Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Neste módulo da disciplina Sociologia da Educação 3, que diz respeito aos impactos da Reestruturação Produtiva na sociedade e na educação, assistimos ao filme “Billy Elliot”. O filme é ambientado nos anos em que Margaret Thatcher esteve no governo da Inglaterra. O filme tem como pano de fundo as lutas grevistas dos mineiros ingleses. Obrigado pelo pai a treinar boxe, Billy fica fascinado com a magia do balé, com o qual tem contato através de aulas de dança clássica que são realizadas na mesma academia onde pratica boxe. Incentivado pela professora de balé, que vê em Billy um talento nato para a dança, ele resolve então pendurar as luvas de boxe e se dedicar de corpo e alma à dança, mesmo tendo que enfrentar a contrariedade de seu irmão e seu pai à sua nova atividade. As perguntas deste módulo giram em torno da temática do filme: a implantação do modelo neoliberal e a resistência dos trabalhadores. Billy Elliot é um símbolo da resistência contra a implantação do modelo neoliberal (“Terceira Via”). As perguntas para o comentário são as  seguintes: como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? De acordo com Neves (2005)*, em “A nova pedagogia da hegemonia”, quais estratégias e/ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem à educação para o consenso? Bom trabalho a todos! Prof. Fábio Fernandes Villela.

*NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.) A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

Bom Dia Car@s Alun@s de Sociologia da Educação 1! Tudo bem?

A presença marcante da disciplina Sociologia nos diversos cursos no Brasil, especialmente na área de Educação, se caracteriza pela sua intermitência, conforme foi apresentado nos DVDs da série “Sociologia no Ensino Médio” pelos professores Amaury Cesar Moraes e Nelson Tomazi. Conforme afirmam os autores, ora por motivos políticos, ora pela tentativa de integrá-la nos conteúdos de outras disciplinas. O que fica claro atualmente é que ela desempenha um papel educativo singular. E agora, com a obrigatoriedade da sua presença no Ensino Médio, apresenta-se um enorme desafio aos educadores em torno dos fundamentos, da forma, conteúdos e temas a serem trabalhados. Quais os principais “temas”, vinculados ao pensamento sociológico clássico e presentes no filme “Koyaanisqatsi – Uma Vida Fora de Equilíbrio” (1982) do diretor Godfrey Reggio, que podem ser transformados em “temas sociológicos”? Bom trabalho a tod@s, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Mészáros e Antunes (2007).

Bom Dia Car@s Alun@s Tudo bem?!

Esta é a área para postagem dos comentários do Módulo 1 de Sociologia da Educação 3. A questão é a seguinte: quais as dimensões da Reestruturação Produtiva ante a crise estrutural do capital?  Utilizar para referenciar o comentário os seguintes textos trabalhados em sala de aula:

MESZAROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2002.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2000.

Como atividade complementar vcs podem rever o Roda Viva com o István Mészáros no seguinte link do Youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=HaqF9H_Rllg

Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Módulo 1 – Sociologia da Educação 1 – O Conhecimento Sociológico

On setembro 11, 2012, in SocioEdu1, by Fábio Fernandes Villela

Bom Dia Car@s Alun@s! Tudo bem?
O módulo 1 da disciplina Sociologia da Educação 1 aborda o “Conhecimento Sociológico”. Gostaria que vcs fizessem um comentário sobre a seguinte questão: “Por que para Durkheim os “fatos sociais” tem um caráter impositivo?”.  Sugiro duas atividades complementares para auxiliar a reflexão: (1) assistir ao documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância” e (2) visitar o site do Instituto Alana.

O documentário “Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância”, lançado em dezembro de 2008 pela MEF (Media Education Foudantion), nos EUA, aborda o problema do consumismo infantil naquele país. Sem dúvida faz par como o filme “Criança, A Alma do Negócio” . O filme trabalha numa perspectiva de alerta geral sobre a publicidade e as estratégias de marketing das grandes empresas no intuito de transformar as crianças e a própria infância num grande buraco negro de consumo e eixo de influência da família. O estudo demonstra o enorme volume de gastos com pesquisas e produções midiáticas direcionadas ao público infantil, comerciais e animações, fast-food, automóveis, celulares etc., que são cada vez mais, feitos olhando a criança como principal consumidora ou “aliciadora” da família, no sentido de convencer os pais sobre como e no que gastar.  Ficha técnica. Direção: Adriana Barbaro / Jeremy Earp. Lançamento: 2008. Duração:66 min.

(1) Crianças do Consumo (ou Consumindo Crianças) – A Comercialização da Infância:

http://www.youtube.com/watch?v=mLuRH7nmhy4

(2) Instituto Alana:

http://www.alana.org.br/CriancaConsumo/Home.aspx

Bom trabalho a tod@s! Prof. Fábio Fernandes Villela.

Boa Tarde Car@s Alun@s! Tudo bem?

O Roda Viva discute o mundo do trabalho com Ricardo Antunes nesta segunda-feira (03/09). O professor Ricardo Antunes, um dos mais destacados sociólogos marxistas da atualidade, cujos estudos se direcionam para o tema trabalho e suas novas formas de relação dentro do mundo capitalista contemporâneo. O programa da TV Cultura vai ao ar às 22h.

Com as mudanças relativamente recentes no sistema de trabalho, que vão desde a terceirização de serviços, o aumento na procura pelos concursos públicos, a contratação de PJs, o trabalho por tarefa até o uso de celulares e e-mails no trabalho, Antunes deve analisar as transformações ocorridas nesse universo e as consequentes implicações nos planos social e político.

Ricardo Antunes é professor titular de sociologia do trabalho na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador da coleção Mundo do Trabalho, da Boitempo Editorial. É autor dos livros O continente do labor, Os sentidos do trabalho e O caracol e sua concha, e coorganizador de Infoproletários, Riqueza e miséria do trabalho no Brasil, Neoliberalismo, trabalho e sindicatos e Lukács: um Galileu no século XX.

Apresentado pelo jornalista Mario Sergio Conti, o Roda Viva conta, nesta edição, com os seguintes entrevistadores convidados: Liliana Segnini (professora titular em Sociologia do Trabalho da Universidade Estadual de Campinas); Leny Sato (professora titular do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo); Eleonora de Lucena (repórter especial do jornal Folha de S. Paulo); Mônica Manir (editora do Caderno Aliás do jornal O Estado de S. Paulo); Alexandre Teixeira (jornalista e escritor). O Roda Viva também conta com a participação do cartunista Paulo Caruso.

Roda Viva entrevista Ricardo Antunes

03/09 | segunda-feira | às 22h | Roda Viva | TV Cultura

Com Mario Sergio Conti, Liliana Segnini, Leny Sato, Eleonora de Lucena, Monica Manir, Alexandre Teixeira e Paulo Caruso.

Para quem não viu ao vivo, já tem online:

http://tvcultura.cmais.com.br/rodaviva/roda-viva-discute-o-mundo-do-trabalho-com-ricardo-antunes