Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Acaba de ser lançado o livro: “Currículos, sistemas de avaliação e práticas educativas: Da escola básica à universidade”, organizado pela Profª. Maria Antonia Granville. O livro é uma coletânea de textos das pesquisas dos professores do Departamento de Educação do Ibilce/Unesp de Rio Preto, entre outros. Momento mágico do DEDU – Ibilce/Unesp – Rio Preto. Boa leitura a todos! Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Sinopse:

Esta é uma obra de abrangência, que compreende da educação básica à superior. Nos três eixos articulados que a sustentam (currículos, avaliação e práticas educativas) são tratadas questões polêmicas que preocupam a maioria dos educadores brasileiros na atualidade. Entre elas estão as implicações da organização curricular na qualidade de ensino oferecido pelas escolas; algumas propostas curriculares, como, por exemplo, a do estado de São Paulo; os mecanismos de controle em vigor para avaliar o desempenho dos alunos, bem como as práticas educativas vigentes nas instituições escolares – sempre sem perder de vista o aprendiz em formação e o próprio sistema educacional.

São trabalhados, também, de diferentes perspectivas, temas ainda pouco frequentes na literatura acadêmica, tais como o das políticas de atendimento a crianças e adolescentes em contexto hospitalar, as relações, na rede pública de ensino, entre a gestão escolar e a inclusão de alunos com necessidades especiais, além de um capítulo dedicado à formação moral da criança autista.

Espera-se assim oferecer ao leitor um panorama atualizado da educação brasileira, a fim de propiciar a reflexão sobre os rumos que vêm se delineando na área.

Informações:

Currículos, sistemas de avaliação e práticas educativas: Da escola básica à universidade

Autora:  Maria Antonia Granville 

Editora:  Papirus Editora 

Edição:  01 

Área:  Educação 

Lançamento:  15/09/2011 

Ano 1ª Edição:  2011 

Nº Páginas:  272 

Público Alvo:  Professores de Educação Básica a Educação Superior, estudantes da área de Educação e demais interessados nessa temática. 

Sumário

APRESENTAÇÃO

Maria Antonia Granville

1. CURRÍCULO E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Adilson Rodrigues e Maria Cristina da Silveira Galan Fernandes

 2. AS DISCIPLINAS-PROJETO NA PRÁTICA EDUCATIVA DO CURRÍCULO POR COMPETÊNCIAS

Alessandra David e Maria Teresa Garbin Machado

 3. O RECUO DAS NARRATIVAS TOTALIZANTES NA PESQUISA EDUCACIONAL E NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Antônio César Frasseto

 4. O MONITORAMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA NA ESFERA ESTADUAL: O CASO PAULISTA

Debora Cristina Jeffrey

 5. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ENSINO: A ENCRUZILHADA ONTOLÓGICA NO EMBATE MODERNIDADE X PÓS-MODERNIDADE

Edilson Moreira de Oliveira, Simone Azevedo Buchala e Aline Chitero Bueno

 6. AS PRÁTICAS EDUCATIVAS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO E OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO OMNILATERAL NA AMÉRICA LATINA

Fábio Fernandes Villela

7. TEMPO, ESPAÇO E CINEMA: UMA PROPOSTA DE PRÁTICA DE ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Humberto Perinelli Neto

8. EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS CURRICULARES

Luiz Roberto Marighetti e Julio Cesar Torres

9. DISCURSO PEDAGÓGICO E PRÁTICAS DOCENTES DE ENSINO DE LITERATURA NAS DÉCADAS DE 1950 E 1970

Maria Antonia Granville

10. O DESENVOLVIMENTO DA FORMAÇÃO MORAL NO SUJEITO AUTISTA

Maria Cecília Bérgamo Braga e Raul Aragão Martins

11. DIDÁTICA E MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA: DA UNIVERSIDADE À ESCOLA BÁSICA

Maria Eliza Brefere Arnoni

12. “SÃO PAULO FAZ ESCOLA”? CONTRIBUIÇÕES À REFLEXÃO SOBRE O NOVO CURRÍCULO PAULISTA

Maria Izaura Cação e Sueli Guadelupe de Lima Mendonça

13. A POLÍTICA DE ATENDIMENTO ESCOLAR EM HOSPITAIS BRASILEIROS

Silvana Fernandes Lopes e Elaine Carla de Oliveira

14. GESTÃO ESCOLAR E INCLUSÃO: COMO REALIZAR ESSE ENCONTRO NAS PRÁTICAS EDUCATIVAS?

Solange Vera Nunes de Lima D’Água

Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Os textos do Módulo 2 gravitam em torno das modalidades históricas do processo de trabalho capitalista. A pergunta para debate é a seguinte: por que o GT da Anped “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e Educação”? Minha sugestão é vcs lerem o texto 3 da bibliografia básica citado abaixo. O link para baixar o texto está logo em seguida. Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Obs. “Anped” é a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação.

Texto 3: BOMFIM, Alexandre Maia do. Há 21 anos Educação e Trabalho transformou-se em Trabalho e Educação: da construção da identidade marxista aos desafios da década de 90 pelo GTTE da Anped. In: Anped: 30 anos de pesquisa e compromisso social, 2007, Caxambu. Anped: 30 anos de pesquisa e compromisso social. Rio de Janeiro: Anped, 2007. p. 1-17.

Esse texto está disponível em: http://www.portal.fae.ufmg.br/seer/index.php/trabedu/article/viewFile/334/303

Boa Tarde Caros Amigos! Tudo bem?

É com grande satisfação que confirmamos a palestra sobre a “Questão Palestina”,  com Jadallah  Safa, palestino radicado no Brasil desde 1979. Ele fará uma palestra cujo foco central será a “Infância Roubada” das crianças palestinas no Ibilce –  Unesp de Rio Preto,  dia 21-10-2011, sexta-feira, a partir da 19:00h, no Anfiteatro II. Aberta ao público em geral, não há necessidade de fazer inscrição. Serão 4 horas de atividade (com certificado para AACCs). Haverá a apresentação do documentário: “Palestina: a história de uma terra”, de Simone Bitton e logo em seguida a palestra do Jadallah. Saudações,
Prof. Fábio Fernandes Villela.
A seguir um trecho da vida de Jadallah Safa transcrita de palestra no Rio de Janeiro – RJ em 2009:  “É uma grande honra para mim estar presente aqui com vocês pela primeira vez, falando sobre a Palestina, minha terra amada, dela eu sai em 1979, e por causa das leis racistas da entidade sionista; Israel, perdi meu direito de retornar para ela. E se for preciso ou eu queria voltar, tenho que voltar como estrangeiro e com passaporte estrangeiro, como turista por tempo limitado de no máximo 3 meses, caso o governo racista de Israel permita. Eu sou da Cisjordânia ocupada em 1967, e meu companheiro Nabil é de Akka, cidade ocupada em 1948. Nós dois estamos aqui no RJ, pela primeira vez para falar sobre a luta do povo palestino, esta luta que dura quase um século, começou no início do mandato Britânico em 1917. É uma luta para conquistar e gozar nossos Direitos, como o de construir nosso Estado independente, Autodeterminação e o Direito de Retorno para Ramallah que é minha cidade e Akka que é a cidade de meu companheiro, são Direitos sagrados e não negociáveis. A OLP ( Organização para libertação da Palestina), é a única e legítima representante do povo Palestino, que unifica o povo Palestino em um programa nacional mínimo; aprovado em 1976, e a OLP sempre representou o povo Palestino em todos os lugares e cantos deste mundo, os palestinos que se encontram nos territórios ocupados em 1948, 1967, dentro e fora da Palestina, no Líbano , Síria, Jordânia e na Diáspora”. [...]

Texto completo pode ser acessado em: http://marciacsilva.wordpress.com/2009/05/02/discurso-de-jadalla-safa-em-palestra-sobre-a-questao-palestina/

APOIO:

ADUNESP – Associação de Docentes da Unesp – Sub Seção Sindical Rio Preto

Centro Acadêmico da Pedagogia “Wilson Cantoni” – UNESP – Rio Preto

Comitê Catarinense de Solidariedade ao Povo Palestino

Comitê de Solidariedade à Luta do Povo Palestino do Rio de Janeiro

Comitê de Solidariedade ao Povo Palestino de São José do Rio Preto – SP

DAF – Diretório Acadêmico da Filosofia – UNESP – Rio Preto

UJAAL – União da Juventude Árabe para América Latina

Módulos 2 e 3 – Sociologia da Educação 3

On setembro 15, 2011, in SocioEdu3, by Fábio Fernandes Villela

Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

Na aula de ontem assistimos ao filme “Billy Elliot”. O filme é ambientado nos anos em que Margaret Thatcher esteve no poder. O filme tem como pano de fundo as lutas grevistas dos mineiros ingleses. Obrigado pelo pai a treinar boxe, Billy fica fascinado com a magia do balé, com o qual tem contato através de aulas de dança clássica que são realizadas na mesma academia onde pratica boxe. Incentivado pela professora de balé, que vê em Billy um talento nato para a dança, ele resolve então pendurar as luvas de boxe e se dedicar de corpo e alma à dança, mesmo tendo que enfrentar a contrariedade de seu irmão e seu pai à sua nova atividade. As perguntas deste módulo giram em torno da temática do filme: a implantação do modelo neoliberal e a resistência dos trabalhadores. Billy Elliot é um símbolo da resistência contra a implantação do modelo neoliberal. As perguntas para o comentário são as  seguintes: como o capital e seu sistema ideológico e político de dominação se reorganizou diante da sua própria crise? Quais as diferenças básicas entre taylorismo/fordismo e toyotismo?; De acordo com Antunes (2000), quais estratégias e / ou alternativas poderiam ser usadas, atualmente, para o fortalecimento dos organismos que se opõem ao sistema capitalista? Bom trabalho a todos! Prof. Fábio Fernandes Villela.

40 Vagas para Orientação Pedagógica no CIEE – Rio Preto

On setembro 15, 2011, in Coord, by Fábio Fernandes Villela

Bom Dia Caros Alunos da Pedagogia!

O CIEE - Rio Preto procura estudantes do curso de pedagogia para a área de Orientação Pedagógica. Benefícios: Auxílio transporte.  Valor: Não divulgado. Horário: Variável. Local do Estágio: SJRP – SP.  Os interessados deverão comparecer na Unidade do CIEE munidos de documentos pessoais e o número da vaga.

Forma de Contato: Entrar em contato com urgência.

Roxane D´Oliveira Freitas

CIEE – São José do Rio Preto

Estagiária – Voice 3209

Fone: (017) 3211-2966 Fax: (017) 3211-2940

roxane_freitas@cieesp.org.br

www.ciee.org.br

Prezados alunos, bom dia!

Convidamos a todos para a palestra a ser proferida pelo fotógrafo TONINHO CURY sobre o tema “Causos e imagens de Rio Preto na visão de um fotógrafo”. Será no próximo dia 10 de setembro, início às 9:00 horas, na Salão Nobre da ACIRP, Rua Silva Jardim, 3099, Centro, São José do Rio Preto – SP – Brasil.  Imperdível!

Serão expedidos certificados no total de 4 horas/aula.

Esta é uma atividade organizada pelo IHGG -São José do Rio Preto/SP. O IHGG é uma instituição sem fins lucrativos, fundada em 18/03/03 com a finalidade de promover a pesquisa e a divulgação da História, Geografia, Genealogia e Ciências Correlatas da região de São José Rio Preto/SP. Tem sua  sede na cidade de São José do Rio Preto-SP, à Rua Saldanha Marinho, n° 3.117, Centro. É uma sociedade cultural, educacional  de interesse público, de duração ilimitada, constituída como pessoa jurídica civil  de direito privado, sem fins lucrativos, tem por finalidade desenvolver e  promover a pesquisa e a divulgação da História, da Geografia, da Genealogia e das Ciências Correlatas,  com atuação na região noroeste do estado de São Paulo, e é uma entidade declarada de Utilidade Pública pela Lei Municipal n° 433, de  03 de março de 2005

O link com fotos e a biografia do fotógrafo pode ser acessado em: http://www.toninhocury.com.br/

 Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

Curso de Difusão do Conhecimento: Oficina Básica de LIBRAS

On setembro 1, 2011, in Miscelan, by Fábio Fernandes Villela

Pintura colorida onde se veêm plantas flores e duas mãos

Boa Tarde Caros Alunos? Tudo bem?

Gostaria de convidar a todos para o Curso de Difusão de Conhecimento: Oficina Básica de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais),  carga horária: 30 (trinta) horas/aula. Segue abaixo maiores informações. Saudações Prof. Fábio Fernandes Villela.

ATENÇÃO: Informamos a todos que não conseguirem se inscrever no curso que em 2012 haverá uma 2ª Versão do curso aberta a toda a comunidade.

 

Oficina Básica de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais)

Número de vagas: 40 (quarenta), sendo 30 (trinta) para alunos dos cursos de  Licenciatura do IBILCE/UNESP e 10 vagas para professores da rede pública de  ensino de São José do Rio Preto.

 Público-alvo: Alunos dos Cursos de Licenciatura do IBILCE/UNESP e professores do Sistema Público de Ensino de São José do Rio Preto.

 Objetivos: Capacitar os participantes do Curso a compreender o processo de educação dos surdos por meio de noções básicas da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e, ainda, abordar e discutir o contexto histórico da educação dos surdos, sua  comunidade linguística e o bilinguismo.

 Conteúdo Programático:

Módulo 1 – Apresentação, Introdução à LIBRAS, Trabalhando expressões (facial e  corporal), Sistematização de Sinais;

Módulo 2 – Falando sobre a surdez, Gramática, Trabalho com expressão facial e corporal, Sistematização de Sinais;

Módulo 3 – Conhecendo o aluno surdo, Filosofias Educacionais, Epidemia de LIBRAS, Trabalho com expressão facial e corporal, Sistematização de Sinais, Dinâmica, música, diálogos;

Módulo 4 – Surdez x Língua Portuguesa, Prática Pedagógica, Análise e produções escritas por alunos surdos, apresentação de materiais pedagógicos em LIBRAS,

Sistematização de Sinais, Treino de Sinais e expressão facial e corporal: história em quadrinhos;

Módulo 5 – Legislação, histórico, Inclusão, Sistematização de Sinais, Avaliação do  Curso.

 Responsáveis: Professores Doutores Júlio César Torres, Silvana Fernandes Lopes e Humberto Perinelli Neto (Coordenadores) e Profa. Márcia Tokar (Ministrante). 

Período e local de realização: O curso será realizado na sala 11 deste Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas – UNESP – São José do Rio Preto, nos dias e horários descritos abaixo:

17/09/2011 – das 8h às 15h

01/10/2011 – das 8h às 15h

15/10/2011 – das 8h às 15h

29/10/2011 – das 8h às 15h

12/11/2011 – das 8h às 15h

Local de inscrição: Seção Técnica de Comunicações da UNESP/IBILCE, situada à Rua Cristóvão Colombo, 2265, Jardim Nazareth, São José do Rio Preto/SP.

Período e horário de Inscrição: Dias 15 e 16 de setembro de 2011, das 9 às 11 horas e das 14 às 16 horas.

Condições para inscrição: Ser aluno regularmente matriculado em algum curso de Licenciatura do IBILCE/UNESP ou ser professor efetivo da rede pública de ensino de São José do Rio Preto.

Documentos necessários para inscrição: Ficha de inscrição a ser preenchida na Seção Técnica de Comunicações da UNESP/IBILCE e xerox do RG.

Custo: Será cobrada apenas a taxa regulamentar da UNESP, vigente à época das inscrições, a ser paga na Seção Técnica de Finanças do IBILCE/UNESP.

Bolsas: Não há necessidade de bolsas, uma vez que o curso não prevê pagamento  de mensalidades.

Frequência mínima obrigatória: mínimo 70%.

Maiores informações: Telefones (17) 3221- 2802 ou (17) 3221-2320.