia. Os anos 90 e as mudanças no mundo do trabalho com o neoliberalismo balançaram o grupo, mas logo ele se recompôs em seus estudos com base no marxismo histórico.

  37. Joyce Longo disse:

    A mudança do nome se deu devido a concepção marxista predominante no grupo que esntende o trabalho como atividade fundante do homem, sendo este o meio pelo qual o homem se humaniza. Nessa vertente o GT dialoga com Gramsci, portanto é a partir destes pressupostos que a mudança do nome se efetiva.

  38. Andréa Petreca disse:

    Por que o GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”?

    O texto nos mostra a partir da citação de Kuenzer, 1991, que a proposta feita pelo grupo de participantes do Encontro organizado por ela, é que a mudança da denominação Trabalho e Educação reflita não só uma diferença semântica, mas também uma concepção teórica fundamentada em opção política.
    A opção política com perspectiva marxista e gramsciana surgiu a partir da influência desse Encontro, que decidiu que o GT passaria a se chamar “Trabalho e Educação”. A mudança formal do nome aconteceu no ano de 1989, na coordenação de Gaudêncio Frigotto (ANPED, 2002), porém, vimos durante a leitura que desde de 1986 o grupo assim já se identificava, segundo os depoimentos de Frigotto e de Kuenzer.
    Então o trabalho passa a ser “categoria central para entendimento da sociedade”, o “trabalho como princípio educativo”, etc. (TREIN; CIAVATTA, 2003).
    A conclusão a que se chegou, dentre outras, é que o trabalho é categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre as duas dimensões – educação e trabalho e não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence.
    “Essas reflexões determinaram a mudança do nome do GT para Trabalho
    e Educação.”

    [3] BOMFIM, Alexandre Maia do. Há 21 anos Educação e Trabalho transformou-se em Trabalho e Educação: da construção da identidade marxista aos desafios da década de 90 pelo GTTE da Anped. In: Anped: 30 anos de pesquisa e compromisso social, 2007, Caxambu. Anped: 30 anos de pesquisa e compromisso social. Rio de Janeiro: Anped, 2007. p. 1-17.

  39. Michelle Azevedo disse:

    A mudança do nome ocorre devido as várias concepçõess teóricas e políticas presentes no grupo participante deste movimento embasados nas concepções marxistas, que veem o trabalho como uma forma de compreender o mundo ao seu redor. Devido a isto, o trabalho passa a ser visto como um principio ativo da educação em sociedade. Partindo para este foco, é por meio do trabalho que primeiramente o sujeito se humaniza, se desenvolve e se educa, tornando-se capaz de manter suas relações e constituir-se como um ser humano.

  40. MªCristinaMarquesGuimarães disse:

    O texto nos mostra que a mudança do nome do Grupo de Trabalho da Anped intitulado Educação e Trabalho para Trabalho e Educação, não foi só uma mudança semântica, mas também uma mudança de concepção teórica e política do grupo, como nos mostra a citação de Kuezer, 1991, pois o fato de a maioria dos pesquisadores do grupo seguirem, em seus trabalhos, a perspectiva teórica do marxismo fez com que ocorresse a inversão. A mudança formal do nome aconteceu no ano de 1989, na coordenação de Gaudêncio Frigotto (ANPED, 2002), porém, vemos durante a leitura que desde 1986 o grupo assim já se identificava, segundo os depoimentos de Frigotto e de Kuenzer. Então o trabalho passa a ser “categoria central para entendimento da sociedade”, o “trabalho como princípio educativo”, etc. (TREIN; CIAVATTA, 2003). Nesta nova denominação o trabalho passa a ser visto como categoria central para se compreender a sociedade e, também como princípio educativo, de acordo com a teoria gramsciana. Também os trabalhos passam a ter como horizonte a defesa de uma escola pública de qualidade para o trabalhador, unitária e politécnica. Mesmo que a maior parte dos pesquisadores do grupo tenha aceitado a mudança, alguns a criticam porque a consequência dela foi o desprestígio dos estudos na área da educação em favor de estudos na área de economia e política. Outro problema apontado seria o fechamento do grupo para estudos que partissem de outras perspectivas teóricas. Desse modo, o desafio a ser enfrentado é encontrar o equilíbrio entre a identidade e a pluralidade, entre autonomia e heteronomia. Nos anos 90 houve mudanças no mundo do trabalho, com o neoliberalismo o grupo balançou, mas, logo se recompôs em seus estudos com base no marxismo histórico.

  41. Emerson Roberto disse:

    Novas teorias e pensamentos políticos dos participante ativos fazem com que tais mudanças aconteçam. A humanização que ocorre segundo as concepções devido ao trabalho, inferem novos procedimentos e métodos de se analisar, criticar ou estabelecer novos conceitos relacionados.Como toda mudança, algumas das pessoas diretamente ligadas ao processo discordam, enquanto outras buscam apresentar argumentos que demonstrem os reais motivos pelas quais elas aconteceram. Neste caso, as concepções Marxistas se mostram como um dos fatores fundamentais do processo de escolha da nova nomenclatura utilizada

  42. Silvana Teles disse:

    O Grupo de Trabalho da ANPED transformou-se de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” em 1986, com a nomenclatura formal em 1989, pautado numa perspectiva teórica marxista e numa concepção teórica fundamentada em opção política. O ponto inicial passou a ser o trabalho que tem como princípios fundamentais estudos sobre a economia política. O GT procura tendo o trabalho como ponto de partida entender a sociedade e como princípio educativo a humanização do indivíduo.

  43. Bárbara disse:

    Foi em abril de 1986 que a área de pesquisa, o GT da ANPEd passou a se chamar Trabalho e Educação, isso ocorreu devido a aspectos teóricos marxistas e gramnscianos, e a opções políticas no momento, que visam compreender e preparar o homem para o trabalho e a sociedade, humanizando o indivíduo, tendo como base o princípio educativo.

  44. Susa disse:

    A mudança do nome do GT para “Trabalho e Educação”, ocorrida em 1986, teve como embasamento concepções marxistas que consideram que é através do trabalho que primeiramente o sujeito se humaniza, se desenvolve e se educa. Assim, através da nomenclatura o GT mostra sua ideologia e prioridades.

  45. Tânia disse:

    Ocorrreu esta mudança de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, porque em consenso dos participantes, eles determinaram que a fundamentação teórica do GT da Anped, baseava-se no Marxismo. Eles atribuiram uma nova avaliação mediante esta visão teórica. E definiram ser a categoria do trabalho que define a sociedade, assim, é o trabalho que forma o homem para a educação.

  46. Ana Carla disse:

    O GT da Anped modificou o nome para “Trabalho e Educação”, porque expressa melhor o conceito de trabalho a partir da visão sociológica. Com essa modificação o grupo solidifica uma de suas principais concepções, que é a ideia trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade, uma vez que o trabalho não só humaniza e educa como é um importante meio para a mudança social. Sendo assim, o trabalho é concebido como base da sociedade e da formação humana.

  47. Patrícia Toledo disse:

    Acredito que a mudança de nome corresponde a uma mudança na concepção teórica e política, colocando o trabalho em evidência.
    Tal fato ocorreu, em meador dos anos 1980, devido a influência do marxismo, que considera o trabalho responsável pela humanização e, portanto, deve estar a frente das outras atividades humanas, no caso a educação.
    A educação seria até mesmo uma consequência do trabalho.
    Além disso, a mudança na nomenclatura acompanha o desenvolvimento do capitalismo neoliberal.

  48. Jéssica disse:

    Esta mudança, ocorrida em 1986, se deu porque, segundo os textos o Trabalho é o que humaniza o homem, o faz diferente dos animais, é visto , o trabalho como principio educativo e o meio para entender a sociedade, segundo as vertentes sociológicas, especificamente Marx e Gramschi.

  49. Priscila disse:

    A alteração do nome aconteceu graças a perspectiva marxista que defende o trabalho com atividade primordial e fundante do homem e de sua formação.Sendo assim o GT dialoga com o filosofo Gramsci legitimando assim a mudança do nome.

  50. Letícia Bortolozo disse:

    Em 1986, durante um encontro do GT da Anped “Educação e Trabalho” a nomenclatura foi alterada devido uma mudança na concepção teórica e política. Essa mudança estava relacionada com a semântica das palavras, posto que o primeiro termo (Educação e Trabalho) entendia o trabalho desenvolvido em ambientes escolares. Já Trabalho e educação entende o trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade, como princípio educativo, e dessa forma o trabalho educacional realizado em ambientes não escolares.

  51. Janiclei de Fátima Arone Amaral disse:

    Olá Profº Fábio e usuários do Blog de aula,

    Levando em consideração o texto de BONFIM (2007), temos uma curiosidade que responde ao questionamento do Blog. Seria em relação ao momento que o GT opta pela denominação “Trabalho e Educação”, nos documentos analisados praticamente não se percebe vozes dissonantes à escolha da nova designação. Na verdade, os documentos não chegam a sugerir que houve uma unanimidade a respeito da troca do nome do grupo, mas fica subentendido que praticamente não houve dissenso quanto ao desfecho, que foi o seguinte: A conclusão a que se chegou – e que foi da maior relevância – foi a de que, até o momento, a área estava padecendo de uma inversão ao tomar a educação como ponto de partida para a análise. Retomando-se os princípios fundamentais da crítica a economia política, concluiu-se que o que distingue esta área temática de outros (sic) no campo geral de educação é o fato de que nesta, a dimensão trabalho constitui-se como categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre as duas dimensões – educação e trabalho. (KUENZER, 1991, p. 92)

  52. Josiane Castamann disse:

    A mudança da nomenclatura segundo o texto de BONFIM (2007), acontece quando o GTTE entende que o trabalho é parte central dos estudos para assim melhor compreender o fenomeno educativo e a sociedade, partindo do principio marxista e dos interesses politicos dos membros do grupo que o trabalho dignifica o homem é por meio do trabalho que primeiramente o sujeito se humaniza, se desenvolve e se educa. A educação começa a ser entendida como uma consequencia do trabalho. O GTTE da Anped aceita a mudança pois não houve um dissenso na reunião até porque é um grupo aberto a todas as discussões não perdendo seu cunho marxista.

  53. Daiana Moreno disse:

    De acordo com BONFIM (2007), a mudança que ocorreu com relação ao nome do GT, que era denominado Educação e Trabalho e passou a se chamar Trabalho e Educação, aconteceu segundo afirmado por Trein e Ciavatta, (2003, p. 144, apud BONFIM, 2007, p. 119), que seguindo uma teoria marxista, “formou-se a idéia de que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence”. E por tais reflexões é que ocorreu a mudança do nome do GT.

  54. Ariadne C. Matos disse:

    Segundo BONFIM (2007), houve a mudança no nome do GT da Anped de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, pois em uma determinada reunião, os participantes tinham uma fundamentação teórica com base no Marxismo e assim, reavaliaram a categoria trabalho como fundamento para definir a sociedade, e fizeram a alteração entendendo que o Trabalho é o que humaniza o homem e é o principio educativo e o meio para entender a sociedade.

  55. Monica floriano lucianelli lucheta disse:

    A mudança no GT da Anped deve-se a mudança de concepção teórica que esse grupo passou a estudar. Esta mudança de concepção teórica é uma opção política. O trabalho é entendido como categoria central para entender a sociedade, e também como principio educativo, pois para os marxistas o trabalho humaniza o homem. Os textos que estamos analisando na sala de aula nos levam a pensar se o atual contexto de trabalho tem contribuido ou não para essa humanização. Temos vistos uma realidade de massacre dos trabalhadores e uso do trabalho como forma de possivel escravidão mascarada. É preciso resgatar mesmo a ideia de Marx do uso do trabalho para o homem e não do trabalho para o capitalismo.

  56. Samia disse:

    A mudança ocorrida no nome dado ao GT09 da ANPEd em 1986, antes “Educação e Trabalho” e agora “Trabalho e Educação”, perpassa a simples diferença semântica, mas traz consigo uma concepção teórica fundamentada em opção política. Dessa forma compreende-se que tal opção política visa preparar o homem para o trabalho e a sociedade, o humanizando, baseando-se no princípio educativo.

  57. Luana Dias disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação segundo Bonfim (2007) a mudança de concepção teórica fundada em uma opção política, as idéias desse grupo são de origem marxista e na vertente gramsciana. A ideia é a de que o homem pelo trabalho se educa então por isso mudaram o nome da Reunião da Anped.

  58. Raísa Hernandes disse:

    A partir de concepções fundamentadas no trabalho, a partir de estudos marxistas, este passa a ser visto como fator essencial para a vida do homem em sociedade e também como princípio educativo. O nome dessa forma para “Trabalho e Educação”, foi alterado, dando ênfase às capacidade do trabalho em educar as pessoas. Fato este que se tornou muito importante, como hoje podemos contar em nosso currículo com estágios em ambientes não escolares, para que possamos compreender a função educativa do trabalho numa concepção marxista.

  59. Aline Naliati disse:

    O GT da Anped modificou a terminologia “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” pelo fato de que a concepção de trabalho é a forma de educar e humanizar o homem na sociedade. Com isso, o trabalho é a base da sociedade e da formação humana. Isso tudo teve o embasamento teórico na lógica capitalista.

  60. Débora Boulos disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” se transformou em “Trabalho e Educação” pela percepção de alguns pesquisadores de que o grupo estava se tornando demasiadamente teórico e cada vez mais afastado da problemática da escola.
    Entre muitas reuniões e discussões se chegou à conclusão de que a área estava fazendo uma inversão ao tomar a educação como ponto de partida, pois, na realidade, estava causando uma sedução pelo mundo do trabalho, desvinculando-o da referência educativa e, portanto, isolando a escola de sua função social.
    Para os pesquisadores do grupo, a dimensão trabalho constitui-se como categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre ele e a educação. Além disso, conforme traz o texto lido, “dentro de uma visão dialética da história, no quadro dos estudos e publicações sobre Marx e Gramsci, formou-se a ideia de que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence”. (…) (TREIN e CIAVATTA, 2003, p. 144) e, portanto, das relações de trabalho que ela estabelece. Assim, com reflexões dessa natureza, o nome do GT foi modificado para “Trabalho e Educação”, no lugar de “Educação e Trabalho”.

  61. Marina Peixoto disse:

    A mudança da nomenclatura, segundo Bonfim (2007) passa a conceber a educação à partir do marxismo, colocando trabalho como meio e fim da educação, que ela deve ser voltada a qualificação e consequentemente, na aquisição de habilidades e competencias voltadas ao mercado de trabalho.

  62. Sônia Haruko Ito disse:

    De acordo com o texto BONFIM (2008), podemos afirmar que em abril de 1986, o GT decidiu pela mudança da denominação “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” em virtude de sua característica principal: a base teórica pautada no materialismo histórico, segundo Marx, e devido ainda, a conclusão do GT de que a dimensão do trabalho constitui-se como categoria central da qual se parte a compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre as duas dimensões – educação e trabalho. Aponta ainda outro traço distintivo do GT: a visão política centrada no compromisso com a transformação das formas de exploração e amesquinhamento do ser humano, geradas pela produção e pela sociabilidade do Capital, que podemos considerar como seu objetivo.

  63. Natália Ferreira disse:

    A modificação da nomenclatura dada ao GT09 da Anped em 1986 tem a ver com as concepções políticas e sociais que o grupo em questão passou a contemplar-se em seus estudos. Assim, a temática “educação” que em outrora tinha predominância nas investigações e estudos dos pesquisadores deu lugar para os aspectos trabalhistas que a sociedade e o mercado capitalista nos dia de hoje enfatizam em prol de um consumismo exacerbado e um individualismo egocêntrico, ao mesmo tempo competitivo.

  64. Caroline disse:

    O nome do GT “Educação e Trabalho” da ANPED, segundo BONFIM (2007) foi modificado em 1986 para “Trabalho e Educação” devido à ideologia política marxista de seus componentes, em que o trabalho, por estar mais presente na vida das pessoas, é o princípio da educação, é a humanização do homem. Assim, a Educação deixa de ser prioridade perante o Trabalho que acaba assumindo papel principal, refletindo assim a opção política assumida pelos componentes do grupo mencionado.

    • Ana Carolina Aguiar disse:

      A mudança do nome GT da ANPED “Educação e Trabalho” por “Trabalho e Educação” ocorreu, segundo Bonfim (2007), por conta da ideologia politica marxista que o grupo em questão se fundamenta. Segundo essa concepção politica, o papel do trabalho é de fundamentar e humanizar o homem, baseando -se no principio educativo.

  65. Heloisa H. Lemo disse:

    A modificação do nome do GT09 da ANPEd ocorreu, segundo Bonfim (2007), devido a mudança da concepção teórica e da opção política do grupo que o estuda, baseada na fundamentação do marxismo, que coloca o trabalho como principal elemento capaz de humanizar os sujeitos, além de ser a partir dele que se compreende de forma mais totalitária o funcionamento e as transformações sociais.

  66. Crislei Mayara disse:

    Talvez a mudança de nome seja devido a uma alteração na concepção teórica e política, que coloca o trabalho em evidencia.
    Possivelmente isto tenha ocorrido em meados dos anos 1980, devido a influência Marxista, que traz em sua teria a concepção do trabalho ser humanizador , portanto, deve estar a frente das outras atividades humanas, no caso a educação.

  67. Maria Antonia de C. Marques disse:

    A mudança de nome do GT para “ Trabalho e Educação” se deu de acordo com as concepções teóricas marxistas dos seus componentes, pois para os marxistas o trabalho é a categoria humanizadora do homem e o princípio educativo para que possa entender o meio em que está inserido.

  68. Claudia disse:

    O GT da ANPED “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”, uma vez que segundo o texto de Bomfim (2007) foi uma maneira de reagir do grupo a uma direção que as pesquisas tomaram. O grupo defendia especialmente uma volta às raízes que o fundaram, consolidando sua vocação à perspectiva marxista, mas, sobretudo à vertente gramsciana, ou seja, tendo o “trabalho como categoria central para entendimento da sociedade” e o “trabalho como princípio educativo”.

  69. Gabriella Bonil disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” no ano de 1986. Esta mudança não foi somente em relação à inversão do nome, mas foi uma mudança de teorias e políticas do grupo. A base para essa mudança foi o pensamento marxista que acredita no trabalho como humanizador, alegando que é assim que o sujeito se humaniza inicialmente, que se desenvolve e se educa.

  70. Danielli Fernanda da Silva disse:

    Conforme a leitura de Bonfim (2007) e as aulas assistidas, podemos afirmar que a mudança no nome do GT da Anped, antes “Educação e Trabalho” e agora “Trabalho e Educação”, possa ser devido a uma alteração na concepção teórica e política com certo embasamento teórico na lógica capitalista, o que torna possível pensar a educação frente às teorias marxistas, colocando o trabalho em evidência como forma de educar e humanizar o homem na sociedade. Sendo assim, o trabalho passa a ser a base da sociedade e da formação humana.

  71. Michele Saçaki disse:

    Se fez necessária a transformação do GT da Anped “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, devido a uma maior reflexão acerca da abordagem dos trabalhos produzidos por este grupo, em que a maioria de suas referências bibliográficas estavam pautados por estudos marxistas. Sendo assim, por meio da observação de uma mudança na concepção política e teórica desses escritores, o Trabalho foi posto em evidência, em vista, de que, segundo o pensamento marxista, o trabalho seria a base de uma sociedade e é capaz de humanizar o homem.

  72. Cassiana Lima Santos Rosa disse:

    De acordo Bonfim (2007), o GT GT09 da Anped modificou-se para o nome de “Educação e Trabalho” devido a mudança de concepção teórica fundamentada em uma opção política e influenciada pela teoria marxista e gramsciana. Essa mudança deu-se pela perspectiva do trabalho como humanizador e educador.

  73. Nathália Ribeiro disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”, por entender que a escola está relacionada com a realidade e subordina o termo Educação à Trabalho, entendendo o este como categoria central para o entendimento da sociedade e o assumindo como princípio educativo. Desta maneira, o trabalho é mais enfatizado, perdendo a educação como referência, trazendo assim seu desprestígio.

  74. Ana Carolina Aguiar disse:

    Fábio, minha postagem está acima, mas como ficou um pouco desfocada estou postando novamente!

    A mudança do nome GT da ANPED “Educação e Trabalho” por “Trabalho e Educação” ocorreu, segundo Bonfim (2007), por conta da ideologia politica marxista que o grupo em questão se fundamenta. Segundo essa concepção politica, o papel do trabalho é de fundamentar e humanizar o homem, baseando -se no principio educativo.

  75. Dayse disse:

    O nome do GT da Anped “Educação e Trabalho” foi mudado para“Trabalho e Educação” por teorias fundamentadas no marxismo, visto que, segundo essa corrente, o trabalho seria a categoria principal de humanização humana.

  76. Cintia B. Poletto disse:

    A mudança ocorreu por compreender o Trabalho como categoria para o entendimento da sociedade, fundamentado na teoria marxista. O trabalho humaniza e educa o homem.

  77. Lilian disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” devido à sustentação teórica da lógica do capitalismo, o marxismo. A razão é que o trabalho era visto como atividade que humaniza o homem e o prepara para a sociedade.

  78. Larissa Lopes disse:

    O nome do GT “Educação e Trabalho” foi modificado pra “Trabalho e Educação” devido à ideologia política marxista de seus componentes, em que o trabalho, por estar mais presente na vida das pessoas, é o princípio da educação, é a humanização do homem.

  79. Juliane Marigo disse:

    A Anped – Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação – modificou o nome GT “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, com base na perspectiva marxista, entendendo o trabalho como atividade que humaniza o homem e o prepara para a sociedade, por meio do seu desenvolvimento integral.

  80. Débora Gervásio disse:

    A Anped – Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação, modificou o nome, uma vez que, passa a compactuar com as idéias marxistas! Sendo assim, ela parte do pressuposto que o trabalho é uma atividade inalienável e consciente do ser humano, sendo assim, o diferencia dos demais seres vivos! Para tanto, o trabalho é uma categoria que humaniza o sujeito, dando-lhe a oportunidade (ou deveria dar) de refletir sobre si e sobre as relações sociais, econômicas, políticas e culturais! Claro que no sistema em que vivemos isso é praticamente utópico, uma vez que, essa atividade é usada como forma de oprimir o ser humano, não permitindo que o mesmo conquiste sua emancipação, seja política ou humana!

  81. Muriele Zaneboni disse:

    Sob uma perspectiva teórica marxista, pesquisadores da área de “Educação e Trabalho” modificaram a nomenclatura do grupo para “Trabalho e Educação” da ANPED, que, segundo BONFIM (2007), o grupo já se identificava dessa maneira desde 1986. Segundo TREIN e CIAVATTA (2003), a inversão se deu a partir da ideia de que a compreensão da escola é indissociável à sociedade. Devido à concepções políticas e sociais, o Trabalho passa a ser uma prioridade diante à Educação, se transformando em “uma categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo”(KUENZER, 1991, p. 92).

  82. Marina T. disse:

    A Anped – Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação – modificou o nome GT “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, com base na lógica capitalista, entendendo o trabalho como atividade humaniza o homem e está presente na vida da população, assim torna-se o principio da educação.

  83. Thaila de Oliveira Souza disse:

    como o autor frisa a mudança aconteceu por conta do grupo procurar evidenciar o trabalho como cerne da vida humana, entendendo-o sob a lógica Marxista, a sociedade e posteriormente a educação seriam consequências do modo como o trabalho é encarado.
    Entendendo o trabalho como o humanizador do ser humano, o grupo procura discutir como este está organizado atualmente e seus desdobramentos à constituição social, sempre discutindo a ótica capitalista e seus malefícios aos trabalhador.

  84. Annelize dos Santos Martins disse:

    O GT da Anped, que antigamente tinha o “tema base” como : “Educação e Trabalho”, passou por algumas transformações, como por exemplo, considerar o trabalho mais importante do que a educação; o trabalho se tornou uma possibilidade maior para que o homem alcançasse o conhecimento e o desenvolvimento que o homem mais precisa, consequentemente, ele se torna civilizado.
    Já a educação, foi colocada “de lado”, pois o não seria necessário de educação para o bom trabalho. O trabalho era a base principal da população, uma forma de humanizar e educar a população.

  85. Annelize dos Santos Martins disse:

    Antigamente o GT da Anped, tinha o “tema base” como : “Educação e Trabalho”, passou por algumas transformações, como por exemplo, considerar o trabalho mais importante do que a educação; o trabalho se tornou uma possibilidade maior para que o homem alcançasse o conhecimento e o desenvolvimento que o homem mais precisa, consequentemente, ele se torna civilizado.
    Já a educação, foi colocada “de lado”, pois o não seria necessário de educação para o bom trabalho. O trabalho era a base principal da população, uma forma de humanizar e educar a população.

  86. Mariana Lemes disse:

    A mudança que ocorreu de “Educação e trabalho” para “Trabalho e educação” deve-se ao fato da perspectiva marxista e a concepção política presentes no grupo de Educação e trabalho da Anped. O que humaniza os indivíduos é o trabalho, pois esta pratica está mais presente no cotidiano deles. Podemos considerar que essas mudanças estão envolvidas questões politicas e sociais, pois de acordo com a sociedade o trabalho esta inserido no contexto educacional e compreende o âmbito social.

  87. Gisele Cristina Santiago Lopes disse:

    A mudança no GT da Anped em 1986, se deve a mudança de concepção teórica que é uma concepção política e social. Para os Marxistas o trabalho é visto como uma atividade humanizadora e como princípio para a educação, portando inverteu-se “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”.

  88. Mariana Santini Arroyo disse:

    A mudança no nome do GT da Anped, de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, é pautada em uma alteração na concepção teórica e política, ou seja, quando passa a se embasar nas ideias marxistas. O trabalho é visto como forma de educar e humanizar o homem na sociedade, diferenciando-o dos demais seres vivos. Desta forma, o trabalho passa a ser a base da sociedade e da formação humana.

  89. Emanuelle Zanchetta Borges disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” se tornou “Trabalho e Educação” pois o trabalho é visto como atividade que humaniza o homem na sociedade, sendo assim o trabalho é o principio da escolarização.

  90. Evaldo César de Oliveira disse:

    Percebe-se pelo texto abordado uma grande preocupação na manutenção da memória esquerdista que tanto lutou pelos ideais revolucionários e pelas causas sociais, haja vista, que os teóricos mais discutidos nos GTs foram Marx e Gramsci, entretanto, essa discussão nos remete aos tempos atuais e com certeza a crítica ao capital humano deve estar cada vez mais polarizada sob o julgo do neoliberalismo. Não consigo ver uma luz no fim do túnel a curto prazo diante de um sistema que mau utilizado se torna tão perverso: a internet. Esta, no caso específico do Brasil, poderia ser uma grande aliada nas reivindicações, mas na realidade vira palco de baixarias ao mesmo tempo que aliena.

  91. Mayara Rocha disse:

    A mudança da denominação do Grupo de Trabalho da Anped, de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, se deu por conta de uma mudança na concepção teórica fundamentada em opção política, onde foi consolidada ideias do trabalho como categoria central para entendimento da sociedade e do trabalho como princípio educativo, consolidado nas linhas de pensamento de Marx e Gramsci. Segundo BOMFIM (2007), na antiga denominação estava acontecendo uma inversão ao tomar a educação como ponto de partida para a análise, e que é o trabalho que se constitui como uma categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações entre educação e trabalho, e que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence.

  92. Geisinara Fernanda B. Dias disse:

    Bonfim (2008) apresenta um estudo que contribui na compreensão das escolhas e caminhos do Grupo de Trabalho – Trabalho e Educação, o GTTE, sob a perspectiva teórica do marxismo, grupo este pertencente à Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, a ANPED. O autor explica que o Encontro, organizado por Kuenzer, em abril de 1986, “quando [a pesquisadora] estava à frente da Coordenação de Educação e Trabalho no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico – CNPq, encontro não especificamente do GT, mas de pesquisadores em Educação e Trabalho” foi o responsável por originar o documento “Educação e Trabalho no Brasil: o estado da questão, publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais – INEP” (KUENZER, 1991), cuja primeira versão é do ano de 1987. O autor ressalta que “a mudança formal do nome do GT para Trabalho e Educação só vai acontecer mesmo no ano de 1989, na coordenação de Gaudêncio Frigotto (ANPED, 2002), não obstante, pode-se dizer que, desde 1986 o grupo assim já se identificava, segundo os depoimentos de Frigotto e de Kuenzer” (BONFIM, 2008, p. 117). Segundo Bonfim (2008, p. 117), de qualquer forma, foi a partir da influência desse Encontro que o GT passaria a se chamar “Trabalho e Educação”. Para o autor, este documento representa uma “fonte importante para resgatar parte dessa história do GTTE, sobretudo para mostrar o momento da construção (e opção) da perspectiva teórico-metodológica do grupo” (BONFIM, 2008, p. 117) e, portanto, consolida as ideias centrais do grupo: o “trabalho como categoria central para entendimento da sociedade”, o “trabalho como princípio educativo”, etc. (TREIN; CIAVATTA, 2003 apud BONFIM, 2008, p. 117). Assim, constata-se, de acordo com Bonfim (2008, p. 117), que “o grupo vai consolidando sua vocação à perspectiva marxista, mas, sobretudo à vertente gramsciana”.

  93. Luciana Brito disse:

    Por que o GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”?

    [...] o “trabalho como categoria central para entendimento da sociedade”, o “trabalho como princípio educativo”, etc. (TREIN; CIAVATTA, 2003) O grupo vai consolidando sua vocação à perspectiva marxista, mas, sobretudo à vertente gramsciana. Na entrevista, a professora Acácia Kuenzer confirmou essa influência de Gramsci.

    A conclusão a que se chegou – e que foi da maior relevância – foi a de que, até o momento, a área estava padecendo de uma inversão ao tomar a educação como ponto de partida para a análise. Retomando-se os princípios fundamentais da crítica a economia política, concluiu-se
    que o que distingue esta área temática de outros (sic) no campo geral de educação é o fato de que nesta, a dimensão trabalho constitui-se como categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre as duas dimensões – educação e trabalho. (KUENZER, 1991, p. 92)

    Dentro de uma visão dialética da história, no quadro dos estudos e publicações sobre Marx e Gramsci, formou-se a ideia de que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence. (…) Essas reflexões determinaram a mudança do nome do GT para Trabalho e Educação (TREIN e CIAVATTA, 2003, p. 144)

    Em síntese, por ter uma visão marxista da educação o GT chegou a conclusão de que a inversão do título era necessária já que é a educação que segue às exigências do mercado de trabalho, ou seja, do capitalismo, por isso Trabalho e Educação remete à ideia de que o trabalho é o molde para o desenvolvimento educacional.

  94. Camila Mendes disse:

    Segundo KUENZER, 1991 a proposta, feita pelo grupo de participantes do Encontro, de que se passe a denominar a área de Trabalho e Educação, reflete, mais do que uma diferença semântica, uma concepção teórica fundamentada em opção política. Algumas idéias centrais para o grupo consolidarão, o “trabalho como categoria central para entendimento da sociedade”, o “trabalho como princípio educativo”, etc. (TREIN; CIAVATTA, 2003). O grupo vai consolidando sua vocação à perspectiva marxista, mas, sobretudo à vertente gramsciana.
    A conclusão a que se chegou – e que foi da maior relevância – foi a de que, até o momento, a área estava padecendo de uma inversão ao tomar a educação como ponto de partida para a análise. Retomando-se os princípios fundamentais da crítica a economia política, concluiu-se que o que distingue esta área temática de outros no campo geral de educação é o fato de que nesta, a dimensão trabalho constitui-se como categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre as duas dimensões – educação e trabalho. (KUENZER, 1991, p. 92)
    Dentro de uma visão dialética da história, no quadro dos estudos e publicações sobre Marx e Gramsci, formou-se a idéia de que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence. (…) Essas reflexões determinaram a mudança do nome do GT para Trabalho e Educação (TREIN e CIAVATTA, 2003).

  95. Bete disse:

    BONFIM (2007) mostra que a mudança de nomenclatura ocorrida em 1986 , condizia mais com os estudos marxistas e gramcianos que o grupo de estudos do GT seguia. Segundo o autor, “Educação e Trabalho” volta-se mais aos ambientes escolares e não havia coerência com a realidade. Daí trocar-se termos, uma vez que “Trabalho e Educação” direcionava-se ao trabalho e pode-se ver como uma crítica à politica econômica e o modo como essa influencia o ensino.

  96. Deise Scardelato disse:

    Saviani (2007, p. 152) afirma “Trabalho e educação são atividades especificamente humanas. Isso significa que, rigorosamente falando, apenas o ser humano trabalha e educa”. “Sendo a essência humana definida pelo trabalho, continua sendo verdade que sem o trabalho o homem não pode viver”. (p. 155). Tendo como base as palavras de Saviani (2007) e complementando com o texto de Bonfim (2007), o trabalho é o ponto central como forma do homem entender a sociedade, assim entender a educação, por isso a troca do nome do GT da ANPED.

    SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 34, p. 152-180, jan./abr. 2007.

  97. Poliana Billar Elios disse:

    O GT da Anped transformou o nome“Educação e Trabalho” em “Trabalho e Educação” por considerar o trabalho como categoria central para entender a sociedade .

    [...]formou-se a idéia de que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence. (…) Essas reflexões determinaram a mudança do nome do GT para Trabalho e Educação (TREIN e CIAVATTA, 2003, p. 144)

  98. Carla C.G.Nogueira disse:

    Segundo Bonfim (2008), a mudança do nome do GT de Educação e Trabalho para a inversão dos termos para Trabalho e Educação, se deu após a consolidação de ideias como “trabalho como categoria central para entendimento da sociedade e trabalho como princípio educativo”. Ideias estas pautadas em um pensamento marxista e gramsciano. Assim confirma Trein e Ciavatta, 2003, p. 144, ao dizer que: “ Dentro de uma visão dialética da história, no quadro dos estudos e publicações sobre Marx e Gramsci, formou-se a idéia de que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence. (…) Essas reflexões determinaram a mudança do nome do GT para Trabalho e Educação”. Assim, entendemos também que esta inversão foi importante já que anterior a ela a educação era o ponto de partida para a compreensão do universo da educação, ao contrário do que se é proposto pela inversão, em que a educação se torna subordinada ao termo trabalho, onde se entende que a educação segue as exigências e concepções de trabalho e de que não se entende as relações educativas sem antes compreender as relações de trabalho da sociedade na qual esta está imersa.

  99. Amanda Amaral Perles disse:

    De acordo com o texto, a mudança no nome do GT da Anped, de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, ocorre devido a sua característica de concepção teórica e política, esta de influência marxista, onde o trabalho é visto como objeto central para entender a sociedade. De tal forma, evidencia o trabalho como uma forma de humanizar e educar a sociedade com base em uma formação que os distingue dos demais seres vivos. É o trabalho visto como um princípio educativo.

  100. Maria Rodrigues da Silva disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” ,pois o trabalho passa ser entendido como categoria central para entender a sociedade e também como principio educativo, dessa maneira ele humanizará o homem. As idéias desse grupo tem suas concepções na perspectiva marxista e na vertente gramsciana.

  101. Aruana Mariá Menegasso disse:

    A ideia do texto justifica que mudança do nome do GT da Anped ocorreu esta embasada nas concepções teóricas marxistas. O marxismo valoriza o trabalho como objeto central para a compreensão da sociedade, pois este é capaz de humanizar os sujeitos e gerar o entendimento das transformações sociais de maneira totalitária, devendo estar à frente nas atividades humanas. Sendo assim, o trabalho deve estar à frente da educação.

  102. Edinaldo Nascimento disse:

    A readequação da terminologia “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” pelo GT da Anped é subjacente da influência marxista e gramisciana, dos quais derivam a ideia de humanização real do homem por meio do trabalho, que, por sua vez, origina uma sociedade autônoma. Penso haver uma desnecessária dicotomia nesta relação, pois para as classes menos abastadas, portanto, maioria, o trabalho signifique sobrevivência e, a esta, às vezes, implique, prejudicialmente, o afastamento da educação. Entretanto, sob a pressão capitalista atual, o homem sem educação dificilmente alçará a um trabalho o qual o dignifique como ser pensante/humano. Portanto, o trabalho, mecânico e instintivo, por si só, deixa de ser um instrumento cognoscente.

  103. Fabiano da Silva Costa disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” fiu renomeado de “Trabalho e Educação” pporque de fato se considera o trabalho como a primeira e mais importante condição para se alcançar o saber e o desenvolvimento principal do homem, para assim humaniza-lo. Esta decisão envolveu os interesses políticos dos membros do GT e suas idéias principais que pautavam-se no marxismo, considerando-se assim a condição do trabalho como princípio para atingir a educação, o que divide opiniões uma vez que percebe-se uma certa valorização maior do trabalho do que da própria educação que passou a segundo plano dado o interesse maior pelas pesquisas sociológicas.

  104. Rafaela disse:

    A mudança do nome do GT se deu por conta de o trabalho ser colocado antes da educação, recebendo influencia da teoria Marxista. O trabalho é uma atividade que humaniza o homem, que diferencia ele dos demais seres vivos. O trabalho está presenta na escola e na educação como um todo.

  105. Patrícia Santos disse:

    A mudança do nome, que começou a ser discutida em 1986, mas só foi efetivada formalmente em 1989, ocorreu devido à opção política dos membros do então grupo “Educação e Trabalho”. Partindo da perspectiva teórica do marxismo, os pesquisadores concebiam o “trabalho como um princípio educativo”, “trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade” e que a Educação deveria estar subordinada à esta categoria de análise. Desta forma, o trabalho passa a ser o ponto de partida para a análise teórica das relações existentes na área da educação.

  106. Patricia Zarpelon disse:

    Pautando-se na Teoria Marxista, a mudança do nome se dá pelo fato de que o trabalho se torna a categoria mais importante. É o trabalho que estabelece todas as relações na sociedade. Por isso, a partir do trabalho pode-se ampliar o debate acerca das questões educacionais. Essa mudança gera também um pensamento que concebe o trabalho como princípio da sociedade, sendo assim, imprescindível para o entendimento de outras questões.

  107. Jorgeana Basseti disse:

    O GTTE, que se constituiu no início da década de 80, se consolida até final dessa década e foi marcado por educadores que se propõem a refletir sobre as propostas da escola e criticam à teoria do Capital Humano e ao reprodutivismo.

    Os anos 90 começam a despontar e percebe-se que muitos dos temas da pauta estabelecida pelos pioneiros vão sendo preteridos dentro do GTTE, como as investigações que contemplam os trabalhos históricos, a relação com a escola básica, as experiências dos trabalhadores, etc.;
    A década de 90 traz grandes desafios ao GTTE, principalmente pelos
    questionamentos feitos por teorias e ideários “adversários”, vindos dos pós-modernos, do neoliberalismo, dos críticos à central
    idade do trabalho, etc.

  108. Elisa Pavani de Oliveira disse:

    A mudança do nome da GT para “Trabalho e educação” se deu por conta da influência de bases teóricas Marxistas, em que a educação era entendida pelos pesquisadores como subordinada ao trabalho, admitindo este como um dos princípios para que a educação se efetivasse.

  109. Ana Beatriz Galbin Gomes disse:

    A mudança do nome da GT ocorreu devido a interesses políticos que consideram que o Trabalho é o fator fundamental para o desenvolvimento humano, para a humanização. Desse modo, a educação fica em um segundo plano, uma vez que o trabalho é visto como a forma para se chegar a educação do homem.

  110. Raiza Oliveira disse:

    O nome do GT foi alterado de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, e isso pode ser entendido como consequência de uma ideologia que entende que a Educação deve servir ao trabalho. Partindo da perspectiva teórica marxista, os pesquisadores da Anped concebiam o trabalho como um princípio educativo. Desse modo, a educação ficaria em segundo plano, ou seja, não é o foco principal nem o mais importante. Com isso, o trabalho ocupa a categoria mais relevante e é visto como essencial para o entendimento da sociedade.

  111. João Theodoro de Alvarenga Junior disse:

    Percebe-se que a preocupação na mudança do nome ocorre durante um encontro em 1986. Kuanzer (1991) afirma que a necessidade de mudar partiu do próprio grupo de participantes que além do sentido semântico, houve um questionamento político.
    Dessa forma, o grupo assume sua perspectiva marxista, com uma vertente gramsciana.
    Também pode-se perceber uma necessidade de nós humanos em classificar e se opor às ideias contrárias, dependendo do contexto. Vimos nas décadas de 80/90 um período crucial de: novas ideias surgindo, redemocratização, término da ditadura militar e um forte embate político e social entre adversários (capitalistas/socialistas).
    Como no marxismo temos um grande destaque para a categoria trabalho, no processo de humanização e na educação plena do ser humano, buscaram uma coerência teórica enquanto um grupo que defendia as mesmas ideias.

  112. Veridiana Santana de Oliveira disse:

    O GT após a mudança do nome definiu a prioridade como trabalho e educação em seguida como alienação do sujeito em relação ao trabalho na sociedade, mostrando suas prioridades e objetivos.

  113. Sandra P. Silveira disse:

    A evolução do homem se deu através do trabalho, é o único ser capaz de trabalhar e educar. Conforme as mudanças ocorridas no trabalho, a educação também se altera para atender as necessidades do homem em sociedade. Assim através do trabalho o homem constrói sua identidade e educação.

  114. Elisa Rincon Vieira disse:

    A mudança de nome do GT para “Trabalho e Educação” é justificada no texto como pela teoria marxista, na qual o trabalho é considerado fundamental para a compreensão dos aspectos sociais da humanidade. Sendo o trabalho humanizador do homem.

  115. Beatriz Stefanie da Silva disse:

    Essa modificação de nome do GT da Anped, ocorreu por compreender o trabalho como categoria ou atividade que ajuda e prepara o homem para o entendimento da sociedade, sendo assim baseado na teoria marxista. O trabalho humaniza e educa o homem, fazendo com que o sujeito compreenda as transformações sociais o como tudo funciona.

  116. Thais Leite disse:

    Houve determinada transformação devido demasiado significado à humanização se, faz-se comparado à educação. Essa mudança de concepção teórica parte-se do fundamento em uma opção política, mais do que em uma diferença semântica
    A atual nomenclatura referida como “Trabalho e Educação” vem enfatizando o trabalho que se faz desenvolvido em ambientes não escolares, e que buscam aperfeiçoamento com embasamentos na área educacional.

  117. Daniela Alves disse:

    Hoje em dia o trabalho é mais valorizado pela sociedade capitalista do que a educação, por isso, a ANPED mudou o termo “Educação e Trabalho”para “Trabalho e Educação”. Afinal na escola é visto aspectos que podem contribuir para a entrada no mercado de trabalho, mas hoje em dia, com a crise todos correm o risco de não conseguirem ser inseridos no mercado de trabalho.
    O trabalho é o que move o ser humano, tendo como embasamento teórico a educação e que move todas as ações humanas. A concepção que nossa sociedade visa é aquela política e social capitalista portanto primeiro é o trabalho que influencia a educação e não vice- versa como deveria ser.

  118. Ludmila Lidiane Liduenha disse:

    O nome do GT foi alterado de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, pois a conclusão a que se chegou foi a de que, até o momento, a área estava tomando a educação como ponto de partida para a análise. Analisando do ponto de vista marxista inverteram a designação de seu grupo , em uma perspectiva com base na economia política. Concluiu-se que o que distingue esta área temática de outros no campo geral de educação é o fato de que nesta, a dimensão trabalho constitui-se como categoria central da qual se parte para a
    compreensão do fenômeno educativo e das articulações recíprocas entre as duas dimensões – educação e trabalho. (KUENZER, 1991)

  119. Angelica Camacho disse:

    O GT da Anped mudou seu nome de “Educação e Trabalho” por “Trabalho e Educação” devido as exigências em que o mercado de trabalho hoje em dia requer dos indivíduos. É preciso que o trabalhador se qualifique em determinadas áreas para que tenha um emprego.
    O foco está na capacidade do trabalho em educar as pessoas. O trabalho é visto como meio e fim da educação. Assim, o trabalho pode ser considerado como a categoria principal da humanização humana.

  120. leticiaunesp@gmail.com disse:

    O GT da Anped “Educação recebeu a nomenclatura de “Trabalho e Educação”, pois de acordo com os excertos de Marx, compreende o trabalho como um dos fatores que tornam o homo sapiens em ser humano, de modo que, a produção de cultura e o trabalho são os fatores que diferem os seres humanos do demais animais. Todavia, temos na sociedade capitalista, um trabalho alienado, alheio as características humanas, onde o individuo é explorado e não se enxergada naquilo que produz.
    Tudo isso porque, foi educado para tal, para agir como marionete do sistema, mais uma peça nas mãos dos burgueses. Ou seja, a educação serve ao sistema, por meio de currículos únicos e homogeinizadores, da mesma maneira que pode ser a ferramenta pela qual o homem foge da alienação imposta e passa a observar a sociedade em que esta inserido, buscando soluções para tamanha desigualdade.

  121. Bruna Belluci disse:

    Em abril de 1986 o GT da Anped mudou-se de “ Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”. Essa mudança ocorreu devido a uma mudança na concepção teórica que foi fundamentada em uma opção política e não apenas de semântica. Apesar de ser em 1986, essa mudança apenas ocorreu de fato em 1989 .

    A mudança se da então devido Educação existir primeiramente no Trabalho, assim o Trabalho forma o homem por meio da Educação, já que o trabalho é a base da sociedade humana, a qual por sua vez, é a base para todos os tipos de formas e atividades humanas. O indivíduo se forma como sujeito por meio do trabalho, para depois buscar a educação correspondente as suas ideologias.

  122. lele_gabis@hotmail.com disse:

    O GT da Anped “Educação recebeu a nomenclatura de “Trabalho e Educação”, pois de acordo com os excertos de Marx, compreende o trabalho como um dos fatores que tornam o homo sapiens em ser humano, de modo que, a produção de cultura e o trabalho são os fatores que diferem os seres humanos do demais animais. Todavia, temos na sociedade capitalista, um trabalho alienado, alheio as características humanas, onde o individuo é explorado e não se enxergada naquilo que produz.
    Tudo isso porque, foi educado para tal, para agir como marionete do sistema, mais uma peça nas mãos dos burgueses. Ou seja, a educação serve ao sistema, por meio de currículos únicos e homogeinizadores, da mesma maneira que pode ser a ferramenta pela qual o homem foge da alienação imposta e passa a observar a sociedade em que esta inserido, buscando soluções para tamanha desigualdade.

  123. Noemi Morelli disse:

    A mudança de nomenclatura do Grupo de Trabalho da Anped “Trabalho e Educação”, antes nomeado “Educação e Trabalho”, aconteceu devido à sustentação teórica da lógica do capitalismo, o marxismo, que é a principal base dos ideais do GT. A razão é que o trabalho é a primeira categoria que humaniza o homem, como vimos em sala de aula nos estudos dos textos da disciplina Trabalho e Educação.Segundo BOMFIM (2007), na antiga denominação estava acontecendo uma inversão ao tomar a educação como ponto de partida para a análise, e que é o trabalho que se constitui como uma categoria central da qual se parte para a compreensão do fenômeno educativo e das articulações entre educação e trabalho, e que não se pode compreender a escola dissociada da sociedade a que ela pertence.

  124. Marina Martins disse:

    A mudança de nomenclatura ocorreu pela opção política feita pelo grupo que compunha o antigo GT Educação tinha em comum a perspectiva teórica do marxismo. Assim ocorreu a mudança devido os estudiosos compreenderem a escola como não dissociada da realidade e subordina o termo Educação à Trabalho, entendendo o Trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade e oompreendendo como princípio educativo.De acordo com (Bomfim, 2007, p.119), “[...]podemos inferir sobre este momento importante para a história do GTTE é que a pouca tensão ou pouca divergência na mudança de nome e na construção das diretrizes ocorreu muito pela proximidade que havia entre os pesquisadores daquela época, aspiravam juntos maior participação democrática, resposta ao momento histórico pós-ditadura que vivia o Brasil -percepção também de Frigotto, em entrevista.”

  125. Janaine disse:

    A inversão das palavras trabalho e educação no título do grupo de pesquisa deve-ser ao fator de nos modelos econômicos citados nos textos o trabalho aparecer estritamente entrelaçado à educação, colocando a segunda palavra, ou seja educação como apêndice do trabalho.
    O foco do sistema educacional não é mais a pura e simples aprendizagem dos conteúdos, mas o ensino das disciplinas com embasamento para a preparação do mercado de trabalho. Pode- se apreender todo um referencial político embasando o teórico.
    Essa perspectiva educacional, embora esteja diretamente atrelada ao trabalho se faz ligada ao labor de uma forma alienada, portanto essa pedagogia com bases no taylorismo não está de modo algum à uma pedagogia emancipadora, assim como propunha Gramsci.
    Gramsci defendia uma educação pública e de qualidade que revelasse ao trabalhador que os objetos são frutos de uma relação dialética entre o sujeito e a matéria prima, para que deste modo o homem trabalhasse para uma sociedade mais livre e humana. Na perspectiva do Trabalho e Educação apresentada pelas correntes pedagógicas contemporâneas, o homem é apenas moldado como massa de trabalho para ser multifuncional e fragmentado.
    O grupo de estudos sofreu algumas críticas pela inversão das palavras, que simbolicamente traz uma inversão de valores entre a correlação entre educação e trabalho.

  126. Ana Claudia disse:

    A mudança de nome do GT para “Trabalho e Educação” é justificada no texto pela teoria marxista, e foi construída não apenas com base na perspectiva marxista, mas também escolhendo temas e objetos mais valorizados do que a educação para suas pesquisas.

  127. Ana Regio disse:

    A mudança de nomenclatura se deu a partir de depoimentos de participantes do grupo começam a apontar problemas, como o desprestígio da própria educação a favor de estudo de cunho mais sociológico, econômico ou filosófico, sendo perceptível a ruptura entre as décadas de 80 e 90. Esta última trouxe desafios e problemas novos que alteraram a pauta de pesquisa, a produção intelectual e acadêmica e as concepções da década anterior. Sendo assim, compreende-se que o termo trabalho tem maior significado à humanização do homem, se comparando à educação, pois o Trabalho forma o homem por meio da Educação, sendo a base da sociedade humana, fundamento para definir a sociedade, inclusive a educação, entendendo o mesmo como o princípio que educa e humaniza o homem.

  128. Jacqueline disse:

    O nome do GT “Educação e Trabalho” da ANPED, segundo BONFIM (2007) foi modificado em 1986 para “Trabalho e Educação” devido à ideologia política marxista de seus componentes, em que o trabalho, por estar mais presente na vida das pessoas, é o princípio da educação, é a humanização do homem. Assim, a Educação deixa de ser prioridade perante o Trabalho que acaba assumindo papel principal, refletindo assim a opção política assumida pelos componentes do grupo mencionado.

  129. Fernanda Rissardi Gonçalves disse:

    Devido aos estudos já desenvolvidos na disciplina de Pedagogia, pontua-se que o nome do GT modificou-se devido à concepção política adotada pela Anped. Ao fazer uso dos pressupostos marxistas, conceitua-se o trabalho como uma atividade inalienável e consciente do ser humano, capaz de o distinguir de todos os demais seres vivos. A partir dele, é possível depreender a totalidade da sociedade e de suas transformações. O trabalho forma o sujeito, lhe dá oportunidade de perceber as relações de poder. Contudo, na nossa sociedade, o trabalho é usado para oprimir, alienar e explorar o ser humano, não formando indivíduos críticos de fato.

  130. wanderlea esteves de freitas dos anjos disse:

    A mudança do nome começou a ser discutida em 1986, entretanto foi modificada em 1989, isso ocorreu devido à opção política dos membros do grupo “Educação e Trabalho”. Os pesquisadores partindo da teoria Marxista, tinham o trabalho como um princípio educativo, sendo assim o trabalho é a base teórica das relações existentes na educação, é ele quem estabelece todas as relações existentes na sociedade, podendo a partir dele abrir o debate das questões educacionais.

  131. Hayanne Zahra disse:

    No texto de Bonfim (2007) se discute a questão da alteração do nome “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, o qual ocorreu num encontro em 1986 pelos/ com pioneiros/ pesquisadores do GTTE. O retrata e deixa claro a ideia gerada nos estudos do GTTE de que não se pode dissociar a escola da sociedade a qual pertence. Portanto há essa necessidade de associação de ambas. Os estudos do GTTE tomaram cominhos diferentes co o tempo, que se construiu não só numa perspectiva marxista, mas escolhendo temas e objetos mais valorizados do que a educação para suas pesquisas. Ou seja, chegam a conclusão da importância que a Educação pode ter ao contribuir de certa forma no mercado de trabalho, porém, ressalta o Trabalho como necessidade e atenção maior. Picanço e Kuenzer lamentam o rumo que o GTTE tomou, pois a Educação, nas escolas especificamente, tem ficado abaixo do esperado.

  132. Marieli Bianchi disse:

    De acordo com o texto a mudança Grupo de Trabalho da Anped, de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”ocorre a partir das mudanças de concepções teóricas dos pesquisadores envolvidos, ou seja a partir da concepção de trabalho na perspectiva teórica marxista. o trabalho é a base de toda atividade e ação humana, é por meio dele que há a humanização e educação estabelecendo as relações do individuo na sociedade em que se insere.

  133. Luany Pyetra disse:

    A mudança ocorreu em abril de 1986, em pesquisadores da área de “Educação e Trabalho”, assumindo a perspectiva teórica do marxismo, mudaram a denominação para “Trabalho e Educação”, devido a influência de opção política em que o trabalho é tratado como categoria central para entendimento da sociedade, considerando ao mesmo tempo, o trabalho também como princípio educativo.

  134. Maiara Carnelossi disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” foi alterado para “Trabalho e Educação” no ano de 1986 pelo fato de se considerar o trabalho como a primeira condição para se atingir o conhecimento e desenvolvimento do homem.
    Esta decisão envolveu os interesses políticos dos membros do GT e suas idéias principais que baseavam-se no marxismo, considerando assim a condição do trabalho como princípio para atingir a educação.
    A escola, portanto, não deve se dissociar do trabalho, pois ele é a principal atividade humana que o torna humanizado, seguindo a linha marxista,

  135. Bruna Jacomin disse:

    O Grupo de Trabalho da ANPED transformou-se de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” em 1986, devido a uma mudança teórica e política onde coloca o trabalho em evidencia, pautado numa perspectiva teórica marxista que considera o trabalho responsável pela humanização e, portanto, deve estar à frente das outras humanas, no caso a educação. Assim a mudança ocorre, devido, uma mudança na concepção teórica e política. Essa mudança estava relacionada com a semântica das palavras, posto que o primeiro termo (Educação e Trabalho) entendia o trabalho desenvolvido em ambientes escolares, já Trabalho e educação entende o trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade, como princípio educativo, e dessa forma o trabalho educacional realizado em ambientes não escolares.

  136. Flávia Mendes disse:

    A mudança na nomenclatura está além de uma diferença meramente semântica, refletindo uma mudança também ideológica, ou seja, O GT “Educação e Trabalho” da Anped transformou-se em “Trabalho e Educação” porque assumindo a perspectiva teórica do marxismo, entendem o Trabalho como categoria central para o entendimento da sociedade, assumindo-o como princípio educativo.

  137. Letícia Veste Correia disse:

    O Grupo de Trabalho (GT) da ANPED (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação) em 1986 modificou o nome “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação”, devido expressar melhor o conceito de trabalho segundo uma visão sociológica. Alguns pesquisadores afirmaram que o grupo estava tornando-se demasiadamente teórico e cada vez mais afastado da problemática da escola. Assim, a concepção de trabalho é a forma de educar e humanizar o homem na sociedade e o trabalho é a base da sociedade e da formação humana.

  138. Mylena Pereira disse:

    A mudança do termo “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” pelo GT da Anped ocorreu pautadas nas concepções teorias marxistas e gramisciana na qual derivam a idéia de humanização real do homem por meio do trabalho, sendo assim, originando uma sociedade autônoma. O trabalho é que define a essência humana sendo o ponto central de como o homem entende a sociedade e também a educação. Segundo Bonfim (2008) a idéia de trabalho é “categoria central para entendimento da sociedade e trabalho como principio educativo”.A inversão foi importante porque agora com a nova nomenclatura a educação se torna subordinada ao termo trabalho sendo assim, a educação segue as novas exigências trabalhistas sendo primordial para compreender as relações de trabalho da sociedade na qual está inserida.

  139. Nicole Sangalli disse:

    O GT da Anped mudou o tema “Educação e Trabalho” para o tema “Trabalho e Educação” devido ao fato de que o trabalho passou a ser considerado mais importante do que própria educação ao se tornar uma possibilidade maior para o homem alcançar o seu pleno desenvolvimento e o conhecimento que o torna civilizado.
    A educação, por outro lado, é colocada em segundo plano pelo fato de não ser mais considerada necessária para o bom trabalho.
    O trabalho, nesta concepção, é considerado a base principal da população, pois é ele quem humaniza e educa a população.

  140. Rebeca Gomes disse:

    Bonfim (2008) apresenta um estudo que contribui na compreensão das escolhas e caminhos do Grupo de Trabalho – Trabalho e Educação, o GTTE, sob a perspectiva teórica do marxismo, grupo este pertencente à Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, a ANPED. O motivo pelo qual o GT “Educação e Trabalho” foi modificado por “Trabalho e Educação” foi a concepção de que o trabalho é a forma de educar e humanizar o homem na sociedade. O trabalho não só humaniza e educa como é uma forma de mudança social. Trata-se assim o trabalho como base da sociedade e da formação humana.
    Saviani (2007, p. 152) afirma “Trabalho e educação são atividades especificamente humanas. Isso significa que, rigorosamente falando, apenas o ser humano trabalha e educa”. “Sendo a essência humana definida pelo trabalho, continua sendo verdade que sem o trabalho o homem não pode viver”.

  141. Silmara Dias disse:

    O GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação” sobretudo para mostrar o momento da escolha e construção da perspectiva teórico-metodológica do grupo, que para além de uma diferença semântica, traduz uma opção teorica fundamentada em opção política. Neste momento, é que algumas idéias centrais para o grupo irão se consolidar, o “trabalho como categoria central para entendimento da sociedade”, o “trabalho como princípio educativo” dentre outros, tendo sua identidade assim fundamentada na matriz marxista.

  142. Andressa Parra disse:

    O Grupo de Trabalho da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação em um encontro realizado em abril de 1986, no entanto a mudança oficial acontece apenas no ano de 1989. Kuenzer tem grande parte nesse grupo, uma das idealizadoras, tiveram como intuito modificar a nomenclatura do grupo por conta de sua complexidade, acreditam que a escola e a sociedade, em questão o trabalho, não devem se dissociar de modo algum, pois um complementa o outro. De acordo com Bomfim, os pesquisadores da área no encontro mencionado, tiveram dois objetivos: avaliar a área e propor temas para investigação.

  143. Franciane disse:

    A mudança do nome do GTTE “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” se deu devido ao novo perfil em que os idealizadores desse GT passaram a adotar como perspectiva teórica. Segundo alguns autores, houve algum afastamento de parte de alguns idealizadores do grupo, pois, de algum modo, a identidade marxista de alguns deles foi se distanciando do novo momento em que o país assumia: a globalização. Tal percepção é possível perceber nas falas de Acácia Kuenzer:
    “Éramos todos materialistas históricos, naquela reunião… Uns mais outros menos. [...] O GT se constitui organicamente a partir dos
    materialistas históricos. [...] E na vertente gramsciana. [...] Aí a minha
    crítica, as minhas indagações no artigo de 97, porque o GT se constituiu
    a partir de uma identidade epistemológica e nisso ele se diferenciou dos
    demais GTs, ao longo do tempo foi abrindo, abrindo e está cada vez mais aberto… E já em 92, a Iracy e eu começamos a reclamar que o GT estava perdendo aquela característica de ser um espaço de troca efetiva entre os pesquisadores, que era a perspectiva de sua criação. Nós tínhamos…” (p. 6)
    Segundo BOMFIM, “O que podemos inferir sobre este momento importante para a história do GTTE é que a pouca tensão ou pouca divergência na mudança de nome e na construção das diretrizes
    ocorreram muito pela proximidade que havia entre os pesquisadores daquela época, assentada na participação democrática, resposta ao momento histórico pós-ditadura que vivia o Brasil uma identidade epistemológica [...] Era um espaço acadêmico de altíssimo nível…” (P.6)

  144. Angela Davanzo disse:

    Segundo o texto, este estudo resgata a memória um episódio de duas décadas, quando pesquisadores da área de “educação e trabalho”, sob a perspectiva teórica do marxismo, inverteram a designação de seu grupo para “trabalho e educação”. O propósito é contribuir um pouco mais na compreensão do GT “Trabalho e Educação” da Anped, sobre suas escolhas e caminhos.

  145. Mecia disse:

    A mudança de nomenclatura se deve ao reflexo das transformações sociais e econômicas que influenciaram alterações na identificação e direção das pesquisas na década de 90 que, passaram a enfatizar o trabalho como essencial na relação Educação e Escola. Esta nunca deve ser dissociada das mudanças que ocorrem na sociedade na qual está inserida. Porém,se observa também a permanência de maior preocupação com ideais neoliberais vigentes, deixando a educação para segundo plano, embora nos estudos e pesquisas o trabalho se torne categoria central como princípio educativo, característicos da identidade marxista.

  146. Camila Pavaneli disse:

    A mudança do nome “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” deve-se ao fato da nova perspectiva adotada, ideologia no qual entende a educação como finalidade ao trabalho. Os pesquisadores da Anped, por ter uma perspectiva marxista, acreditavam que o trabalho era o principio educativo, nesse sentido como uma vertente gramsciana, uma vez que o modo como está constituída e organizada a educação é referente ao modo como está organizada a sociedade atual, tendo como base o trabalho como princípio educativo.

  147. Viviane Borges disse:

    Como o autor frisa essa mudança ocorre devido a uma maior reflexão acerca da abordagem dos trabalhos produzidos por este grupo, em que a maioria de suas referências bibliográficas estava pautada por estudos marxistas a sociedade e posteriormente a educação seriam consequências do modo como o trabalho é encarado. O trabalho foi posto em evidência, em vista, de que, segundo o pensamento marxista e seria a base de uma sociedade e é capaz de humanizar o homem.
    Entendendo o trabalho como o humanizador ao ser humano, o grupo procura discutir como este está organizado atualmente e seus desdobramentos à constituição social, sempre discutindo a ótica capitalista e seus malefícios aos trabalhadores.

  148. Nayara Koseki disse:

    A Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped), mudou o seu GT de Educação e Trabalho para Trabalho e Educação, porque o primeiro termo se refere as práticas pedagógicas, enquanto o atual considera, segundo a teoria marxista, que o trabalho é fundamental para a compreensão dos aspectos sociais da humanidade. Dessa forma, o trabalho evidencia como forma de humanizar e educar a sociedade com base em uma formação que os distingue dos demais seres vivos.

  149. Vera Lucia Vançan disse:

    A mudança da nomenclatura do grupo “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” reflete uma concepção teórica com base marxista e com possibilidade de se alinhar ao socialismo.
    As transformações sociais ocorridas no Brasil na década de 90 apresentam desafios que despertam o interesse no GTTE. No mundo do trabalho surgem temas importantes como: desemprego estrutural, terceiro setor, ONGs, economia solidária, etc. Dessa forma, os debates da década de 90 exigem questionamentos de alguns elementos da reflexão travada na década anterior. Na nova década, o discurso dos empresários se assemelha ao dos professores progressistas e surgem pautas de discussão como a formação integral dos trabalhadores, aumento da escolaridade, qualificação profissional menos fragmentada.
    A nova perspectiva do grupo aponta para uma política comprometida com a proposta de uma escola que seja uma resposta crítica à teoria do Capital humano e ao reprodutivismo.

  150. Caroline Teixeira Alves de Novaes disse:

    Podemos chegar a conclusão que o nome do GT foi alterado de “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” como uma consequência de uma nova ideologia. Essa ideologia coloca a educação como finalidade do trabalho, ou seja, entende-se trabalho como princípio educativo. Desse modo, nota-se a educação sendo colocada em segundo plano assumindo uma posição não muito importante, deixando o primeiro plano para o trabalho. Temos a educação moldada ao modelo de sociedade vigente. Em síntese podemos ver que há uma influência Marxista nessa mudança, já que vemos a educação seguindo as exigências do mercado de trabalho (capitalismo), por isso concluísse que Trabalho e Educação se remete a ideia central de que o trabalho é o molde para o desenvolvimento educacional.

  151. Beatriz Rincão disse:

    A ANPED há 21 anos modificou o nome do GT Educação e Trabalho para Trabalho e Educação, podemos dizer que isso aconteceu por causa de uma nova vertente, ou seja, uma nova ideia, essa ideia trás o trabalho como o primeiro principio educativo do homem, eu o EDUCO para o TRABALHO. Nota-se com os anos que a educação está sendo voltada para o trabalho, pois seguem o sistema do país, no caso, o capitalismo, trazendo assim, ideias do marxismo e também de outras teorias e vertentes. Kuenzer e Picanço, por exemplo argumentam a em favor da relação Trabalho e Educação, nesta ordem, porém lamentam os descaminhos que o GTTE tomou.

  152. Beatriz Rincão disse:

    Quando a Anped modificou o nome do GT Educação e Trabalho para Trabalho e Educação, podemos dizer que isso aconteceu por causa de uma nova vertente, ou seja, uma nova ideia, essa ideia trás o trabalho como o primeiro principio educativo do homem, eu o EDUCO para o TRABALHO. Nota-se com os anos que a educação está sendo voltada para o trabalho, pois seguem o sistema do país, no caso, o capitalismo, trazendo assim, ideias do marxismo e também de outras teorias e vertentes. Kuenzer e Picanço, por exemplo” argumentam a em favor da relação Trabalho e Educação, nesta ordem, porém lamentam os descaminhos que o GTTE tomou.”

  153. Wanderléa Esteves disse:

    Professor Fábio e colegas de sala,

    Foi Muito bom conhece-los, contribuíram com muitas coisas boas nesses 4 anos…ficarão em minha memória e em meu coração pra sempre, tenham todos um feliz natal e um lindo 2016…Amo vcs.

  154. Ana Marta disse:

    O GT “Educação e Trabalho” da ANPED mudou para “Trabalho e Educação” por conta da posição de estudiosos marxistas. Entendem Trabalho como centro da sociedade e assume-se como princípio educativo. Contudo, essa mudança fez com que as pesquisas tendessem para uma vertente em que a educação está desassociada.

  155. Maely Xavier disse:

    A expectativa natural de que o intuito da educação reflete-se ao trabalho trata-se de uma ideologia adotada, que contribuiu para transformar o paradigma de Educação e Trabalho, para Trabalho e Educação. Essa mudança da nomenclatura, também se deu devido a as correntes mudanças da sociedade, assim, pesquisadores da Anped na década de 90, concluíam que o trabalho era o principio e o maior objetivo da educação, o que por conseqüência deixava a educação muitas vezes em segundo plano.

  156. Jacqueline Paiva de Rezende disse:

    O GT “Educação e Trabalho” da ANPED, segundo BONFIM (2007) foi modificado em 1986 para “Trabalho e Educação” devido à ideologia política marxista de seus componentes, em que o trabalho, por estar mais presente na vida das pessoas, é o princípio da educação, é a humanização do homem. Assim, a Educação deixa de ser prioridade perante o Trabalho que acaba assumindo papel principal, refletindo assim a opção política assumida pelos componentes do grupo mencionado.

  157. Numiá disse:

    A transformação do nome GT da Anped “Educação e Trabalho” para “Trabalho e Educação” aconteceu devido ao pensamento de alguns pesquisadores do grupo, que baseados nas teorias marxistas, acreditavam que o trabalho deveria ocupar posição central para a compreensão da sociedade e também do contexto educativo.

Deixar um comentário