Bom Dia Car@s Alun@s da Pedagogia!

O Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela seleciona 2 bolsistas para atuar no projeto dos NÚCLEOS DE ENSINO:

“EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS: BLOG DE AULA – MUTIRÃO DE SOCIOLOGIA”.

Os bolsistas executarão as seguintes tarefas:

(1) Elaborar e aplicar as oficinas de blog de aula e mini-cursos de tópicos da área de Ciências Humanas e suas Tecnologias (Local: Distrito de Talhado, São José do Rio Preto – SP e Ipiguá – SP);

(2) Identificar dificuldades na execução das atividades em sala de aula e problematizar tais dificuldades a partir do embasamento teórico adotado;

(3) Gerenciar a “categoria” RP-CE1 do Blog de Aula – Mutirão de Sociologia (www.mutiraodesociologia.com.br), para articulação entre as propostas de tópicos da área de Ciências Humanas e suas Tecnologias e a produção hiper-textual para o blog.

(4) Gravar e armazenar os hipertextos dos alunos em CD (Compact Disc – Disco Compacto).

Para se inscrever, o aluno deverá entregar, no escaninho de madeira do Prof. Fábio Fernandes Villela (em frente a Secretaria do Departamento de Educação):

Formulário de solicitação de bolsa preenchido, disponível em:

http://www.ibilce.unesp.br/#!/administracao/secao-tecnica-academica/legislacoes/bolsas-de-apoio-academico-e-extensao/

Xerox do RG e CPF

Histórico escolar atualizado

OBSERVAÇÕES:

1. Período de Inscrição: 20/05 a 24/05/2013.

2. A bolsa concedida é de Apoio Acadêmico e Extensão II (BAAE-II).

3. O bolsista deve, necessariamente, possuir/abrir conta bancária no Banco do Brasil.

4. A vigência da bolsa será de maio a dezembro de 2013.

5. Início das atividades: maio de 2013.

 

Módulo 6 – Sociologia da Educação 2: Reds

On maio 9, 2013, in SocioEdu2, by Fábio Fernandes Villela

Bom dia car@s alun@s! Tudo bem?

O módulo 6 da disciplina Sociologia da Educação 2 aborda o período da Transição Socialista e suas relações com a Educação. O filme “Reds” (1981) mostra o drama biográfico de John Reed, dirigido por Warren Beatty. O filme é baseado na vida do jornalista e escritor socialista norte-americano que retratou a “Revolução Russa” em seu livro “Dez Dias que Abalaram o Mundo”. Conforme aponta Maurício Tragtenberg, no texto publicado como introdução do livro PISTRAK, M. Fundamentos da Escola do Trabalho. São Paulo: Brasiliense, 1981, p. 07-23, a Revolução Russa, ao criar novas relações sociais entre os homens, necessitava de um novo tipo de homem para assumi-la – daí a importância da renovação dos métodos de ensino. A idéia básica de uma nova sociedade que realizaria a fraternidade e a igualdade, o fim da alienação, era uma imensa esperança coletiva que tomou conta da sociedade soviética entre 1918 e 1929. Krupskaya afirmava em 1923:

“Nós precisamos criar uma escola que prepare os construtores da nova vida. A passagem do poder para as mãos dos trabalhadores e camponeses abre ante o país perspectivas enormes, possibilidades enormes, mas a cada passo nós vemos as dificuldades que são criadas na tarefa da construção, pela falta de cultura geral do país, pela ausência de saber trabalhar e viver coletivamente. Durante seis anos de poder Soviético, mudou-se muito, nós aprendemos muitíssimo, mas isto é apenas o primeiro passo. A tarefa iniciada vai ser agarrada pela juventude; é necessário que as mãos dela sejam mais hábeis, que os olhos sejam vigilantes, os movimentos confiantes. A escola deve ajudar a criar e fortalecer a nova juventude, deve formar os lutadores por um futuro melhor, os criadores dele. É preciso … sim, sem dúvida é preciso, mas como fazer isto, como construir tal escola? [...]”. (KRUPSKAYA, N. 1923, Introdução à Comuna Escolar. In: PISTRAK, M. A Comuna Escolar, 1923).

Gostaria que vcs fizessem um comentário sobre as concepções da organização do trabalho pedagógico (de Marx, Engels, Lenin, Pistrak, Makarenko, Gramsci, etc.) durante o período da Transição Socialista. Bom trabalho, Prof. Fábio Fernandes Villela.